Quando fui à Itália pela primeira vez, em junho de 2012, eu fiz como todos os brasileiros que viajam com muita vontade, médio dinheiro e pouco tempo para conhecer tudo: tentei abraçar o mundo com as pernas.

Quem, em gíria viajante, significa incluir em 13 dias tudo o que se pode ver – e principalmente comer – na Itália. O que me levou a um roteiro puxado de Veneza, Cinqueterre, Florença, RapolanoSan Gimignano e Roma.

O que na prática é pegar um check-list com gôndolas, molho pesto, Davi e Capela Sistina, e montar um roteiro para ir ticando cada um.

Foi ótimo. Não me arrependi e recomendo para quem quer conhecer o mainstream turístico italiano.

Mas exatamente por ter feito este tour pelas cidades mais conhecidas é que morri de amores por Perugia, capital da Umbria, na segunda vez que visitei a Itália.

Campos de Girassol de Perugia
É difícil não se apaixonar por uma região que, já no aeroporto, te recepciona com plantações de girassóis a perder de vista!

Perugia costuma ser, por isso, o destino de muita gente que viaja à Itália pela segunda vez – não é regra geral, mas a maioria dos turistas que visitam o país da bota optam por visitar as cidades mais conhecidas primeiro, e só em uma segunda vez (ou se tiverem mais tempo) é que deixam para explorar melhor outras regiões.

Eu, particularmente, acho que tanto faz visitar na primeira, segunda ou quinta vez: a Perugia vale esse tempo a mais de exploração.

Até porque, taí uma cidade fácil de se apaixonar… 🙂

casal em perugia

Não há em Perugia Michelângelo, nem Davis, nem Capelas Sistinas, Torres de Pisa, Coliseus ou gondoleiros. E por consequência, também não há aquele turbilhão de turistas que são despejados em Florença ou Roma diariamente.

Este é, talvez, o trufo de Perugia: por ter um ritmo bem mais tranquilo, sossegado, é possível curtir as verdadeiras experiências italianas de arte, história, religião e gastronomia, sem disputar na base da cotovelada os espaços nas filas.

E que em bom italiano, lê-se “dolce vita”: a primeira – e a mais gostosa – experiência italiana que a gente aprende na cidade. 🙂

Vista de Perugia

Mas o que tem para fazer lá? Muita coisa. E por eu ter me apaixonado tanto por lá, que eu vou contando aqui os motivos (e dando as dicas) de porque você não vai se arrepender de incluir Perugia no seu roteiro.

1. Conhecer uma cidade antiga cheia de história para contar

Os registros que falam de Perugia vão desde 310 a.C., e o passado com tantas guerras deu a ela esse centro histórico todo murado, no alto de uma montanha, como o são tantas cidades italianas.

Mas em Perugia tem uma coisa bacana: lá tem uma cidade construída sobre outra!

Como assim? Durante um período da história conturbada da cidade, que viveu em guerras internas e com as cidades vizinhas, a Perugia ficou sob o domínio do Papa. e com o objetivo de construir uma fortaleza para protegê-lo – especialmente de uma família de nobres que vivia na cidade, inimiga da Igreja e que foi expulsa pela papa -, foi feita a destruição de casas, ruas e parte da cidade. 

Mas essa cidade antiga ainda resiste, de forma subterrânea: ao passear pelo centro da parte histórica de Perugia, escadas rolantes levam até a cidade subterrânea e de lá até a estação de ônibus, na parte mais baixa da cidade.

Escadas Rolantes Perugia

E caminhar por ali é bem interessante: há ruas estreitas, chão de pedras, portas, janelas e colunas, tal qual uma cidade antiga.

