[show_AdSense float=”left” ad_client=”pub-9501066899733075″ ad_slot=”6562283172″ ad_width=”250″ ad_height=”250″ ]

Taí um dia inteirinho de viagem… O que não é ruim, porque é todo por praias e paisagens bem diferentes.

Para quem começou a Rota das Emoções em Jericoacoara e acabou de conhecer o Delta do Parnaíba, a etapa seguinte da rota inclui o trecho do Delta até Barreirinhas, no Maranhão (em que Barreirinhas é a porta de entrada dos Lençóis Maranhenses).

Minha opinião: é bastante chão, mas particularmente minha sugestão seria fazê-la em um mesmo dia, se você não tem tempo e quer passar mais tempo nos Lençóis. Se topar o dia de estrada, dá para fazer paradas ocasionais de uma hora aqui e outra hora acolá, mas eu deixaria para dormir mesmo em Barreirinhas e aproveitar mais tempo dos Lençóis nesse caso.

Agora, se tempo não for problema, vale a pena de hospedar em Caburé para aproveitar melhor os Pequenos Lençóis. E tá tudo explicadinho aí embaixo, confere!

mapa_lencois

A viagem é longa até Barreirinhas, e envolve duas paradas: a primeira até Tutóia, que já fica no Maranhão. É ali, ou em Paulino Neves, também no Maranhão e no caminho, que muitas vezes rola uma troca de veículo, pulando para um 4X4 mais possante, ou a famosa “jardineira” ou “pau-de-arara”, como eles chamam.

coqueiro na entrada do caminho aos pequenos lençóis maranhenses
Nossa “jardineira” na entrada dos Pequenos Lençóis

Vale avisar que há a opção de carros mais confortáveis, com ar condicionado e banco estofado, o que seria uma opção mais indicada para pessoas de idade ou crianças pequenas demais, por exemplo. Mas se você tiver a chance e a vontade de conhecer, vale a pena experimentar a jardineira, para uma viagem um pouco mais, digamos, “rústica”.

Fica só a dica: passe muito protetor solar (o sol queima sem dó nem piedade de dentro do carro mesmo) e leve óculos escuros (para proteger os olhos da areia que o vento pode levar).

Com isso pronto, é só seguir viagem, e tudo é festa. Após a troca de carro em Paulino Neves, há duas opções: seguir por estrada convencional até Barreirinhas (como tem no mapa ali em cima) ou seguir entrando para dentro do Parque dos Pequenos Lençóis e indo devagar pela orla.

Optamos pela segunda alternativa, o que foi bem interessante. A paisagem próxima ao mar é deserta e inóspita (mas que tem lá sua beleza)…

Em tempo: procurei fazer esse post na ordem cronológica da viagem. Por isso, pode ser que você não se encante muito com as fotos do início do passeio. Ok, pode  ser culpa da fotógrafa 😛 mas confesso que até metade do dia eu não me impressionei muito não. Só depois que a coisa vai ficando cada vez mais bonita… prometo! 🙂 ).

praias selvagens no caminho para os pequenos lençois maranhenses

E, em boa parte do tempo, não raro a gente só vê o nosso carro fazendo o trajeto. O que não quer dizer que seja uma rota solitária, porque volta e meia a gente encontra bastante companhia…

cabras na Praia caminho dos pequenos lençóis maranhenses

 A viagem segue vagarosa pela areia até Caburé, uma vila bem rústica que fica entre mar e rio, e é onde se troca de novo de transporte, deixando a jardineira para trás e pegando o barco que nos leva pelo Rio Preguiças até Barreirinhas.

Vale algumas linhas sobre Caburé. Muita gente gosta de ficar por lá e descansar por um ou dois dias, pois como a vila fica bem entre o mar e o rio, dá para fazer passeios gostosos e tranquilos, mergulhando aqui e ali. Mas não espere luxo: Caburé é a vila que possui a menor estrutura para ficar e não há muitas agências (para quem está indo por conta própria ou quer contratar passeios à parte). O forte da região é descansar, comer (e comer bem) aproveitar a praia e os passeios no rio.

Estes são os bangalôs da Pousada do Mirante, por exemplo. Simplicidade é a palavra de ordem…

Casas de Praia Maranhão
Chalés da Pousada do Mirante, em Caburé

… com o rio logo atrás, barcos de pescadores e muitas, muitas gaivotas. Uma boa pedida para quem gosta de fotografia. 🙂

Gaivotas e barco Naufragado Maranhão

Rio preguiçasm em Caburé Maranhão

Vista da Pousada do Mirante em Caburé Maranhão
Vista do Rio Preguiças, do segundo andar da Pousada do Mirante, em Caburé

Ah, importante: um dos passeios mais famosos de Caburé é o aluguel de quadriciclos para passear por entre as dunas. Mas fica um aviso importante: os quadriciclos foram proibidos no parque, especialmente se usados por turistas, devido a um número alto de acidentes que acontece por lá – e que são mais frequentes e menos comentados do que os acidentes de buggy (o que a gente até entende a razão: como são os próprios turistas que pilotam, muitos são tem experiência com o aparelho em dunas fofas, se empolgam na velocidade e… bem, numa curva o quadriciclo não tem lá uma estabilidade muito boa…).

