Sunshine_Montain_Lodge_Banff
Sunshine_Montain_Lodge_Banff

Eu aviso: eu não cheguei a passar uma noite lá. E por isso mesmo, só por ter conhecido as dependências dele de dia e de ter ficado aguadíssima de querer continuar lá, eu recomendo: se você for esquiar em Banff um dia, tente, por favor, passar pelo menos uma noite lá.
Porque é a chance que você vai ter de dormir no único hotel que fica dentro do Parque Nacional de Banff, cercado das Montanhas Rochosas (ou “Rocky Mountains”, que aí você já pega intimidade logo em inglês).

[box type=”info”]

Uma explicação técnica:

Em Banff, a maioria dos hotéis estão na cidade de Banff, que ao contrário de Whistler, não ficam ao pé da montanha, então quem vai esquiar precisa pegar o ônibus shuttle que liga a cidade até as estações de esqui de Lake Louise e Sunshine Village, e que saem todos os dias, em diferentes horários de ida e volta. A viagem é linda, mas demora um pouquinho. Então, para não quer perder tempo e sair direto do hotel de esqui no pé e já partir para as gôndolas das montanhas, a melhor alternativa é o Sunshine Mountain Lodge, que tem essa proposta “ski-in-ski-out”.

Ou seja, você perde a conveniência da cidade cheia de lojinhas e diferentes restaurantes, mas fica com toda a estrutura de um resort charmosíssimo no pé da montanha. 😉

[/box]

IMG_0104
Crédito da Foto: Divulgação do Sunshine Mountain Village

Fomos entender a estrutura do Sunshine: tem o Sunshine Village, que é aberta a esquiadores que não vão se hospedar, e ali eles podem alugar equipamentos de esquie  e snow, ter aulas, alugar lockers e comprar os passes da gôndola para a montanha. Tem também a estrutura de banheiro e refeições, sempre bacaníssima e quentinha, para ser o suporte entre uma esquiada e outra. E subindo a gôndola montanha acima está o Sunshine Mountain Lodge, o resort em si.

Quando chegamos lá, estava nevando bastante – e ao contrário da minha pré-disposição carioca de olhar para céu nublado e achar que o tempo está feio -, isso era ótimo, e tava super comemorado pelos outros esquiadores. Eu conseguia ver aqueles desenhos lindos dos floquinhos de neve na minha mão, e a neve ali era fofa, meio “powder” como eles chamam, que é a melhor neve para esquiar. 🙂

Para vocês terem uma idéia do volume de neve de Banff (já eleita a melhor qualidade de neve do Canadá, seja lá quais forem os critérios para isso!) o pessoal do Sunshine fez um vídeo de timelapse de 24 horas para mostrar o volume de neve que cai – confere aí:

Ou seja, não se deixe enganar por essa foto, tirada no dia em que eu estive lá… parece que o tempo tava ruim, mas essa era “a boa” do lugar! 🙂

Quando chegamos ao Sunshine, fomos direto ter aulas de esqui (mas como eu já disse aqui e aqui, eu acho que iniciantes vão gostar mais do Lake Louise para aprender tendo aulas. Já os experientes vão amar aqui!) e depois, fomos conhecer as instalações do resort.

E ali deu para entender porque o Sunshine Mountain Lodge é, de fato, “ski-in-ski-out”: eu desci de skis da pista direto para a recepção! É ótimo para quem quer mesmo ficar pertinho da montanha.

Da janela do quarto, a vista da gôndola para o alto da montanha.

Perguntei qual a vantagem de já acordar na montanha para esquiar? Afinal,  o charme da paisagem era indiscutível, mas quais seriam as outras vantagens (que, em outras palavras, fariam valer a pena o investimento)?

E taí o que me responderam (e que eu concordei com tudo):

1. Você acorda e já pega as primeiras pistas do dia

A vantagem de já amanhecer no hotel é poder acordar cedo e já pegar as primeiras pistas  com a neve fresquinha e “virgem” da noite anterior (e os entendidos afirmam que é uma delícia esquiar com a pista nestas condições. Então, antes da galera da cidade chegar nos ônibus e gôndolas da vida, você já esquiou horrores!

