Recomendo, e muito, fazer o passeio que leva à Usina de Itaipu – especialmente para quem não se interessa nada pelo assunto e veio à Foz só para conhecer as Cataratas. Sim, porque ser surpreendido numa viagem é bom – especialmente quando a surpresa é grande.

Eu ali, pequenininha, para dar uma idéia do tamanho de um dos condutos da Usina. Foto: Átila Ximenes

Grande, aliás, em todos os sentidos. A Usina Nacional de Itaipu é a maior usina do mundo em potência instalada, e foi eleita uma das 7 maravilhas da engenharia moderna pela ASCE, Associação Americana de Engenharia Civil, ao lado de outros grandes como Empire State Building (Nova York, EUA), Golden Gate (San Francisco, EUA), Eurotunnel e o Canal do Panamá.

 [alert style=”3″]

“Pequenas” curiosidades sobre Itaipu

• É a maior usina do mundo em potência instalada;

• A altura da barragem principal é de 196 metros – para os leigos, o mesmo que um prédio de 65 andares.

• A quantidade de concreto utilizada para sua construção seria o suficiente para construir 210 estádios do Maracanã ou 15 Eurotúneis.

• A quantidade de ferro e aço utilizada na construção daria para fazer 380 torres idênticas à Torre Eiffel;

• A usina chegou a ter 40 mil operários trabalhando ao mesmo tempo em sua construção.

• O ritmo das obras em Itaipu foi equivalente à construção de um edifício de 20 andares a cada 55 minutos.

• O volume de terra e rocha removidas em Itaipu é maior que o dobro do volume do Pão-de Açúcar, no Rio de Janeiro.

[/alert]

Itaipu merece, por isso, sua visita, até para compartilhar um momento ufanista. O tamanho da usina impressiona. O atendimento ao turista, também. Fomos recepcionados pelos funcionários Robson e Elmo, que nos apresentou a Usina com grande atenção e simpatia. Marcas, aliás, presentes em todos os lugares pelos quais visitamos em Foz do Iguaçu.

Janaína Calaça e Jegueton, do blog Jeguiando, assistem à apresentação da Usina em Itaipu

A visita é feita parte em ônibus, parte à pé. A parte de ônibus é bacana, pois dá a dimensão do tamanho da usina, e leva até pontos onde é possível ter uma visão panorâmica da usina.

Este é um dos pontos onde se tem a melhor visão da barragem principal. É, também, onde fica o público para assistir ao show de luzes de Itaipu

O passeio de ônibus continua circundando a barragem principal, de onde é possível ver de cima o vertedouro – que, infelizmente, estava fechado. Para nossa tristeza, aliás, e a de muitos turistas que visitam o local na esperança de ver o espetáculo. As comportas somente são abertas quando é necessário escoar parte do reservatório, o que costuma acontecer com mais frequência em períodos de muita chuva.

Vertedouro vazio de Itaipu, vista do alto da barragem principal. Uma grande pista de skate…

Não demos essa sorte, infelizmente. Mas quem tem, pode ver o espetáculo que é assistir a vazão de água num volume quarenta vezes maior que o das Cataratas do Iguaçú. A vista, magnífica, pode ser conferida através dessa foto institucional, tirada – que privilégio! – de cima.

 Passear pela barragem principal tem uma coisa bacana: é exatamente no meio dela que fica a divisa entre Brasil e Paraguai. Além, é claro, de se ter uma vista privilegiada do rio.

Placa indicativa no centro da barragem. Muito bacana para se ter idéia do tamanho!

Depois dessa “voltinha”, vamos conhecer a represa por dentro. Esse passeio é muito interessante, não só pela explicação das instalações, como pelo ângulo de visão – totalmente diferente. Temos uma idéia muito maior do mundo de equipamentos e tecnologia que existe ali embaixo de tanto concreto!

Entrada da Usina de Itaipu.

Nesta parte do passeio, conhecemos o interior da barragem e toda a tecnologia envolvida no controle da operação da usina e da produção de energia.

Blogueiros do BlogTurFoz conhecendo a Usina de Itaipu. Para visitar a parte interna, é imprescindível o uso de capacetes de segurança.

É importante citar que, como a usina é binacional e, portanto, uma iniciativa de ambos os países, a energia produzida é irmamente dividida entre Brasil e Paraguai. Só que, respeitando-se as diferenças de tamanho , população e demanda, desses 50% o Paraguai só utiliza 5% da energia, quantidade que já é suficiente para atender a 90% da demanda no país – o Brasil, com seus 50% da energia gerada, atende a 19% da demanda interna. A energia paraguaia não utilizada, portanto, é revendida ao Brasil, conforme um acordo entre os dois países.