Para ver a lei que fala da proibição, clique aqui.

Quadriciclos na area - passeio nao muito permitido nos Lençóis Maranhenses

Os quadriciclos foram permitidos dentro do Parque dos Lençóis apenas para uso dos moradores da área, para deslocamento dos mesmos, só que na prática, o aluguel dos “quads” é feito à torto e à direito, a bel-prazer do proprietário do veículo e para quem quiser. Há inclusive, agências que oferecem – e tenho minhas dúvidas se parte da fiscalização faz vista grossa ao assunto.

Atins

Então fica a dica: você pode até alugar um se você quiser para passear pelas dunas (aliás, proibidíssimo, mas é o que o povo mais faz) mas é por sua total conta e risco. O que quer dizer que, caso aconteça algum acidente com você, a responsabilidade e o ônus é seu, e não tem nem como responsabilizar agência ou o proprietário do veículo – você estará totalmente desamparado. 🙁

Por isso, muita agência séria está evitando oferecer ou incluir esse passeio no pacote, porque sabe que é dor de cabeça depois. Então, desconfie de quem oferecer…

Mas tem vantagem ir pelo rio  ao invés de pegar a estrada direto para Barreirinhas?

Tem algumas. 🙂 O passeio pelo mar é gostoso e com direito a algumas paradas para banho (ou seja, vá de biquíni por debaixo da roupa). E em Caburé, rola uma parada de uma a duas horas de almoço – o nosso foi na Pousada do Mirante. Delicioso, aliás; com direito a peixe e rede para descansar depois.

E ainda é a chance de você, já que colocou os pés no Maranhão, experimentar o Guaraná Jesus! 🙂

Guaraná Jesus

E subindo pelo Rio Preguiças até Barreirinhas é feito num barco rápido, chamado voadeira (e vi que custa em torno de R$ 25 por cabeça, mas não confirmo se é isso exatamente, porque como é um serviço negociado, sempre pode haver um preço maior ou menor. Mas, bom, é um número para se ter na cabeça como base de comparações). 🙂

E o passeio de barco é bem bonito, porque é como se a gente tivesse entrando bem no lado rústico do Maranhão (com toda sua miséria e suas belezas). E é a chance de ver de perto um pouco da vida ribeirinha ao redor do rio Preguiças…

Barcos MAranhão

Palafitas e barcos de pescadores no Maranhão

Tem direito a paradas, também. A primeira é próxima ao Farol do Rio Preguiças, numa comunidade bem humilde, à beira do Rio. Mas que achei as pessoas de uma beleza única, também (especialmente as crianças)…

Menino Brasil

Menininha Maranhão

Ah, mulheres, fica a dica: no caminho para o Farol das Preguiças, fique de olho nas lojinhas, simples que só: elas tem artesanatos lindos de palha colorida (brincos, anéis, bolsas, colares)… Tudo a preços bem baratos – muito mais do que nas feiras de artesanato dos grandes centros. E você ainda ajuda a comunidade local.

Cordões artesanato palha maranhão

E passa também por alguns bares, digamos, inusitados. Como esse da foto… 🙂

Banca Ribeirinha de bebidas Maranhão
Pergunta: será que eles atendem em todos estes idiomas, ou possuem bebidas de todos estes países? Ou será, simplesmente, bandeiras decorativas? Palpites são bem-vindos! 🙂

… que fica na beira, literalmente, do rio. A cozinha, inclusive, onde são preparados os peixes, farofa, arroz…

Cozinha de uma barraca de comidas ribeirinha no Maranhão

 Quem tem pique, pode subir no alto do Farol do Rio Preguiças, e de lá, ver a vista de toda a vegetação, o rio Preguiças e o mar ao fundo. Com o tempo claro, dá até para ver as dunas dos Pequenos Lençóis…

Rioemarmaranhão

Alto do Farol preguiças

Vista Farol das Preguiças Maranhão

De volta à “voadora”, a gente vai adentrando o rio de verdade e chegando bem pertinho das dunas dos Pequenos Lençóis. Que, vale explicar, recebem esse nome por fazerem parte também do complexo dos Lençóis Maranhenses, mas um pouco mais afastadas e com algumas características um pouco diferentes: são grandes e douradas, ao passo que a dos Grandes Lençóis são brancas.

Coisa pouca, mas o suficiente para despertar o humor local. Porque corre à boca pequena lá que os Pequenos Lençóis, na verdade, são apelidados de “fronhas”… 🙂

Particularmente, achei lindo esse passeio de barco, de Caburé a Barreirinhas… Especialmente por causa da vista das vilas de pescadores vazias ao longo do rio, dando um quê de beleza bruta.

