Já dizia a sabedoria popular das histórias de contos de fadas que as casinhas de concreto eram mais resistentes. Afinal, foi na terceira casinha, de tijolos, onde os três porquinhos encontraram refúgio depois que suas duas casinhas foram destruídas pelos sopros gulosos do Lobo Mau.

Só que na vida real a coisa é meio diferente – especialmente na fofa cidade de Brienz, às margens do lago de mesmo nome e pertinho de Interlaken (dá para chegar de trem ou de barco saindo de Interlaken Ost).

A cidadezinha em si também parece saída dos cenários de contos de fadas. E como sabemos, as casinhas de madeira são uma constante na paisagem suíça, assim como as vaquinhas e os Alpes ao fundo. Só que na pitoresca rua de Brunngasse, as casinhas de madeira são resistentes à coisa ainda mais séria que sopro de lobo malvado: o tempo. Afinal, Brunngasse é uma das ruas de casas mais antigas da Suíça.

Todas as casas são construídas com certas partes em alvenaria e outras em madeira.

Mas, vale a pergunta: porque aqui na Suíça é tão comum casas de madeira? É mais barato? O isolamento térmico é melhor?

– Não – responde a guia – se construído com as devidas técnicas, uma casa de alvenaria é tão isolante quanto uma de madeira.

– Então, porque não? É estilo? Moda?

Ela simplesmente aponta as árvores. A pergunta é respondida com a vista sobre uma infinidade de matéria-prima  (embora, claro que tomando-se o cuidado de utilizar madeiras devidamente plantadas, certificadas e próprias para esse fim).

E caminhando pela Brunngasse, a primeira impressão é que a rua possui o mesmo padrão que as demais ruas da região: casinhas de madeira emolduradas pelo verde dos Alpes logo atrás. Aqui e ali, uma cascata dá o ar da graça nas brechas de vista entre as casas, discretas e insistentes, como se a paisagem ainda precisasse delas para ficar ainda mais bonita.

Mas até aí, nada diferente, a gente pensa…

Só que aí fica a dica: faça o passeio a um ritmo lento e de câmera na mão, por favor. Porque na Brunngasse, o bacana é ir conferindo os números das casas.

 Mas não o número das casas da rua, e sim o ano em que elas foram construídas, estampado em algarismos antigos nas fachadas de madeira.

“Ano 1584”, em dialeto antigo. E com as madeiras originais, ainda.

Mesmo com tanto tempo, as casas sobrevivem em pé, e ainda são habitadas – algumas passam de geração em geração.

E, como toda casa, também precisam de uma reforma. E quando ela acontece, a data da reforma também fica ali, marcadinha na fachada da casa.

Velhinha enxuta: Data da construção e da reforma da casa. Agora, a próxima manutenção pode esperar mais uns 400 anos, né?

Você ainda pode se sentir culto e importante: nestas mesmas ruas de casas, tal como são, caminharam Lord Byron e Goethe, entre outros. Chique, né?

E, seguindo o hábito suíço de plantar e cuidar de suas hortas, os moradores das casas da Brunngasse fazem, da própria fachada, o seu jardim. Brungasse, então, além de ser uma velhinha, é charmosa: cada uma das suas fachadas é  toda colorida e florida. Ainda mais bonitas por ser final de primavera!

Não, as galinhas não são de verdade!

Ah, não preciso dizer que não é permitido fumar nessa rua! 🙂

 Os três porquinhos, aqui, podiam morar tranquilões, pelo visto. Não vai ter Lobo Mau que possa com essa velhinha…

Esta jornalista e blogueira que vos fala visitou a cidade de Interlaken em junho de 2012, a convite do Escritório de Turismo de Interlaken, da Jungfrau Railways e do Hotel Krebs.

Comments

4 COMENTÁRIOS

  1. Olá Clarisa,

    Vou para Interlaken em Agosto. Seus posts etão me ajudando muito no roteiro.
    Gostaria de saber se você sabe mais ou menos o preço de ir pra Brienz de trem e de barco. E também se eu preciso fazer a reserva antes do trem de Berna para Interlaken, tem toda hora esse trem e o preço você se lembra?

    Obrigada

    • Oi, Milena, que bom que está sendo útil! 🙂

      Eu, na verdade, fui num pacote em que estava tudo incluso, até o trem. Mas os preços do trem eu sempre comprava nesse site: http://www.sbb.ch/en/home.html (fiz uma pesquisa e vi que eles estão saindo atualmente de 4,70 a 5,50 francos suíços). Vale também ir de barco por Interlaken Ost Até Brienz, ou voltar de barco. Os preços variam entre 12 e 14 francos, mas você pode achar várias planilhas de preço atualizadas aqui, com preços variando dependendo da época do ano (http://www.bls.ch/e/schifffahrt/fahrplan.php). O problema é que está em alemão, com algumas traduções em inglês. 😛 Mas já dá para saber a faixa de preço.
      MInha dica é, se você ficar em Interlaken mesmo, ir no Centro de Informação Turística deles. São uma simpatia e as vezes o próprio pacote de trem ou de barco já está incluído em alguns passeios. E tem tickets que já dão direito a trens, então tem como ver qual a melhor opção a fazer!
      Não sei se precisa fazer a reserva antes de sair de Berna (embora, é uma boa, porque lá os trens funcionam como um reloginho, e ter todos os bilhetes comprados evita ficar esperando tempo desnecessariamente). Os trens saindo de Interlaken a Lucerna passam por Brienz duas vezes por hora (não sei dizer exatamente os intervalos).
      Ah, e chegando em Brienz tem um tour que sai pela cidade, dura duas horas, e se você tiver o tal Visitor’s card, sai de graça. Tem mais detalhes aqui: http://ow.ly/i7Syx

      Espero ter ajudado! 🙂

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.