2. Ter uma aula de história da religião como poucas

Arte da Igreja Perugia

A Perugia é a capital da Umbria, que por sua vez está no coração da Itália. E também é dessa região que saíram os principais santos da Igreja Católica que influenciaram a história e o mundo – e que são, inclusive, bastante populares no Brasil. São Francisco, da vizinha Assis; São Bento e Escolástica, nascidos na pequena cidade de Norcia; Santa Rita, nascida em Cássia; São Valentim, padroeiro dos namorados, que nasceu em Terni

E como na Itália a religião está assim com a arte, vale a pena perambular por Perugia com um olho atento aos detalhes das construções da cidade, como na Catedral de Perugia (que guarda como relíquia o anel de casamento dado por José à Maria, mãe de Jesus)…

anel_santa_maria_Perugia

… assim como ver as belas esculturas que decoram o principal chafariz da cidade, todas com temas históricos e religiosos.

detalhe do chafariz Perugia

Detalhes do Chafariz de Perugia

3. Casar!

Então.. já que estávamos falando de igrejas… 🙂

A Itália é um país fofíssimo para casar – prova que, quase todo dia, a gente vê um casamento acontecendo  à luz do dia, com uma casal de noivos felizes saindo da porta da igreja.

Eu vi vários. E em alguns casos, a cerimônia é assim, simples – nem vestido tem.

Mas é linda, ainda assim. Porque para casar mesmo, só precisa de dois, porque o resto é luxo, né?

Casamento em Perugia

A Natália Gastão, do blof fofo Ziga da Zuca e casou numa igreja na Florença e conta tudo aqui como foi, não me deixa mentir: casar na Itália é um sonho mesmo.

E Perugia, charmosa como é, é uma ótima pedida para quem está na vibe casadoira! 🙂

4. Ter a melhor aula de história da arte “ever”.

Também pela influência religiosa fortíssima da região que aqui foram desenvolvidos trabalhos de vários mestres da pintura italiana. O mais famoso foi Perugino, que na verdade se chamava Pietro, mas que nasceu na cidade, pegou com ela o nome emprestado e devolveu em forma de arte.

Mas se você não se lembrar dele, não tem importância: basta ter em mente que ele foi colega de atelier de Leonardo da Vinci, mestre de Rafael e bateu boca com Michelângelo (mas aí porque Michelângelo batia boca com todo mundo). 

E quem é apaixonado por arte deve reservar uma tarde para ir à Galleria de Arte da Umbria, ali na rua principal. Fica a dica de andar com calma: o museu tem peças lindas e importantes da arte sacra mundial, com obras de Perugio e Pinturicchio, outro pintor famoso da região.

Galeria de Arte de Umbria - pórtico perugia
Entrada da Galeria de Arte da Umbria: como dentro do museu é proibidíssimo tirar fotos, vai aqui a foto da entrada, mesmo!

Minha dica? Vale a pena contratar um guia, se você estiver em grupo: eles caminham com você por toda a cidade explicando detalhes das obras de arte com uma paixão contagiante – e que nesse caso, acho que faz toda a diferença, senão tudo o que parece é que estamos vendo um monte de telas sem sentido. Quem gostar da idéia pode contratar um guia através deste site: eles respondem e-mails em inglês e espanhol, e entre eles há a Maddalena, uma italiana que fala excelente português e está acostumada a fazer tours com brasileiros. Ela é apaixonada por história da arte e consegue passar isso: se você está em grupo, vale a pena fazer uma vaquinha. O meu tour com ela foi correndo e eu lamento não ter podido aproveitar mais.

Para quem tiver interesse, pode agendar com ela através deste e-mail: magdamico@hotmail.it ou do telefone 0039.3494318976. Em tempo: ela não trabalha só na Perugia, e sim em toda a região da Umbria (dica preciosa: vale agendar com ela um tour por Assis também – olha o passeio que fizemos por lá aqui).

[alert style=”2″]

Galeria Nacional da Umbria 

Endereço: Corso Vannucci, 19, centro de Perugia

Horários: Funciona de Terça a Domingo, de 8:30 às 19.30

Ingresso: 6,50 euros a inteira e 3,25 para estudantes de 18 a 25 anos.

[/alert]

5. Fazer compras

Sim, em Perugia tem muitas lojinhas de roupas interessantes – embora, devo dizer, não exatamente baratas. Mas a experiência  de compras bacana da cidade não está nas lojas e sim na rua: são as feirinhas de antiguidades que acontecem aos domingos na praça principal do centro!