O nosso guia, Robson, explica como funciona o sistema de Transmissão de energia da Usina

Ao longo do passeio, corredores de concreto e tecnologia de ponta nos fazem ter a impressão de que estamos em alguma daquelas organizações super secretas de filmes. O zelo e as normas de segurança são rígidas, e é super interessante ver o trabalho dos profissionais envolvidos.

Silhuetas refletidas no vidro denunciam a visita dos blogueiros do BlogTurFoz à sala que controla o vertedouro de Itaipu

 E, uma das partes mais bacanas, é a visita a uma das turbinas de Itaipu. Nesta hora os procedimentos de segurança são ainda mais rígidos – mas compensa!

Turbina da Usina de Itaipu. É essa “pecinha” aí que muito provavelmente acende a luz da sua casa!

 [alert style=”3″]Itaipu é hoje a usina de maior produção de energia ao ano do mundo. E provavelmente vai continuar sendo, mesmo com a construção da Usina das Três Gargantas, na China, que é considerada a maior do mundo. A capacidade total de produção da usina chinesa é maior do que a nossa, mas com um detalhe: ela não pode manter sempre esse nível de produção pois a vazão dos rios de lá varia ao ano, ao contrário do Rio Paraná. Logo, nossa produção anual vai continuar maior no total. É nóis![/alert]

Há, ainda, uma outra maneira de conhecer a grandiosidade de Itaipu: à noite. Todas as sextas e sábados, às 20 horas, é feito um espetáculo de iluminação, com luz e som, da barragem de Itaipu. Esse espetáculo inclui, ainda, um passeio de ônibus para conhecer de perto, e de uma maneira diferente, a grandeza da construção.

Vista da barragem durante o evento noturno

Não espere uma queima de fogos como acontece com os festivais de luz e som da Disney ou coisa parecida. Não é isso nem de longe. Mas o resultado é, sim, imponente, como só poderia ser em se tratando de uma das maiores usinas do mundo.

Talvez ela não encante aos olhos à primeira vista como acontece com as Cataratas, em breve uma das sete maravilhas naturais do mundo. Mas é uma das maravilhas da engenharia, e, mais do que isso, é brasileira, construída pelo homem e um exemplo de eficiência produtiva, gestão e presença efetiva na comunidade onde atua. Motivos de sobra, portanto, para sorrir tranquilo de tamanho orgulho.

Tamanho que, assim como no caso de Itaipu, é documento sim. Brasileiro, ainda por cima.

Quem leva: Existe o “Passaporte Iguassu Itaipu Binacional“, comercializado pela Loumar Turismo, que inclui a visita à Itaipu Binacional, o Refúgio Boa Vista e, de quebra, o Macuco Safari.

Outras informações: Acesse o site da Usina de Itaipu aqui

Gostou? Faça aqui sua pesquisa e reserve diretamente o seu hotel em Foz do Iguaçu:

[booking Target=”Foz do Iguaçu”]

==============================================================

Esta jornalista e blogueira foi a Foz do Iguaçu a convite da Agência Loumar Turismo e Hotel Bella Italia (Patrocínio) e Gol Linhas Aéreas Inteligentes (Transportadora Aérea)

[alert style=”2″]

Se você gostou deste post, veja mais de nossas dicas sobre Foz do Iguaçu aqui:

Dicas do que fazer à noite em Foz do Iguaçu

 

Comer em Foz do Iguaçu: dicas, pitacos e outras gulodices mais…

City Tour em Foz do Iguaçu: uma cidade de encontros

Cataratas de Foz do Iguaçu: dicas para uma experiência em cinco sentidos

Parque das Aves em Foz do Iguaçu: quando pássaros voando valem mais do que na mão

Dicas de Compras no Paraguai: Como ir, como voltar e o que vale a pena em Ciudad del Este

[/alert]

 

Participaram do BlogTur em Foz do Iguaçu

Os Blogueiros: Maurício Oliveira (Trilhas e Aventuras), Jana Calaça (Jeguiando), Átila Ximenes (Vou Contigo), Carol Wieser (Travel Forever), Carol May (Dicas e Roteiros de Viagens), Ana Catarina (Turista Profissional), Julie Fank (De Mochila), Clarissa Donda (Dondeando por aí), João Aguiar (Viajando no Mundo), Flávia Vieira (Viajar é Tudo de Bom), Vinícius Raupp (Inquietos), Pedro Serra (Sem Destino),Thiago Busarello (Vida de Turista) e Deise de Oliveira (Viagem pelo Mundo).

Comments

3 COMENTÁRIOS

    • Mayra, eu fiz o completo. E tem diferença sim: no completo você visita as instalações internas, conhece o funcionamento da Usina… é bem impressionante!
      Já o panorâmico passa pelo mirante, passa por cima da barragem (dependendo da operação do dia) em que você vê toda a construção!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.