[show_AdSense float=”left” ad_client=”pub-9501066899733075″ ad_slot=”6562283172″ ad_width=”250″ ad_height=”250″ ]

Tava lá no roteiro: “visitar a Cascata delle Marmore“.

Achei o nome poético: já imaginava uma montanha todinha de mármore, luxo puro, com uma queda d’água elegante caindo do topo.

– E vocês, que são do Brasil, vão gostar – disse Omero, que nos levava para o passeio – pois desde 2005, por causa dessa cascata, houve um acordo entre Terni, na Itália, e Foz do Iguaçu, no Brasil. E hoje as duas são consideradas cidades-irmãs.

“Bacana”, pensei eu. Então tá, vamos.

Só que, chegando lá, foi essa a cascata que eu encontrei. Ok, a queda era bonita, mas bateu uma decepção – em nada isso me lembrava a exuberância que são as quedas das nossas Cataratas.

Cascata della Marmore Terni Italia

Mas era pura pressa minha. Porque eu já estava julgando sem saber algumas curiosidades:

– A Cascata delle Marmore é a mais alta cascata da Europa, com 165 metros, divididas em três quedas (sendo que a maior, a que a gente vê dali do alto, possui 83 metros de altura);

– E o mais bacana: é uma cascata artificial, uma fantástica obra de engenharia construída pelos romanos pelo anos 270 D.C, como uma forma de corrigir o curso do Rio Velino, que frequentemente causava alagamentos, enchentes e desastres na região com suas cheias – fora as doenças que advinham após alagamentos como esses. Com a criação da cascata, o curso foi corrigido e  as quedas de água foram controladas, aumentando ou diminuindo conforme a vazão.

Por isso, o melhor é  programar a visita na parte da manhã, quando eles liberam a saída de água a vazão aumenta. Quando isso acontece, três fortes apitos dão o sinal de que as comportas estão abrindo – e a gente começa a andar para as trilhas para ver aos poucos o volume de água aumentando.

E aí, sim, começa a me lembrar um pouco de Foz do Iguaçu…

Cascata della Marmore vazão forte
O volume de água que começa a cair é tão grande, que enxergar a cascata começa a ficar difícil – só se vê o vapor.

Para ver a Cascata é preciso entrar no parque (cujo ingresso é 5 euros), mas vale a pena. Há várias trilhas pela mata, e mesmo com o sol forte (as temperaturas em Terni chegam a 32 graus no verão), é um passeio refrescante, devido ao vapor de água que sai da cachoeira. E é de vários pontos da trilha que se tem melhor dimensão do tamanho e do volume das quedas.

Cascata Della Marmore vista

São diferentes trilhas, e algumas delas planas e pavimentadas. Pessoas de idade podem ir sem problema .

E à medida em que vamos andando, vemos o volume de águas aumentar. Tirar fotos passa a ser uma tarefa difícil, seja pelo medo de molhar a lente com o vapor, seja pela dificuldade de captar as quedas…

Corredor para Visitar a Cascata della Marmore TerniSegundo Omero, atualmente o auge da vazão que vemos não chega a 1/4 do volume de águas que a cascata pode liberar, e não é feito essa liberação com uma questão de segurança: “se a queda de água chegar ao seu máximo, pode destruir as margens do rio”.

Mas só assistir esse 1/4 impressiona, e dá asas à imaginação de como deve ser a violência das águas no seu furor máximo. Um testemunho dessa força foi deixado lá no local por ninguém menos que Lord Byron, quando visitou Terni.  Uma escultura de um capuz de pedra deixado sobre um banco ao lado de um livro marca o exato lugar onde o escritor visitou a Cascata, e onde compôs um poema admirado sobre a força das águas, de uma “beleza apavorante”.

O poema está lá, escrito no livro em pedra – mas você também pode praticar seu inglês e ler aqui.

lorde Byron e a cascata Della Marmore Terni Itáilia

A trilha até o topo chega a levar uma hora de caminhada, mas várias outras seguem o curso do rio. E observando, a gente descobre que esse é um dos motivos porque a região de Terni é tão verde e exuberante, em contraste com a paisagem mais amarelada da Toscana: a região é rica de fontes de água, e por isso, um dos melhores lugares para praticar esportes aquáticos: rapel, rafting, etc.

Rio Cachoera Della Marmore Terni Itália

Ah, e porque o nome “Cascata della Marmore”? Porque suas pedras são, todinhas, puro mármore travertino…

Detalhe das Pedras de Mármore da Cascata della Marmore em terni

E como turismo também é cultura, é durante a caminhada pela trilha que a gente vai observando as diversas etapas da formação do mármore travertino – que é uma rocha calcária e que vai se formando ao longo de vários anos pelo constante depósito de segmentos e pela ação da água doce…

E quem agradece é o Coliseu, a Basílica de São Pedro, no Vaticano, a pia do banheiro lá de casa e as lojas da Apple no mundo todo, todas construídas de mármore travertino. A biografia de Steve Jobs já apontava que o criador da maçã prateada já tinha viajado à Itália especialmente para escolher a pedra que seria o piso das franquias da primeiríssima Apple Store, padrão que seria levado adiante até hoje.

Detalhe da formação do mármore da cascata della marmore terni itália
Formação do mármore travertino ao longo da Cascata delle Marmore. O nome não é propaganda enganosa.

E a vazão das águas continua, num espetáculo bonito para dedéu de se ver… 🙂

Cascata della Marmore Terni

E agora sim, começa a me lembrar Foz do Iguaçu. Coisa chique saber que nossas Cataratas brasileiras têm uma irmã aqui na Itália. 🙂

E com direito a arco-íris (que, culpa da fotógrafa, não saíram muito bem na foto… Mas estavam lindas no dia!).

Cascata della Marmore car

E se você estiver com os joelhos em dia, vale a pena visitar a “Varanda dos Amantes”. O nome poético tem duas razões: primeiro, é uma homenagem a São Valentim, o santo padroeiro dos enamorados, que nasceu em Terni. E segundo porque a “varanda” em si, é linda: uma plataforma de pedra bem embaixo da cachoeira.  Para chegar lá é preciso atravessar um túnel de pedra, e se preparar para um banho delicioso: afinal, não dá para entrar na cascata sem se molhar!

Cascata Della MArmore Banho altar dos enamoradosMas tem outra história bonitinha: que também envolve o santo. Não só o lugar ganhou esse nome porque tem uma vista um tanto quanto romântica, mas porque também – conforme conta a história – São Valentim foi chamado por uma jovem apaixonada, que queria provar sua pureza para o seu namorado. Então São Valentim subiu à esta plataforma com ambos e, de repente, passou a jorrar das pedras uma fonte de água pura, como um véu de uma noiva (aliás, nome mais do que batido para todas as cascatas do mundo, não?).

E, voilá, a jovem teve sua pureza provada, os dois se casaram e viveram felizes para sempre. Eu acho.

E, bom, não levantem a sobrancelha para mim. Não fui eu que inventei isso, é a história do lugar, tá? 😛

E como eu faço para ir e voltar?

 

1.  Terni está a uma hora de trem de Roma – e a seis euros de distância! Então, dá para fazer um bate-volta rapidíssimo partindo da Cidade Eterna e ver um pouco de verde, natureza, cascata e tranquilidade, numa vibe de cidade que é bem diferente do eterno burburinho caótico da capital italiana.

2. Mas se você estiver na vibe de ir dirigindo (porque as estradas da Itália são lindíssimas, cheias de plantações e vistas bacanas, especialmente na primavera e no verão), cale a pena alugar um carro, e de quebra conhecer outras cidades na região como Norcia, Assis, Spoleto e Perugia. Para pesquisar os preços de aluguel de carros basta clicar neste link e fazer direto a reserva (minha dica: fique de olho nas ofertas porque em alguns casos rola um desconto para quem fechar pela internet!)

3. Prepare o bolso. Terni é óóóótema para compras! Várias lojinhas fofas de moda italiana – alô, mulherio! – além das marcas básicas como Dolce & Gabbana, Prada, etc.

4. Para quem vem de Roma, a Cascatta delle Marmore está a 10 minutos de táxi da estação de trem de Terni. Dá para ir chegar de manhã de trem, fazer o passeio, voltar para Terni e perambular pelas lojinhas, e depois ainda voltar para Roma no sossego.

E quem pretende pernoitar em Terni, pode pesquisar preços e reservar hotéis diretamente por aqui.

[alert style=”3″]

Para visitar a Cascata Delle Marmore: O ingresso normal custa 5 euros, 2,50 euros para estudantes e crianças de 7 a 12 anos, e a entrada é gratuita para crianças com menos de 6 anos, portadores de necessidades especiais e seus acompanhantes. Os horários de entrada e de abertura das comportas das águas podem ser encontrados aqui.

Trilhas: são várias as rotas dentro do parque, mas nenhuma com um altíssimo nível de exigência física. Todas as rotas contam com apoio médico e resgate, e as descrições das mesmas podem ser encontradas aqui (em inglês).

Tours Guiados: tem alguns tours guiados bem interessantes na região. Fanáticos por espeleologia podem visitar cavernas totalmente formadas de mármore travertino. Tours para crianças com personagens também são realizados,  e tem até guias e trilhas noturnas. Os preços já são mais salgados e o número mínimo de pessoas varia de acordo com o tour escolhido. Os tours são feitos em italiano e inglês. Mais informações aqui.

Rafting: dá para fazer rafting lindamente nos rios, que são de uma beleza de tirar o fôlego. Há rotas e horários em que dá inclusive para levar as crianças. Mais informações (em inglês) aqui.

Importante: para quem for à Cascata Delle Marmore, não esqueça de levar roupas de trilha. Um tênis confortável e calças compridas para evitar os mosquitos são recomendados. Para quem vai no verão vale a pena levar repelente e protetor solar.

[/alert]

Essa blogueira foi à região da Umbria, na Itália, convidada pelo Ministério do Turismo, integrando a delegação brasileira que fez parte do projeto Brasil Próximo, de colaboração entre Brasil e Itália. O objetivo foi conhecer melhor os atrativos turísticos da região, mas todas as opiniões, comentários e sugestões aqui descritas são genuínas, e representam a opinião da própria autora.

Comments

4 COMENTÁRIOS

  1. Por vezes o grande barato da dica é a força emocional que a acompanha.
    Independente da sua natureza profissional, prezada “DONDA” – adorei esse DONDA – , creio que vc impregnou de cabo a rabo essa sua sugestão com coisas imprescindíveis de se carregarem em qualquer mala ou mochila, para qualquer viajante – TESÃO – PAIXÃO – AVENTURA – NOVIDADE – O desejo de ser Surpreendido. Vou a Itália em junho – isso mesmo! No justo período da Copa. Com certeza irei conferir a dica da Donda…kkkk pode crer gostei da chamada – Dica da Donda – Pode um dia virar referência de uma DICA ESPECIAL – DicaDonda – Valeu a Dica!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.