Feira Livre Perugia

Como eu fui no auge do calor de julho, não sei dizer se a feirinha é bacana para vem visita nos dias de inverno – mas se você estiver lá por um domingo, vá conferir – e menos pelos objetos e sim pelo passeio, que é de uma fofura só.

Feira de Antiguidades da Perugia

6. Curtir a “dolce vita” admirando as belas vistas da cidade

Por estar no alto e ser de uma fofura toda a vida, o que não falta em Perugia são espaços para sentar, tomar um bom vinho e curtir uma tarde preguiçosa enquanto se admira a vista.

Vale tudo: ir de moto…

flagra de vespa em Perugia

… ficar no barzinho (esse da foto é o Punto de Vista, bem na praça principal da cidade).

Vista Perugia do Centro Histórico

E esta é uma das vistas escondidas na parte de trás da cidade, na Porta Sole, do outro lado da cidade: mas não se preocupe: não aparece na foto, mas em todo canto tem um delicioso barzinho para se sentar! 🙂

Perugia vista do alto

7. Se acabar em chocolate!!!

Xô, dieta! Perugia é considerada a capital italiana do chocolate, já que fica ali a famosa fábrica da Perugina, que produz aquele famoso chocolate chamado Baci (“beijos”, em italiano. Esse povo entende mesmo do que é bom!).

Ou seja: você pode se render à gula de algumas formas:

– Visitando a loja da Perugina e fazendo a festa! Ela fica ali na Corso Vannucci, a principal rua da parte histórica de Perugia, pertíssimo da Piazza della Repubblica.

– Indo à Fábrica de chocolate da Perugina – Sonho para os chocólatras: visitar uma fábrica de chocolate e acompanhar através de uma janela todo o processo de produção – com direito a provas depois, ó que delícia! Tem até um videozinho que explica todo o processo. Um programa delicioso – literalmente! – para qualquer idade!

Sendo um aluno na Escola do Chocolate – Amantes do cacau podem fazer um curso de chocolate, olha que luxo. A Scuola de Cioccolato Perugina oferece cursos para curiosos aprenderem a arte do chocolate por um dia, enquanto pessoas com mais experiência podem fazer cursos com níveis mais avançados. Vai desde a criação e decoração do seu próprio chocolate até a arte de fazer cupcakes e cakedesign! Hummmmmm…

– Indo à Eurochocolate, o festival do chocolate da Itália – a edição deste ano está prevista para os dias 18 a 27 de outubro e tem neste ano sua vigésima edição. Marcas de chocolate de todo o mundo (encabeçadas pela Perugina, mas Lindt e Nestlé dão suas caras por lá também) se exibem por toda a cidade em palestras, amostras de criações em chocolates, souvenirs, apresentações de rua e esculturas de chocolate. Os próprios italianos afirmam: são duas semanas em que toda a cidade fica cheirando a chocolate pela rua. Para se ter uma idéia, em 2003 (quando o festival completou 10 anos) foi exibido a maior barra de chocolate do mundo na época, com quase 6 toneladas. Ou seja, para este ano em que o festival completa duas décadas, pode ser a gente possa alimentar doces expectativas em relação ao que vem por aí… 🙂

[alert style=”2″]

Duração da visita à fábrica: em torno de uma hora

Ingresso: 7 euros (preços mais baratos para idosos e crianças de 5 a 17 anos. Crianças com menos de 5 não pagam)

Dias e Horários: Segunda a Sexta, de 9:00 às 13:00 e de 14:00 a 17:30.

Local: Viale San Sisto, 06132, Perugia (um táxi do centro da cidade de Perugia é bem barato, mas tem ônibus que leva para esse passeio e que saem da Piazza della Reppublica.

