[show_AdSense float=”left” ad_client=”pub-9501066899733075″ ad_slot=”6562283172″ ad_width=”250″ ad_height=”250″ ] Interlaken, como o nome sugere, é uma cidade que fica “entre lagos”. Os lagos, em questão, são o Thun e o Brienz, ambos de um turquesa apaixonante. Cada lado banhado por um rio ganhou um nome: Interlaken West e Interlaken Ost. Ambos os lados, deliciosos. E ambos, o ponto de partida para desbravar a região dos Alpes e suas várias cidades, atrativos e linhas de trem…

Só isso pareceu, à primeira vista, um pouco confuso, não? Afinal, são muitas opções para conhecer em um lugar que é inegavelmente belíssimo. Então, para ajudar o visitante de primeira viagem, eis aqui uma lista, mastigadíssima, do que é preciso para se situar na cidade.

Vale avisar que as dicas estão relacionadas com base no que experimentamos por lá! E, como os Alpes, ainda tem montanhas de conteúdo para descrever sobre a região – logo, aguarde o desenrolar desta série sobre a Suíça. 🙂

Mas, nesse momento, comecemos com o básico: hospedagem, alimentação e transporte.

Que, em se falando da Suíça, lembra chalé, chocolate e trem panorâmico. Nada mal, né?

Idioma:

Por ficar no meio do miolo da Europa, a Suíça tem uma série de influências dos seus vizinhos. Então, em geral todas as placas e avisos estão dispostas em alemão, inglês, francês e italiano. Sem falar, é claro, nos dialetos, praticamente impossíveis de se entender. Mas em Interlaken, o alemão é o idioma mais falado – um “Swiss German” como eles mesmos falam, um pouco diferente do alemão tradicional e com direito a um “Merci” para agradecer e um “Ciao” para se despedir. Para quem gosta de viagens e suas misturas, esse é um blend delicioso para os ouvidos.

Ah, mas quem fala inglês se vira muito bem nos 30.

Moeda:

A Suíça não opera o euro, embora muitos estabelecimentos aceitem como pagamento, fazendo a conversão no caixa e devolvendo o troco em francos suíços, a moeda local. Tem bancos de câmbio em muitas estações de trem e em centros de informações turísticas a clientes. E, principalmente, existem ATMs e o cartão de crédito, que simplificam muito a vida nessas horas. Só vale prestar atenção à quantidade de dinheiro trocado, para não exagerar e acabar sua estadia cheio de francos suíços na mão, moeda que não é aceita em nenhum outro lugar fora da Suíça.

Hotel:

Para ter como base e desbravar os Alpes, Interlaken é a melhor opção – embora, não descarte posteriormente a possibilidade de hospedar-se em um chalé nas cidadezinhas mais altas – a experiência é totalmente diferente! Interlaken tem uma rede hoteleira boa, para todos os perfis de visitantes e respectivos bolsos. A lista completa de hotéis pode ser encontrada aqui, mas seguem algumas sugestões que nós checamos de perto – e, o mais importante, as explicações do porquê que gostamos de lá:

Hotel Krebs: Fica bem pertinho da estação de trem de Interlaken West, super tranquilo de ir a pé. Foi o hotel em que ficamos por quatro dias, e que atendeu plenamente. As instalações dos quartos são muito confortáveis, banheira quentinha (importante, para os dias de frio) e um cafés da manhã farto e gostoso.

Mas o ponto positivo mesmo foi no quesito “interação”: além de ficar bem localizado (na Bahnhofstrasse, número 4, em frente à várias lojinhas de souvenirs, relógios e frufrus), ele tem uma convidativa varanda em frente à fachada e um bar na lateral, ambos abertos para o público fora do hotel, e todos os dias estava bem cheio. Conversa solta, pessoal jovem, locais e turistas: um clima bem gostoso para quem está viajando mas também gosta de interagir. No bar, inclusive, um telão cumpre com louvor o entretenimento do bar – por um acaso, estávamos lá em pleno início da Eurocopa de 2012. Dá para imaginar como estava animado, né?

Meu único porém é que o wi-fi, embora gratuito para os hóspedes, não pegava direito nos quartos. A solução foi correr para digitar na varanda do hotel – uma solução que não é de todo ruim quando a idéia é interagir, mas que atrapalha quando a gente queria um pouco mais de privacidade com o mundo online.

Victoria-Jungfrau: O mais chique de todos. Disparado. Tanto que acontecem ali vários seminários e conferências de empresas de grande porte, porque é um dos hotéis da cidade com porte para isso. Entre uma reunião e outra, um pulinho no spa para alguns mimos merecidos. E o melhor de lá, além do puro luxo e glamour: a vista para a montanha Jungfrau, logo em frente (porém, privilégio apenas dos apartamentos com vista para a frente do hotel.

