Playa del carmen header Mexico
Playa del carmen header Mexico

Sabe aquela história de que intimidade é um caminho sem volta? Daquela tipo que a gente vai se “amigando”, se “achegando” e quando vê, já foi?

Então, essa é minha teoria em relação a Playa del Carmen, no México. É que, se a vizinha Cancún é para casar, aqui em Playa a coisa acontece solta, devagar e faceira, do tipo de destino de férias que pega intimidade aos poucos.

E quando você vê – pronto! Está aí, mais um apaixonado pela Playa.

Calma que explico. 🙂

Tudo começa na fachada: se Cancún carrega consigo aquela vibe iluminada de fachadas ostentadoras americanizadas, ruas planejadas (especialmente na parte hoteleira) e uma sensação déjà vu de Miami americanizadas, Playa (como é chamada pelos íntimos) é mais relax. Descontraída. Com um pé na Rua das Pedras, o outro em Porto de Galinhas mas com o mar do Caribe em volta.

 Mas na prática, tentar dar nomes aos bois ou comparar cidades e praias não importa: o ponto em comum entre todas as três é uma rua exclusiva para pedestres, salpicada de lojas, bares descolados e uma vida noturna efervescente. O nome é de americano – Quinta Avenida – mas o calor é mais mexicano, impossível: todos os quarteirões tem uma vibe intimista e distante poucos passos uma atração da outra.

Mesa do Restaurante Frida, uma opção coloridinha e descontraída na 5a. Avenida

Carro em Playa? Nem!

A regra de ouro é deixar o carro para lá (e só deixar para alugar um quando for sair da área turística da cidade, em direção aos parques ou às praias próximas. Porque tudo na área turística de Playa dá para fazer a pé: o bairro é atravessado por avenidas e “calles”, cujo coração é a 5ª Avenida, onde estão os principais hotéis, restaurantes e bares charmosos da cidade. As paralelas à praia são chamadas avenidas e numeradas de 5 em 5, de modo que temos, a partir da Avenida da praia, a 5ª. Avenida, a 10ª, a 15ª, e assim em diante. As perpendiculares à praia são chamadas “calles” (ou “ruas”) e são numeradas de 2 em 2: Calle 2, 4, 6, etc. Assim, encontrar qualquer diferença é fácil: basta dizer qual a avenida e entre que ruas fica o estabelecimento. E o melhor: rapidinho e sem táxi.

Mas para quem não resiste a um transporte sobre rodas, a opção mais amigável de Playa é a bike, alugada aos montes pela cidade (inclusive há alguns hotéis que a oferecem de graça). Vale a pena!

Na boa? Esse é o único engarrafamento que você vai querer pegar em Playa del Carmen…

Com essa proximidade toda, sem carro para atrapalhar e tudo a apenas alguns passos, Playa del Carmen consegue logo do turista algo que Cancún, com toda sua exuberância, demora um pouco mais para conquistar: intimidade.

Por isso talvez que Playa encanta do seu jeito. Enquanto o turista dos resorts de Cancún vai até a cidade para usufruir do conforto do all-inclusive (o que, não negamos, é uma maravilha se sua proposta é ficar no hotel descansando ou, ainda, aproveitando sua lua-de-mel), o turista de Playa quer explorar o que que a Riviera Maya tem. Assim, no contato do téte-a-téte. E se der para fazer tudo de Havaianas, melhor.

 O que fazer em Playa de dia?

Ir para o mar, voltar para a areia, parar para uma massagem, e repetir o processo todo de novo… Não necessariamente nesta ordem! 🙂

Para quem não gosta de ficar parado, o forte mesmo mesmo são as atividades aquáticas: os hotéis em Playa oferecem pacotes para os parques Xcaret, Xplor e Xel-há (ficam mais perto de Playa que de Cancún), aluguéis de Jet-ski e caiaques, snorkelling,  passeios de barco, visitas aos cenotes (canais de água subterrâneos, em que o visitante é brindado por águas estupidamente cristalinas e estalactites impressionantes).