Reservas: É preciso fazer a reserva primeiro – recomenda-se que seja feito com 15 dias de antecedência. Para fazer a reserva basta ligar para o número 011 39 0245467868 ou mandar um e-mail em inglês para casadelcioccolatoperugina@servizio-clienti.it;

Aulas na Escola do Chocolate: é preciso fazer a inscrição por este telefone 800800907 ou através deste site aqui.

[/alert]

 8. Sair para fotografar na cidade

Perugia é, por assim dizer, uma cidade fotogênica. E basta passear por suas ruelas para captar “flagras” deliciosos de um cotidiano italiano que não tem pressa… 🙂

Gatos e portas em Perugia

Hotel em perugia italia

Untitled-1

Ruas de Perugia

9. Curtir as apresentações de rua 

Perugia, junto com Assis, serão as Capitais da Cultura Européia em 2019. Tudo bem, está longe ainda, mas a vibe cultural já anda efervescente pela capital da Umbria. Muito por causa da Universidade dos Estrangeiros, que tem por lá, uma das mais eminentes da Europa na educação da cultura para estrangeiros de todo a Europa.

Mas, principalmente, porque Perugia é assim: musical. 🙂

Músicos de Rua Perugia

10. Assistir o maior Festival de Jazz do planeta

Pois é, nem eu sabia disso, acredita? Mas o Umbria Jazz, que acontece sempre no início de julho, é um dos mais reconhecidos festivais de jazz do planeta e que já recebeu nomes como Diana Krall (foi dela o show de abertura do festival esse ano), Herbie Hancock, John Legends, James Brown, Sting e até Gilberto Gil.

Umbria Jazz Palco com Diana Krall
Diana Krall, ao piano: foi ela quem abriu a edição do festival deste ano, e nos presenteou com o melhor show de jazz que eu já assisti.

Os shows com estes grandes nomes acontecem num palco enorme, próximo à estação de ônibus. São pagos, mas vale a pena: o palco é ao ar livre, com o visual fantástico do concerto de um lado e com a cidade histórica de Perugia iluminada, do outro.

Umbria Jazz

Lá dentro tem estrutura para comer, beber e banheiros, que mesmo cheia chega a ser bem confortável. E o show… fantástico: com direito a interpretações de músicas de Bob Dylan, cantadas ao som de sax, guitarras e até violinos. Uma experiência maravilhosa.

E, enquanto isso, lá em cima a cidade de Perugia está fervendo com shows de jazz gratuitos nos dois palcos espalhados pela cidade. Muita gente bonita, bares lotados, cerveja e ziriguidum. 🙂

palcos Gratuitos da Umbria Jazz

Eu confesso uma coisa para vocês: várias vezes  eu me peguei planejando férias para cá. Vendo preço de apartamento e tudo. Uma loucura.

E sério: se eu soubesse disso antes, teria vindo para cá antes. Perugia, um destino que fica atrás de Florença e Veneza?

Não mesmo! 🙂

Como Chegar 

De Avião: Perugia tem uma aeroporto próprio, que fica um pouco afastado da cidade. Para quem já está pela Europa pode pegar voos diretos da Ryanair, que voa de Londres para lá, direto, a partir de Stanstead. Já quem vem de Milão ou Roma é melhor pegar um trem. O aeroporto de Roma é o menos longe.

De ônibus: ir de Roma a Perugia é melhor de ônibus, numa linha mais confortável. E já sai na estação de ônibus da cidade, bastando subir as escadas rolantes (e passar pela tal cidade subterrânea) para chegar ao centro histórico.

De trem:Trenitalia tem passagens de trem para Perugia, mas assim como Assis, não é direto – é preciso fazer uma baldeação em Foligno. 

De carro: Não é possível andar de carro no centro histórico de Perugia, que fica lá em cima, mas alugar um carro é uma mão na roda para visitar as áreas ao redor, como Assis e Spoleto, cidades lindas de morrer. Mas se você não se hospedar no Centro Histórico, pode ver lugares onde estacionar o carro, o que não é muito complicado. Você pode pesquisar neste link algumas ofertas de aluguel de carros a preços interessantes (vale ficar de olho, porque em alguns casos rola um desconto para quem fechar pela internet!)

