parapente interlaken aventura suíça
parapente interlaken aventura suíça

[show_AdSense float=”left” ad_client=”pub-9501066899733075″ ad_slot=”6562283172″ ad_width=”250″ ad_height=”250″ ]

Confesso: quando fui convidada para conhecer Interlaken, eu estava esperando a placidez calma das paisagens alpinas, acompanhadas de muito queijo e chocolate e nenhum sinal de adrenalina.

Bobinha, eu… Porque Interlaken, como descobri lá, acumula dois títulos bem animados: segundo os próprios suíços, a região é conhecida como a “Meca” dos esportes ao ar livre, e a “Queenstown da Europa” (referência a cidade que fica na Ilha Sul da Nova Zelândia que é conhecida como a capital dos esportes radicais).

E nem precisa muito tempo para perceber na prática estes adjetivos: a cidade, bem como as pequenas vilas espalhadas nas montanhas, é coalhada de trekkers, mountain bikers, escaladores… de tudo um pouco. Uma vibe saudável e esportista bem bacana!

Bacana e democrática, vale dizer: não só porque a região permite a prática dos esportes por todas as pessoas, com todos os níveis de habilidade (desde o “prego” até o super atleta) e também dependendo de cada região do ano: no inverno, naturalmente, são abundantes os esportes de neve como esqui e snowboard, mas as paisagens verdejantes do verão suíço também são bastante convidativas para deliciosas tardes de trilhas.

Fomos conhecer (e nos aventurar) em alguns deles, e contamos aqui para vocês o que a região oferece. E lembramos que, se em matéria de chocolate, relógio e canivete os suíços sabem do que estão falando sem nenhuma falsa modéstia, imagina quando eles mesmo se apresentam como a capital do esporte? É para conferir já com a certeza de que tem coisa boa aí.

 

Trekking

 

Acostume-se: você está na Suíça e aqui, a opção “vista cênica” é uma constante..

 Bom, a paisagem já é suficientemente convidativa para uma trilha…

E o bom é que as trilhas são facilmente identificadas, e o início de cada uma delas é demarcado em placas amarelas de sinalização, que além de indicar onde começam, informam o nível de esforço e o tempo de caminhada, tornando o esporte bastante democrático. Uma dica é para os amantes de esporte ficarem nas cidades menores ao longo dos Alpes, como Grindelwald e Lauterbrunnen, pois muitas trilhas belíssimas saem de lá.

Só para ter uma idéia, em Lauterbrunnen os autores Lord Byron e Mark Twain se dedicavam a longas caminhadas nos arredores, que renderam várias histórias depois (pinturas são provas das andanças inspitadoras). A literatura agradece e os suíços, também.

Em Grindelwald, especialmente, existem muitas lojas de artigos voltados para caminhada, como bons tênis e botas para trilha, bem como bastões de caminhada a preços razoáveis (considerando-se que a Suíça não é lá um país dos mais baratos). E dessa cidade, fofíssima por sinal, vê-se muitos casais idosos equipados, voltando de trilhas, bem como famílias com crianças pequenas (de 5 anos, por aí), todas serelepes com seus bastõezinhos…

Deu vontade de pegar um e sair andando estrada afora também…

No verão as trilhas são demarcadas nos campos verdes, mas é possível fazê-las mais ao alto, aproveitando a neve – mas vale avisar que é permitido apenas andar nos trechos demarcados, por questões de segurança (risco de deslizamentos e, especialmente no inverno, avalanches).

Na prática, nem precisa de guia, pois as orientações ao início de cada trilha dão conta do recado, além de várias brochuras à disposição dos viajantes com informações detalhadas sobre as trilhas. Mas quem é adepto de escalada e gostaria de mesclar uma caminhada na neve com mais esportes, pode optar pela contratação de um guia (o melhor da região e professor de esqui é o Martin Gertsch – para ter o contato dele basta pedir aqui, através do comentário, ou entrar em contato com o próprio escritório de turismo de Interlaken) e agendar uma trilha.

A sensação, como toda boa caminhada, é esta: uma intensa liberdade, a natureza e você…

Bacana, né? Mas verdade seja dita, essa foto foi tirada com um super zoom, porque olha onde, na prática, o carinha aí de cima estava caminhando (indicado no círculo vermelho, logo abaixo).

Repare nas trilhas demarcadas na neve: são monitoradas constantemente para evitar qualquer risco e assegurar a segurança do esporte. Logo, escolhendo-se a trilha adequada, subir numa montanha nos Alpes Suíços vira tarefa fácil.