Pequenos lençóis Maranhenses

vilas ao longo do Rio Preguiças

Pescadores no Rio Preguiças

A segunda parada é em uma destas dunas das “fronhas”. Lindas. E calmas, com poucos turistas, já que a maioria vai direto para os Lençóis. O que é maravilhoso, porque lá a gente consegue desfrutar momentos de uma beleza e paz únicas, em que é só a duna e a gente. 🙂

parada no Rio preguiças no maranhão

Do tipo do lugar lindo que a pára para agradecer por estar ali, visitando. 🙂

Pequenos lençois no rio preguiças

Visitando os Pequenos Lençóis

dunas dos pequenos lençóis com o rio preguiças ao fundo

Dunas dos pequenos lençois eo rio

E depois de tanta beleza, a gente termina o dia pegando o barco e indo para Barreirinhas, finalmente. Com direito a pôr do sol ainda no rio, que é para fechar com chave de ouro…

Por do sol no Rio Preguiças

Acho que, depois desse dia, eu entendi o significado no nome do Rio Preguiça. Dá uma lombeira enorme voltar ao ritmo depois de um dia desses… 🙂

Mas aí, confessa: taí um dia todo de viagem – mas não vale a pena? 🙂

 

hotel

Onde se Hospedar?

Em Caburé:

Não nos hospedamos, mas fomos conhecer a Pousada Mirante – que, como o nome sugere, tem uma boa vista do Rio Preguiças e do mar, do restaurante do segundo andar. O ambiente é rústico e a acomodação é feita em chalés, simples, mas gostosos. Mas ouvi falar muito bem da Pousada do Paturi, que fica ali do lado – e que também é simples, mas tem um atendimento daqueles de coração de mãe, sabe? Quem fez um post fino, elegante e sincero de lá foi a Patrícia do Turomaquia, dá uma olhada aqui.

Para se hospedar na Pousada Mirante:  Pode fazer a reserva através do telefone (98) 3349-0054, do site  www.bhmirante.com.br ou do e-mail albino@bhmirante.com.br.

Para se hospedar na Pousada do Paturi:  Fazer a reserva pelo telefone  (98) 9608 3032 ou 9618 8363.

Em Barreirinhas:

Barreirinhas tem a melhor estrutura hoteleira. Fiquei na Encantes do Nordeste (assim mesmo, com “e”), que foi deliciosa. A pousada é toda em chalés com muito verde, um espaço de leitura e televisão, uma sala zen para meditação, redes em todos os chalés (aliás, eu chego a conclusão pessoal de que, para mim, basta ter uma rede na varanda para ganhar minha simpatia imediata. Sério, é algo inconsciente! 🙂 ), piscina, deck que dá para o rio preguiças e um delicioso espaço de café da manhã. As diárias vão  a partir de R$ 209 na alta temporada – veja o tarifário aqui.

Mas a pousada fica um pouco afastada de conveniências como lojas e bancos, para tudo tem que pegar táxi. Por outro lado, no próprio hotel já é possível fechar os pacotes. De tudo, um lado negativo , que não é do hotel, mas da cidade como um todo: neca de pitibiriba de internet. Lá eles dizem que tem wifi – e tem, só que não funciona porque a internet da cidade é péssima. Meu celular e modem da Vivo estavam mortinhos, nem ligação em conseguia fazer – em compensação, quem tem TIM se dá bem por lá, é a que melhor pega.

Outra dica de pousada, confortável e mais barata, é a Pousada do Rio (meus companheiros de viagem ficaram lá). As diárias são  R$ 125 o apartamento single e R$ 175 o duplo, para alta temporada (preços com o tarifário estão aqui).

Para fazer a reserva no  Encantes do Nordeste: Dá para fazer através do e-mail deles (encantesdonordeste@terra.com.br), dos telefones (98) 3349-0288 / (98) 3349-0260 / (98) 8857-4425 ou fazendo a reserva diretamente pelo site. 

Para fazer a reserva na Pousada do Rio: Dá para fazer através do e-mail (pousadadorio@hotmail.com), dos telefones  (98) 3349-1255 / Cel (98) 9132-6448 / 9606-5038 ou reservando diretamente no site.

 [alert style=”3″]

Se você gostou desse texto, acompanhe a série sobre a Rota das Emoções aqui:

Lençóis Maranhenses: lagoas, camarões e vida mansa em Atins

Lençóis Maranhenses (ou o que fazer quando as lagoas estão secas)

Rota das Emoções: do Piauí em direção aos Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

Rota das Emoções: a revoada dos guarás no Delta do Parnaíba, Piauí

Rota das Emoções: as vivências com rendeiras, pitangas, cajuína e catadores de carangueijo no Piauí

Barra Grande em 10 motivos: para você visitar todos e parar de desdenhar promoção de passagem para o Piauí

Rota das emoções: viajando de buggy de Jericoacoara a Camocim, no Ceará

Rota das emoções: dicas do que fazer em Jericoacoara por quem começa a viagem por aqui

Rota das emoções: onde é, o que vale a pena fazer lá e como planejar sua viagem no Nordeste

[/alert]

Esta jornalista e blogueira percorreu a Rota das Emoções em novembro de 2012 a convite do Sebrae e dos empresários de Turismo da Rota. Todas as impressões, dicas, sugestões e avisos são frutos da experiência e opinião da jornalista.

Comments

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.