Onde ficar

Eu fiquei no Hotel Fortuna, uma delícia! Os quartos tinham uma decoração mais antiga mas – ei! – tinham um aparelho de transport! 🙂

Tudo bem, não que eu tenha usado, mas é uma ajuda para quem quer contrabalançar as calorias, que são muitas em se tratando de viagem na Itália!

Mas o que eu mais gostei nele foram 3 coisas: a localização (numa rua que ficava atrás da Corso Vanucci, a principal da cidade, o que me fazia ter que andar menos de 5 minutos para chegar ao bafafá, mas também me garantia um quarto silencioso); a vista (não só do quarto, mas a varanda é deliciosa, com uma vista linda para a cidade, bem do alto de Perugia. Fiquei horas trabalhando ali feliz da vida); e o atendimento, que foi muito simpático. Tem um restaurante logo do lado, que em dias de domingo coloca cadeiras e mesas na rua, com direito a telão de futebol (eu assisti ali Brasil X Espanha pela final da Copa das Confederações). Enfim, show. Para ver fotos e fazer a reserva, clique aqui.

E para fazer a pesquisa em outros hotéis em Perugia, pesquise aqui: hospedagem em Perugia

Esta blogueira que vos fala foi à região da Umbria, na Itália, convidada pelo Ministério do Turismo, integrando a delegação brasileira que fez parte do projeto Brasil Próximo, de colaboração entre Brasil e Itália. O objetivo foi conhecer melhor os atrativos turísticos da região, mas todas as opiniões, comentários e sugestões aqui descritas são genuínas, e representam a opinião da própria autora.

*****************************************************

Links para você organizar sua viagem a Perugia:

Onde se hospedar em Perugia | Aluguel de carros na Itália

E mais: Guias que falam português em Perugia

Dica da guia que usamos: Maddalena D’Amico, que pode ser encontrada através do email magdamico@hotmail.it ou do telefone 0039.3494318976. Uma querida.

E mais posts sobre:

Umbria:

Assis: dicas, história e religião nos passos de São Francisco

Guia prático de onde se hospedar em Assis (e onde comer, se deslocar)

Norcia: a cidade-revelação do seu roteiro pela Itália

Esqueça o fast-food: Spoleto, na Itália, é para curtir devagarzinho

Perugia, Itália: um roteiro com muita “dolce vita”, jazz e chocolate

Caçando trufas negras na Itália: como foi, como é e como fazer a experiência

Cascata Delle Marmore: dicas de um passeio diferente e pertinho de Roma

Toscana:

Itália em Pílulas: o melhor sorvete de mentira do mundo e um museu de tortura para americano ver

Atrás da trufa perfeita: um roteiro despretensioso (e calórico) por alguns recantos onde comer na Itália

San Gimignano de bicicleta: dica para esticar a estadia e curtir a cidade sobre duas rodas

Degustando a Toscana, na Itália: passeios de carro, hospedagens em castelos e um sexto sentido viajante

Cinqueterre:

Cinqueterre revelada: dicas de hospedagem, comida, trilhas e “dolce far niente”

Roma:

Hospedagem, deslocamento, wi-fi e passes em Roma: um “test-drive” mastigadíssimo das dicas!

Comments

12 COMENTÁRIOS

  1. Clarissa
    Amei o blog, as dicas, tudo…obrigada pela ajuda, estou indo a Perugia sozinha, por lá ficarei 4 dias, meu roteiro será baseado tb nas suas dicas!!!! Bjs!

    • Olá, Fernanda!
      Que bom que gostou – e espero que ame Perugia! Fui lá duas vezes, e achei a cidade bem apaixonante! Se você for por agora, melhor ainda: vai ver o tempo lindo com o sol brilhando, do jeito que estava quando fui!
      Aproveite, Perugia merece mesmo esse passeio – e se puder, me conte depois como foi! 🙂 Boa viagem!