São “n” tipos de trilhas, mas nesse link (em inglês) dá para ter idéia de algumas das trilhas cênicas mais procuradas.

 

Tirolesa

 

A brincadeira começa na subida, através de um “cable car”, em direção ao monte First (que, nesse caso, é só o nome da montanha e não tem nada a ver com “primeiro” em inglês). E relaxem, porque a subida é tranquila.

Já a descida pode ser pelo mesmo caminho, de “cable car” ou de uma forma mais, digamos, rápida…

 

A tirolesa começa aqui, no alto do First. Sente só a altura.

Como chegar: Sobe-se para o First de cable car desde Grindelwad (informações gerais sobre trens e locomoção aqui), e, chegando lá em cima, é possível contratar direto a descida por tirolesa (mais informações sobre o passeio, inclusive preços, aqui). Uma dica é fazer o passeio pela manhã e deixar para almoçar lá em cima – o First tem um restaurante delicioso, com uma bancada panorâmica para ver os Alpes. A comida, então, é deliciosa e muito bem servida (sugiro experimentar as lascas de peixe empanados. Hummm).

E aí você dá um tempo, curte a vista e se prepara psicologicamente para aquela dose básica de adrenalina. 🙂

Minutos antes da descida de tirolesa: ela só funciona quando o tempo está bom (leia-se, sem chuva ou vento), e todos os procedimentos de segurança são tomados. Com tudo pronto, é só esperar a portinha se abrir…

 E, coincidência das coincidências, não é que a gente acha o símbolo da logo deste blog por lá? Praticamente um sinal divino de que tínhamos que “dondear” por ali… 🙂

Portinha aberta, a descida é rápida, e a sensação é de estar voando…!

Só leve um casaco: o vento é frio, mas a vista é única! 🙂

Bateu a vontade de saber como é? Então, fizemos este vídeo para mostrar um pouco quais são as atividades que Interlaken oferece – com um destaque especial para mostrar a sensação de descer a tirolesa. Liga  o som, aperta o play – e depois conta para a gente se você gostou! 🙂

Esporte e aventura nos Alpes Suíços: o que Interlaken pode fazer pela dose de adrenalina das suas férias from Dondeando por aí… on Vimeo.

 

Downhill… de patinete!

 

Dica: dá para fazer no mesmo dia em que a tirolesa aí em cima. Nem precisa dizer que, ao final do dia, a alma sai leve, leve!

Então: durante a subida de cable-car até o First (lá, onde você faz a Tirolesa) tem uma série de paradas – e uma delas é a estação Bort. Para chegar lá de First é só descer a tirolesa e seguir a pé (uma caminhada deliciosa de uma estação a outra) ou pegar o cable-car de novo.

De qualquer modo, na estação de Bort aluga-se uma patinete e um capacete (mais informações, e espaço para reserva do bilhete, aqui) e pega-se a trilha ao lado, que aproveita o declive natural das montanhas e segue, linda e deliciosa, até Grindelwald.

O esforço é nulo – basta ficar controlando a velocidade no freio. Mas a vista, em especial no verão suíço, é algo assim… Minutos mágicos de passeio…

Ao redor, verde e milhares de minúsculas margaridinhas salpicadas pelo campo brindam a paisagem com uma leveza quase etérea, só quebrada pelos paredões de pedra dos Alpes bem à nossa frente.

 

Recomendo, e muito, esse passeio – inclusive para quem não é tão adepto da adrenalina da tirolesa. Por que aqui a velocidade é o viajante que define e, como a foto mostra, a trilha não tem muitos obstáculos.

E, honestamente, num passeio como esse, é para esquecer a velocidade. A pedida é parar a cada momento, só para curtir a paisagem. Sem pressa, com tempo e sem stress.

 

Voos de Parapente e Paraquedas

 

Nos dias ensolarados do verão, 20 a 30 parapentes colorem os céus de Interlaken. Nos dias sem nuvens do inverno, também. Por isso, o céu de Interlaken é democrático quando há bom tempo: um ótimo motivo para aventurar-se num salto de parapente ou paraquedas por sobre a cidade.

Fizemos o passeio com a empresa Alpinair (totalmente certificada e bastante bacana, tanto pelo número da equipe que presta o suporte, como pela segurança dos pilotos. Curti.), que nos busca em frente ao hotel em Interlaken e leva até a área do solto. Como em área de montanha o tempo muda muito rápido, às vezes os saltos são restritos para a parte da manhã, quando o tempo costuma ficar mais estável. De qualquer forma, a confirmação do passeio é sempre feita na noite do dia anterior, checadas todas as condições metereológicas.

Quando chegamos a Interlaken, sob um inacreditável sol de 30 graus, o céu estava limpo e coalhado de parapentes. Não tive a mesma sorte dois dias depois, quando fui fazer o salto. Mas na boa? O céu nublado não atrapalhou em nada… 

 

 A seleção de qual piloto vai com qual turista é feia através de um divertido sorteio, e o pagamento é feito antes do salto (“por via das dúvidas”, brinca um dos guias). Durante o voo, eles tiram fotos e filmam – a compra do CD é opcional ao final do passeio.

Eu, particularmente, acho um investimento válido. Porque momentos gostosos de felicidade absoluta merecem ser guardados para a posteridade.

E a beleza da vista, lá de cima, é garantida.

A duração do voo varia de acordo com o vento, mas pode chegar a quase 30 minutos – com direito a piruetas lá em cima para os detentores de estômago mais forte!

O que dizer mais? As imagens e o vídeo já falam por si só: é uma experiência deliciosa e que, pelas fotos que eu vi, é ainda mais linda no inverno, com a paisagem toda branca ao redor.

Vale se programar e aproveitar este passeio. Em duas horas, no máximo, você já está de volta, aterrissando suavemente na praça principal de Interlaken, bem em frente ao Hotel Victoria e às deliciosas chocolaterias artesanais da principal rua da cidade.

Vamos combinar: o combo “adrenalina-endorfina” nunca pareceu tão delicioso assim…

 

[box type=”note”]Nota: Não informei aqui os valores de cada passeio porque eles mudam de estação para estação, mas todos estão indicados com os links diretos para as atrações, e lá estão as informações atualizadas sobre quanto custa e como se faz para agendar. O que também pode ser feito na hora, sem problema.  [/box]

 

Esta jornalista e blogueira que vos fala visitou a cidade de Interlaken em junho de 2012, a convite do Escritório de Turismo de Interlaken, da Jungfrau Railways e do Hotel Krebs.

Comments

3 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia Clarissa

    Estive lendo seu blog e apreciando seus comentários.. muito bom….

    Bem estou com uma viagem para Abril (30 dias) e gostaria de auxilio, pois encontrei informações novas em seu blog … isto que já estou a meses dedicados nesta busca..

    Enfim gostaria de informações mais técnicas sobre o Downhil de patinete! (Onde é melhor ponto, tempo médio da descida. onde retiro, entrego, preços ..

    Pois no site de jungfrau… o calendário apresenta somente para maio … será que já a possibilidades em Abril..

    Grato

    • Oi, Igor!
      Eu lembro que para fazer o downhill, eu subi de gôndola até o topo da montanha First (e almocei lá, inclusive. Tem um restaurante muito gostoso).Esse trecho de gôndola, eu acho, já está incluído se você comprar o passe de trem que dá direito a visitar as outras cidades de Grindelwald, Lauterbrunenn, etc. Do First, tem uma tirolesa (muuuuuuuuuuuuuito legal, é a que está no post) que vai até o monte mais baixo – e é de lá que você retira a patinete para fazer o downhill. EU lembro que tem um bilhete que inclui esse combo, tirolesa + patinete (sendo que você vai descendo de patinete até Grindelwald, num caminho lindo, lindo, lindo. Tem o link para o passeio aqui: http://shop.jungfrau.ch/en/tickets/bergbahn/angebote/grindelwald-first/fun-package-first
      Agora, eu realmente não me lembro o valor desse combo nem do tempo de descida (do tempo, na verdade, eu perdi a noção, porque é o tipo do passeio tão bonito que eu simplesmente perdi a noção mesmo.). Você retira na estação de Bort (logo na descida da tirolesa) e entrega a bike em Grindelwald.
      Mas eu vou fazer melhor: vou mandar um email para o escritório deles lá em Interlaken perguntando das informações atualizadas, e assim que recebera resposta eu publico aqui, pode ser? É bom porque eu também me atualizado de como estão as coisas lá.
      Ah, e pode ser que o passeio só esteja disponível em maio mesmo: abril costuma ser fim de inverno ainda para eles, e eles costumam fechar as atrações quando o tempo fica esquisito (o que acontece muito em abril).
      Mas vou confirmar e te falo, tá?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.