  • Balmers. Tradicional albergue entre os jovens e um dos mais antigos da cidade, não achei a localização tão central quanto os outros, mas ouvi muito bem da agitação noturna que rola por lá. Tem direito a biergarten e grill para os hóspedes, e já foi eleito um dos “top ten”albergues da Europa. Ah, e quem nos informou do parangolé que rola por ali à noite foram os próprios locais, e não os turistas – razão a mais para dar um voto de confiança à noite pelas bandas dali!
  • Youth Backpackers – um albergue aberto em 2009, mas que ainda dá aquela sensação igual a que a gente sente quando entra em carro novo. E mesmo novinho, já é top: ganhou vários prêmios de excelência do Trip Advisor e do Hostel bookers. E os prêmios procedem, de modo que quem não gosta de albergue pode parar de torcer o nariz: os quartos são confortáveis e possuem opções que vão desde os quartos compartilhados até chalés para famílias (com crianças pequenas, inclusive). Wi-fi e estacionamento de graça completam o conforto – a bons preços, principalmente.
Importante: quase nenhum hotel, inclusive os mais chiques, oferecem ar-condicionado no quarto. O que, vale lembrar, é um item necessário apenas em 10 dias por ano na Suíça – uma janela aberta dá mais do que perfeita conta do recado, uma vez que no verão as noites são bem fresquinhas (e no inverno não precisa nem falar, né?). Mas, vejam bem, eu estava lá exatamente no dia mais quente do ano, em que Interlaken chegou a inacreditáveis 30 graus, quase uma vibe “Rio de Janeiro”. Naquele dia, devo  confessar, eu sofri um pouquinho com o calor no quarto. Durante o dia. Só. Então, se você for curtir o verão suíço, não esqueça de abrir a janela à noite – melhor do que muito aparelho de ar imitando o clima de montanha por aí.
E para ver outros hotéis em Interlaken que estão bem na fita nas avaliações de leitores: BeausiteCity ChaletNeuhausInterlaken HotelHotel Du Nord, o centralíssimo Central Continental, AlpHorn e o Stella Swiss Quality Hotel.

Visitor’s Card

Quando você se hospeda num dos hotéis em Interlaken, acaba ganhando um (e se não ganhar, peça). Guarde-o com você: ele garante transporte gratuito no ônibus dentro de Interlaken, além de oferecer alguns descontos na entrada de atrações pela região (a relação dos descontos e locais onde é aceito está aqui – o link é em alemão mas tem traduções em inglês, então não se assustem!). É um por pessoa e costuma ser válido por toda a sua estadia!

Trens: rotas, baldeações e passes

Para chegar explorar melhor a área dos Alpes e chegar às cidades de Wengen, Lauterbrunnen, Grindelwald e, inclusive, o Top of Europe, é preciso ir de trem. São várias baldeações, uma vez que os trens são gerenciados por empresas diferentes e percorrem por trilhos de tamanhos distintos. E como são várias as cidades que merecem uma conferida, vale a pena ter sempre um mapa da região consigo para facilitar a locomoção entre elas.

Para não aumentar a confusão, o ideal é ter um passe único, pelo número de dias que você vai ficar por lá. Só que até isso tem uma variedade enormes de passes à escolha, então vamos às principais diferenças:

  • Passe avulso: você compra por viagem e por trecho. Aqui estão os preços por trecho e os horários dos trens. Mas não se preocupe: uma tabelinha com os horários é distribuída gratuitamente nas estações.
  • Passe de 6 dias: Um único ticket que dá direito a viagens ilimitadas de trem, cable car e ônibus entre toda a região do Jungfraujoch (conforme estão desenhados no mapinha com os trechos de trem, logo acima). É válido por 6 dias, mas apenas para uma pessoa, e é vendido de 1o de maio a 21 de outubro. O valor é de 210 francos suíços (em torno de 150 euros) e tem valores especiais para crianças também. É vendido em todas as estações do Jungfray Railways e nas agências de viagem por toda a Interlaken, mas pode ser comprado pela internet também; todas as informações estão aqui.
  • Berner Oberland Regional Pass: um ticket válido por 7 ou 15 dias, a depender do período contratado, por toda a região (mapa aqui). Apenas uma pegadinha: no primeiro, os primeiros 3 dias são passes ilimitados, e os outros garantes descostos nas passagens. No segundo, são 5 dias de viagens ilimitadas e os outros 10 com descontos. Sendo que uma promoção dá direito a dois passes de 7 dias pelo preço de um. Pode ser uma boa pedida dependendo do seu planejamento de viagem. Os preços estão aqui (veja a validade da promoção!).

Seja qualquer o ticket que você compre, tenha-o sempre no bolso. Em toda viagem, os fiscais vão passando de pessoa em pessoa, conferindo a validade dos passes e marcando com um furinho (como está no bilhete da foto) a utilização do mesmo. Se o seu bilhete não estiver válido – ou pior, se você estiver sem ele – é encrenca na certa.

Pacotes:

Com tantas opções de programas, trens e cidades para explorar, pode-se ter a impressão de que fazer turismo em Interlaken e arredores pode ser meio complicado. Não é, muito pelo contrário – toda a estrutura de turismo e as cidades estão adaptadas para receber tanto os viajantes mais independentes quanto grupos de turistas. Mas se você está indo sozinho, com família e amigos, e deseja planejar sua viagem de modo mais prático, uma boa pedida pode ser fechar um pacote. Para facilitar a vida de quem está viajando e quer uma experiência sob medida, é possível fazer a compra de pacotes com hospedagem e tickets de trem válidos para determinados períodos, bem como a entrada de algumas atrações – tudo montado de acordo com a soberana vontade do visitante. Neste site é possível fazer a pesquisa do melhor pacote desejado, ajustando filtros como quantidade de dias desejados, cidade onde quer se hospedar, quantidade de pessoas e locais em que deseja conhecer. Tudo mastigadinho e prontinho para ser usado, sem estresses.

E eu dou cá minha dica: entre a dúvida dos pacotes e das viagens independentes, fique um pouco com o melhor dos dois mundos. Como por exemplo, fechar um pacote com os dias e passeios de trem, mas reservar um tempinho para curtir a região sem programações. Porque o lugar é muito bonito, e certamente vai te surpreender se, em qualquer momento, você optar por um caminho fora da trilha!

Onde comer:

Um lugar que é a terra do chocolate do fondue só pode ser o reduto de coisas deliciosas. Interlaken faz jus à regra, não só em sabor como em variedade: existem vários excelentes restaurantes por perto, e você pode se surpreender com o cardápio: por exemplo, eu não imaginava ver uma variedade tão farta – e deliciosa – de frutos do mar em plenos Alpes Suíços!

A variedade de opções para jantar segue com elegância desde os bistrôs e vinhos na praça principal de Interlaken West, em frente ao Hotel Victoria, até um Hooter’s e o velho e onipresente MacDonald’s. Mas seguem aí algumas excelentes opções – devidamente testadas e – hummm! – aprovadas.

  • WineArt – o forte dali é a carta de vinhos (o que o torna uma excelente pedida para os dias mais frios), mas os pratos de frutos do mar são de comer com absoluta devoção. Ali foi a melhor refeição que tive durante minha estadia – responsabilidade do risoto de gorgonzola com camarões graúdos grelhados, que absolutamente ofuscaram a salada, gostosa, que veio de entrada antes. Os preços acompanham porporcionalmente o sabor e os “ohs” de puro deleite gastronômico, mas valem cada centavo. Vale a pena ir, nem que seja para comemorar ali uma ocasião especial (que pode ser a chegada na cidade, o último dia de viagem, aniversário ou casamento de alguém e, na falta de tudo, comemorar a vida que é bonita e é bonita).
  • El Azteca – para um toque latino em plenos alpes. Não provei as comidas, mas o restaurante estava relativamente cheio e com um clima agradável ao cair da noite. Destaque para o bar e suas indefectíveis tequilas, sempre prontas a derreter qualquer gelo alpino. O festival de fajitas também era bem servido.
  • Top of Europe – São dois restaurantes que atendem o público: Um chama-se Bollywood e, como o nome sugere, é focado em comida indiana (para localizá-lo, basta seguir as placas dentro do Top of Europe ou o cheiro de curry no ar. Infalível). E o outro chama-se Crystal e é focado em comida internacional. É bacana para quem quer ter a experiência de comer de frente para uma vista sem comentários, mas os pratos também merecem uma conferida. Já imaginou comer sopa de lagosta no lugar mais alto da Europa? E, fique claro, deliciosa?

Bar e Restaurant Chalet – Se a sua visita ainda não incluiu um fondue de queijo, vale um pulinho neste restaurante, que fica dentro do City Hotel Oberland, bem no centro de Interlaken West. Ás terças é preciso fazer reserva, porque o estabelecimento oferece um show de música folclórica tipicamente suíça em torno das 20 horas. É a oportunidade de ver um típico suíço tocando o “alphorn”, uma espécie de corneta gigante típica de lá. Ok, ok, o show é bem produto feito para turistas e a decoração, na tentativa de ser típica e aconchegante demais, não é exatamente a mais bonita dentre os restaurantes da cidade. Mas vale a visita, especialmente porque o que importa é que o fondue para dois é excepcional. E se acompanhado de um bom vinho, você nem liga para o resto! 🙂

Fondue ao som de alphorn, a corneta suíça! A apresentação é interessante – mas foque no fondue de queijo! 🙂

Para quem gosta de uma pitada mais exótica, existem vários restaurantes indianos pela cidade, especificamente para atender o público indiano que é figurinha constante por lá. Vale provar algumas samosas para dar um toque mais picante no seu dia, depois de tantas montanhas de neve – mas se achar que exagerou, sempre haverá uma loja de chocolates artesanais por perto para adoçar o paladar. E muito bem adoçado, por sinal.

Onde e o que comprar:

Suíça não é o típico pólo de compras, mas algumas coisas valem a pena dar uma conferida em Interlaken. Ali ficam, onipresentes, as lojas de canivetes suíços (Para saber mais sobre os canivetes, clique aqui), chocolates artesanais, souvenires de viagem (todos devidamente estampados com alpes e vaquinhas) e relógios. Esses, vários, de todas as marcas e faixas de preços, de modo que qualquer um pode realizar o seu sonho de desfilar com um relógio suíço no pulso – embora, obviamente, as marcas mais tradicionais estão a preços, digamos, bem alpinos – altos, bem altos.

Em tempo: como viajante cujo bolso é inversamente proporcional à voracidade do meu consumismo, dei uma rodada em todas as lojas de Interlaken como quem não quer nada, mas pesquisando os preços. Resultado: todos os preços de relógios e canivetes, itens mais caros, estão rigidamente oferecidos nos mesmos valores em todas as lojas (não há uma mais barata ou mais cara). Dito isto, para quem quer sentir que está fazendo um bom negócio (que, de qualquer forma, comprar em Interlaken já o seria, visto os preços com que canivetes e relógios são vendidos no Brasil), veja se o seu hotel oferece um voucher de desconto em algumas lojas (o Hotel Krebs oferecia), e confira quais os que aceitam o desconto do seu Visitor’s Card. Não é nada, não é nada, são descontos de 5 a 10% em compras – o suficiente para comprar um bombom suíço depois!

Já os chocolates artesanais variavam de uma loja para a outra, pela própria natureza do produto (e, neste caso, não tem uma melhor do que outra. Afinal, você está na terra do melhor chocolate do mundo, lembra?). E souvenirs variavam muito pouco –  Um íma de geladeira custava uns poucos francos suíços a mais em uma loja, e um postal custava menos em outra. Não sei se é uma economia que justifique ficar rodando a cidade comprando pingadinho de uma loja em loja, mas… para quem estiver disposto, é uma alternativa!

Grindelwald é o lugar ideal para comprar equipamentos de aventura: bastões de caminhada, tênis de trilhas, casacos – vi por ali bons preços e variedades interessantes. É também o melhor lugar que vi para comprar o autêntico queijo suíço – saiba mais aqui!