IMG_0259
Crédito da Foto: Divulgação Sunshine Mountain

2. Ter a vista das Rochosas

Dormindo lá é ter a chance de ter a vista impressionante das Rocky Mountains, e se o céu estiver limpo, ter o gostinho de esquiar de noite, quando permitido, com sua lanterna de cabeça e sentir a delícia de estar no meio do meio do meio do Parque Nacional de Banff; 🙂

Graham Towmey
Crédito da Foto: Graham Towmey

3. E ainda pode ver a Aurora Boreal…

Há relatos de que já foi possível avistá-la do hotel, em noites de céu claro. Até o gerente do hotel, com quem conversamos, já disse ter visto mais de uma vez!. Vai que você dá sorte! 😀

aurora boreal
Crédito da Foto: Sunshine Mountain Lodge (Booking.com)

4. …da jacuzzi!

Mais luxo ainda: ver as luzes lindas da jacuzzi ao ar livre, que fica quentinha (em torno de 40 graus) ao ar livre (-25 graus). Brrrr…

(Ou, ainda, pode ficar durante o dia mesmo, só observando a galera descendo e subindo do ski. A vista da jacuzzi dá direto para a gôndola!).

Sobre o Hotel:

Quem não é hóspede conta com um pub para fazer o après-ski por lá, com comida e bebida para esquentar. Mas também tem o restaurante do hotel, o Eagle’s Nest, destinado a hóspedes mas também aberto a convidados.

Eu pedi um fish and chips lá, que vinha com uma porção de batata-doce frita, ao invés de batata normal. Bem mais gostoso! 🙂

 Mas a estrutura do resort é bem voltada para os praticantes de esportes de neve e famílias. Há um kids club bem bacana  onde as crianças são incentivadas a fazer esportes na neve e tem toda a assessoria (embora, confesso, não fiquei muito tempo lá vendo – mas eu via muitas crianças como hóspedes do hotel).

E, especialmente, o hotel tinha um charme todo especial para casais! Quase todos os quartos são mega aconchegantes e possuem janelas envidraçadas lá para fora: tem algo mais romântico do que estar no seu quarto com um bom vinho e uma jacuzzi vendo montanhas de neve lá fora? 😉

Banheira do lado da cama e pertinho da janela! Foto tirada de uma das suítes do West Wing Loft Rooms, que possui dois andares.

 

Quarto_Banff_Sunshine_Lodge
Foto tirada do andar de cima da West Wing Loft Rooms.

E a vista é bonita sempre, qualquer que seja a sua janela! 🙂

Bom, eu achei de um romantismo só! 😉

Mas como todo resort, são várias as opções de atividades além de esqui, o que é bom para quem vai em casal ou família e parte das pessoas não está tão na pilha de esquiar. Tipo, com monitores infantis, spa e salão de jogos.

Acho que no Canadá o totó não é futebol, é hóquei!

Ou, ainda, atividades na neve, como snowshoeing (que, basicamente, inclui uma trilha na neve calçando uns “sapatos” estranhos que mais parecem uma raquete). É divertidíssimo! 😀

Sei lá, eu fiquei com vontade de pernoitar lá. E confesso que, de todos os  atrativos, a chance de ver a aurora boreal é a que mais me encantou!

Então, o Sunshine entrou na minha lista de “quer voltar para valer”. Porque ele é o tipo do hotel que você não fica pelo hotel, e sim pela experiência. E aqui ela vale muito a pena.

E com as Rocky Mountains de vizinhança, ainda por cima, as fotos bonitas já são garantidas!

 

Informações Práticas

Sunshine Mountain Lodge – faça a reserva aqui

Como chegar: O aeroporto mais próximo é o de Calgary, no Canadá. Você pode alugar um carro até lá (é só selecionar o aeroporto deste link para ver as ofertas) ou pegar os serviços de ônibus para fazer o translado direto do aeroporto para a cidade de Banff (as companhias Brewster e Airporter fazem esse trajeto e possuem ônibus em vários horários, sendo que a Airporter também leva direto ao Sushine).

Quando ir: A neve começa já no final de dezembro e vai até maio (sendo que dizem que, em maio, dá até para esquiar de camisa. Eu, sei lá, morro de frio).

[box]

Gostou deste post? veja também:

15 motivos para amar Banff, uma das melhores cidades do Canadá

Whistler, Vancouver, Banff: onde comprar roupas de frio no Canadá?

O que fazer à noite em Whistler, no Canadá?

Dicas do hotel à neve: tudo o que você precisa saber para esquiar em Whistler

Whistler, Vancouver, Banff: qual a melhor estação de ski no Canadá para você?

[/box]

Essa jornalista e blogueira foi ao Canadá a convite do CTC – Canadian Tourism Commission.

Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui