Talvez este seja um dos posts mais pessoais em tanto tempo…

(ok, vamos combinar.. eu não tenho postado tão frequentemente este ano, né?)

Bem, mas é por uma boa e justa causa: esse ano foi um ano bem atípico para o meu lado…

E eu vou contar aqui para vocês porque, bem, esse é um blog de viagens, mas é meu – e como é meu, não adianta falar só dos lugares bonitos e das dicas por onde a gente passou: querendo ou não, a gente sempre deixa transbordar um pouco da gente nas palavras, nas dicas, na forma de ver o mundo. E nessas mudanças todas, o blog (e vocês, leitores) foram parte ativa do processo. Então, se vocês já vem me acompanhando há tanto tempo (ou acabaram de me conhecer, tanto faz!) acho que contar um pouco do que aconteceu fora das palavras e longe dos posts é uma forma de contar, também, as mudanças que acontecem dentro da viajante que vos fala.

Não é? Então!

Então…

A verdade é que 2014 começou muito parecido com o que está agora: comigo de frente para o computador, sentadinha e trabalhando cá no meu escritório, e tentando passar para o papel – ou melhor, a tela – as dicas e impressões das últimas viagens (e ô, como era grande a lista de coisas a fazer e posts a escrever para pôr em dia!).

Ou seja, começou como um dia de trabalho como outro qualquer.

P1060896_edited

Mas aí de lá para cá aconteceram as mudanças: e a primeira foi a entrada de um novo viajante no meu planejamento de viagens. Dessa vez, por definitivo. 🙂

(Na verdade, quem acompanha o blog sabe que ele já vinha chegando devagarinho, numa história que tinha começado nesta viagem e continuado por este post). 

Pois é, este ano resolvemos juntar as escovas de dente na mesma necessáire de viagens. 🙂

Bacana, né? Só que isso aí já explica em parte os longos silêncios aqui no blog. Afinal, quem já passou por isso sabe que casar é super fácil, difícil mesmo é trabalhar para pagar as contas que não são poucas. E se blogar é uma coisa bem legal e extremamente prazerosa, por outro lado não coloca o dinheiro no bolso que era necessário para pagar o caminhão das contas que vinha todo mês.

O blog, então, divida o tempo com mil frilas ao mesmo tempo – talvez essa seja a primeira desculpa mais simplista e esfarrapada para o grande silêncio que acontecia por aqui, entre um post e outro.

É que na verdade, o lado offline da vida é que tava barulhento. Ainda mais dentro de mim.

E além do casamento, outra grande mudança – o tal do “quem casa quer casa”. Só que desta vez, dois viajantes que somos, pensamos, pensamos e decidimos que queríamos uma casa um pouco mais longe.

E foi aqui que a gente veio parar.

Londres_Vista_do_alto

Quer dizer, não estamos morando no Big Ben. 🙂 Mas por aí, pela terra dos Beatles, do Harry (o príncipe) e do outro Harry (o Potter).

Então, mudei tudo: estado civil, endereço, bairro, cidade, estado, país, continente, idioma, clima, look do dia, direção do carro, calendário das estações e até corte de cabelo. A mudança foi até política: sai a propaganda da “presidenta”, entram as fotos silenciosas de uma rainha.

Até este blog, que vos fala, entrou já no processo de mudança, e já tinha aparecido com essa cara nova há um tempinho atrás.

E isso tudo tem exatamente uma semana, considerando o tempo em que estou escrevendo para vocês agora.

Taí, então, a verdadeira razão do silêncio: quando a viagem é importante, os preparativos são longos e tanto o coração quanto as palavras ficam assim mais reservados, esquadrinhando internamente e com cuidado o que vestir antes de sair andarilhando pelo mundo dos papéis.

E mudar de país tem ainda a etapa esquisita do desapego, que é fazer a nossa vida toda diminuir até caber em duas malas. O essencial ganha outro significado quando você tem que redefinir completamente o que é ou não importante.

Pois então, fui que fui. Um dia de cada vez, esvaziando uma gaveta a cada momento.

Levei este processo como uma espécie de outono pessoal, como se eu estivesse me preparando para o meu segundo outono que, pela primeira vez, substituiria a primavera do meu mês de setembro.

Era tempo de eu me desapegar das minhas folhas. Mas também não é o outono a estação mais bonita do ano exatamente por isso?

folha

Hoje, uma semana depois, acho que fiz esse processo de letra – mas sabe como é: desapegando de tanta coisa, a nossa casa fica vazia e desarrumada. Minha cabeça estava bem parecida com isso também.

Por isso que eu não consegui escrever muito neste período. Eu estava muito na função de mudança e do se sentir sem lugar – e se isso em viagem nunca foi o problema para começar a escrever, dessa vez simplesmente as palavras não encontravam seu lugar no texto.

Resolvi seguir então as sábias palavras do nosso amigo Paul: “Let it be”.

Mas agora tô aqui de volta, sentadinha na minha mesa de escritório, com o computador na frente – exatamente como estava quando o ano começou.

Engraçado como os inícios de mudanças são parecidos com os finais, né? 🙂

Mas bom, é isso: precisava contar para vocês, exatamente porque agora, com malas desfeitas e vida que começa a andar para frente, me bateu essa vontade louca de desabafar. E de voltar a sair com o olhar curioso pelo mundo e voltar aqui contando.

Clarissa 076_edited
Desenho da querida Marianna Fernandes – mas que combina super bem com meu estado de espírito agora! 🙂

E o Dondeando por Aí foi parte central nesta mudança toda – afinal, foi por causa dele que eu decidi largar meu trabalho de 9 às 18 em uma consultoria no centro do Rio, que decidi fazer o que gostava (escrever), que me deu a liberdade de um dia viajar no meio da semana e de repente sem imaginar conhecer alguém, de poder ter vindo para a Europa para conhecer como era a vida aqui antes, que… bem, que trouxe até aqui, sentada nesta cadeira e nessas coordenadas geográficas inglesas e amando tudo isso…

Bom, o blog deve sentir em breve – e vocês vão perceber – os reflexos dessas mudanças todas (positivos, como toda mudança de verdade é) e que, tenho certeza, serão muito além de “gente, olha aqui um monte de dicas da Inglaterra”. Sim, elas existirão, sem dúvida – mas mudança assim sempre mexe com a nossa sensibilidade, e transforma nosso olhar nos outros posts também.

Bom, é isso. Viram como eu já estou falante? 🙂

Ah, o mesmo também deve acontecer com as redes sociais do Facebook e do Twitter, onde o Dondeando tá lá, firme, forte e lindo. Confira lá, vai!

Comments

8 COMENTÁRIOS

  1. Dondita, bem-vinda de volta! Você canta Let it be, mas eu canto Here comes the sun pra vocês <3
    Desejo a vocês uma vida de luz, mãos dadas e muito barulho. Assim irão longe!

    :*

  2. Clarissa!
    Oi oi
    Sei que estou chegando atrasada, mas tá valendo.
    Só precisava te dizer que você tem o dom de preencher o leitor com seu texto.
    Nesse momento, me preenchi de esperança com seu relato e, num momento tão chatinho e complicado que estou enfrentando e, na porta de 2015, suas palavras, de alguma forma, me acalmaram.
    Beijo

    • Anna,
      Fiquei muito, muito feliz de ler seu comentário. Esse foi um dos posts mais pessoais do blog, coisa que, por esse mesmo motivo, a gente escreve mais como um desabafo do que como um post. E fico feliz em saber que meu desabafo também encontrou ouvidos e recebeu de volta palavras – isso é um sopro fresco no mundo de blogs, às vezes!
      Mas olha, a vida tem desses revezes mesmo – faz parte dela, né – e independente da chatice e da dificuldade dos dias que se arrastam quando a gente passa por este momento, você vai ver que essa fase vai passar, como tudo sempre passa. Esses outonos e invernos da nossa vida são mesmo um pouco duros e exigentes… mas tem sempre uma primavera florida esperando pela gente do outro lado. 🙂
      Bom, chega de frufrus nessa resposta, né? EU desejo de verdade que 2015 traga muita gentileza para você – e posts luminosos depois! 🙂
      Beijos e feliz ano novo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.