Quantos dias ficar:

 Ficamos 3 dias, no verão. Muito bem aproveitados, mas dava para ficar bem mais – afinal, Suíça é exatamente como os queijos e chocolates que ela produz – merecem ser degustados com tempo. Dizem que 6 a 7 dias é o ideal para desbravar tudo o que os Alpes tem de gostoso, e isso vale para o verão e para o inverno, quando abrem as estações de esqui e tudo ganha um ar bem mais diferente. Interlaken e o Jungfraujoch são absolutamente diferentes na estação de verão e na de inverno, e por motivos igualmente distintos é um destino imperdível. Só evite as épocas de Março a Maio, geralmente com muita chuva e vento, o que inviabiliza as atividades ao ar livre, o principal trunfo da região.

Passeios:

 Oxe, tem vários! Somente o Top of Europe e o Jungfraujoch valem um dia da sua viagem (ou mais, se você quiser aproveitar para ficar por lá e curtir mais das vistas e das atividades na neve). A fofa cidade de Brienz, perto do lago de mesmo nome às marges de Interlaken Ost, também valem uma visita de um dia: é ali que você conhece Ballenberg, um museu só de casas (programa imperdível com crianças); Dobin uma casa de esculturas em madeira bem interessante, e a rua com as casinhas mais antigas da Suíça (chalezinhos fofos de madeira que datam de 1500 e lá vai bolinhas). Atividades outdoor são um must na cidade, e merecem pelo menos dois dias da sua programação. Neste post é possível encontrar um gostinho do que a região de Interlaken e seus arredores oferecerem, mas à medida que eu for destrinchando cada uma das opções de passeios, vou atualizando os links por aqui, ok?

Outra coisa: como informado ali em cima, é possível separar os passeios e contratá-los junto com o seu “combo”, mas também existe a possibilidade de contratar um guia e fazer um passeio personalizado pelo lugar (alternativa que passa a ser bem mais interessante se você pretende fazer trilhas na neve ou gostaria de um instrutor para esquiar em um local diferente). Fizemos um de nossos passeios com o Martin Gertsch, um suíço que mora em Wengen e conhece os Alpes como a palma da mão. A propaganda, aqui, é absolutamente sincera: cada tour tem como bônus histórias, lendas e curiosidades locais, o que faz uma viagem ser muito mais interessante. A quem interessar possa, o email dele é mgertsch@gmx.net 

[box]

Gostou deste post? Veja nossos outros artigos publicados sobre a Suíça:

Relógio-cuco e caixinhas de música: com quantos paus se faz um belo museu em Brienz, Suíça

Esportes radicais e de aventura: Porque Interlaken é a “Meca” das atividades ao ar livre

Suíça em Pílulas: as vaquinhas, uma legítima Cow Parade e o concurso de Miss…Vaca!

Suíça em Pílulas: 3 histórias de turistas

Jungfraujoch e Top of Europe: Conhecendo o ponto mais alto da Europa

Ballenberg, um museu imperdível em Brienz: imersão de verdade na Suíça do século XVII

Rua Brunngasse: a velhinha enxuta e charmosa de Brienz, na Suíça

Interlaken, Suíça, para iniciantes: dicas mastigadas de hotéis, passes de trem, onde comer e o que fazer por lá

Para ninguém mexer no seu queijo: Visitando uma fábrica de queijos suíços em Grindelwald, Suíça

Suíça em Pílulas: Curiosidades sobre o canivete suíço

Interlaken, Suíça: o que conhecer na região mais democrática dos Alpes

[/box]

Esta jornalista e blogueira que vos fala visitou a cidade de Interlaken em junho de 2012, a convite do Escritório de Turismo de Interlaken, da Jungfrau Railways e do Hotel Krebs.

Comments

35 COMENTÁRIOS

  1. Por favor vou ficar em interlaken 3 dias, posso alugar roupas de frio lá ? E mais queria passear pela região além de ir em Jungfrau, pode me dar algumas dicas ???

    • Oi, Fenelon!
      Não sei dizer sobre roupas de frio para aluguel – eu sei que para compra você acha fácil fácil – mas tem várias dicas de passeios bacanas pela cidade sim! Eu fiz toda uma série especial sobre Interlaken e arredores, com as dicas de como fazer para marcar os diferentes passeios – tá tudo neste link: http://ec2-54-210-88-75.compute-1.amazonaws.com/category/destinos/europa/suica/
      Dá uma olhada nos posts e nos passeios, e marca o que você achar melhor. Eu fiquei um pouco mais de 3 dias pela cidade e amei tudo isso que tem lá!
      Espero ter ajudado! 🙂

      • Olá Clarissa,
        Gostei muito do seu artigo sobre Interlaken! Vamos para lá em Outubro e vc nos ajudou muito! Seria possível vc me mandar por e-mail o contato do guia Martin Gertsch, que vc mencionou no artigo? Muito obrigado!!!

  2. oi, vou estar hospedado em Zurique e queria saber como faço para chegar no “top of Europe”. Se eu não estar pedindo de mais, você poderia me informar os trens que devo pegar partindo de Zurique, terei o SwissPass e se você tiver os preços do que o meu passe não cobre, eu ficaria muito grato. Desde já agradeço. Abraços!

    • Oi, Rodrigo! Vamos lá, vou ver no que posso ajudá-lo!

      1. Primeiro você tem que ir até Interlaken Ost. Você pode pernoitar um dia em Interlaken (altamente recomendado, porque a cidade é uma graça) e fazer tudo com calma. Não recomendo fazer num bate e volta de Zurique, porque só o passeio no Top of Europe demora um pouco, e de Zurique a Interlaken são 2 horas de trem.
      2. Se você pernoitar em Interlaken, você tem direito ao cartão do visitante de Interlaken, que dá direito a andar de ônibus na cidade de graça, mais alguns descontos de comida e compras. Tem mais informações no próprio post sobre isso.
      3. Infelizmente não tem trem direto saindo de Zurique para Interlaken, você tem que fazer uma conexãozinha rápida (que é rápida mesmo) em Spiez, se não me engano, ou Bern, dependendo do trem que você pegar. São mais ou menos duas horas de trem de Zurique até Interlaken Ost (mas escolha o trem rápido). Você pode consultar os horários e preços aqui: http://www.sbb.ch/en/home.html
      4. Aqui nestes posts tem todas as informações como ir ao Top of Europe: http://ec2-54-210-88-75.compute-1.amazonaws.com/jungfraujoch-e-top-of-europe-o-que-conhecer-no-ponto-mais-alto-da-europa/ e http://www.viajenaviagem.com/2011/09/de-interlaken-ao-top-of-europe-pela-jungfraubahn/
      5. De Interlaken Ost tem uns trens especiais que vão até o Top Of Europe. Confesso que eu não sei se o Swiss Pass cobre esses trens, mas imagino que sim (segundo o site deles, o Swiss pass é para qualquer trem dentro do país, então acredito que deveria incluir), mas acho que é melhor tentar confirmar com a própria agência que vendeu o swiss pass e perguntar para eles.
      6. Se você já tem o Swiss pass, talvez você possa comprar um combo que inclui o ingresso ao Top Of Europe e um hotel em Interlaken. Tem alguns combos aqui: http://www.jungfrau.ch/en/tourism/places-to-visit/jungfraujoch-top-of-europe/packages/

      Espero ter te ajudado!! 🙂

  3. Olá Clarissa! Primeiramente gostaria de dizer que dentre os blogs de viajantes que conheço e costumo visitar, o seu se tornou um dos meus preferidos a partir de agora! Quando fiz um tour pela Europa pela primeira vez, com muita dor no coração optei por deixar Suíça de fora do roteiro pois achei que era um país que merecia uma viagem exclusiva para aproveitar ao máximo.. e graças a Deus, neste ano conseguirei fazer isto!

    Cheguei aqui “sem querer” buscando no google informações sobre turismo nos alpes e os seus posts conseguiram sanar minhas principais duvidas sobre esta região. Os outros blogueiros viajantes me bombardearam com mil informações, links e quilometragens, e eu fiquei rodando igual barata tonta sem conseguir definir um “rumo” ou uma cidade para montar base… Mas cheguei aqui e me senti “abraçada”, sabe?! Hehe! Você transmite confiança e doçura, e isto faz toda a diferença quando o assunto é dicas de viagens, não é mesmo?! Identifiquei-me demais com o modo como você se expressa nos posts… foi como ouvir eu mesma dissertando sobre minhas viagens! Hehe! Ri demais lendo alguns posts e me emocionei com outros: acredite, você quase conseguiu me fazer chorar com aquele post sobre Ballenberg.. Sou estudante de arquitetura e apaixonada por restauro de patrimônio histórico, então digamos que aquele museu a céu aberto é como o meu ideal de paraíso na terra (troco todo o acervo modernista arquitetônico brasileiro por um chalézinho com um pé direito menor que minha própria estatura!).

    Mas resumindo (ahaaam), decidi que minha cidade base será Interlaken graças as suas dicas e gostaria de pedir o contato do guia Martin Gertsch (ele fala inglês?). E gostaria também de pedir alguma indicação sua de estação de esqui em interlaken, se tiver.. Quero esquiar até meus joelhos sangrarem (já aconteceu +_o), mas com tantas ofertas de estações, fica difícil decidir a que tem melhor custo-benefício só por fotos lindas!

    Obrigada mais uma vez pela super ajuda.. and Keep on blogging! =D

    • Oi, Rebecca!
      Olha, o que dizer? 🙂 Seu comentário me fez ganhar o dia, a semana, o mês! E fiquei muito, muito feliz em ler cada palavra, porque você não tem idéia de como foi gratificante! Particularmente, sou apaixonada por Interlaken e acho esse pedacinho da Suíça mágico, o que tentei transmitir de coração – idem com Ballenberg, meu passeio favorito por lá, uma aula de história que eu esticaria por dias se pudesse. Mas é aquela coisa: a gente escreve, coloca nosso coração aqui, e quase ninguém lê, ou comenta, ou dá valor. Geralmente os destinos mais comentados são sempre grandiosos e comerciais, como resorts, parques temáticos, grandes capitais européias abarrotadas de turistas, etc. Aí no fim das contas, cantinhos mágicos como esse ficam assim, deixados para lá.. 🙁 Por isso, é muito gratificante ver que você gostou do material de Ballenberg – é um dos meus posts preferidos! 🙂
      Então, o que posso dizer? Volte sempre! Fico feliz de ter gostado do blog – gosto de fazê-lo assim, com carinho, e mensagens como a sua é que são meu melhor “pagamento”!:)

      Mas vamos lá! O e-mail do Martin é mgertsch@gmx.net e o telefone é =41 79 365 2112. Ele fala um inglês impecável e é de uma gentileza absoluta. Gosta de contar histórias e é do tipo que fala qual lado do trenzinho você tem que sentar para pegar a melhor vista. Vale a pena!
      Quanto aos resorts de ski, não sei por nomes porque quando fui lá era verão, mas tem alguns em umas cidadezinhas bem fofas, no alto das montanhas. Um deles é Grindenwald (fica mais em baixo das montanhas, e é linda, linda linda, com lojinhas, cafés, e até a uma fábrica de queijos que menciono aqui) e outra é Mürren, que fica lá no alto e de todas é a mais isolada (lado bom é que a vista é lindíssima, mas o lado ruim é que é isolada mesmo). Acho que o próprio Martin pode te dar mais informações. E tem ainda Zermatt, que não fica perto de Interlaken, mas também é famosa porque tem as montanhas do MAtterhorn, o monte do chocolate Toblerone! Espero que tenha ajudado! 🙂

      E, mais uma vez, volte de novo!! Até para dar sua opinião de como foi – eu adoraria voltar lá no tempo mais frio!