Tudo neste mar cor de “azul-te-quiero”! 🙂

E para quem não quer saber de atividade nenhuma, é só escolher a chaise: se vai ser no sol ou na sombra, se a massagem é agora ou depois, e se for agora, se vai durar 1 hora ou se trinta minutos é suficiente…

Eu sei, gente. São dúvidas assaz perturbadoras para serem tomadas nas suas férias… Lamento. :p

Ah, em tempo: no dia em que eu estava aí neste local onde foi batida a foto de cima, vi na parte da tarde desmontarem essas macas para fazer um pequeno altar de casamento. Assim, de manhã e de frente para a Playa, ops, a praia. 🙂

Muitos hotéis dispõe de serviços ali na praia, com chaises, serviço de bebidas (all inclusive ou a la carte, dependendo do seu pacote), e na própria recepção o hotel prende uma pulseirinha no seu pulso para te identificar como o seu hóspede e dar acesso aos serviços. Mas isso eu prometo que explico mais embaixo.

Dondeando pela Quinta Avenida

Como a homônima nova-iorquina, a 5ª Avenida mexicana é onde acontece o vai-vem de Playa – e é parcialmente responsável por colocar o destino na boca do povo como uma opção alternativa e descolada para Cancún. Não melhor, mais diferente.

Vale reservar um tempo para conferir as lojas dali; especialmente as escondidas, como a Pachamama, que possui artigos de decoração e fica na Calle Corazón, uma travessa pequenina entre a calle 12 e 14.

Aliás, amei essa! Sabe aquelas caveirinhas coquetes, coloridinhas e fofas, os corações rubros tipicamente mexicanos e os retratos de Frida Kahlo? Então. Vontade de comprar tudo.

Ou, ainda, o Jardim de Marieta, uma ruazinha escondida entre as calles 6 e 8, também na 5ª; ateliês inusitados de quadros dividem espaço com restaurantes charmosíssimos à luz de velas.

Fica a dica, inclusive: se estiver indo a dois, acho que seria uma delícia ir em um desses restaurantes daí, escondidos. Tô dizendo isso sinceramente pelo lugar, porque não provei a comida para saber se é boa. Mas é tão, tão charmoso que hummmmm…

Pois é. Se intimidade é um caminho sem volta, não se iniba de sair “playa” afora devassando esses pequenos segredos.

Dondeando pelos arredores de Playa

Playa Del Carmen já faz parte da considerada Riviera Maya, e não Cancún (mas pouca gente sabe disso!). Então, é a melhor opção do que a vizinha famosa por ser mais perto dos parques Xcaret e Xplor (distantes módicos 3km) e Xel-Há, a 50 km. Para eles, você pode fechar pacotes direto na recepção do hotel em que está, sem se preocupar com transporte – ou alugar um carro, se quiser curtir as atividades com mais tempo.

[alert style=”2″]

E se você estiver na área no final de outubro e início de novembro, você não pode perder – de jeito nenhum – as comemorações do Festival dos Mortos que acontece no Parque Xcaret. O preço é especial, as tividades são à noite… mas é fantástico! Fomos em 2012 cobrir a abertura das atividades de celebração ao Dia dos Mortos no México e contamos tudo mastigadíssimo aqui.

Sério. Não perca. Juro.

[/alert]

Para quem quer alugar um carro, vale esticar um dia que seja e ir às pequenas Tulum e Akumal, distantes 40 e 70 km, respectivamente, de Playa, ao sul. Tulum conta com ruínas antigas e uma certa aura zen; já Akumal, é cercada de árvores que conferem um ar ainda mais bucólico à praia. Nesta última, pague 25 dólares por uma hora de snorkelling, com aluguel de equipamento e guia: enormes tartarugas marinhas costumam dar o ar da graça por lá.

Apreciadores de aventuras radicais podem se aventurar nos cenotes a 20 minutos da cidade, seguindo a estrada no sentido de Tulum. E ainda tem os passeios de ferry até a ilha de Cozumel, quase em frente à Playa e um dos melhores pontos das Américas para mergulho.

 A única opção mais distante é a pirâmide de Chichén Itzá. Para esta, opte por um tour de um dia, mais prático do que deslocar-se até lá by yourself; são 3 horas e meia de estrada, tanto na ida quanto na volta.

Uma opinião: há quem ache chato, porque leva o dia inteiro e é cheia de turistas. Há não não perca isso por nada. E há quem, como eu, não teve tempo de fazer o passeio até lá, vai embora com o gostinho e a frustração de ter estado tão pertinho e não ter podido ir, e depois fica tentando se convencer de que não era tão legal assim. Então, a minha opinião é: tendo a chance, vá. 


Playa e “la noche” 

Com tanta intimidade assim, Playa acaba atraindo um público mais jovem – seja de idade, cabeça e interesses. E essa foi uma das grandes diferenças que senti entre a cidade e Cancún.

E vejam vocês: quando eu falo que Cancún é para casar e Playa não, longe de mim afirmar que Playa del Carmen não é, assim, “de família” (com direito a todas as brincadeirinhas). :p É, e muito – famílias inteiras sassaricam pelas calles de Playa, que nesse ponto, é altamente democrática. Lojas e restaurantes lado a lado agradam gregos e troianos do mesmo grupo, e se as pessoas estiverem com interesses distintos, basta se separarem e encontrarem em apenas alguns quarteirões.

Mas Playa é, digamos, jovem. Efervescente. Colorida, quente, tipo do cantinho que dá vontade de chegar chegando. Como não flertar com um destino desses? 🙂

Ponto para os baladeiros: a agitação notívaga é o segundo ponto forte da cidade, depois da praia, e toma conta das ruas à medida que anoitece. Concentre-se, porém em dois epicentros: na calle 12 durante todo o ano e no Mamita’s bar, nos meses de janeiro, mais especificamente durante o festival de música eletrônica que sempre rola por lá na semana do Ano Novo (em 2013, rolou David Guetta na virada e Tiesto dois dias depois).

E a noite, que é uma criança, fica por conta das boates como a Palazzo e Coco Bongo, famosas em Cancún, também abriram as portas por lá. E como tudo é pertinho, basta caminhar de uma casa noturna a outra para conferir onde o agito é maior.

Coco Bongo Playa del Carmen

Com um detalhe: as grandes boates como a Coco Bongo, dali de cima, possuem uma programação temática, sempre relacionada à época do ano. Como na época em que eu fui foi próximo ao Dia dos Mortos, um Alien gigantesco dava as boas vindas para a festa halloween que rolava por lá.

Adorei. Porque, se é para ser assustador, tem que fazer direito. 🙂

Hospedando-se em Playa: alguns macetes!

Detalhes dos hoteis Gran Porto Real

Escolher o tipo de hospedagens faz toda a diferença na hora de viver Playa del Carmen. E explico por que:

  • Opção 1: ficar em um hotel próximo à 5ª Avenida e com isso, aproveitar as facilidades ao redor, como os diferentes restaurantes, bares, praias e boates. Esses hotéis são, em geral, menores e mais intimistas, adaptados ao vai-vem dos hóspedes.
  • Opção 2: hospedar-se em uma área chamada Playacar, uma espécie de anexo à Playa del Carmen, com resorts de primeira linha e residências de luxo. Ali, o acesso é complicado, fica longe da 5ª. Avenida e não é lá muito conveniente. Logo, pense nessa opção como uma proposta de curtir o hotel em toda a sua estrutura (all-inclusive), e sair de lá apenas para fazer alguns passeios lá e cá.
  • Opção 3: um bem bolado das duas anteriores. Considerando que serviços como o all-inclusive podem ser restritivos na primeira opção, mas absolutamente necessários na segunda, alguns hotéis na região oferecem pacotes flexíveis, e pertinho da 5ª. Avenida, com opções de all-inclusive ou não, bem como a parceria com outros restaurantes, para diversificar a oferta e dar ao cliente a oportunidade de comer em ambientes diferentes dentro de um mesmo pacote, sem sentir-se preso a um mesmo restaurante, cardápio ou buffet. O mesmo vale para o serviço na praia: se em Cancún os hotéis oferecem serviços em áreas delimitadas na areia, o mesmo acontece em Playa, inclusive nos hotéis que não estão localizados na orla. Mas nesse caso, para ter direito às facilidades é preciso contratar o serviço. Por isso, vale a pena ler as entrelinhas ao fechar um pacote.

Onde eu fiquei: no Tukan Palace, que é um dos hotéis da rede que oferecem a opção número 3, pacotes flexíveis. Você escolhe se quer apenas a pensão simples ou o pacote que dá direito a fazer todas as refeições (incluindo bebidas) nos restaurantes parceiros do grupo (são 10, incluindo as facilidades e a estrutura de um bar na praia).

É simpático, tem 4 estrelas e boa localização (fica na 5ª. Avenida entre as ruas 14 e 16). Os quartos são confortáveis (ar condicionado e bom wi-fi, particularmente meus pré-requisitos fundamentais!), tem uma piscina e um Beach club na praia. Não sei se para um casal com filhos pequenos é uma boa opção, pois não vi parquinhos ou brinquedos para eles – e a área da piscina é pequena se considerar vários hóspedes de diferentes idades e necessidades – mas por outro lado achei bem bacana para casais e grupos de amigos.

Aliás, muitos amigos.

Inclusive, a quem interessar possa, o hotel tem pacotes para Spring-break, para despedidas de solteiros de meninas (com quarto para todas as amigas ficarem juntas, camisa e alguns mimos!) e comemorações de formatura. Resumindo, farra. 🙂

 Ah, e as diárias a partir de R$ 185,90. Dá uma olhada no site deles aqui.

[booking Target=”Playa del Carmen”]

Como chegar a Playa

O aeroporto mais próximo é o de Cancún, a 1 hora de Playa Del Carmen. O mais comum é a contratação de traslado compartilhado, dividindo o custo do transporte com outros turistas em vans de turismo, onde cada passageiro é deixado na porta do seu hotel. Há também a possibilidade de transfer privativo, realizado em táxis ou vans exclusivas. Caso o seu hotel não ofereça estes serviços, ambos podem ser contratados na internet através da operadora Best Day. Os preços variam entre R$ 92 reais por pessoa (transfer regular compartido) e R$ 410 o carro para transfer privativo. Ambos os valores são para ida e volta.

E para quem quer economizar, dá para pegar o ônibus regular da ADO e que possui rotas que ligam o aeroporto à estação rodoviária em Playa Del Carmen, localizada na própria 5ª Avenida. Os horários e os bilhetes podem ser comprados pela internet através do site da ADO com antecedência.

Diga aí: com tanta intimidade assim, impossível não bater uma vontade de invadir essa playa… 🙂

Essa blogueira e jornalista visitou Playa del Carmen em parceria com o Escritório de Turismo de Riviera Maya, do Hotel Tukan e do Xcaret Park. Agradecemos as informações e apoio oferecidos: muitas informações sobre essa cidade não teriam sido possíveis sem sua ajuda.

Comments

18 COMENTÁRIOS

  1. Fiquei tão apaixonada por Playa que minha viagem inicialmente a Cancun, durou mais uma semana, quero em breve passar outro reveillon nesta cidadezinha que arrebatou o meu coração!

  2. Oi Clarissa,

    Algumas humildes dicas minhas sobre Playa… Primeiramente recomendo muito a ADO. Usei ela o tempo todo (do Aeroporto de Cancun pra Playa del Carmen, de Playa pra Tolum, e de Playa pra Cancun). Eh bom, barato, sempre pontual, com ar condicionado estilo frigorifico e sempre tem um filminho passando na tv do onibus (acabei vendo 4 filmes pela metade nesses percursos)

    E se alguem estiver afim de um party hostel. Recomendo o Hostel Rio Playa. Nao eh pra quem ta afim de descansar no quarto, mas a piscina do hotel eh sempre um ponto de encontro pro pessoal se conhecer e ir pra praia ou pros bares a noite. E o cara da recepcao eh um Carioca sangue boumm (pelo menos era quando estive la).

    • Guilherme, obrigada pela dica! Particularmente sempre prefiro ficar em albergues porque é a chance de conhecer gente – coisa que adoro fazer – mas em Playa eu fiquei em hotel mesmo! Foi super complementar a dica.
      E a piscina, imagino, é para conhecer e encontrar gente mesmo. Porque com uma praia daquelas, eu quase nem passaria na piscina…

      PS: fique a vontade para contribuir com suas dicas do México!! 🙂

  3. Oi Clarissa,

    Estou indo para Playa Del Carmen mês que vem mas ainda não fechei um hotel.
    Queria algo que fosse na beira do mar e também próximo à 5ª avenida, porém está muito dificil encontrar algo assim. Será que você saberia me recomendar algum? Talvez tenha visto algum na sua estadia por lá que chamou sua atenção..

    Obrigada!

  4. Oi Clarissa,

    Estou indo para Playa Del Carmen mês que vem mas ainda não fechei um hotel.
    Queria algo que fosse na beira do mar e também próximo à 5ª avenida, porém está muito dificil encontrar algo assim. Será que você saberia me recomendar algum? Talvez tenha visto algum na sua estadia por lá que chamou sua atenção..

    Obrigada!

    • Oi, Vanessa! Você vai amar Playa del Carmen!
      Olha, os que me chamaram a atenção e ficam bem pé na areia da praia são o Gran Porto Real (tem até foto dele no post) e os bonitões Mosquito blue e o Playa Palms . O mais barato desses é o Colibri Beach. Todos esses, basta clicar no link para acessar a página deles.

      Mas olha, se você se hospedar na Quinta Avenida, que é exatamente um quarteirão da praia, anda apenas um bloco e tem também vista e uma localização ótima, até porque muitos dos hotéis, mesmo os que não estão direto na orla, possuem estrutura de cadeira, toalhas e serviços na areia. Eu fiquei no Tukan e usei a estrutura deles, foi bom também!
      Espero ter ajudado! 🙂

  5. bom dia Clarissa..
    vou para playa del carmen e queria saber se tulum é muito longe…se tem onibus pra lá direto…etc…eu antes tinha visto de ficar o tempo todo em Cancun e me deslocar, mas dai achei que era roubada….a viagem não ia ficar a minha cara, troquei para só 2 dias em Cancun o resto em playa …. quero conhecer as ruinas, isla mujeres e cozumel….mas tulum me parece especial e acho q só um dia lá não dá…por isso pergunto.
    agradeço desde já

    • Alejandra, eu sou suspeita, pois gostei muito mais de ficar em Playa do que em Cancun (fiquei nas duas, embora pouco tempo).
      Vou ver se eu consigo te ajudar:
      – Se as ruínas a que você se refere inclui Chichén Itzá, fica um aviso em relação a esta, especificamente: ela fica longe tanto de Playa quanto de Cancun, e rola uma boa viagem de carro até lá. Não prestei atenção em Cancun, mas em Playa você via agências em cada esquina oferecendo passeios para lá, então tem mais opções (inclusive de preço) na hora de fechar. Mas considere um dia inteiro de passeio só para isso, já que é quase 3 horas para ir e mais três para voltar. Mas se as ruínas forem as de Tulum, acho super válido ficar lá um tempinho sim, para curtir tanto a cidadezinha que é uma delícia, como ver as ruínas, praia, tudo.
      (Eu, confesso, não fui a Tulum porque tinha ido a trabalho e com tempo apertadíssimo, mal daria para ficar uma tarde. Então concordo com o que você diz de que um dia só lá é pouco. De acordo com o depoimento de umas três amigas, elas disseram que Tulum merece fácil ficar uns 3 dias, para dar tempo de tudo: ficar de bobeira na praia e curtir as ruínas, porque o lugar é apaixonante). Não sei se dá para encaixar isso na sua viagem, mas se der, considere esticar lá mais um tempinho!
      – Tem ônibus da ADO (que sai da rodoviária, na Quinta Avenida de Playa), van e kombi (opção baratinha) de Playa até lá sim. É mais ou menos 1 hora de viagem, e é tranquilíssimo ir com qualquer uma dessas opções. Ir de Playa a Tulum é melhor do que ir de Cancun.
      – Isla Mujeres é mais perto de Cancun, mas fácil você ir conhecer quando estiver por lá. Já o ferry para Cozumel sai de Playa, bem na meiuca da cidade. Também é melhor deixar para quando você estiver por aqui!

      Espero ter ajudado! 🙂

  6. Oi Clarissa,
    Estou pesquisando onde ficar em Playa Del Carmem queria saber a sua opinião já que esteve por lá.O hotel que você ficou esta com preço de 3.100 (só hospedagem) ou 9.700 all inclusive. Qual você acha que vale mais a pena? Será que 2 pessoas gastariam 6.000 com comida em 12 dias?
    Muito Obrigada 🙂

    • Priscila, não sei como estão os preços de lá e nem tenho como te dizer o quanto você vai gastar de comida, mas simplesmente porque eu não te conheço nem conheço os seus gostos! 🙂
      Mas de qualquer forma, meu conselho geral seria: se você vai ficar em Playa del Carmen e pretende aproveitar os dias em passeios, indo no Xcaret, Tulum, ilhas, praias e etc… Não compensa o all-inclusive, porque você vai provavelmente fazer muitas das refeições fora do hotel mesmo, nos parques, na praia…
      E Playa tem tanto restaurante bonitinho! Acho que o all-inclusive vale a pena se você ficar por perto, fazendo quase todas as refeições no hotel, sem sair dele.. É o caso?
      Se não, considere pegar uma meia pensão (café e jantar) ou só o café da manhã mesmo, e vá curtir a comida de Playa! 🙂

  7. Oi Clarissa, obrigada pela dicas de seu blog,
    pretendo usar sua indicação do Hotel Tukan, porque gosto da localização e preço.
    Mas antes me responda algumas dúvidas por favor:

    1. Vc fez sua reserva pelo próprio site do hotel ou por um Booking?
    2. Pelo Booking a reserva está saindo um pouco mais cara do que pelo site, e os depoimentos sobre o hotel são bem ruins em relação ao atendimento, a simplicidade e aos mosquitos. Não estou a procura de luxo, costumo alugar aptos no Airbnb, mas me assustei com os depoimentos, o que vc achou de negativo, na sua hospedagem?

    Muito obrigada de novo 😉

    • Oi, Fernanda!
      Desculpe a demora em respondê-la! Estive bem enrolada nestes últimos meses!!! Me desculpe! 🙁
      Mas olha, não sei se ainda ajuda, mas vou responder por aqui:

      Eu acabei não fazendo a reserva porque o Tukan foi um convite da Secretaria de Turismo do México. E vou ser bem sincera quanto ao hotel:
      Sim, ele é mais simples em relação a outros hotéis chiquetésimos de Playa, mas achei ele um bom “custo-benefício”, digamos assim (bem localizado, boa comida, não absurdamente caro como muitos lá). Mas também não é um cinco estrelas.
      Em relação aos mosquitos: Ele é cheio de plantas e verde, o que naturalmente atrai mosquitos, né? Eu confesso que não tive muitos problemas com isso – embora nas praias com muito verde de lá tem mosquitos, não tem muito como fugir. Lembro que eu tinha ganho um repelente de um evento de turismo lá e eu nem cheguei a usar. Mas acho que tem pessoas mais sensíveis ou que “atraem” mais, não? Devo ser “sangue ruim”! 😛
      Eu achei o verde uma coisa boa – o hotel era bem mais fresco que na rua. E tranquilo também.
      Sobre atendimento: Eu não fui má atendida não – mas também não tive aquela atençããããão que dão em um hotel cinco estrelas. Minha experiência: antes do Tukan, eu fiquei em um resort 5 estrelas em Cancun. A diferença do atendimento de lá para o do Tukan era absurda, claro – mas por outro lado, o Tukan tinha mais turistas “misturados” (em Cancún era basicamente americanos) e o hotel era mais informal, também. Eu gosto dessa informalidade. O serviço era simples, justo, o quarto era confortável, e o hotel muito bem localizado, com um bom plano de comidas. Acho que para mim foi o que contou mais, e achei que a diária era justa com o oferecido. Até porque eu só queria dormir bem, tomar banho e comer bem no hotel, o resto eu ficava na rua.
      Sei lá… essa foi a minha opinião. Ajudei?

  8. Minha avaliação de Playa del Carmen – Playa del Carmen – Mar de cores incriveis, diversidade de tours, eficiencia dos operadores turisticos, interessantes parques arqueológicos, opções de transporte variados, farta estrutura de bons restaurantes, comercio forte, e outros pontos positivos.

    Imperdível o jantar no Restaurante ALUX instalado numa caverna com 2000 m2 com boa comida e preços razoáveis.

    Recomendo também a operadora EASY Tours que oferece uma variedade de opções de ´passeios com preços melhores que os concorrentes.

    A decepção é o total descaso com lixos plasticos nas praias inclusive naquelas paradisíacas que desenvolvem projetos de proteção das tartarugas e outros animais marinhos como as belíssimas XCacel e Punta Allen dentro da Reserva Sian Ka’an uma área decretada patrimonio mundial pela Unesco.

    Os preços tambem assustam como uma foto com golfinhos que custa USD 40 e dos taxis quando não se acerta o valor da corrida antes de entrar no carro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.