  2. Clarissa, vou seguir todas as suas dicas.
    Vamos ficar 3 dias em Perugia.
    Não acho em nenhum lugar o horario da feirinha de domingo.
    Vamos sari de Roma no domingo só para aproveitar a feirinha, mas como vamos de trem acho que chegaremos em Perugia umas 11hs e até irmos para o hotel deixar as coisas… vc sabe dizer se fica até o fim do dia?

    Obrigada,

    Ana Lucia

    • Ana, desculpe a demora em responder! Eu estava super enrolada estes dias! 🙁
      Então: fiquei 3 dias em Perugia, acho que dá para curtir com bastante tempo o local.
      Mas quanto à feirinha: ela fica na Piazza Italia, no centro histórico de Perugia, e não sei se os dias mudam de acordo com a época do ano – quando eu fui, acontecia aos domingos, mas era verão, Julho. EU cheguei na cidade mais ou menos às 11 da manhã, como você, fui ao hotel e fui passear em seguida, por volta do meio-dia, 1 da tarde. Lembro de ver o pessoal recolhendo as coisas por volta das 16, 17 horas. Então acho que dá tempo de você ver a feirinha sim!
      Mas a feirinha, mesmo, é bem “inha”, pequenininha! De qualquer modo, vale a pena circular pela cidade, especialmente se você estiver indo no verão, que ao que me falaram a quantidade de barracas é bem maior e a cidade é bem mais animada!
      Espero ter ajudado!

  3. É muito complicado viajar com segurança;
    Veja este tópico :

    COMO CHEGAR

    De Avião: Perugia tem uma aeroporto próprio, que fica um pouco afastado da cidade. Para quem já está pela Europa pode pegar voos diretos da Ryanair, que voa de Londres para lá, direto, a partir de Stanstead. Já quem vem de Milão ou Roma é melhor pegar um trem. O aeroporto de Roma é o menos longe.
    De ônibus: ir de Roma a Perugia é melhor de ônibus, numa linha mais confortável. E já sai na estação de ônibus da cidade, bastando subir as escadas rolantes (e passar pela tal cidade subterrânea) para chegar ao centro histórico.
    De trem: A Trenitalia tem passagens de trem para Perugia, mas assim como Assis, não é direto – é preciso fazer uma baldeação em Foligno.

    No mesmo tópico, ” Como chegar ” , encontrei:
    1) De Roma a Perúgia é melhor de trem;
    2) De Roma a Perúgia é melhor de ônibus ;

    Qual o melhor ??? Ir de trem ou de ônibus ???? Não consigo concluir ;

    Agradeço se puder orientar, levando em conta as estações de trem e de ônibus, tanto em Perúgia como em Roma;

    Atc, Tania

    • Tania, O que eu quis dizer era que de Roma a Perugia a melhor opção é ônibus e não trem (e concordo com você, me enrolei no parágrafo… vou melhorá-lo, obrigada pela observação). Mas isso foi a minha opinião, tá? Fui duas vezes a cidade, uma chegando de avião pela RyanAir (e um transporte me levou de carro do aeroporto até o hotel) e saí de ônibus. Na outra, voltei de ônibus e saí de ônibus, mas um amigo voltou de trem, e baseado nas nossas opiniões que batemos um com o outro mais a opinião dos italianos de lá, a opção de trem é melhor por um motivo: Embora a estação de trem de Roma sejam fáceis de chegar (no caso do Termini), os pontos de ônibus de Perugia são mais próximos do centro histórico da cidade, que é a parte mais legal, e tem um fácil acesso subterrâneo, ao passo que a logística da estação de trem de Perugia até o centro de Perugia é mais chatinha, especialmente se você for com muitas malas e não falar uma palavra de italiano – e você ainda tem que fazer baldeação, porque não tem trem direto de Roma a Perugia.
      Foi essa a principal praticidade. Os ônibus são confortáveis e a viagem é linda de se ver pela janela. Meu voto foi para ônibus por causa disso. 🙂

    • Oi Clarissa, desculpa a insistência, mas é que não encontro os detalhes dos horários de ônibus, duração da viagem e preço; Também não fica claro se é fácil encontrar lugares comprando lá em Perúgia;
      O trecho que farei é PERÚGIA / ROMA, no dia 13/10/2014;
      Estou prestes a comprar a passagem de trem, pois a todo instante os preços sobem ou os horários somem; Na Raileurope conseguimos visualizar os horários disponíveis / preço, enquanto de ônibus ????
      Além disso, li num blog que a rodoviária de Roma parece um chiqueiro; Qual sua opinião ???
      É tranquilo comprar a passagem de ônibus PERÚGIA / ROMA, lá em Perúgia ????

      Grata pelo retorno, Tania Menezes

      • Oi, Tania! Tudo bem? Acabei respondendo seu outro comentário (desculpe a demora!).

        Eu acho que comprar os bilhetes de ônibus é bem tranquilo, se for comprar na hora – nós fizemos isso, e um amigo também: chegou na rodoviária de Perugia e comprou tranquilamente para o próximo horário. Tinha bastante vaga e era período de alta estação, em pleno Umbria Jazz. Se tinha vaga naquela época, deve ser tranquilo achar assentos no ônibus. 🙂 Fora que da rodoviária de Perugia você chega rapidinho ao centro histórico da cidade, a pé e subindo várias escadas rolantes – do terminal de trem é mais chatinho, e praticamente não tem trem direto, tem que fazer baldeação.

        Quanto à rodoviária parecer um chiqueiro… bem, eu particularmente acho chamar qualquer lugar de chiqueiro uma expressão muito forte. 🙁 Mas como posso explicar? Acho que rodoviárias em si, especialmente as de grandes cidades, já não são exatamente aquela belezura toda, convenhamos! A de Roma, assim como o terminal de trem deles, é como uma rodoviária normal, não achei nada demais. É grande, cheia, movimentada (e por isso, nem sempre é limpa, como qualquer lugar de grande circulação de pessoas), mas é sobretudo funcional: você se acha e acha fácil as bilheterias e as plataformas, o que, na minha opinião, é o principal função de uma rodoviária!
        A empresa de ônibus que faz o trajeto é a Sulga: http://www.sulga.it/ e eles saem tanto da rodoviária de Roma quanto do aeroporto Fiumucino. O chato só é que no site deles é tudo em italiano, então se você não fala o idioma é meio chato de entender (mas esse é o meu caso, e admito que tive esse problema em quase todas as opções de viagem). A viagem dura em torno de 3 horas e o trecho de estrada é bem bonito.
        Quanto a preços, o bilhete do trem custa em torno de 20 a 25 euros, mas no geral é mais conveniente do que ir de trem.
        Espero ter ajudado! 🙂

  4. Clarissa Donda, por gentileza, se pudesse me ajudar, gostaria de saber como conseguir informação de onde foi registrado o nascimento Francesco Gaffeo, nascido em 1842, em Veneza ou região de Norcia. Casou-se, provavelmente, em Milão aos 10/08/1884, com Maria Mantoan ou (Mantovani), nascida em Veneza no ano de 1961.
    Pergunto é possível saber o cartório onde foi feita a certidão de nascimento e obter cópia. Os nomes corretos deles e demais informações eu consegui no memorial dos imigrantes, aqui no Brasil.
    Ficaria muito grata se você puder me ajudar.

    • Odila, nem sei como te ajudar! Esse é um blog de viagem!
      Mas olha, acho que o ideal é que você procure por um advogado na Itália especializado nesse tipo de busca – tem vários escritórios que oferecem esse tipo de serviço.
      E posso estar errada, mas já ouvi que, nesse período que você fala do nascimento dele, os registros de nascimento na Itália não aconteciam em cartório (que não existiam), e sim nas igrejas locais, quando eles eram batizados. Um advogado local é que será a melhor pessoa para te ajudar nisso.

  5. Excelentes dicas e resolvi que quando for pegarei o ônibus em Fiumicino. Vi pelo site da Sulga e não há problema algum.Grato. Ulisses

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.