      Beijos!

  4. Ola Clarissa. Tdo bem?
    Antes de mais nada parabens pelo site. Tenho que concordar com a Rebecca na forma como vc escreve e tambem nas informacoes que vc passa. Li alguns sites mas foi aqui que encontrei as informacoes mais relevantes para minha viagem.
    Deixa eu compartilhar com vc um pouco do minha intencao de viagem. Estou indo para Paris dia 29/3, alugarei um carro e partirei para um tour pelos Alpes com minha esposa, pais e um casal de amigos. A ideia e (ate entao) fazer a parte francesa (Chamounix, Annency e demais cidades dessa regiao) e uma vez ali do lado dar um pulinho na Suica. A principio iriamos dar a volta ao redor do Lac Leman mas acabei por acaso encontrando Interlaken e acho que e O destino!
    Queria ouvir sua opiniao a respeito de quantos dias ficar por la, se ha alguma dificuldade de deslocamento com relacao a meus pais (por volta de 65 anos), e sugestao de esquema para pernoite (onde ficar e por quantos dias) nessa regiao? Estamos alugando um carro para ir e voltar a Paris porem, pelo que andei lendo trem e a saida para conhecer os Alpes. Qual sua recomendacao? Estava pensando em cruzar a fronteira e fazer a tal da Glacier Express porem nao sei o quao confortavel sera lara meus pais.

    E isso. Novamente parabens pelo site e agradeco suas sugestoes.

    • Oi, André! Tudo bem?
      Fico muito feliz que gostou do site! Interlaken foi pra mim um lugar muito especial, e procurei descrever tudo bem direitinho de lá – fico feliz que tenha ajudado!
      MAs vamos lá: vou tentar responder aqui suas perguntas!
      EU fiquei um total de 5 dias em Interlaken, considerando a chegada no primeiro dia e a partida no último (ou seja, 4 pernoites e 3 dias inteiros por lá). Acho, mesmo, que foi o mínimo de dias que eu poderia ter ficado, porque o lugar é lindo e se pudesse eu teria esticado para conhecer mais. Então,talvez, você pode trabalhar com essa idéia de tempo.
      Não acho que terá problemas para os seus pais: quase todo o transporte é feito de trem e ônibus, e mesmo sendo muitas montanhas, eles podem ir confortavelmente no transporte dos trens, que é confortável e tranquilo – e toda caminhada que tem entre um lugar e outro não é extensa e feita sempre em bons pavimentos – não há muitas escadas como já foi o caso de outros lugares que fui (e falo isso porque minha mãe tem problemas no joelho).
      O único desconforto que eles poderiam sentir é que nenhum hotel em Interlaken tem ar condicionado (mas aí, na prática, só precisa de ar condicionado mesmo por 10 dias em todo o ano, o resto é sempre fresquinho e gostoso. Eu estava lá nesses dez dias e passei calor, mas você indo em março não vai ter esse problema!).
      Quanto à hoteis, como eu escrevi no post, fiquei no Krebs Hotel e achei ótimo (era confortável, tinha hotel, café da manhã e bar incluído, o que era bem agradável se quisesse aproveitar o dia lá fora e achei o quarto bem gostoso – facilmente levaria meus pais para lá.). Tem também o chiquetoso Victoria Jungfrau, o mais caro de lá (um amigo ficou lá e disse que é ótimo) e tambbém já ouvi muita coisa boa do HOtel Interlaken (perto da estação de trem e de uns jardins lindos) e o Neuhaus (que fica perto do rio e tem uma vista bonita, mas acho ele um pouco mais afastado do resto dos restaurantes).

      Basta clicar nos nomes dos hotéis para ir direto para a página de reservas deles! 🙂

      Dá para ir de carro sim, mas em se tratando de Suíça especialmente, ir de trem é (na minha opinião) a melhor opção porque as paisagens são verdadeiramente cênicas, e o trem passa por uns trechos de montanhas lindíssimas, que nem sempre os carros tem acesso. Se não me engano, a rota de trem por essa região é considerada uma das mais bonitas do mundo (e pelo que eu vi – vim de Munique de trem, direto para Interlaken), não duvido!
      Agora, sim, tem a questão do conforto: minha viagem de trem pela Suíça foi maravilhosa e sem nenhum problemas, mas eu me estressei com assentos marcados e malas quando viajei pela Inglaterra e Itália (precisava marcar assentos com antecedência ou disputar espaços para pro minha mala). Tudo bem, isso foi no verão e tava tudo cheio, coisa que não deve acontecer em março com vocês, mas aí você me permite dar uma opinião bem pessoal? Eu acho que se tivesse que levar meus pais também numa viagem assim (eles tem mais ou menos essa idade), eu reservaria os assentos para eles no vagão vip (ia sair mais caro mas valeria cada centavo) ou iria procurar uma rota de carro que seja pertinho da linha de trem (e aí, eu confesso, teria que procurar melhor para saber, não sei te informar assim!). Mas só para evitar eventuais estresses com o carregar de malas, porque de resto a viagem de trem pela Suíça é tudo de bom!
      Espero ter ajudado! 🙂

  5. Olá Clarissa. Desculpe pela demora.. Semana corrida viu…rsrsr
    Muito obrigado pelas dicas que vc passou. Foram decisivas para fechar o roteiro. Ficaremos 6 noites e 5 dias inteiros em Interlaken. Iremos usar a cidade como base para visitar outras cidades como Lucerna e Bern isso se for possível né… Se tivermos programação para todos os dias lá aí deixarmos a visita a outras cidades para uma próxima viagem.
    Com relação ao transporte eu não tive muita escolha. Vamos pegar o carro em Paris já no aeroporto e devolvê-lo quando estivermos retornando ao Brasil mesmo. Alguns dias ele ficará parado e se tiver que passear pela Suiça o carro vai ficar paradinho mesmo. É o jeito..rsr
    Mais uma vez obrigado pelas dicas!

  6. Oi Clarissa.
    Parabéns pelo site. É muito bem feito e com muitas dicas legais!
    Estou indo para suiça e vou fazer o passeio “Top of Europe”. Vou ficar duas noites em Interlaken, no final de março e terei um dia para fazer o passeio. Gostaria de saber se devo me preocupar em comprar com antecedencia ou se posso chegar no dia em comprar sem preocupação dos trens ja estarem lotados.

    Desde já agradeço
    Abraço

    • Rodolfo, Março é baixa temporada e pode ser que haja bilhetes disponíveis sim. Por outro lado, para curtir bem é melhor pegar o passeio bem cedo, e para estes horários de trens mais cedo pode ser que esgote. Se você tem pouco tempo por lá, o mais seguro seria garantir, não?

  7. Clarissa
    Estamos planejando ir a Suíça no mês de abril, depois de passar por algumas cidades da Itália. Pretendemos ficar baseados em Berna (3 dias) e a dúvida é se dá pra fazer um bate e volta até Interlaken de trem. Tem ideia de horários?
    Vamos meio na base da aventura, sem falar uma palavra de alemão e arranhando no Inglês, mas blogs como o seu nos deixam com aquele gostinho de querer aventurar. Abração.

    • Olá, Marcelo! Os trens partindo de Berna a Interlaken tem mais ou menos a duração de uma hora e aqui neste link você vê os horários disponíveis. Já de Interlaken ao Jungfraujoch (a principal montanha de lá) o sistema de trens é diferente, e você deve achar os horários aqui. Repare que tem que sair de Interlaken Ost até o Jungfraujoch.
      Dá tranquilo para ir sem falar alemão, pois a Suíça é toda muito organizadinha, e o pessoal de Interlaken é uma simpatia! Só dou uma dica que, já que vocês vão ficar em Berna, procurem fazer os passeios cedo, para aproveitar bem o dia!

  8. Boa noite Clarissa, adoramos o blog sobre Interlakem. Vamos ficar apenas uma noite e um dia lá e queremos chegar ao TOP OF EUROPE. Por favor, pode nos dizer quais os trechos que devemos comprar passagem dos trens?

    • Olá, Antônio! Fico feliz de ter gostado do blog! 🙂

      Para ir de Interlaken Ost até o Top of Europe, qualquer agência lá pode indicar o bilhete de trem completo, com todos os trechos (acho até que há um pacote para isso). Mas de qualquer modo, você pode fazer por dois trechos:
      Interlaken Ost -> Lauterbrunnen -> Kleine Scheidegg -> Top of Europe
      Interlaken Ost -> Grindelwald -> Kleine Scheidegg -> Top od Europe (essa demora mais, mas é linda, linda, linda!).

      Uma dica (que foi o que eu fiz): fiz a ida por Lauterbrunnen e a volta por Grindelwald, onde aproveitei para conhecer uma fábrica de queijos fofíssima que tem por lá. Assim, você acaba conhecendo dois lados do vale, que é lindíssimo, e vale a pena!

      Espero ter ajudado!

  9. Olá Clarissa. Tudo bem ? Eu de novo. Esta chegando perto a viagem e ainda faltam algumas coisas para fechar. Estava pesquisando os passeios e me deparei com diversas alternativas e ai nao tem jeito. Sinceramente nao sei o que fazer…rsrsr

    Estarei chegando a Interlaken pela França de carro e pretendo ficar 5 dias por lá usando a cidade como base para conhecer Luzern e Bern. Como vou conhecer essas cidades estou querendo achar o melhor custo x beneficio. Estou pensando em deixar o carro em Interlaken e fazer todo esse roteiro de trem para com isso tambem conseguir um preço bacana no Jungfrau… Porém, sinceramente, achei um pouco confuso e nao consegui encontrar algum bilhete que seja o mais apropriado para minha necessidade…

    Entãooo…. Será que rola uma ajudinha ? rsrrs Oque vc acha ? Estamos indo em 6 pessoas com 1 carro. Como funciona o Swiss Pass ? Vc recomenda algum ticket que possa usar durante os dias em que estivermos lá e que compense para fazer o passeio ao Jungfrau e também outros passeis como o monte Rigi em Luzer, etc…

    Agradeço pela ajuda mais uma vez.

    André

  10. Olá Clarissa!
    Obrigada por ter um Blog tão legal.
    Somos um casal de 60 anos, não falamos inglês, mas nos viramos , vamos ficar em Berna por 3 dias, gostaria de fazer um bate-volta á Interlaken, e tentar fazer o Top Of Europa. Minha duvida: essas paradas e trocas de trem até o Top quanto tempo podemos ficar em cada cidadezinha? o cambio de euro por franco é feita com facilidade por lá e a troca é justa? Iremos em agosto será que terá neve no topo nessa época? Se puder me responder eu agradeço.
    Grata
    Sueli

    • Sueli, tudo bem? Que bom que você gostou do blog, fico feliz com suas mensagens!
      Olha só: considere que para fazer o Top of Europe, o passeio todo considerando a subida por Interlaken e percorrendo tudo sem pressa, curtindo, dá uma média de 5 horas o passeio. Se você vai de Berna para lá, acrescente uma hora de trem (acho que é isso, não lembro). Ou seja, dá para fazer numa boa (se você acordar cedo e ficar de olho nos horários dos trens!).
      As cidadezinhas por onde você passa são LauterBrunnen (que é fofa, mas não dá para ficar muito tempo nela não, se você estiver fazendo só um dia ao Top of Europe), Grindelwald (essa dá para ficar um tempinho, porque tem conexões de trem lá. Veja se dá para você ficar pelo menos uma hora por ali, acho que é a cidadezinha mais fofa que tem, e tem uma fábrica de queijos super bacana e artesanal ali!) e Kleine Scheidegg (você também deve ficar em torno de meia hora nessa, para pegar as conexões. Válido, mas não tem muita coisa para ver).
      Eu não sei como está o câmbio por lá, porque quase tudo eu paguei com cartão de crédito, e achei que foi um bom procedimento, mesmo com todos os IOFs da vida: me poupou do trabalho de ficar pensando o tempo todo no dinheiro, controlando, e depois morrendo com um monte de moedinha em francos. Por isso, não prestei atenção se tinha muita casa de câmbio, mas certamente deve ter, já que a cidade é super turística. Mas se você quiser levar só cartão de crédito ou débito, é uma boa também!
      Eu fui em julho, no dia mais quente do ano segundo eles, e mesmo assim tinha neve lá no topo – então acredito que em agosto você deve ver neve também!
      Espero ter ajudado! 🙂

  11. Clarissa!
    Obrigada pelo seu retorno.
    Sabe me informar se na estação central de Berna é vendido o trem para o Top of Europe? estou pensando em comprar um dia antes do passeio. Será que corro o risco de não encontrar esse bilhete, irei em agosto.
    Obrigada
    Sueli

  12. Oi Clarissa tudo bem?

    estou querendo visitar a Suiça de 09 a 26 de Março mais estou com receio de não pegar temperaturas baixas, voce pode me ajudar informando qual clima posso encontrar.
    Infelizmente só tenho esse periodo para ir, pois sei que como adoro frio o ideal seria janeiro ou fevereiro.
    Por gentileza se possivel voce pode enviar a resposta por email.

    Feliz 2016 Saude paz e alegria

    Abs Marcelo

    • Oi, Marcelo, tudo bem?
      Então… Março provavelmente ainda deve estar frio por lá sim, uma vez que a temporada de esqui costuma terminar no início de abril. De qualquer modo, mesmo que não tenha neve na cidade (mas que acho que vai estar fria mesmo assim), certamente terá nas montanhas! Eu fui em julho (auge do verão deles) e ainda assim peguei neve no Top Of Europe (só não era o suficiente para esquiar!).
      Um abraço,

      Clarissa

  13. Oi Clarissa!
    Parabéns pelo blog! Muito completo e com informações muito claras, passando muita confiança! Virei fã!
    Gostaria de uma informação, se possível.
    Farei uma viagem com o meu namorado pelos alpes franceses em fevereiro e optamos por ir para Suíça por 4 dias (infelizmente, poucos dias). Pegaremos o Golden Pass Line e pensamos em ficar hospedados em Interlaken. Gostaria de saber se é viável usar a cidade como base e fazer bate-volta para conhecer Berna, Lucerna e Zermatt. Ou sugere outra cidade na Suíça como base para esse roteiro?
    Desde já muito obrigada e mais uma vez, parabéns!

    • Oi, Marina!
      Obrigada pela visita e comentário!

      Eu não conheci Lucerna e Zermatt, então não sei como dizer sobre essas distâncias! 🙁
      Mas eu sei que de Berna a Interlaken Ost é 50 minutos de trem, então daria para fazer esse bate e volta entre as duas (conheci alguns suíços que moravam em Berna e trabalhavam em Interlaken).

  14. Olá Clarissa!
    Li todos os seus cometário e tive grande proveito.
    Estou indo em maio par Suiça vou hospedar-me 7 dias em Interlaken e de lá faço os roteiros de visitação para outas cidades (Berna, Lucerna, Zermatt e pretendo conhecer a Floresta negra) e lógico incluíndo Zurique. É possível fazer esse roteiro em 7 dias? Outra coisa é muito complicado para pegar o trem de Zurique onde é minha chegada até Interlaken? Será que você teria a indicação de algum guia de turismo(português) para acompanhamento?

    • Oi, Ladir!
      Respondi seu comentário ali no outro post sobre guias em português – infelizmente, não conheço e não sei se eles tem!
      Mas eu fiquei 3 dias em Interlaken (três dias inteiros, sem deslocamentos) e consegui conhecer as cidades ao redor, mas nenhuma dessas que você quer. Talvez fique muito corrido fazer tudo isso em poucos dias?
      Berna e Interlaken dá para fazer usando uma ou outra de base. As coisas, acho que já fica corrido demais, não?
      E não, tem um trem de Zurique a Interlaken, você só precisa fazer uma baldeação fácil (que não leva nem 4 minutos). É uma hora, mais ou menos, de uma a outra…

  15. Vou ficar 7 dias em Interlaken, você teria algum guia de turismo Portugues para indicar?
    Minha chegada será por Zurique é difícil a localização de partida do trem para Interlaken?

    • Ladir, infelizmente não conheço nenhum em português, não sei se eles tem – na época que fui, eu não tinha! Mas num dos dias em que eu estava lá fiz um tour com uma guia em espanhol, isso ajudaria? Para contratá-la, você pode fechar o passeio direto com a secretaria de turismo de Interlaken!

  16. Olá Clarissa, estou amando seus comentários os quais certamente serão muito úteis! Inclusive já peguei suas dicas nas paradas do navio em Santorini e Corfu.
    Estaremos em julho passeando pela Suíça, antes de pegarmos o navio em Veneza. Ficaremos 2 dias em Interlaken. Você acha necessário comprarmos com antecedência as passagens de trem para subir ao Top of Europe e Jungfraujoch? Em caso positivo, como posso comprar com antecedência do Brasil? Vamos eu, meu esposo e minhas filhas de 7 e 11 anos. Muito obrigada!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui