——— Atualizado em 6 de junho de 2017———

Atire a primeira sacola de compras quem nunca falou mal de fazer compras no Paraguai sem nutrir, nem que secretamente, lá no fundo, uma vontade doida de dar umas voltinhas por lá…

Fique tranquilo, você não é o único a pensar assim. Durante anos o Paraguai sofreu do estigma de paraíso de produtos falsificados e do sinônimo de má qualidade. Porém, graças ao desenvolvimento de várias iniciativas comerciais por lá, a coisa não é mais bem assim. Ou, pelo menos, nem tanto. Lojas de produtos originais podem ser encontradas e facilmente reconhecidas, mesmo dividindo lado a lado o espaço com falsificações, cacarecos e similares. Mas ainda assim dá para encontrar opções boas.

Só que, como toda zona franca, tem seus achados e suas roubadas e suas características especiais até na hora de ir e voltar de lá, e quem já sai de antemão com algumas dicas na manga pode se dar bem nas comprinhas.

E sem o medinho de entrar procurando um Whisky Johnny Walker e sair levando um Juanito Caminador…

Por isso, antes de irmos às compras, eis algumas observações que tive por lá…



Booking.com



Booking.com

Levar dólares ou reais?

Na época em que eu escrevi este post, minha sugestão de outro era levar dólares. Hoje algumas coisas mudaram, de modo que eu vou ilustrar algumas possibilidades aqui:

A melhor opção: levar reais e trocar por dólares em Ciudad del Este

Porque: Eu fiz uma pesquisa rápida com pessoas que foram lá recentemente ou quem trabalha por lá e eles disseram que a situação mudou muito – Ciudad del Este está cheia de casas de câmbio mais confiáveis, só que lá tem a diferença de você não ter que pagar impostos extras ao trocar o dinheiro – ou seja, você acaba tendo um retorno maior em dólares dos seus reais.

Onde: Tem várias casas de câmbio em Ciudad del Este, algumas na própria Monsenhor Rodriguez, que é a rua principal por onde chegamos (onde está o Shopping del Este, a Monalisa, etc).

Veja no mapa: os pontos em verde são as casas de câmbio confiáveis, e em vermelho são os principais shoppings e lojas. Dá para ver que é bem pertinho!

Algumas das casas recomendadas são:

Câmbios Alberdi: Há duas filiais na rua Adrián Jara, que é a paralela à Monsenhor Rodriguez, a principal da cidade. Para quem quer comprar equipamentos fotográficos, a Câmbios Alberdi fica mais próxima da MonteCarlo, loja especializada em foto.

Fortuna Câmbios: é a loja mais perto da Monalisa.

Mercosur Câmbios: Também tem duas unidades, uma delas no quarteirão seguinte à Fortuna.

Yrendague: Também tem duas unidades, sendo uma no Shopping Vendôme (se você não quiser trocar nas lojas de rua)

La Moneda: Outra opção com loja de rua.

Eu procurei uns comparadores de cotações ao dia das casas de câmbio em Ciudad del Este e não achei um que me convencesse que é confiável/atualizado. Então eu sugeriria clicar nos links acima e e ir comparando as melhores cotações! 🙂

2ª opção: Pagar em reais (dinheiro vivo) direto no caixa das lojas

Porque: a maioria das lojas em Ciudad del Este aceita reais, e você pode pagar em dinheiro vivo com elas. Só tem um detalhe: elas costumam usar a cotação do dia (de real para guarani ou para dólar), mas em geral é uma cotação menos vantajosa do que a praticada pelas casas de câmbio. Isso significa que, na hora do pagamento, o seu produto pago na boca do caixa da loja diretamente em reais terá um preço um pouco mais alto do que o que seria se você estivesse comprando em dólares, dinheiro vivo.

Importante: Essa dica pode mudar de um dia para outro dependendo da cotação, mas como regra geral (em qualquer país que eu tenha viajado), comprar em moeda estrangeira direto no balcão da loja sempre tem uma cotação desvantajosa em relação à loja de câmbio. Então a dica é: dá para comprar em reais direto na loja sim (e pode ser uma boa se você estiver com o tempo curto), mas tenha em mente que o valor não será o mesmo.

3ª opção: levar reais e comprar dólar em Foz

Porque: Assim como Ciudad del Este, há várias casas de câmbio confiáveis em Foz do Iguaçu também (ou em qualquer lugar do Brasil), mas em todas elas você precisa pagar os impostos obrigatórios por lei, do IOF. Por isso a sugestão de comprar no Paraguai por ser a melhor alternativa.

4ª opção (evite): Pagar com cartão de crédito

Porque: ao pagar com cartão de crédito há sempre o acréscimo de uma “taxinha” de 8 a 10% por cento do preço do produto. Se você ainda considerar que está pagando em moeda estrangeira – e portanto vai rolar um IOF na sua fatura assim que chegar no Brasil – aquele produto que estava baratíssimo acaba nem saindo tão barato assim…

Em termos de custo benefício, é a pior troca. Faça isso só se você não tiver dinheiro vivo, for uma emergência – ou faça se preferir pagar com cartão do que andar com dinheiro vivo, mas esteja ciente de que é a opção mais desvantajosa.

Resumo: se é para aproveitar os preços de verdade, aposte nos dólares ao vivo, trocados nas casas de Ciudad del Este (que, se bem guardados junto com você, não tem perigo). E você ainda ganha tempo na boca do caixa das lojas.

Veja também: Seguro de viagem obrigatório com desconto

Os preços no Paraguai valem a pena?

Relativo. Vamos lá:

  • Em geral: eu achei os produtos do Paraguai mais baratos que no Brasil mas menos negócio que os vendidos nos Estados Unidos. Então, se você tiver viagem marcada para  a terra do Tio Sam, ou conhece alguém que esteja indo, vale mais a pena deixar para comprar lá do que ir ao Paraguai só para isso.
  • Câmeras, artigos de fotografia: artigos como mochilas, tripés e acessórios eu encontrei bons preços, se comparado ao Brasil. Já as câmeras em si eram ligeiramente mais baratas que no Brasil, mas não foi nada “Oh, meu deus, que imperdível”. Não acho que compensaria uma viagem ao Paraguai só para comprar isso, por exemplo (a menos que a sua idéia seja passear pelas Cataratas e pela Argentina também).
  • Computadores: Idem.  Achei notebooks mais baratos que no Brasil, mas também não era uma diferença que fizesse valer a pena topar a transação. Por exemplo, no caso de computadores especificamente eu acho que valeria mais a pena comprar no Brasil e parcelar a perder de vista (coisa que não dá para fazer no Paraguai) e garantir que você tem nota fiscal brasileira (não dá problemas na hora de viajar com o produto para o exterior), assistência autorizada, garantias, etc. Sei lá, minha opinião.
  • Acessórios de informática (HDs, webcams, etc): Isso eu já achei que valia a pena!
  • Produtos de luxo, como sapatos, blusas, perfumes: acho que tem bons preços sim, mas também tem muitas falsificações, de modo que a regra é: se o preço é bom demais, desconfie.
  • Produtos xingling: Sim, esses são baratíssimos. Mas você não vai até o Paraguai só para comprar eles, né?

Importante: essa minha opinião sobre o que vale a pena ou não é com base em quem vai comprar produtos para consumo próprio, como turista (o que foi o meu caso). Por favor, não pergunte sobre se vale a pena comprar para revender, coisas do tipo. Isso é uma dinâmica totalmente diferente que eu não domino e sequer faço idéia – fora que a Receita Federal tem o olho treinado para identificar compras de produtos destinados à revenda, e apreender o que é feito ilegalmente.

 

O que vale a pena comprar no Paraguai?

Perguntinha complicada, pois depende de cada um. Mas vou dar minha opinião.

Perfumes e maquiagens: Se for comprar no Paraguai, prefira a Casa Nippon, Macedônia e deixe a Monalisa, que é famosa mas é cara, só para conferir as promoções. Mas o Diego deu uma dica de ouro de ouro aqui na caixa de comentários: se você estiver fazendo turismo por Foz e for para o Dutry Free de Puerto Iguazu também, deixe para comprar lá, que você pode pagar no cartão, já que eles não colocam a taxa extra de 5 a 10% que há no Paraguai. E ainda dá para guardar seus dólares em dinheiro vivo para gastar no Paraguai com outras coisas.

Bebidas: O que falamos sobre perfumes também vale aqui. Prefira o Duty Free da Argentina. Segundo o Diego, o estoque é melhor por lá também.

Acessórios de informática e fotografia: HD externos, artigos para videogames, filtros para lentes, mochilas etc… Vi muita coisa que eu gostei. Mas o Diego deixou outra dica: “aproveite as lojas médias de bugigangas para garimpar coisas boas. Comprei uma caixa de pilhas Panasonic, tipo AA, por US$ 10,00, vindo 80 pilhas”. Segundo ele, materiais de escritório também são uma boa pedida.

Roupas de Marca: há algumas barbadas em lojas como a Monalisa (em geral cara, procure as promoções) e o Shopping Vendôme. Mas tem que rodar.

Materiais de decoração e construção (DICA MARAVILHOSA): Foi, disparado, o que eu achei que mais valia a pena por lá. Pratos, sousplat, conjuntos de copos chiquetosos, papéis de parede maravilhosos, luminárias, até material de obra como torneiras e coisas do tipo… tudo baratíssimo. Lojas que eu amei: Diva e A&D. E eis outra dica do Diego que corrobora o que eu falei: “uma dica de ouro: ferragens de casa, lustres e objetos de decoração. Tudo isso no Brasil é um assalto, lá dá para comprar por 20, 30% do valor vendido aqui. Dois exemplos: uma torneira gourmet que na Leroy custava exatamente R$ 1.190,00, lá paguei US$ 150,00. Um lustre completo que na mesma loja citada custava R$ 2.500, paguei US$ 380,00. Tem de tudo, como cubas suspensas de vidro, torneiras de banheiro, porta toalhas, coifas, etc etc. Lojas: A&D, Diva, Setga, Casabella.”

Se você está indo ao Paraguai com crianças: vá no Paris Ciudad del Este

Foz do Iguaçu tem crescido bastante suas ofertas de atrações para crianças, deixando os pequenos bem entretidos – de modo que abrir mão de tudo isso para acompanhar um dia intensivo de compras para Ciudad del Este deve ser um suplício para os pimpolhos (e uma prova hercúlea de paciência para os pais).

Então caso você precise de uma dica de um programa para crianças (seja para servir como prêmio se eles toparem a maratona ou para deixar eles se divertindo sob a supervisão de um dos pais enquanto o outro vai às compras) fica a dica: dê uma passada no shopping Paris Ciudad del Este, o novíssimo shopping que abriu por lá.

A dica em si não é por causa das compras em si (embora tenha uma autorizada da Apple por lá que pode ser interessante para os pais) mas sim pelas atrações para os pequenos: há um Snowpark (mesma linha do Snowland, em Gramado) e um Museu 3D, ambos bem falados como atrações para famílias.

Aviso: essas atrações são novíssimas e eu não fui em nenhuma das duas. Quem me passou a dica foi a Sut-Mie do blog Viajando com Pimpolhos, especializado em viagens com família (ela também não foi, mas muitos leitores foram e voltaram contando!). Para quem quiser saber mais detalhes, tem um vídeo do Snowpark feito pelo Compras Paraguai que dá detalhes do que o parque oferece, e esta matéria da TV Tarobá de Cascavel mostrando o Museu 3D.

Eu peço um super favor: se você for lá, deixa uma mensagem aqui na caixa de comentários me contando como é? 🙂

O Shopping Paris fica na Avenida Doctor Luis Maria Argaña, a 6 minutos a pé do Shopping del Este.

Como confiar se os produtos do Paraguai são originais?

 

Tem lojas com produtos originais lá sim, assim como também tem os falsificados – e há formas de identificar qual é qual.

Regra 1: Aposte nas autorizadas

Algumas lojas são autorizadas e vendem produtos com notas fiscais, tudo certo. São elas:

Computadores: Compubrás, Mega10 e Excell (dica do Diego)

Fotografia: Prodigital e MonteCarlo. Eu comprei minha câmera na primeira.

Produtos de Luxo: Sax

Celulares: Cell Motion, Centro Motorola, Dubai Center e Golden Time. Todas ficam na galeria Jebai Center, que é considerada a melhor para celulares.

Decoração: A&D, Diva, Setga, Casabella.

 

Regra 2: Desconfie se o produto estiver muito barato

Uma dica que eu dei no posto original é escolher o modelo certinho do item que você quer e sair rodando as lojas e perguntando o preço. No Shopping Ciudad del Este rodei todas as lojas perguntando o preço de um mesmo HD, e encontrei diferenças boas de uma loja para outra. É possível achar boas ofertas assim.

Porém, suponha que você faz isso com um item X e visita 5 lojas. A primeira diz que o preço é 100 dólares, a segunda cobra 95, a terceira cobra 103, daí você chora na quarta e consegue por 93, e encontra a quinta loja que diz que faz por 70 doláres.

Não parece estranho? Uma variação de 30% num valor em que você já viu que a maioria das lojas não consegue oferecer?

É aquela coisa: se a oferta parecer boa demais, confira como está a oferta da vizinhança. E se for generosa demais, desconfie.

Ah, e uma coisa importantíssima: sempre teste os produtos, e sempre peça para ver o produto na hora em que ele é embalado, para ter certeza de que você está levando para casa o mesmo item que pediu, testou, comprou. Outra coisa: fique atento aos “produtos alternativos” – gente tentando te empurrar um produto que não é exatamente da marca que você pediu “mas funciona igualzinho”.

 Acho que a regra de ouro aqui vale para qualquer caso: desconfie se o produto original estiver “barato demais”, e não tenha medo de verificar o produto detalhadamente antes de levar.

Regra 3: Ignore camelôs e gente que te aborda na rua

Quase todos recebem comissões pelas recomendações e estão ali para catar turistas desavisados. É onde estão a maioria dos golpes. Ignore solenemente.

Outra coisa: se o camelô estiver vendendo um item “original” que parece muito barato para ser verdade, é porque é mesmo. Como eu falei ali em cima, não existe milagres – e os camelôs de rua no Paraguai é que vão parecer terem as melhores ofertas e os melhores preços. Não acredite.

Dica final: se estiver cheio de sacolas, fique de olho em todas ao carregá-las no meio da rua. Não ouvi relatos de que as pessoas vão te assaltar na cara dura, mas é aquela coisa: rua cheia de gente que está cheia de sacolas é um prato cheio para os furtos e golpes. Sabe aquele cara que te aborda super simpático? Pois é, um outro cara pode estar fazendo a limpa em uma das suas sacolas entreabertas nos poucos segundos em que você se distrai.

 É perigoso fazer compras em Ciudad del Este?

É como qualquer grande centro de compras. Imagine um Saara (RJ) ou uma 25 de março (SP) nos dias pré-Natal: leia-se cheios de gente, e aquela certeza no ar de que todo mundo ali acabou de receber o décimo terceiro e (em tese) está cheio da grana, com dinheiro vivo no bolso, pronto para gastar. Isso não quer dizer ficar paranóico sobre ser assaltado à luz do dia, mas é super recomendado, sim, ficar de olho nas suas compras, nos seus pertences, nos possíveis golpes.

Sendo sincera, eu não senti, ao andar por lá, um medo como o de andar em uma cidade perigosa, como se algo fosse acontecer comigo. Nem um pouco.

Mas, sim, é um lugar muito cheio, com muitas pessoas diferentes andando rápido para todas as direções, com muita gente levando muita sacola, muita gente se esbarrando.

Sobretudo, muita gente andando para cima e para baixo comprando itens de valor alto para lá e para cá. Nesse ponto, sim, é preciso ficar de olho nos seus pertences para não perder de vista, ou para não deixar alguma bolsa aberta de bobeira que possa fzer a alegria de algum larápio em um momento de distração.

Fazendo isso, dá para curtir e fazer suas compras sem tensão. Boa sorte!

Como ir para o Paraguai

Para quem vai de carro:

No post original, eu não recomendava ir de carro. Desde então, recebi alguns depoimentos e dicas com prós e contras sobre ir de carro, de modo que eu achei que deveria colocar as opções para vocês:

Entrar com o carro no Paraguai: 

Prós: O Diego, que já foi várias vezes ao Paraguai e deixou várias dicas preciosas aqui na caixa de comentários, disse que não há o menor problema em ir de carro. Segundo ele, “o trânsito não é pior que o do centro de São Paulo. Estacione no Shopping de Leste, que não terá qualquer problema. Logo que passar a aduana paraguaia, no primeiro retorno você cruzará a avenida e dará de cara com o shopping, mais 300 metros vire a esquerda cruzando a via e estará no estacionamento”.

Contras: Vi relatos de quem não recomendava a ida pelo engarrafamento na ponte e pela insegurança do trânsito (o que de fato é uma zona. Há motoqueiros para todo lado, há muita gente, muito carro e pouca regra, e quando batidas acontecem são chatinhas de resolver).  A verdade é que isso também pode acontecer em qualquer destino, mas de qualquer modo é legal se a gente puder se poupar desse estresse. Quem preferir evitar entrar de carro pode estacionar o carro no lado brasileiro e seguir a pé pela Ponte da Amizade (a travessia dura 20 minutos), e voltar.

 Aqui embaixo você pode ver um mapa com os estacionamentos em Foz mais próximos à ponte. São eles:

Estacionamento Bismillah: São dois na Rua Osvaldo Cruz, números 353 e 368

Estacionamento Fortaleza: R. Fagundes Varela, 118

Estacionamento Ferrari: R. Cruz e Souza

Estacionamento Santana: R. Carlos Souto Maior, 151

Estacionamento Silva: R. Olavo Bilac, 214

Importante!

Não pode:  Não dá para alugar carro em Foz e entrar no Paraguai (que eu saiba, a maioria das locadoras não permite).

Pode: Alugar o carro para fazer turismo em Foz do Iguaçu e Argentina. A maioria das locadoras permite isso e, de qualquer forma, é a melhor forma de explorar a cidade com liberdade e sai mais em conta que pagar os transfers patra as atrações. Você pode alugar um carro na hora em qualquer locadora no aeroporto de Foz, mas uma dica é reservar com a neste link com a RentCars pela internet – dá para parcelar em 12x e em reais, sem acréscimo de iOF. E na hora de ir ao Paraguai, deixe o carro no estacionamento do lado brasileiro e atravesse a ponte da Amizade a pé. Ou ainda, alugue um transporte organizado, que explico abaixo.

Para quem prefere ir com transporte organizado:

Na época, eu fui com o serviço de Leva-e-Traz da Loumar Turismo. Funciona assim:  uma van que leva você lá para fazer as compras, deixa atrás do Shopping Del Este, este já um dos pontos para começar a comprar (os horários de saída são 08h, 09h, 10h, 11h, 13h e 15h). Aí você fica perambulando pela cidade, livre leve e solto, à vontade para fazer as compras que quiser, pois quando bater a vontade de voltar, é só ficar atento aos horários de retorno (10h30, 12h, 14h, 16h e 17h) que a van vai passar no mesmo ponto de encontro e levar de volta direto para o hotel (tenha em mente que as vans atendem em vários hotéis, entáo é preciso ficar de olho nos horários de saída para não perder).

Custa 40 reais por pessoa – bem, esse era o preço da minha época, confira os preços atualizados aqui. Eles ainda dão indicações de lojas para comprar (estas, por exemplo).

Prós: você tem várias opções de horários se quiser voltar antes, além de ir voltando no ar-condicionado da van, descansando da maratona sem se preocupar em dirigir. Uma benção especialmente nos dias em que Foz do Iguaçu vira “Forno do Iguaçu” – você dispensa o suplício de atravessar 20 minutos a pé na ponte assando o cangote debaixo de sol. Fui nesse e, particularmente, achei um bom negócio.

Contras: Como a van para em vários hotéis devolvendo as pessoas, a volta pode virar o famoso “ônibus cata-corno”. Peço perdão da expressão, mas você entendeu o que eu quis dizer! 😜

Onde se hospedar em Foz do Iguaçu

Muita gente me pergunta se compensa mais ficar em um hotel em Ciudad del Este ou em Foz do Iguaçu e atravessar a fronteira. E a resposta é, de longe, que o melhor é se hospedar em Foz. Primeiro, porque a opção de transporte de ida e volta à Ciudad del Este é enorme, e Foz tem estrutura hoteleira muito melhor e mais simpática.

Ciudad Del Este até tem partes interessantes, mas ficam todas longe da área de compras e não é um bom negócio para quem quer fazer compras e turismo. Então, bem… acredite: melhor mesmo é ficar em Foz.

Se você quer uma viagem em conta:

Prefira o centro da cidade, com tudo perto: A segunda vez que fui para o Paraguai eu me hospedei no centrinho da cidade, o que foi muito conveniente já que eu estava a pé. Nas ruazinhas do centro tem farmácia, lojinhas, restaurantes, lanchonetes e tudo o que você precisa a uma curta caminhada. Ótimo para quem não estará com carro.

Hotel Águas do Iguaçu: Bom e barato, foi onde eu me hospedei da segunda vez. Não tem frufru, mas é confortável, super conveniente e ótimo custo benefício. Diárias a partir de R$ 160.

Golden Park International Foz: Também super no centro, tem lanchonetes e restaurantes bem ali na esquina. Já tem uma área de lazer bem legal, com piscina enorme e salão de jogos. A partir de R$ 176.

San Rafael Comfort: Hotel mais bacanudo do centro, fica a duas quadras do shopping e tem o selinho de “fabuloso” no Booking.com. Para quem ama cafés da manhã generosíssimos, aqui é uma ótima pedida. Diárias a partir de R$ 128 (ótimo custo benefício!).

Se você quer estrutura para crianças:

Foz tem várias opções com estrutura de parquinhos e piscinas para as crianças. Agora tem uns resorts novos super bem recomendados por lá:

Bourbon Cataratas: É disparada a melhor opção para crianças. O hotel possui piscinas, espaço Turma da Mônica, salão de jogos (para crianças dos 6 a 60), trilha ecológica e spa, para quando os pais precisarem de uns mimos. Para tudo o que oferece, tem um excelente custo benefício: diárias a partir de R$ 386.

Recanto Cataratas: Tem uma piscina gigantesca e preços com ótimo custo benefício. É indicado para famílias com crianças mas vai muito, muito bem para casais em lua de mel também.

Mabu Thermas: Esse resort fica em cima de um aquífero que permite com que o hotel ofereça várias piscinas térmicas. Tem bar molhado, parque aquático infantil, banheiras de hidromassagem ao ar livre… Enfim, ótimo para quem gosta de atividades molhadas. Diárias a partir de R$ 471.

Hotel Nacional Inn Iguaçu: opção mais barata entre as demais, tem um parquinho infantil modesto, áreas de psicina com tobogã e quartos bacanas. Diárias a partir de R$ 150.

Se você prefere um hotel a dois mais confortável

Os resorts de cima também servem, mas há também ótimos hotéis para casais (em lua de mel ou não) nos arredores, mas você pode precisar de carro para passear. Esses são boas pedidas:

Hotel Bella Itália: Fiquei lá na primeira vez, a convite da Loumar Turismo. O hotel é bem confortável, o café da manhã é colonial e um escândalo de gostoso (coma o crepe de chocolate). O estacionamento é gratuito, mas como o hotel fica ao lado da Loumar, é bom para fazer turismo com a família mesmo sem precisar de carro. Dependendo do dia da semana, o hotel organiza jantares especiais como a Noite Italiana, só de massas e vinhos. Diárias a partir de R$ 165.

Wyndham Golden Foz Suítes: não fica muito longe do centrinho (dá para ir a pé) e tem uma proposta 4 estrelas, mais voltada para casais. Estacionamento é pago à parte, infelizmente. Diárias a partir de R$ 282.

Belmond Hotel Cataratas: Esse é o hotel mais chique da cidade, com 5 estrelas e super romântico. Para quem quer ficar literalmente de frente para as Cataratas do Iguaçu. Só que as diárias acompanham o glamour da vista: a partir de R$1.442.

Se você só está indo para comprar 

Não acho que valha a pena se hospedar perto da Ponte da Amizade: Eu particularmente acho que as compras no Paraguai não valem a pena tanto assim para viajar até lá só para comprar – fora que é um desperdício ir até Foz e não curtir as Cataratas e os parques por ali, que são lindíssimos, e a chance de poder curtir um destino turístico no Brasil organizado e de alto padrão. Fora que as opções de hotel não são legais e nos arredores não tem muita conveniência para comer e tal. E a diferença de preço nem é tanta assim, de modo que eu sugeriria considerar hotéis no centrinho de Foz mais agradáveis, como o San Rafael Comfort que tem umas diárias mais camaradas e um custo benefício melhor.

Perto da rodoviária de Foz: Aqui a grande vantagem é ficar de frente para a rodoviária da cidade, o que é bom para quem quer descansar até o último minuto antes de pegar o seu ônibus ou só vai fazer um bate e volta rápido na cidade e só. Tem dois hotéis relativamente bons ali perto: o Hotel Luz, com diárias a partir de R$ 116 (que foi reformado e hoje tem área de lazer, com piscina e hidro) e o Hotel Cataratas  com diárias a partir de R$ 105 (mas eu acho o Hotel Luz melhor!).

Onde comer em Ciudad del Este:

Eu comi (bem) nas praças de alimentações dos shoppings. Os restaurantes que ficam no último andar do Shopping Ciudad Del Este oferecem várias opções (na época eu fui num restaurante que oferecia carne na chapa e batatas fritas, em porções bem generosas e gostosinhas. nas praças do shopping Ibiza e Vendôme tem boa opções de buffet, inclusive com comida caseira brasileira.

Quem quiser comida japonesa pode ir no restaurante da Monalisa (são dois, na verdade, sendo que há um outro que oferece comida internacional) e o bistrô na Sax.

Na segunda vez que eu fui a Ciudad del Este eu comi em um Burger King na Avenida Carlos Antonio López, mas tem outro no shopping Mina India também. Lembro de ter comido um lanche custava bem menos da metade de um lanche no Brasil.

 

Passando pela alfândega em Ciudad del Este

 

Primeira informação que você tem que ter em mente: esqueça os tais US$ 500 dólares de cotas de compras internacionais: para o Paraguai, a cota máxima é US$ 300,00 para quem vai por via terrestre.

Só isso já complica um pouco para nós, brasileiros e compradores compulsivos que somos. Como fazer, então?

Primeiro: Ainda na ida, cuidado com os bens que já são seus, como câmeras digitais, computadores, etc. Como não existe mais o formulário de preenchimento de eletrônicos, o ideal é que você tenha alguma forma de provar à Receita Federal, caso seja parado, de que estes itens já eram seus antes da viagem, e que não foram comprados lá. O ideal, ideal mesmo é levar a nota fiscal de compra dos mesmos.

Ah, aquele papo de: “olha como esse computador já está usado, surrado, batido, gasto! Tenho ele há anos” pode não colar, caso (vai que…) o santo do fiscal não bata com o seu.

E a volta: ao entrar de novo no Brasil, é preciso preencher um documento informando se você passou do limite máximo de compras, se está portando armas, remédios, drogas, etc (esperamos que não, né?). Preencha o documento (mais uma vez, o que conta aqui são eletrônicos) e entregue ao fiscal, se solicitado.

Atenção: eletrônicos aí são o alvo da busca deles, mas produtos diversos em muita quantidade pode caracterizar contrabando, e eles podem apreender sim, sem a menor cerimônia. A regra é mais ou menos a seguinte: ninguém encrenca com você se estiver entrando no país com uma única caneta que custa 150 dólares, mas certamente o farão se você entrar com 150 canetas de US$ 1,00 cada. Então, atenção antes de resolver trazer Victoria’s Secret para a família inteira.

E aí você passou pela alfândega! Tranquilo agora? Ainda não. Em Foz do Iguaçu a Receita Federal também para, e vistoria, malas de passageiros de vôos internos que estejam saindo de Foz. Param mesmo, e se acharem alguma coisa, apreendem sem dó nem piedade. Não importa se o voo é nacional: para sair de Foz, que é cidade de fronteira, tem que passar por esse procedimento.

Ou seja, ir para o Paraguai tem que considerar essas coisas: misto de sacoleiros com luxo, multidão, preços, variedades, controle alfandegário – esta última para, ao menos, controlar a festa irrefreável de compras. O que nos mostra que comprar no Paraguai é um pouco como certas coisas da vida: é ótimo, mas tem que ser consumido com moderação.

Você pode ler as regras e perguntas frequentes da Receita Federal.

Esta jornalista e blogueira foi a Foz do Iguaçu a convite da Agência Loumar Tourismo, do Hotel Bella Itália e da Voe Gol Transportadora.

Comments

288 COMENTÁRIOS

    • Vou deixar uma dica que vale ouro mesmo!!!!!
      O grande problema hoje la nao é a falsificação e sim a venda de mercadoria RECONDICIONADA ou seja equipamentos com defeito consertados “daquele jeito” e vendidos novamente. Mas é muito facil de driblar esses picaretas. Quando esses equipamentos defeituosos vão para a manutenção nao vao embalados em suas respectivas caixas, é simplismente envolto em plastico bolha e vai para o conserto. Então uma maneira facil de identificar essas mercadorias é comparar o numero de serie do aparelho com o numero de serie da embalagem, se divergir chuta que é macumba. E acredite nao é pouco a quantidade de mercadoria recondicionada vendida por aquelas bandas.

      Boa sorte e boas compras a todos

  1. Para voce que vai fazer compras em Ciudad de leste no Paraguai:
    Antes de qualquer coisa: NUNCA, MAS NUNCA MESMO ENTRE PARA COMPRAR NA LOJA “INFO SONY” localizada no Shopping Americanas, 1º piso. Ali se encontra a maior quadrilha de golpistas de todo Paraguai. Bem eu avisei.
    Estive recentemente no Paraguai mas fui outras varias vezes, e gostaria de alertar os novatos no assunto, como funciona a máfia de venda de produtos no Paraguai!
    Em ciudad de Leste você tem que saber que os preços são livres, um comerciante pode vender um Notebook por R$ 800,00 e outro pode vender o mesmo notebook por R$2.800,00. Não existe lei no Paraguai que caracterize abuso de preços! Resumindo, se você não pesquisou e comprou, azar o seu. Outra coisa: Evite a todo custo comprar de lojas pequenas e vendedores de rua, pois aí é que funciona a máfia da enganação. Todos os vendedores e o dono da loja são especializados em enrolação. Fazem o cliente menos informado pensar que um determinado produto custa 4 ou 5 vezes mais do que vale, e que é o último lançamento tecnológico e seu preço nas “outras” lojas é bem maior e na maioria das vezes não é original como o que ele esta lhe vendendo. Se ele sentir que você esta achando o produto muito caro, ele num gesto de amizade antiga com você, irá pedir um bom desconto ao dono da loja e este no inicio relutando mas devido a insistência do vendedor, lhe confere um “bom” desconto e ainda lhe dará um “belo brinde” para que você fique satisfeito com a loja! No final do teatrinho todo você sai agradecendo os pilantras e achando que fez um “baita” negocio. Mas a decepção não demora, na primeira loja, você vê o seu produto numa estante de exposição com o preço muiiiiito mais barato. Ai você fica indignado, e volta a loja para tentar devolver o produto por outro com preço justo ou pegar seu dinheiro de volta; Acredite, você não vai conseguir nem uma coisa nem outra e o vendedor lhe dirá com a maior cara de pau e com um sorrisinho de deboche na cara: “não trocamos nem devolvemos seu dinheiro” e caso voce insista, ele simplesmente te mandará procurar seus direitos.
    Aí você sai cuspindo fogo e vai até uma tal de “Policia de Turistas” que fica na aduana Paraguaia (uns de camisa azul claro). A recepção é até educada, mas completamente desinteressada!! Pedem para você explicar tudo que aconteceu e vão primeiro anotando num papel a caneta, da forma mais desorganizada que você possa imaginar, após vão digitar e te perguntam tudo de novo!! A montagem do processinho leva cerca de 2 horas. Neste meio tempo eles já lhe dizem que não podem fazer NADA sem autorização da Promotora, nem mesmo lhe acompanhar para tentar um acordo com os “pilantras”, digo , comerciantes. Até aí se você ainda não desistiu, eles te levam ao Fórum e depois de umas duas horas de espera a promotora manda você entrar e com o “processinho” em mãos, manda de forma ríspida e deselegante, você repetir tudo de novo, enquanto uma secretaria fica digitando e mandando você repetir várias vezes por não entender seu portunhol! No final ela olha pra você e diz: “A justiça não pode fazer nada, pois no Paraguai não existem Leis de defesa do consumidor e nada que obrigue a loja devolver seu dinheiro ou trocar o produto por outro. E fecha o assunto dizendo: “Você comprou por que quis, ninguém lhe botou uma arma na cabeça não é? E completa com um “sessão encerrada” E retira-se não lhe dando nem uma chance de argumentar.
    Resumindo: A justiça passa a mão na cabeça do ladrão e desonesto, e desampara descaradamente as vítimas. E pior que somos nós turistas brasileiros que damos de comer aquela máfia toda.
    A loja campeã de desfalques em turistas brasileiros é a INFO SONY localizada no Shopping Americanas, avenida San Blás, 1º piso. A própria policia diz que só desta loja, são mais de 15 reclamações por dia!! E o pior é que os vendedores são BRASILEIROS liderados por um Turco desses magrinhos com nariz grande! São gente “barra pesada” como se diz aqui no Brasil!.
    Por fim, já sem forças, você olha para sua esposa, dá uma risada nervosa e diz: “Bom pelo menos aprendemos mais alguma coisa sobre o Paraguai não, engolindo a humilhação a seco!”.
    Então se você não quer esquentar “muito” a cabeça, compre de lojas grandes e com histórico de bom atendimento, e tem várias confiáveis. Nem tudo é picaretagem no país sem lei chamado Paraguai!

    • Bem isto..
      o ruim e que nem nas lojas grandes nao da pra confiar.. este negocio de recondicionado e pra todo lado.. comprei um iphone numa loja grande e indicada.. quando fui na ipple o aparelho era de outra cor… e clonado.. e ai igual vc falou .. nao adianta de nada voltar la..e eles sabendo disto.. fazem a festa..

      • ah.. um detalhe.. esqueci de por o nome da loj..MUNDO DO CELULAR engana facil.. varias lojas no paraguai.. site etc.. bem organizado.. então.. uma enganação organizada..

  2. Achei excelente as dicas,,, isso faz com que os Brasileiros que irão ao Paraguai passear, acbem não entrando em “Fria”.
    Show, foi a dica da “loumar Turismo” da melhor Qualidade!

    Um Abs. aos viajantes,
    Ivan, Porto alegre

    • Estou vendo vcs falarem tão bem desta LOUMAR , SÓ QUE NÃO É BEM ASSIM , o bom são os funcionários (alguns) que são super gente fina, agora a empresa deixa a desejar, já fiquei com minha filha esperando eles nos apanharem no aeroporto e nada tive que morrer em taxi.,##, depois pra vir embora paguei transfer in e out quase perdi meu voo pois confirmaram horário e local do hotel onde estava hospedada e ninguem apareceu , de novo morri no TAXI. eles querem monopolisar o TURISMO DE FOZ MAS SÃO UMA PORCARIA. NÃO ACONSELHO EXISTEM MEIOS DE FAZER TODOS OS PASSEIOS super em conta com outras empresas e de confiança. Tambem tem onibus pra todos os lugares e vc paga 2,40 por pessoa pra ir a ARGENTINA e a volta 50, reais de taxi e vem quatro pessoas dentro do taxi vc economiza muito mais e para ir para cidade del lest a mesma coisa o onibus , deixa vc dentro da cidade ai vc compra o que quiser depois volta de onibus ou paga 20reais e volta de taxi.

  3. Olá pessoa estou kerendo ir ao paraguai agora em julho….nunca fui pra lá… kero ir pra comprar algumas coisas de uso pessoal vou eu e meu marido. a minha duvida é a seguinte a cota é 300 dolares se eu comprar 300 dolares eu preciso preencher a ta da rba…. se por exemplo eu comprar menos tenho q fazer a documentação???? me ajudem por favor… e parabes pelo blog adorei foi de muita valia…
    Abços a todos

    • Oi, Renata! Sempre é bom preencher, mas indicando que vcoê está levando menos do que a cota. Embora, cada garante o fato do policial querer revistar ou não, ainda assim…
      Minha sugestão é, chegando na hora, preencher direitinho, e evitar qualquer problema. Muitas vezes o próprio policial pode dizer que você está isenta, ao olhar suas compras!

  4. Obrigada kerida pela ajuda… Só mais uma perguntinha (eu juro)…kkkk…
    Estou kerendo ir e voltar de avião o q vc axa? ou seria melhor ir de onibus estou em sampa….Ah se vc tivesse uma referencia de onde eu posso comprar perfumes eu agradeceria muito…rs… bju e sucesso pra vc e mais uma vez parabéns.

    • Renata, tanto de ônibus quantod e avião você vai passar pela Polícia Federal, eles revistam tudo. Acho que com as promoções de passagens que aparecem volta e meia por aí, aliado ao conforto da viagem, acho que avião é sempre uma boa pedida. Mas vale a pena sempre comparar os preços e pesar os prós e contras!
      No próprio texto tem dois links para lojas de perfumes, além do link para o post da Carol Wieser, que explica mastigadinho onde comprar perfumes e qq coisinha que você queira! Dá uma conferida lá!
      E boa viagem! 😉

      • Pessoal, quem faz a fiscalização e apreende ou libera as mercadorias é a RECEITA FEDERAL e não a POLÍCIA FEDERAL. Tanto na entrada pela FRONTEIRA via Ponte da amizade, quanto na saída pelo aeroporto de Foz. è lá que você deverá declarar os bens.

  5. Ola!

    Estou pensando em ir ao PY e gostaria de saber se posso trazer uma câmera fotográfica fora da cota. Mas detalhe sou fotografo e a câmera que pretendo comprar, digamos que é de grande porte (semi profissional. modelo canon t7d). Fiquei sabendo uma vez que câmera fotográfica não entra na cota. Possível no meu caso? Tenho amigos que já fizeram esse tipo de compra, mesmo assim se sentiram desconfortáveis e com receio de ter que pagar a diferença de impostos na sua volta ao Brasil. Pra mim nesse caso não compensa.

    Obrigado!

    • Olá, Mauro!
      Desculpe pela demora na resposta, mas estava viajando e sem acesso à internet.
      Concordo, a câmera não faz mais parte da cota e na teoria não teria problema (e digo na teoria porque sabemos que a polícia pode resolver implicar do mesmo jeito… Sabemos como as coisas funcionam, né? Infelizmente). Acho que você pode arriscar – e, sim, vai passar pelo mesmo receio e desconforto na hora da volta, mas se argumentar que é para seu trabalho, e de acordo com esta lei… Pode ser que não aconteça nada.
      Mas olha, dá uma checada só nos sites para ver se você a encontra. Porque quando eu estive lá estava procurando uma câmera profissional da Nikon, a 7D, e não achei em lugar nenhum. O que me fez deduzir que eles vendem câmeras boas, mas se você estiver procurando algo muito específico ou muito profissional pode ser difícil encontrar!
      Boa sorte e boa viagem! Me conta depois como foi!

  6. Já não existe mais a “DBA” declaração de bagagem acompanhada,você tem duas opções,ou passa direto,ou dirigi-se a aduana e informa o que está levando e eles te cadastram,em fiscalizações durante a viagem,é feita a verificação do seu cadastro.Mas você só pode voltar após 30 dias ou mais.

  7. ola,
    gostaria de saber se e interessante morar ai em foz do iguaçu para comprar no paraguai e ficar revendendo tipo na internet e se tem muitas pessoas que fazem isso.

    • João, infelizmente não sei responder a sua pergunta. Não moro em Foz do Iguaçu, e não conheço muitos revendedores da internet que fazem este tipo de negócio. O que vi, de fato, foi muita gente comprando lá, mas em termos de negócios para revenda, não saberia informar com mais detalhes.

  8. Muito bom esse post! Ajuda muito quem deseja fazer compras por lá. Gostaria de tirar uma dúvida quanto às taxas de importação. É possível fazer a compra, passar pela aduana sem declarar o valor e, chegando em Foz do Iguaçu enviar por correio para evitar a polícia federal? Não quero comprar drogas nem armas, rs, mas pretendo fazer umas compras para revenda acima do valor de U$300,00. A partir de que valor vale a pena sair daqui (RJ) para fazer compras lá e no final ter economizado? Parabéns pelo post!

    • Olá, Anderson! Que bom que gostou do post, ficamos felizes! 🙂 Mas olha, honestamente não sei responder às suas perguntas 🙁 – mas explico o porquê… A primeira, em relação à compra de pois envio pelo correio, não tenho como responder como algo certo porque nunca fiz isso, mas se posso dar minha humilde opinião, eu acho este processo arriscado… Afinal, eu ficaria receosa em fazer uma compra superior a US$300 dólares, e enviá-la pelo correio depois – primeiro porque no correio também existem fiscalizações, com a passagem das encomendas pelo raio-x etal… E segundo, pelo próprio risco de extravio, que é possível de acontecer com todas as encomendas (e vai que, lei de Murphy, acontece logo com a sua encomenda?). Tudo o que passa pela fronteira, ou que entre ou saia de Foz do Iguaçu passa por um esquema de segurança redobrado que, não tem jeito, a gente acaba tendo que passar mesmo…
      Quanto à sua pergunta sobre a partir de que valor vale a pena sair do (RJ) para ter economizado, isso também varia em relação ao seu planejamento e ao que você espera comprar por lá – e por isso também não posso responder com precisão. A questão é que, como eu falei, a maioria dos produtos lá são de fato mais baratos que no Brasil, porém mais caros do que nos Estados Unidos. Eu nunca fui a nenhum dos países com o objetivo de fazer compras para revenda (quando comprava, era para meu próprio uso ou para presentes), de modo que eu não saberia como dar uma base de valor que passe a tornar a viagem rentável nesse sentido (e não quero me arriscar a te dar uma informação errada!)… Minha praia são dicas de viagem mesmo! Mas acho que, se você conhece alguém que já faça esse tipo de comércio, acho que vale conversar com essa pessoa sobre custos e investimento – certamente ela poderá dar uma informação mais valiosa do que eu nesse sentido!

      Espero que eu tenha ajudado-o, de alguma forma!

  9. JAMAIS entre na loja ” info sony” localizada no primeiro piso do Shopping americana, a loja se destaca pelo tamanho e pela imponência as demais. Mas, não se deixe enganar, o dono, um Turco e seus vendedores são a pior espécie que tive o desprazer de conhecer. Eles te enrolam, seduzem e na verdade estão te vendendo um produto pelo dobro do preço! Espero que eu possa ajudar alguém com esse comentário a não ter a infelicidade de comprar algo e ser enganado por esses mentirosos.

  10. olá revendo oculos absurda aqui so que aqui ja acabou será que encomntro oculos absurda no paraguai e se posso trazer mas doque 20 pra sampa ?

  11. Ola, bom ja estive no paraguai esta fazendo 1 ano so q de carro, e agora estou com passagens aereas compradas para Foz no feriado do dia 12 de outubro, meu voo sai de Porto Alegre, mas minha duvida eh qt a cota pois no site da receita consta cota de 500$$, mas sei q ali na aduana eh 300 certo, se me pararem neh?, ou seja tenho q tomar cuidado para passar na aduana entre paraguai e foz e no aeroporto não ah problema se estiver dentro dos 500 dolares?

    • Milene, de qualquer modo, a cota para compras no Paraguai é 300 dólares, não importa se você está vindo de carro ou ônibus. E, mesmo que você passe pela imigração na fronteira entre Paraguai e Brasil, você também passará pela Polícia Federal, mesmo sendo voo interno, saindo de Foz do Iguaçu a qualquer lugar do Brasil. E, em ambos os casos, o que vale é a cota de 300 dólares.

      • Na verdade não é a cota do Paraguai que é 300USD, é a cota entrando no Brasil por via terrestre!
        Logo se vc vem, digamos de SP com voo para FOZ (Brasil) , vai e volta pela ponte.. vale a cota terrestre.. Se você vier de SP com voo direto para Ciudad Del Este, sua cota será USD 500 (O aerporto de Ciudad Del Estre fica há uns 50Km do Aeroporto de Foz.. )

        Espero ter ajudado (PS: Loja info Sony q falaram mal acima, é realmente terrível, já levei preju lá tbm).
        Lojas boas para Eletronicos: Mega Eletronica, Casa BO.
        Informática: Nave, Master10, Icompy.
        Lojas do Shopping Del Este são boas tbm (bebidas, perfumes).
        Monalisa é a mais cara de todas (mas a mais bonita tbm).

  12. OLA CLARISSA , VOU AO PARAGUAY EM NOVEMBRO E ESTOU COM UMA DÚVIDA , ESTOU QUERENDO IR PARA COMPRAR COISAS PARA CASA (PANELAS,PRATOS), UMA CAMERA DIGITAL , E ALGUNS PERFUMES , MAS PARA PRESENTE , SERA QUE COMPENSA , TENHO QUE DECLARAR? NAO VOU TRAZER EM GRANGES QUANTIDADES , SÓ OS PERFUMES PRETENDO TRAZER APROXIMADAMENTE 4 PRESENTE PARA MINHAS IRMAS , E QUAIS LOJAS VOCE INDICA?? MUITO OBRIGADA E PARABÉNS PELO BLOG

    SUCESSO

    • Oi, Daniele! Que bom que gostou do blog! 🙂

      Em geral a cota de 300 dólares é aplicada a produtos eletrônicos, e naõ artigos de uso pessoal (no caso, perfumes). Como a quantidade que você vai trazer é pequena, não deve ter problema. Quanto ás lojas, no próprio texto eu já dou algumas dicas: dá uma olhada no item “O que vale a pena comprar no Paraguai?”!

      E aproveite a viagem! 🙂

  13. Olá a todos. Gostaria de saber se no Paraguai a cota de U$300. Pode ser duplicada se forem duas pessoas, ou seja 300 para cada uma. Obrigada e um abraço a todos.

      • Oi Clarissa, td. bem? Mt. boa essa forma de integração que vc. encontrou com as pessoas. Obrigado por responder minha dúvida. Gostaria de mais uma opinião sua a respeito da cota; Quero comprar um tablet o qual não sei o preço lá no Paraguai, ficando a seguinte pergunta: Poderia comprar e tentar usar o recurso de juntar a minha cota com a do meu marido? Grata, bom fim de semana.

  14. olá (Clarissa Donda) parabéns pelo seu blog, me da uma ajuda respondendo minha pergunta…

    quantos custa a passagen de onibus de: (sao paulo – sp) para o paraguai ??
    se eu por alguns celulares na cueca a policia federal acha ??

    desde já te agradeço!!!

  15. Olá Clarrisa parabens pelo seu blog, eu adorei suas dicas. Sabe eu vou para Foz nessa semana e estou pensando aproveitar e fazer algumas compras, você me aconselharia quais hoteis são bons e que transporte posso pegar além das vans?, obrigada pela sua resposta.

    • Oi, Emily, tudo bom?

      Olha, quando fomos à Foz do Iguaçu, ficamos no Bella Itália (perto do centro e bem confortável, café da manhã delicioso), que foi o hotel selecionado pela agência Loumar Turismo para nos levar. Eu recomendo ver com eles as outras opções, porque a vantagem é que, como é a empresa mais forte de turismo na cidade, você consegue bons preços de diária (eles tem várias opções de hoteis, para todos os bolsos disponíveis. Tem hotéis chiquerésimos, mas também tem uns bem práticos, bem localizados, então depende do que você procura. Vai nesse site e pesquisa os preços: http://www.loumarturismo.com.br/hoteis-em-foz.html). Ah, e vale perguntar para eles como funciona o traslado para o aeroporto para saber se está incluído!. 🙂

      Quanto ao transporte, eu sei que tem vans que levam, e tem gente que aluga o carro e vai. Particularmente, achei esse processo um pouco confuso e desconfortável (muita gente, muito carro, muito tumulto…). Ao passo que com o pessoal da van foi rápido e bem seguro, fora que eles te dão todas as orientações que você precisa em relação à declaração de itens, etc – uma segurança a mais que achei que valeu a pena…

      Então, Emily, não sei se te ajudei muito quanto a outros meios para chegar que não a van… Mas é que de fato achei esse serviço uma mão na roda mesmo, porque pense no volume de pessoas atravessando a fronteira todos os dias, sendo parada e revistada, etc? Qualquer serviço que facilite pelo menos a passagem pela aduana (embora, claro, estão sujeitos à revista da mesma forma) com segurança e conforto, vale a pena. Se eu voltasse ao Paraguai, é fato que eu usaria esse serviço de novo…

  16. Olá Clarissa,fiquei muito contente por todas as dicas que vc deu em seu blog,excelente! Poderia tirar minha dúvida:os documentos necessários para ir ao Paraguai é o RG e o passaporte? Estou com o passaporte vencido e estou querendo ir na próxima semana,vc acha que tem algum problema se for apenas com o RG?
    Parabens!!!

    • Oi, Adriano! Fico feliz que gostou do blog! Sinal de que o nosso trabalho está ajudando! 🙂

      Você pode viajar só com o RG sim, mas ele tem que estar válido, recente e em bom estado (já soube de um caso em que um amigo foi proibido de sair do país porque ele estava muito diferente da foto da identidade – era muito jovem, algo assim). Não sei dizer se foi preciosismo do agente federal da época, mas em geral, as normas pedem que o RG esteja atualizado e com foto recente!
      SE o seu estiver ok, não precisa de passaporte! 🙂 Boa viagem!

    • Oi, Ana Claudia! Tem um quiosque da MAC no Shopping Ciudad del Este, mas como eu disse no post, quando fomos lá (uma mulherada danada), nos desencantamos com a oferta. Eram poucas variedades de cores e de produtos, e nem achamos os preços tão vantajosos assim. Minha dica seria para, se possível, dar um pulinho no Duty Free de Puerto Iguazu, no lado argentino da fronteira e bem pertinho de Foz, porque lá a oferta é melhor, acredito, os preços também.

  17. Bom Dia!
    Muito bom esse blog seu, as informações que você passa são muito uteis.
    Mas minha pergunta é se vc quiser fazer compras que nem no meu caso para loja e trazer bastante coisa, mas declara e recolher o imposto, você sabe me dizer qual a porcentagem que é colocado em cima do valor de cada produto?

    • Oi, Lucas, aí não vou poder te ajudar! Porque eu posso falar de dicas de viagem, mas o quanto você vai colocar de margem para cobrir os custos dos seus produtos..? Aí é uma pergunta que tem mais a ver como questões do quanto que você pode vender o seu produto, quanto que ainda vale a pena as pessoas comprarem, e nisso eu não posso e não sei como te ajudar, não tenho experiência nisso! 🙁 Lamento!

    • Deixei esse comentario la em cima mas essa dica é muito util para esse tipo de mercadoria que voce esta querendo comprar
      O grande problema hoje la nao é a falsificação e sim a venda de mercadoria RECONDICIONADA ou seja equipamentos com defeito consertados “daquele jeito” e vendidos novamente. Mas é muito facil de driblar esses picaretas. Quando esses equipamentos defeituosos vão para a manutenção nao vao embalados em suas respectivas caixas, é simplismente envolto em plastico bolha e vai para o conserto. Então uma maneira facil de identificar essas mercadorias é comparar o numero de serie do aparelho com o numero de serie da embalagem, se divergir chuta que é macumba. E acredite nao é pouco a quantidade de mercadoria recondicionada vendida por aquelas.

  18. Estou pensando em ir pro paraguai, mas estou com medo e com algumas duvidas, aparelhos eletronicos? eles são confiaveis, estou pensando em comprar um notbook, se souberem se é bom me avisem, obrigado

  19. Gostaria de saber como faço para comprar victoria secrets no paraguai… eu estou indo lá pq sou viciada nas maquiagens, cremes… só que eu tô com medo por causa do quantitativo.

    Teria como alguém me explicar por favor.

    Att

    Mariana

  20. oi,gostei muito do seu blog,ainda mais pra mim que nunca fui ao Paraguay,qualquer informação é bem vinda 😉 então voce saberia me dizer se pode entrar com crianças?(tenho dois meninos de 3 e 5 anos).Obrigado pela atenção e parabens pelo blog 😉

    • Oi, Patricia!

      Poder, pode sim, contanto que as crianças tenham documentos válidos de identidade ou passaporte (tenha em mente que os requisitos para ir ao Paraguai com as crianças são os mesmos para sair do país, qualquer que seja o destino. Uma sugestão é dar uma lida neste blog maravilhoso, que é só sobre viagem com crianças, e neste post eles explicam timtim por timtim todos os documentos que você precisa para viajar com os pequenos: http://viajandocompimpolhos.wordpress.com/antes-de-viajar/antes-de-viajar/).
      Mas (e aí é uma opinião absolutamente pessoal) acho a Ciudad Del Este um ambiente muito cheio e meio tumultuado para levar crianças tão pequenas, elas podem se entediar fácil.Mas é só uma opinião!

  21. Oi Clarissa,

    to indo pra foz semana q vem, vc sabe se carteira de motorista vale pra passar pro paraguai?

    eu sabia q para a argentina nao valia, mas andei lendo e, alguns lugares que aceitam.

    as van da loumar, sao paradas para ficalizacao?

    • Oi, Thamires!
      Olha, eu sempre ouço que é permitido apenas identidade (válida e com foto recente) ou passaporte como documento de identificação. Também já li que alguns lugares aceitam, mas também já soube de casos em que só a carteira de motorista não foi o suficiente e a pessoa não foi autorizada a deixar o país. Ou seja, não é 100% garantido!

      As vans da Loumar são paradas para fiscalização sim, como todos os veículos que entram e saem, mas pelo menos eles dão toda a assistência e orientação quando isso acontece, o que é muito melhor de ser parada sozinha! E outra, pelo menos quando fui, o processo era bem mais ágil!

  22. caro amigos vou pela primeira vez para Ciudad Del Este estou com bastante dúvidas, se poder me esclarecer ficarei grato.

    1)Como eu vou com a minha esposa e o meu filho terei que ir de Avião de São Paulo para Ciudad, as aduana são mais rigorosas?
    2)Tendo em vista que irei trazer os produtos eletronicos na mochila junto comigo, por exemplo: Irei comprar um Notbook a qual irei tirar da caixa e colocarei na mochila junto comigo, irei tambem trazer uma camera fora da caixa junto comigo relogio no meu pulso e celular ja usando comigo no bolso.

    3)Irei trazer na mala e declarar perfumes e trtes relogios .

    4)Duvidas quais chances de ser tarifado com os produtos que vai esta junto comigo na minha mochila a qual estarei ja usando?

    5)Irei vir com bastantes roupas na malas como sera tarifado?

    POr favor peço resposta para me ajudar a esclarecer as minhas dúvidas!

    • Opa, Adriano, quantas perguntas! 🙂 Vou tentar ajudá-lo ao máximo, vamos lá!

      1) Acredito que a fiscalização da Aduana, seja direto em Ciudad del Este, ou em Foz, terão o mesmo rigor, já que é o procedimento padrão quando se trata de cidades de fronteira e, especialmente, a Zona Franca do Paraguai. As vezes a revista é feita em todos, ou às vezes o passageiro é escolhido aleatoriamente, mas as regras valem para todos os casos.
      2) Adriano, é recomendado que você leve os produtos eletrônicos e de valor consigo na bagagem de mão por uma questão de segurança em relação às bagagens de mão durante o voo, mas não muda muito na hora de apresentar o produto na aduana – que deve ser declarado independente de estar fora da caixa ou não. Lembro que a nova regra é declarar SEMPRE os itens que sejam superiores à cota de 300 dólares de compra. Caso isso não seja feito e você caia na revista aleatória, a polícia federal pode encrencar com os itens na sua mochila independente de estarem fora da caixa ou não, e que você alegue que já os tinha ou não. Para se ter uma idéia, eu viajei para Foz do Iguaçu com um notebook e um celular que já eram meus antes da viagem, e mesmo assim fui instruída a levar uma nota fiscal que comprovasse que eu já os tinha ou uma Declaração de Bagagem Acompanhada (quando ainda existia) informando que tais itens não tinham sido comprados lá. Ou seja, se mesmo os itens eletrônicos que você já possui (e que, portanto, estão fora da caixa) já são suficiente para um monte de perguntas, imagina os novos novinhos?

      Como dissemos, a revista às vezes é aleatória, as vezes é geral, e todas as bagagens passam por raio x (a sua mochila passará, inclusive). Impossível afirmar com absoluta certeza as chances de ser tarifado, mas se a polícia optar por revistar você na hora, muito provavelmente será tarifado sim.

      Em relação às roupas, isso varia. Na fiscalização, em geral, a polícia federal se preocupa com itens eletrônicos acima da cota ou itens que possam configurar como contrabando (mais de 10 itens idênticos). Por exemplo, na lei eles afirmam que o limite máximo é:

      I – bebidas alcoólicas: 12 litros, no total;
      II – cigarros: 10 maços, no total, contendo, cada um, 20 unidades;
      III – charutos ou cigarrilhas: 25 unidades, no total;
      IV – fumo: 250 gramas, no total;
      V – bens não relacionados nos itens I a IV (souvenirs e pequenos presentes), de valor unitário inferior a US$ 5,00: 20 unidades, no total, desde que não haja mais do que 10 unidades idênticas; e
      VI – bens não relacionados nos incisos I a V: 10 unidades, no total, desde que não haja mais do que 3 unidades idênticas..

      (aqui tem mais detalhes: http://www.loumarturismo.com.br/informacoes-aduaneira-perguntas-frequentes-faq.html)

      Ou seja, vai depender da quantidade de roupas que você vai levar!

      • Clarissa qual o conselho que voce me dar ir de aviao de sao paulo para ciudad del este ou ir a foz e atravessar de taxi e voltar, em vez de avia o que voce acha quais sao as chances para que a fiscalizaçao não intencifique

        • Adriano, a fiscalização é a mesma em todas as entradas no país com origem do Paraguai, e em geral, é mais intensa na saída de Foz do Iguaçu ou chegada da Ciudad del ESte (seja nas estradas, ônibus, carros ou nos aeroportos). Eu diria que as chances são as mesmas. Mas lembre-se que, como você disse que está indo com mais pessoas, a cota é 300 dólares para cada um. Você pode tentar “somar” as cotas na hora de fazer as compras – é uma alternativa.

  23. Clarissa qual o conselho que voce me dar ir de aviao de sao paulo para ciudad del este ou ir a foz e atravessar de taxi e voltar, em vez de avia o que voce acha quais sao as chances para que a fiscalizaçao não intencifique

    • Oi, Flávia, tudo bem? Mandei sua pergunta para um amigo nosso que conhece tudo de lá, e assim que tiver a resposta coloco aqui! Como eu não fui comprar estes itens por lá, não sei se poderei dar as melhores dicas! 🙂

    • Olha, já estou com a resposta! Segundo meus contatos lá, o melhor lugar para tenis da Nike é na própria loja da marca no Shopping Del Leste. Roupas e sapatos de couros (a não ser que sejam de grifes de luxo – que tem na SAX) podem ser encontrados no Shopping Punto Iguazú em Puerto Iguazú/Argentina. O Paraguai não tem tradição em comercialziar artigos de couro original.

      Espero que ajude! 🙂

  24. Olá, pretendo ir ao PY em novembro e comprar produtos da Apple, os preços são muito interessantes lá, seria 1 notebook de U$ 1.900 e 1 pc de U$ 1.300

    Minha intenção é comprar somente esses 2 produtos para uso pessoal, você acha que a fiscalização pode encrencar?

    • Diogo, encrencar ela pode, sempre – afinal, você está levando dois produtos que superam em muito a cota, independente de ser para uso pessoal ou não.
      Você pode argumentar que é para o seu trabalho se eles te pararem (e vai muito da boa vontade do policial na hora), mas há chances de ser tarifado sim.

  25. Achei muito legal, mais gostaria de saber se a vistoria em Foz é soh pra qm vai de avião ou de carro tbm? E a vistoria do Paraguay eu gostaria de saber se celurares estão inclusos em eletronicos e cameras??

    Obrigada, *-*

  26. Um alerta importante: EM HIPÓTESE ALGUMA EFETUEM COMPRAS NA LOJA ISONY no 1º piso da Americana. Experiência no último feriado, sofremos extorsão dentro da própria loja. Se não pagássemos por um ítem que já estava incluso no produto (e que já havia sido pago), não poderíamos levar o que havíamos comprado. Só há vendedores psicopatas, dissimulados, sem nenhum remorso, agem com a maior frieza e acham que todo mundo é idiota. O pior de tudo é que, ainda que tenham o golpe desmascarado, continuam mentindo olhando no seu olho, com a maior naturalidade do mundo. Honestamente, não vejo muitas vantagens em fazer compras em Ciudad del Leste. Prefiram o Shopping China de Salto del Guairá, onde ao menos os produtos são originais. E mesmo em CDL, em lojas mais conhecidas como o Shopping del Este, as fasificações são grotescas. Não percam seu tempo e sua dignidade com pessoas tão baixas.

  27. Boa noite Clarisse,
    Estou viajando amanha com a esposa, e agradeço a vc pelas dicas, mas ficou uma dúvida. vamos passar tres dias, e no segundo queria fazer as compras no paraguay e no terceiro ir as cataratas. A dúvida é, posso deixar as compras no hotel(hotel del rey) e passar o dia no passeio despreocupado??
    Grato pela atenção.

    • Oi, Luiz! Olha, não conheço o Hotel del Rey e pode ser que ele seja bem tranquilo em relação a deixar suas compras por lá. Mas o que eu sugiro (e aí é algo que faço independente do hotel, cidade ou país em que eu esteja) é deixar sempre os meus artigos de valor dentro da mala, e esta trancada com cadeado. Assim, eu passo o dia despreocupada (afinal, se alguém tiver que roubar vai ter que destruir a mala ou levá-la, o que em ambos os casos já dificulta muito a ação. Acho que é uma precaução que não nos custa nada (afinal, o seguro morreu de velho, né), e a gente pode curtir melhor o dia ao invés de ficar tão preocupado. Outra coisa é checar se o hotel possui cofre, pode ser uma boa alternativa também, se vc quiser se garantir!

      Uma boa viagem para vcs! 🙂

      • Muito grato Clarissa, mais uma vez parabenizo vc pela disponibilidade de ajudar.
        para o próximo ano pretendo ir a Canela e Gramado, vc tem
        algumas dicas para lá?
        obriga, abs

          • Bom dia Clarisse,
            Foi ótima a viagem, o hotel Del Rey é muito bom, café ótimo, piscina boa, central e perto do terminal o q ajudou bastante, pois precisei voltar ao py, e fui de onibus de linha(fácil). A van que usei para fazer o trans aeroporto e uma ida ao py e cataratas foi de Herberth(muito bom seu atendimento e preço- fone 45-99760093tim).
            As lojas que comprei com preços ótimos e sem medo e q peguei dicas por aqui foram: perfumes-monalisa; informática-compubras; cameras-loja panasonic no prédio da sax.
            Só nao achei vantagem levar dolar, pois a cotação na minha cidade estava a 2,15 e nas lojas do py estava a 2,13.
            Muito obrigado, valeu…

          • Oi, Luiz! Que bom que deu tudo certo! Em relação ao dólar, de fato, com a cotação de agora, pode ser que não seja mais vantagem levar em cash. De qualquer modo, é sempre bom ter essas atualizações de como andam as coisas por lá, obrigada por compartilhar! 🙂

  28. Oi Clarissa.

    Como já mencionado anteriormente, tenho a intenção de ir à Foz, final do mês e aproveitar para compra alguma coisa no Paraguay. É a primeira vez que vou e pretendo comprar um tablet barato, dos chamados Xing-Ling, uma máquina fotográfica e outras pequenas coisas. Gostaria de saber se, vc. ou uma outra pessoa tem experiência para avaliar o risco que corro de comprar mercadorias falsificadas. Grata,

    • Lucia, se você pretende comprar um tablet “xing-ling”, ele provavelmente será falsificado! 🙂
      A regra geral para prevenir a compra de itens falsificados é procurar, aqui no Brasil mesmo ou na internet, os produtos que você deseja comprar (exemplo: no caso de uma câmera, procure qual o modelo que te agrada mais, a marca, vá à loja e peça para ver na mão o modelo, guarde bem as características), anote tudo direitinho e, chegando lá, procure o produto nas lojas especializadas – afinal, como você vai ter as características do item bem vivas na mente, a chance de errar comprando um falsificado é menor.
      Só é preciso ter em mente qual é sua prioridade: o produto e a marca/qualidade, ou o preço. No Paraguai é possível comprar tanto itens de marca, com qualidade e garantia certificada, e produtos “genéricos”, muitos de qualidade duvidosa ou com curto tempo de vida útil – e isso, infelizmente e invariavelmente, a gente só descobre depois. Então, se você quer um tablet de um modelo mais barato, mas de qualidade, pesquise aqui no Brasil com conhecidos os melhores modelos que vão te atender satisfatoriamente, anote a marca, código, modelo, e procure um igual lá. Deixar para escolher o produto na hora, no Paraguai, sem saber ao certo o que você está procurando, é ter grandes chances de comprar gato por lebre.

      • Clarissa, obrigada por sua resposta e dicas. Talvêz não tenha me expressado bem quando falei “Xing-Ling”. Quis dizer, fabricado na China, como milhares de outros ítens que entram legal ou ilegalmente no Brasil. Sabe-se que hoje a China produz bons produtos, sabe-se que produtos são falsificados, sendo da China, Coréia ou Japão e minha preocupação seria justamente essa: Além de comprar um produto produzido na China, ainda adquirir um falsificado no Paraguai.
        Grande abraço.

  29. Olá Clarissa,
    tenho planos de ir ao Paraguai no feriado de 12 de outubro, e tenho a intenção de comprar uma Canon T4i (1200 dólares, de acordo com o site da megaeletronicos).
    Gostaria de saber se a cota de 300 dólares é individual, ou pode ser somada a de outras pessoas que vão comigo.
    Li um comentário acima você dizendo que câmeras digitais não entram na cota.. Quer dizer que não há problema algum em comprar câmeras caras e passar na alfandega?
    Desde já agradeço e parabéns pelo blog!

    • Oi, Luiz!

      Acabei de checar e vi que a informação que dei ali em cima estava errada, então é uma boa hora para fazer uma correção: a cota de 300 dólares é pessoal e intransferível, válida apenas por pessoa (o que não impede de você tentar argumentar lá na hora se estiver em companhia de outras pessoas. Mas na lei, o que vale é isso).
      Na verdade, em relação às cameras digitais, saiu ano passado uma lei que liberava a entrada delas (mas apenas pelo fato de que, agora que não temos mais o formulário de saída temporária de bens, ou seja, você não os registra mais na saída), então visa facilitar a fila caso você tenha levado para o exterior uma câmera sua e esteja voltando com a mesma, provando que é sua, usada, etc, e se forem objeto de trabalho (no caso de fotógrafos, por exemplo), não entrariam na cota. Câmeras novinhas em folha, se verificado que elas foram adquiridas no exterior, são contabilizadas na cota sim.
      Tem esse link que explica melhor, dá uma olhada: http://www.receita.fazenda.gov.br/Publico/Aduana/bagagem/Viajantes/GuiaRapidoparaViajantes.pdf

      • Certo Clarissa, então será que é tranquilo eu levar um cartão de memoria com fotos tiradas no brasil.. e na hora de voltar vir com a câmera sem manuais e sem caixa e com esse cartão..?
        E como funciona pra comprovar se você é fotografo ou não? (no meu caso, não trabalho com fotografia)
        Obrigado!

        • Luiz, Quanto à camera, você pode até tentar o argumento de usar o chip, mas vale o aviso de que a PF já está bem ciente dos “artifícios” e argumentos usados na hora (afinal, imagine o quanto de gente que passa por lá todo dia, tentando entrar com um produto acima da cota?). Então, eles estão meio calejados nisso, e meio que já sentem quando o produto é novo e quando é seu mesmo… Então, vc pode até tentar, mas sob seu risco – porque se a sua camera for novinha, novíssima, pode ser que não cole!
          Olha, não tem um documento que comprove que vc é fotografo, entao nao sei como fazer! Mas mandei essa pergunta aos meus “universitários” (pessoas que conhecem melhor esses trIamites da Receita Federal) e assim que tiver essa informação, te aviso, tá?

        • Então, Luiz, voltei com as respostas sobre a câmera – dessa vez, tirei as dúvidas com um funcionário da própria Receita Federal. Então, a informação minha anterior foi falha, não adianta você comprovar que é para uso profissional ou não, oq ue vai acontecer é mudar o tratamento, mas em tese, de acordo com a lei, o pagamento da taxa se mantém, porque a portaria permite a compra de uma câmera para uso pessoal, mas em geral aquelas pequenas, que vc compra para fotografar suas férias, por exemplo. Claro que, na prática, vai muito do entendimento do fiscal na hora, mas uma câmera profissional, como essas SLR mais elaboradas, estão sujeitas ao pagamento da taxa uma vez que excedam os 300 dólares permitidos. E mesmo passando sem manual e caixas, se ela estiver muito novinha e o fiscal entender que é nova (mesmo com todos os seus argumentos), na prática ele tem autoridade para aplicar a taxa sim.
          Mas como te disse, essa é a resposta com base na lei e vai muito do entendimento do fiscal na hora. Só vale lembrar que, de acordo com a lei, mesmo que você passe na aduana e não declare no ato de entrada no Brasil, se você for parado no aeroporto (onde a fiscalização é mais rígida), o produto não declarado e sem nota fiscal, pode ser apreendido. De vez.

          • isso vale para GOPRO por exemplo? Posso trazer uma unidade (370 doláres) e passar sem declarar? E se for parado, dizer que é pra uso pessoal? Obrigado

          • Filipe, pela lei é preciso declarar qualquer bem cujo valor seja acima da cota (que são 300 dólares por via terrestre), e vale para qualquer produto. Só o fato de você passar sem declarar um produto acima da cota já é problema, então o fiscal já teria autoridade para apreender o item ou permitir que você só leve mediante pagamento de imposto e multa, independente de você dizer se é para uso pessoal ou não.

  30. Boa noite Clarissa, estou indo à CDE no próximo mês, pretendo sair de Natal, São Paulo e ir direto pra Ciudad del Este, pois desta forma aumento a cota para $500, pois passa a ser voo internacional.
    A grande dúvida é: é seguro dormir em Ciudad Del Este?
    Fazendo este roteiro, você acha que a fiscalização em São Paulo é mais ligth?
    Caso eu leve um cartão de memória com algumas fotos, dá pra comprar uma máquina que custa $500 e passar como se fosse pra uso?

    • Olá! Vamos às suas perguntas! 🙂

      Olha, a fiscalização não é light em nenhum dos retornos do Paraguai, seja via terrestre ou aérea – de qualquer modo, a Polícia Federal vai fiscalizar os passageiros provenientes de um voo de Ciudad del Este, até porque eles sabem que as pessoas costumam usar a vinda via CDE desta forma. Ou seja, você vai passar por ela de qualquer forma!

      Quanto a dormir em um hotel em Ciudad del Este, eu nunca fiz isso, mas sondei os meus contatos lá e eles me informaram que é seguro, só não é muito recomendado. Não existem hotéis próximos ao centro comercial (desses em vc você desce e resolve tudo, sabe?), só lojas. Os hotéis são afastados, bem afastados do centro comercial e, em geral, são destinados a grandes convenções ou do tipo daqueles resorts com cassinos, desses em que a proposta é ficar lá o dia inteiro. E é caro, longe (e não muito seguro) ficar andando cheio de compras nas mãos.

      Por isso Foz acaba sendo a melhor opção. Tanto o aeroporto quanto os hotéis são bem pertinho do centro comercial de Ciudad Del Este (15 minutos, mais ou menos), tem muitas vans que fazem o serviço, e é mais seguro até na hora de retornar com as compras.

      Quanto à camera, você pode até tentar o argumento de usar o chip, mas vale o aviso de que a PF já está bem ciente dos “artifícios” e argumentos usados na hora (afinal, imagine o quanto de gente que passa por lá todo dia, tentando entrar com um produto acima da cota?). Então, eles estão meio calejados nisso, e meio que já sentem quando o produto é novo e quando é seu mesmo… Então, vc pode até tentar, mas sob seu risco – porque se a sua camera for novinha, novíssima, pode ser que não cole!

  31. Olá Larissa, td. bem?

    Olhando Ciudade del Este pelos mapas, tem-se a impressão de que todos os shoppings e galerias são muito perto uns dos outros, permitindo o “passeio” pelos mesmos. Gostaria de saber se a impressão é verdadeira ou se as distâncias são grandes? Abs.

  32. se eu comprar uma rodas para meu carro e trazer no onibus comum nao de turismo sera que corro risco de eles aprederem? sendo que vou ta com a nota da loja onde comprei…

    • Kaik, todos os veículos estão sujeitos à revista nas estradas que saem de Foz. Só que, no seu caso, acontecem dois problemas: o primeiro é que peças de carro (pneus, inclusive) não são considerados bagagem, e portanto, não estão sujeitos a taxa de 50% sobre o que exceder a cota de 300 dólares. No caso de peças de carro, é preciso pagar a importação das mesmas.
      E outra: se a Receita federal encontra produtos que estão no país de forma irregular nesta revista (que acontece fora da alfândega e por isso, é considerada zona secundária) estes produtos são apreendidos sem chance de recuperação. Ou seja, o risco é grande.

  33. Bom dia!
    Adorei o site, já está add em meus favoritos! 😀

    Tenho viajem programada para Foz, pretendo fazer algumas compras no Paraguai e Agentina, mas tenho algumas dúvidas, será que pode me ajudar?

    O valor de 300,00 dólares é p/ a viagem toda ou esse valor é p/ cada país Paraguai e Argentina?

    As compras no Duty Free Puerto-Iguazú entram na cota dos 300,00 dólares ou não?

    Tenho que declarar o que estou levando, por ex. máquina fotográfica? Onde faço isso?

    Tem alguma mercadoria isenta dos 300,00 dólares ou qualquer coisa que comprar soma? Li em algum site que câmera, celular, relógio qdo 1 unid. ñ entra, mas está regra ñ se aplica ao países do mercosul, pela facilidade de acesso. isso vale p/ compras vindas dos EUA. Confere?

    Esse limite da cota, de 300,00 dólares, é só se for parado no dia da compra?

    Se exceder o valor e pagar o imposto na fronteira o mesmo será cobrado no aeroporto?

    Se exceder o valor, mas e ñ for pego na fronteira terei problemas no aeroporto?

    Desde já agradeço!!
    Um grande abraço!!

    • Olá, Denise!

      Nossa, quantas perguntas! 🙂 Vamos ver se eu consigo ajudá-la em todas! 🙂

      1. Pelas regras da Receita, o valor de 300 dólares é válido para o período de 30 dias, e não é cumulativo. Ou seja, se você foi ao Paraguai e usou 250 dólares num dia, isso não quer dizer que você possa comprar mais produtos com 50 dólares no Paraguai no dia seguinte, ou 300 dólares na Argentina – e sim que você só poderia usar sua cota de 300 dólares dali a 30 dias a partir da data da sua última compra feita em território internacional. Ou seja, se você fizer essas compras e não declarar na alfândega, pode ter problemas na hora de passar pela Receita Federal no aeroporto ou nas estradas de saída de Foz.
      2. O Duty Free de Puerto Iguazú está em território argentino e, portanto, é considerado território internacional – portanto está incluso na cota de 300 dólares sim (o que seria diferente se, por exemplo, você pegasse um voo de Ciudad del este para São Paulo, por exemplo: nesse caso, você teria direito a 500 dólares de cota em compras no exterior e mais 500 de compras no Duty Free no seu desembarque, em São Paulo).
      3. Não existe mais o documento de saída temporária, em que você declarava o produto que já tinha. O recomendado hoje é andar com a nota fiscal do seu produto.
      4. Nenhuma mercadoria é isenta da cota de compra de produtos. O que acontece é que artigos de uso pessoal não são considerados cota – e, recentemente, relógios e câmeras foram acrescentadas nesta categoria. Só que a regra que você explicou não é exatamente assim – e vou tentar explicá-la aqui, por meio de exemplos, conforme a Receita Federal me explicou, ok?
      Exemplo 1: se você viaja a Paris, por exemplo, ou a qualquer país estrangeiro (não só EUA) e, vamos supor, sua câmera quebra e você compra outra, essa câmera nova não será tarifada pois foi uso pessoal – você a utilizou para registrar as suas férias. O mesmo vale se você foi sem câmera nenhuma e comprou uma por lá. Agora, se você viaja a Paris com uma câmera e volta com duas, essa segunda passa a entrar na cota, pois deixa de ser uso pessoal, pois você já tinha uma com esta finalidade. Consegui explicar essa parte? 🙂
      Exemplo 2: No Paraguai, isso é diferente pela natureza própria do destino, pois a Receita entende que em Ciudad del Este é praticado o turismo de compras, ou seja, as pessoas vão para lá especialmente para comprar coisas – dificilmente alguém vai a Ciudad del Este com uma câmera que já tem para tirar fotos de férias e voltar, não é? Então, claro que o julgamento final é dado pelo fiscal que está lá na hora, mas se ele parar uma pessoa com uma câmera novinha, ele pode considerá-la parte da cota sim, pela natureza do destino, que é focado no turismo de compras.
      5. Voltando: essa cota de 300 dólares é válida por 30 dias (como expliquei no item 1). E recomenda-se que você ande com a nota fiscal dos seus itens mais antigos, para provar que você os tinha antes de viajar (caso seja parada no aeroporto, por exemplo).
      6. Se você exceder o valor, será cobrada uma taxa de 50% sobre o que excedeu (exemplo, se você gastou 500 dólares em compra, a taxa será de 100 dólares, que corresponde a 50% do valor excedido da cota, ou seja, 200 dólares a mais). Você pagando a taxa na hora, na própria aduana de entrada em Foz, você receberá o documento assinado e carimbado que comprova o pagamento da taxa. Com esse documento, você poder circular com seu produto sem problemas, pois ele funciona como uma nota fiscal. Não terá problemas no aeroporto, nem na saída de Foz, nem em qualquer outra futura viagem internacional que você possa vir a fazer e levar este produto. Por isso, é sempre o mais recomendado! 🙂
      7. Se você exceder a cota, não declarar e não for parada na alfândega, pode ser parada no aeroporto sim – e se isso acontecer, como é considerada zona secundária (ou seja, o produto já está dentro do país de forma ilegal), a Receita pode apreender, sem chance de recuperação. Nem chororô.

      Espero ter respondido as suas dúvidas! 🙂

  34. Deni says:
    25 de September de 2012 at 11:06 Your comment is awaiting moderation.

    Bom dia!
    Adorei o site, já está add em meus favoritos!

    Tenho viagem programada para Foz, pretendo fazer algumas compras no Paraguai e Agentina, mas tenho algumas dúvidas, será que pode me ajudar?

    O valor de 300,00 dólares é p/ a viagem toda ou esse valor é p/ cada país Paraguai e Argentina?

    As compras no Duty Free Puerto-Iguazú entram na cota dos 300,00 dólares ou não?

    Tenho que declarar o que estou levando, por ex. máquina fotográfica? Onde faço isso?

    Tem alguma mercadoria isenta dos 300,00 dólares ou qualquer coisa que comprar soma? Li em algum site que câmera, celular, relógio qdo 1 unid. ñ entra, mas está regra ñ se aplica ao países do mercosul, pela facilidade de acesso. isso vale p/ compras vindas dos EUA. Confere?

    Esse limite da cota, de 300,00 dólares, é só se for parado no dia da compra?

    Se exceder o valor e pagar o imposto na fronteira o mesmo será cobrado no aeroporto?

    Se exceder o valor, mas e ñ for pego na fronteira terei problemas no aeroporto?

    Desde já agradeço!!
    Um grande abraço!!

  35. Boa tarde, Sou de São Paulo e farei o trajeto de ida e volta para Foz saindo da rodoviária do tietê. Meus planos são fazer compras no Paraguai. Não comprarei eletrônicos, somente cosméticos e roupas e certamente passará da cota de U$300, se eu passar sem problemas pela fronteira do Paraguai e levar as mercadorias para o hotel e posteriormente do hotel para a rodoviária de foz, corro risco de ser revistado na rodoviária de Foz?
    Obrigado

    OBS: passagens de onibus para Foz ou diretamente Ciudade del Este, encotra-se no site da aviação Pluma. (www.pluma.com.br)

    • Felipe, a fiscalização da receita federal acontece em dois pontos: na alfândega entre Ciudad del Este e Foz e nas saídas de Foz do Iguaçu (ou seja, no aeroporto e nas estradas, e não na rodoviária). Quase todos os ônibus são revistados na saída da cidade e, nesse caso, como os produtos já estão ilegalmente no país, caso haja a revista, os produtos são apreendidos, sem chance de recuperação nem pagamento de taxa. Portanto, para viajar tranquilo, a recomendação é declarar na alfândega e pagar a taxa de 50% sobre o excedido (exemplo, se as suas compras somarem 400 dólares, você pagará 50% sobre o que excedeu, ou seja, 50 reais). Ainda assim, mesmo pagando a taxa, as compras ainda saem em conta, e sem o risco ou a preocupação de ser parado na alfândega.

  36. boa noite

    suponhamos que eu compre um produto que custe 500 dólares.
    como a receita federal vai saber que tal produto efetivamente custa este valor?
    Suponhamos que eu mando o vendedor da loja colocar na nota que o produto o valor do produto foi 250 dólares. isso funcionaria?

    obrigado

    • Oi, Wagner! Olha, esse é um “truque” antigo que a polícia federal está careca de saber e que, segundo a última vez que falamos com eles, pegavam uns 10 casos desses por dia. Para começar, a nota paraguaia não tem a menor validade aqui, em nenhum aspecto (o que tem validade de nota fiscal é o DARF alfandegado, ou seja, o documento que comprova o pagamento da taxa que você fez ao entrar com o produto no Brasil). E outra, a Receita sabe exatamente o preço de tudo, porque quase todas as lojas paraguaias tem site na internet, e eles acessam fácil o preço, seja pela internet, seja pelas listas de preços (atualizados) que eles consultam. Ou seja, não vai colar!

  37. Clarissa, duvidas!

    1- Como levar as compras feitas no paraguai para o brasil:

    a) Nas sacolas que são dadas pelas lojas ou;

    b) Levo uma mochila de costa, dessas de mochileiro mesmo, e ponho minhas compras dentro para ter mais segurança.

    2- É perigoso a ponto de puxarem as compras da nossas mãos enquanto estamos na rua?

    • Olá, Enzo! 🙂

      Em relação a como levar as compras feitas no Paraguai, acredito que depende do que você vai comprar e de como acha mais fácil carregar. Eu, particularmente (mas isso é uma opinião absolutamente pessoal), prefiro carregar na mochila por uma questão de ter mais conforto, colocando as compras lá atrás e ficando com as mãos livres. Mas já andei com sacola também, sem nenhum problema.

      Na rua não há perigo a ponto de te assaltarem ou arrancarem as compras da sua mão, mas vale a pena abrir o olho como você faria em qualquer lugar em que há uma multidão. Não acontecem roubos com violência, mas um lugar com muita gente zanzando (a famosa “muvuca”) é bem fácil ser furtado, como abrir o bolso da sua mochila e tirar um objeto de lá, por exemplo. Então na rua, minha sugestão seria: se vai usar mochila, ande com ela na frente, ao alcance dos seus olhos. Sacolas de compras podem ser levadas na mão, mas só abra o olho na hora de apoiá-las em algum lugar (segundos de distração e pode ser que sua bolsa não esteja mais lá). Itens mais caros, como eletrônicos, eu colocaria na mochila, em um lugar mais seguro. Mas fora isso, dá para andar normalmente sim! 🙂

  38. Oi pessoal, uma dica… NUNCA comprem em lojas que contenham no nome SONY. Muitos colocam Sony no nome da loja para enganar os compradores, dizendo que são importadores da tal marca. Trabalho ha 15 anos no Paraguay e sei como isso é.

    e outra. Não comprem produto sem marca. Por mais que tenha marca na caixa, no aparelho tem que ter tambem.

    celulares que tem antenas e com marcas famosas são falsifiacados, celular original não contem antena de tv;. muitos vendem eles como originais.
    obrigado..

  39. Se por acaso eu for pego já dentro do Brasil pela PF com uma garrafa de bebida de U$ 800,00 que não tenha sido declarada, o que acontece?
    Toda a mercadoria é apreendida ou apenas o que está acima da cota? Isso caracterizaria crime de descaminho ou com a apreensão o assunto morre ali mesmo? É possível ainda pagar alguma taxa sobre os produtos não declarados já no Brasil caso seja pego pela fiscalização?

    • Pablo, pelas regras, se você foi parado já no aeroporto ou na estrada saindo de Foz, por exemplo (e, portanto, já dentro do Brasil), se uma garrafa (ou qualquer produto) custe 800 dólares e não tiver sido declarado na sua entrada, a Receita tem autorização de apreender mesmo, e sem chance de pagar a taxa, já que se trata de zona secundária e, portanto, o produto já entrou ilegal no país.
      Quanto à sua dúvida sobre crime de descaminho, lamento mas não sei dizer – porém, creio que, como na maioria das vezes, deve depender da decisão do fiscal no momento, que tem autoridade para decidir de acordo com cada caso.

  40. Pessoal CUIDADO com a Loja Info Sony localizada no Shopping Americanas, 1º piso. Ali se encontra a maior quadrilha de golpistas de todo Paraguai. Eles te enganam no preço das mercadorias, na conversão de dinheiro, no produto, cobram duas até tres vezes no cartão dizendo que caiu o sistema, ou que não foi aceito e ainda te passam caixa com “nada” dentro, ou com mercadoria que não funciona mais!

    • Uiara, não é perigoso e muita gente vai até lá para isso. Mas lembramos que pneu de carro não é considerado “bagagem” e, portanto, se a receita parar e encrencar, você pode ter os pneus apreendidos. Sem taxa e sem argumentos.

  41. olá estou de viagem marcada pro paraguai e queria aproveitar pra comprar um oculos rayban aviador.. ser q vale apena? me indica alguma loja ou sabe o valor aproximado? obrigado

    • Olá, Ronaldo! Os preços no Paraguai são bem melhores que os do Brasil, mas nem tanto se comparados com os preços dos Estados Unidos. Quando você for, dê uma olhada na Monalisa ou na Sax (esta última tem o maior estoque de óculos da América do Sul). Você pode encontrar ótimos modelos a preços bem melhores que os do Brasil.
      Só cuidado com modelos de óculos vendidos em barracas na rua: grandíssimas chances de comprar falsificado!

    • Bruno, por roupas de frio você fala as de neve? Não vi marcas como North Face ou Columbia, mas vi roupas de marca na MOnalisa e Sax, por exemplo. SE for casacos de moletom, tinha bastante loja oferecendo casacos da Abercrombie and Fitch e Hollister, vale a pena conferir os shoppings.

  42. Clarissa, seus posts são ótimos, mas vários detalhes e dicas precisam ser dadas.

    1) só utilize de empresas de turismo se você for inexperiente em viagens e desconhecer regiões de compras em grandes aglomerações (tipo 25 março, Brás etc).. Tais agências levam vc ao Shopping del Leste e passam a impressão de que você está indo a uma zona de guerra e malandragem. O risco é idêntico aos locais acima mencionados e malandragem tem em todo lugar;

    2) vá de carro, o trânsito não é pior que o do centro de SP. Estacione no Shopping de Leste, que não terá qualquer problema. Logo que passar a aduana paraguaia, no primeiro retorno você cruzará a avenida e dará de cara com o shopping, mais 300 metros vire a esquerda cruzando a via e estará no estacionamento;

    3) se for comprar eletrônicos, procure pelas distribuídoras, você não terá problemas com o produto e a variação de preço, que geralmente é pelo valor mais baixo, é mínima. Nomes: Compubrás, Mega10 e Excell. Não há riscos, dão garantia, testam os produtos. Nunca tive qualquer problema;

    4) Monalisa e Sax só se for para passear, tudo é muito caro. Talvez perfumes na Monalisa, mas só os de promoção;

    5) Casa China, Nippon e outras traducionais, fora dos shoppings, são melhores para bebidas e perfimes;

    Depois dou mais dicas.

  43. Continuando…
    6) aproveite as lojas médias de bugigangas para garimpar coisas boas: comprei uma caixa de pilhas Panasonic, tipo AA, por US$ 10,00, vindo 80 pilhas; paguei US$ 2 por cada suplá de plástico, com detalhes em dourado e prata, que numa loja do BR custa R$ 15; material de escritório como grampeadores, clips, grampos, marca-texto, canetas tipo Bic etc é quase de graça. São todas da China, como quase 100% das que são vendidas aqui. Enfim, dá para garimpar muita coisa;

    7) uma dica de ouro: ferragens de casa, lustres e objetos de decoração. Tudo isso no Brasil é um assalto, lá dá para comprar por 20, 30% do valor vendido aqui. Dois exemplos: uma torneia gourmet que na Leroy custava exatamente R$ 1.190,00, lá paguei US$ 150,00. Um lustre completo que na mesma loja citada custava R$ 2.500, paguei US$ 380,00. Tem de tudo, como cubas suspensas de vidro, torneiras de banheiro, porta toalhas, coifas etc etc. Lojas: A&D, Diva, Setga, Casabella;

    8) perfumes: a mesma coisa das bebidas, compre só nas lojas tradicionais, como Nippon, China, Macedônia etc. Uma dica interessante: cogite comprar perfumes no Freeshop da Argentina. O preço de perfumes varia pouco,muitas vezes é até mais barato no Freeshop, com dois detalhes:como o valor de perfume bom é relativamente alto, dois ou três frascos e vc já estourou a cota. E mais, se os preços são os mesmos, guarde o dinheiro vivo para o Paraguai e use seu cartão de crédito no freeshop, pois não cobram qualquer acréscimo. Penso o mesmo sobre bebidas, principalmente destilados, pois o estoque de vinhos é meio fraco. Também acho muito mais confiável o freeshop para tais produtos;

    9) hoteis em Foz: fuja das empresas de turismo. Hoteis caros e manjados. Vão querer te empurrar jantares, shows em churrascarias etc. Busque hoteis no Hoteis.com, booking.com etc. Um excelente hotel custo benefício: Best Western Tarobá, paguei R$ 100 a diária em quarto novinho, cama box, ar split, café incluso, perfeita localização;

    10) vá jantar na Argentina. O preço subiu de um tempo para cá, mas vale a pena pela experiência. Cito um restaurante que já foi mais barato, mais ainda está no preço e vale a experiência: Chama Tio Querido. Se tiver um segundo dia ou quiser economizar, vá na feirinha do centro. Encontrará porção de frios local, de ótima qualidade. Também tem as deliciosas empanadas, muito em conta e deliciosas. Aproveite para compras azeitonas, que são divinas, pessegos em calda e salames. Além do preço, são deliciosos;

    11) nunca compre nada de ambulantes (esses que vendem camisinha musical, remédios, cintos etc) nas ruas. Além da evidente má qualidade, els te cercam e sabe-se lá o que pode acontecer. Se for comprar algo nas ruas que seja nas barracas mais centrais, onde encontrará boas bermudas masculinas, algumas ferramentas, lanternas e imitação de camisas de times de futebol. Mas sempre negocie muito, consegue-se ótimos descontos. Dos ambulantes, simplesmente os ignore, não dê resposta e caminhe em frente, jamais pare ou dê a mínima atenção, senão eles cercam mesmo.

    Por enquanto é só.

    • oi Diego, estou querendo ir na Setga para comprar itens para minha casa, como cubas, chuveiros, torneiras, etc, sabe se eles despacham pra foz? pelo montante acredito que vou ter que declarar tudo, sabe qual a taxa? e no caso de eu comprar muito sabe se vou poder despachar por avião? Obrigada

      • Olá, Flávia. A taxa para declarar é sempre de 50% do valor acima da cota, que é de 300 dólares. Ou seja, supondo que suas compras totalizem 500 dólares, você precisa pagar 100 dólares de taxa, que equivale a 50% do excedido na cota (no caso, 200 dólares a mais).
        Não, eles não entregam em Foz (é considerada entrega internacional e há uma série de trâmites). Ou seja, fica o aviso: quem oferece esse serviço de entrega está fazendo por debaixo dos panos e, se houver algum problema, ninguém se responsabiliza…. Mas como você vai declarar tudo, você pode alugar um carro em Foz e fazer você mesma o transporte, e chegando em Foz contratar uma empresa para fazer a entrega até a sua cidade de origem. O problema de despachar por avião é o excesso de peso que você vai pagar, e pode ser que as companhias aéreas não aceitem – eu recomendaria um transporte terrestre mesmo, com garantia, seguro e tudo bonitinho…

      • Reitero as dicas da Clarissa. Exatamente o que ela disse. Lembro que a fiscalização do aeroporto é muito mais rígida, logo, certamente terá problemas.
        Considere fazer a viagem de carro. Vá sem pressa, se não tiver experiência de longas viagens, vá dormindo no caminho. De carro vc trará tudo com muito menos riscos.
        Das lojas, cote antes na A&D. A Setga tem mais variedade, mas sempre consegui melhor preço na A&D em ferragens e lustres.
        Outra coisa: use dólares. Pelo jeito, o valor final das suas compras será alto e conseguirá melhores descontos e “arredondamentos” de preço.
        Dica final: comprei uma coifa no exato modelo de 6bocas da Eletrolux, painel digital. Brasil era R$ 1.750, na Setga paguei US$ 350.
        Abs

  44. Onde encontro produtos para motociclistas??
    Jaquetas, botas, calças e luvas??

    quero comprar um escapamento para uma moto que tenho: onde encontro e pergunto se isso é permitido trazer para o Brasil

  45. Oi Clarissa.
    Primeiramente, parabéns, todas as dicas e compartilhamentos são de grande valia…

    Pretendo ir ao Paraguai no proximo dia 24/01…

    Quero comprar produtos da SALLY HANSEN, VICTÓRIA’S SECRETS, BOLSAS, CARTEIRA, RELÓGIOS E ROUPAS DA HOLLISTER e ALBERCROMBIE…

    Por gentileza, me ajude, onde posso encontrar lojas que vendam estes produtos???

    Ah, lá tem walmart, cvc e wallgreens como nos EUA?

    • Oi, Lucilene! Obrigada pelos elogios, ficamos felizes que tenha gostado!

      Vamos lá: vamos ver se consigo ajudá-la!
      – Não, lá não tem walmart, CVC e wallgreens. Mas tem alguns produtos cosmeticos que também vendem por lá, caso você esteja procurando.
      – Não reparei na marca Sally Hansen, mas foi porque não reparei mesmo pq não costumo usar. Então não sei dizer se tem por lá.
      – Victoria’s Secret: existem alguns quiosques vendendo no Shopping Ciudad Del Este (um dele se chama elite store). A Nave Shop também vende na parte de cosméticos. Eu evitaria as lojas pequenas de rua.
      – Hollister e Abercrombie: achei uma loja pequenininha, próxima ao Macdonalds, no piso térreo do Shopping Vendôme. Lembro que era original e os preços eram bons. Mas não sei se haviam acessórios como bolsas, carteiras e relógios. Esses talvez você encontre nas lojas dos andares superiores desse shopping. Mas confesso que nos acessórios eu não prestei muita atenção.

      Espero ter ajudado! 🙂

  46. Adorei o post, boas dicas!
    Pretendo ir ao Paraguai e queria saber se é possível encontrar lojas que vendem Iphone original ou só encontrarei os famosos Hiphones? Obrigada pela atenção!

  47. Boa tarde Clarissa, tudo bem?

    Primeiramente parabéns pelo site.

    Duas dúvidas:

    1 – o que não passar da cota, não preciso declarar?
    2 – posso ir tranquilamente de ônibus circular entre foz e o paraguaí? Tanto na ida como na volta?

    • Oi, Antonio, tudo ótimo, e você?

      Obrigada, fico feliz que gostou do site!

      Olha, quanto às suas perguntas, a Receita sempre recomenda declarar todos os itens, mesmo os que não extrapolaram a cota. Mas muita gente não faz isso…
      Agora, fico te devendo essa informação, mas vou tentar procurar saber e te respondo aqui. Mas quando eu fui, não vi ônibus circulares não, e não sei dizer se existem. De qualquer forma, o transporte de ônibus, pelo que eu vi, passa pela aduana, e geralmente sob um bom pente fino…

      MAs, mais uma vez, é só o que eu vi. Mas vou confirmar direitinho e te respondo por aqui, pode ser? 🙂

  48. Como vai Clarissa? De parabéns p/ site. De muita ajuda p/ os iniciantes.
    Talvez vc me dê algumas dicas:
    >viajo p/ Foz e indo ao PY e na volta ter que apresentar o DBA, mesmo não comprando nada, posso no outro dia comprar dentro da isenção??
    >E passando dos $ 300,00, eu pagando o imposto dessa diferença, fica legalizado essa diferença de compra, para no aeroporto os fiscais liberarem a mercadoria??
    Desde ja´, agradeço.

    • Fernando, você pode comprar no outro dia sim. A lei diz que você tem uma cota de 300 dólares para quem entra no país por via terrestre, e esta cota é válida por 30 dias.
      E se você passar da cota, procure declarar os produtos na entrada do país, ali na Ponte da Amizade. Você só paga 50% do que extrapolar a cota, não paga multa (afinal, você se apresentou espontaneamente) e ganha um documento que certifica que o produto entrou no país com taxas pagas e, portanto, está legalizado dentro do Brasil. Ou seja, você pode levar o produto quantas vezes quiser para fora do Brasil, que no retorno é só apresentar esse documento, que serve como uma notya fiscal. E sim, você passa tranquilamente pela Receita Federal na saída de Foz também! 🙂

  49. Bom dia !
    Estou indo para Ciudad del Este, mas não tenho intenção de passar do limite de 300,00 dollares, se eu for pela Loumar Turismo, ela pára na ida e na volta na receita ? como a Plicia Federal vai saber que eu entrei no Paraguai mais de uma vez ? posso entrar outras vezes na mesma viagem, sem comprar nada ?
    Fico muito grato pela resposta.

    • Oi!
      Olha, tanto a Loumar Turismo quanto qualquer outra van de transporte não pára espontaneamente na Receita, é a Receita que pára eles! 🙂 Eles fazem inspeção aleatoria, parando alguns veículos, por isso é recomendável, para quem for fazer as compras ou ultrapassar a cota, parar espontaneamente e pagar a taxa, já que se forem pegos, podem ter ainda ter pagar a multa por não terem declarado.
      Como o acordo do Mercosul, você pode entrar e sair quantas vezes quiser do Paraguai sem problemas, mas a lei diz que as cotas de 300 dólares são para quem atravessar a fronteira por via terrestre, e tem validade de um mês.
      Ou seja, você não comprando nada pode ir e voltar quantas vezes quiser! 🙂

    • Se me permite Clarissa gostaria de relatar meu ocorrido com a LOUMAR TURISMO ano passado e também passando uma dica para Saraiva,ano passado fui 2 vezes para Foz pela Loumar,e já tínhamos orientações de outros turistas que ao voltar do PY e passar pela receita caso necessário fosse cadastrar apenas 1 RG que te limita a 30 dias de retorno após a data,na 1ª vez ao passar pela alfândega o motorista da loumar na frente do fiscal ficou insistindo para que eu me esposa cadastra-se os dois RGs,o fiscal percebendo que não queríamos foi para trás da van,mesmo assim o motorista insistiu e levou os 2,impedindo assim que retornassemos ao PY e comprássemos mais coisas,além de termos sido MUITO MAL ATENDIDOS PELA LOUMAR,caro Saraiva tem várias vans que fazem o leva e trás de Foz ao Py,é possível até mesmo ir de ônibus,mas te recomento no próprio hotel que ficar solicitrar na rec epção outra operadora de leva e trás que não seja a LOUMAR,o limite é de 300 dólares,fizemos o trajeto tanto pela van como de ônibus,ambos a receita para,eles só encrespam quando é algo eletrônico e grande,caso o que vc for trazer muitas coisas tente ir mais de 1x,e tente não entregar seu RG para cadastro para que vc não fique limitado.
      Att.

      • Olá, Adriano.
        Sou gerente de comunicação da Loumar Turismo agradecemos a preferência nas duas vezes que esteve em Foz do Iguaçu. A Loumar Turismo é a maior operadora receptivo da região e atua há mais de 20 anos no mercado turístico de Foz. Um dos nossos principais produtos é o Leva & Traz.
        Como somos uma empresa séria e idônea precisamos e fazemos tudo dentro da legalidade.
        Como já citado em outros comentários, não é a Loumar que decide parar na aduana, só paramos quando o cliente decide cadastrar o produto ou quando os fiscais da Receita solicitam. Quando isso acontece eles pedem para todos a identidade para cadastro. E muitas vezes este cadastro de RG não é para o cancelamento da cota, somente para registrar a saída/entrada do país.
        Agora sobre o mal atendimento que o sr. comenta no post, gostaríamos de saber o ocorrido para abrir um chamado interno dentro da empresa. Para nós, o atendimento ao nosso turista é fundamental.
        Me coloco inteiramente a disposição para futuros esclarecimentos.
        Atenciosamente,
        Garon Piceli.

        • oi Garon, estou querendo ir na Sefna e pretendo comprar muita coisa para minha construção, pretendo declarar tudo mesmo porque são itens grandes, como loustres, cubas, torneiras, etc, sabe se tem algum despachante, ou cargo que possa despachar isso pra mim em minas gerais? porque pretendo ir de avião pra foz e pedir postagem dos itens pela sefna mesmo se é que eles podem fazer isso, obrigada

          • Oi, Flávia, respondi sua pergunta aqui, ó: “A taxa para declarar é sempre de 50% do valor acima da cota, que é de 300 dólares. Ou seja, supondo que suas compras totalizem 500 dólares, você precisa pagar 100 dólares de taxa, que equivale a 50% do excedido na cota (no caso, 200 dólares a mais).
            Não, eles não entregam em Foz (é considerada entrega internacional e há uma série de trâmites). Ou seja, fica o aviso: quem oferece esse serviço de entrega está fazendo por debaixo dos panos e, se houver algum problema, ninguém se responsabiliza…. Mas como você vai declarar tudo, você pode alugar um carro em Foz e fazer você mesma o transporte, e chegando em Foz contratar uma empresa para fazer a entrega até a sua cidade de origem. O problema de despachar por avião é o excesso de peso que você vai pagar, e pode ser que as companhias aéreas não aceitem – eu recomendaria um transporte terrestre mesmo, com garantia, seguro e tudo bonitinho…”

  50. NÃO COMPRE NA LOJA SONY BRASIL NO SHOPPING AMERICANA FICA LOGO NA ENTRADA LADO DIREITO LOJA PEQUENA O DONO É UM BRASILEIRO MORENO NOME DELE É GIL FUI ENGANDO POR ESSE LADRÃO,ELE ENTREGA EM FOZ EM QUALQUER HOTEL OU POUSADA PERDI 250 DOLARES PARA ESSE LADRÃO COMPREI UMA CAMERA ELE MANDOU OUTRA LENTE MAIS BARATA INFERIOR A QUE EU TINHA COMPRADO.

    • NÃO COMPRE NA LOJA SONY BRASIL NO SHOPPING AMERICANA FICA LOGO NA ENTRADA LADO DIREITO LOJA PEQUENA O DONO É UM BRASILEIRO MORENO NOME DELE É GIL FUI ENGANDO POR ESSE LADRÃO,ELE ENTREGA EM FOZ EM QUALQUER HOTEL OU POUSADA PERDI 250 DOLARES PARA ESSE LADRÃO COMPREI UMA CAMERA ELE MANDOU OUTRA LENTE MAIS BARATA INFERIOR A QUE EU TINHA COMPRADO.

  51. Parabens pelo Blog, gostaria de saber no Aeroporto de Foz,na volta, eles fazem vistoria de TODOS os passageiros que irao fazer cheque in? ou é aleatorio?
    grato.

  52. Boa tarde pessoal!.
    Estou querendo ir no PY para revender alguns produtos em minha cidade, a maioria Perfumes e Roupas. Porém nunca fui para o paraguai, nem de onibus ou avião.
    Li alguns comentários só que fiquei com algumas duvidas, agradeço se puderem me ajudar.

    * Geralmente pagam quanto na passagem?
    * Minha intenção é ir em um dia e voltar no outro, posso fazer de 2 a 4 viagens por mês sem ter algum problema?
    * A cota é de U$ 500 para quem entra no PY correto? Se eu troxer U$ 500 certinhos em perfumes e declarados, posso ter algum problema com relação a “pensarem” que vou revender?

    Obrigado.

    • Gustavo, vamos lá! Vou tentar ajudá-lo!

      1. Quanto a passagem, eu não posso ajudar muito, porque depende do seu destino de origem, de chegada, se você vai chegar por Foz por via terrestre ou de avião por Ciudad del Este. Sugiro você dar uma pesquisada nos sites de companhias aéreas para ver os voos com destino a Foz do Iguaçu (é mais perto ir a Foz e fazer o deslocamento de carro a Ciudad del Este que pegar o avião direto para o Paraguai). Mas de qualquer modo, há sempre várias promoções de passagens ótimas para Foz, e de lá até o Paraguai paga-se 45 reais a ida e volta (e é bem cômodo).
      2. A Receita Federal estabelece uma cota de 500 dólares de compras se a entrada no país é feita por via aérea (no caso, saindo do Aeroporto de Ciudad del Este a qualquer cidade brasileira) e 300 dólares para entrada por via terrestre (indo de Ciudad del ESte a Foz a pé, de carro, moto, van, etc). Esta cota é válida por um mês, então mesmo que você entre e saia do país diversas vezes em 30 dias, a cota é uma só para aquele período. Ou seja, se a Receita te parar, você pode ter problemas sim.
      3. Como expliquei ali em cima, a cota de 500 dólares é apenas para via aérea, para entrada e saída em Foz a cota é de 300 dólares. E sim, eles podem encrencar sim porque não depende só do valor, mas sim da quantidade de produtos que você está trazendo. Como eu expliquei no post, eles não encrencam com 1 caneta de 300 dólares, mas sim com 300 canetas de um dólar, que pode ser considerado contrabando.Aqui neste link tem um documento que explica direitinho esse lance das quantidades!

      Espero que eu tenha ajudado! 🙂

  53. Boa noite, estou em Belo Horizonte, gostaria de saber se você conhece alguem que possa me ajudar a fazer compras no paraguai, nunca fui e estou muito perdida. Obrigada.

    • Mariana, teremos o maior prazer em te ajudar. A maioria das dicas estão aqui neste post, especialmente no que tange aos procedimentos de ida e volta de lá. MInha indicação para transporte é a Loumar turismo, que cuida do Leva e traz até a cidade e que achei um serviço mão-na-roda. Eles possuem ainda um serviço de “personal shopper” (se é isso a que você se refere), caso você queira ir a lojas determinadas para fazer compras de itens específicos – e o mais importante: não cobram comisssão da loja. Acho, exatamente por esse motivo, que você deve fugir de vendedores que abordam no meio da rua, pois eles ganham comissão das lojas para onde te levam – ou seja, estão mais preocupados com o que vão ganhar do que com o que você gostaria de comprar. Aqui nesta relação de comentários tem dicas preciosas de lojas onde vende cada coisa, então vale a pena pegar a dica na hora de ir para lá. Espero que tenha ajudado!

  54. Ola,
    Gostaria de saber se há fiscalização da policia ao sair de Foz do Iguaçu, sendo que minha viagem sera de carro. Eles param para vistoriar os produtos??Pois, qero voltar com um notbook não declarado pela receita, se passando por um objeto pessoal meu. Tenho que fazer isso pois o valor da cota nao me permite comprar um.

    • Oi, João! Há fiscalização sim, e das boas. E a polícia sabe reconhecer direitinho um notebook novinho – mesmo que você alegue que ele é seu, ela vai te pedir a nota fiscal de compra aqui no Brasil (inclusive, quem já tem um notebook e vai levá-lo para Foz, recomenda-se que leve junto a nota fiscal para evitar a dor de cabeça).

  55. ah outra pergunta, se eu for sair da cidade Foz sentido a São Paulo, depois das 22h, há uma menor chance de ser parado pela fiscalização, corro menos risco? pois ja consegui a entrega de meu produto sem a declaração, mas ainda tem a fiscalização saindo de foz, e não queria perde-la, sendo que a cota não me permite trazer legalmente um notebook.
    obs: minha passagem é de carro.

    • João, honestamente não tenho como dizer um horário em que haja maior ou menor chance de ser parado – afinal, a vistoria da fiscalização é aleatória e, pelo que sei, se houver um lugar com uma “lacuna” de fiscalização, eles rapidamente irão suprir, pois estão acostumados a fazer isso todos os dias. Desculpe não poder ajudá-lo quanto a isso, mas não tenho essa resposta.
      Para ficar tranquilo mesmo, o ideal é sempre declarar, porque mesmo que o valor do notebook seja superior ao da cota, você só paga metade do que exceder a cota para legalizá-lo, e mesmo assim ainda sai bem mais barato que comprar no Brail – e sem a parte da dor de cabeça ao sair com ele.

  56. Quero saber, se vale apena compra relógios e bijuterias no Paraguai, como troca o real pelo dinheiro deles ou melhor troca Dolar e onde é mais seguro fazer essa troca.

    Souza

    • Oi, Souza! Vamos lá:
      1. Em relação ao câmbio, nem vale a pena trocar pela moeda deles. Você também pode comprar em reais, mas saiba que o câmbio vai ser sempre desfavorável para você. O melhor mesmo é levar dólares em cash e comprar lá com as notas. Também não vale a pena comprar no cartão de crédito, sempre é cobrada uma taxa em cima. Tem várias casas de câmbio em Foz, que são seguras, peça para o seu hotel indicar a mais próxima a você. Mas eu recomendaria trocar em Foz e não no Paraguai;
      2. Quanto aos relógios e bijuterias, depende do que você procura. 😉 Se você busca relógios de marca, eu aconselharia a buscar nas grandes lojas e shoppings – mas se você quer relógios e bijouterias baratas, você vai achar muitas opções a preços bem baixos – mas lembre que a qualidade muitas vezes é proporcional ao preço. Vi bastante bijouterias baratas e bonitinhas, mas minha opinião seria fazer a compra sempre nos shoppings e lojas de departamento, e fugir dos camelôs de rua.

  57. Olá Clarissa!

    Irei ao Paraguai semana que vem, escolhi o sábado para fazer as compras. Quero montar um computador (sei de cota, sei que se passar tem que pagar 50% e blá blá blá), mas farei o seguinte: colocar o processador no bolso (ele é pequenino), as memorias RAM no bolso também, O ssd no bolso também (tem o tamanho de um celular (se eu somar esses dois da $655) e vou deixar na mochila nas caixas bonitinho como “declarável” a placa mae e a fonte que são grandes e tbm se pegarem nao da a cota ($150 e $100 respectivamente), a placa de video vou colocá-la no fundo da mochila sem caixa, debaixo de uma camisa no compartimento do bolso para notebook e vou pôr um caderno pra dar uma disfarçada também pq só ela vale $500.
    Vou de Loumar Turismo, a receita/policia param muito essas vans ou eles tem esquema pra não parar?

    Não quero jogar as caixas fora pq tem manual, cabos e talz, será que se eu levar uma sacola com todas elas eu posso me dar mal?

    Me ajuda, não quero pagar imposto!!!

    O que você sugere? Declarar tudo não rola vai dar mais de R$1200,00 só de imposto!

    • Puxa, você me colocou numa situação complicada, hein? 😛

      Olha, não existe um “esquema” que pare menos as Vans da Loumar Turismo – elas podem ser paradas ou não pela fiscalização com a mesma probabilidade dos outros meios de transporte, afinal também estão sob a mesma lei que nós. A diferença é que são um serviço mais cômodo e confiável.
      Então, você pode até fazer todos estes preparativos, mas como a fiscalização é aleatória, será por sua conta e risco – eu não tenho como prever que você não será parado. Vale considerar, ainda, que não basta passar pela fiscalização da Ponte da Amizade, é preciso passar ainda pelas fiscalização da Receita no Aeroporto e nas estradas, que são tão rigorosas quanto (e no caso do aeroporto, possui raio-x). Só que a diferença ali é que, se a fiscalização te parar ali e você não tiver declarado o produto, ela apreende e pronto, não tem chororô.

      Me desculpe se eu não posso ajudá-lo muito, mas o único meio garantido que eu posso afirmar de você não ter dor de cabeça é declarando e fazendo as coisas certinhas – pensa bem, se você está dizendo que seriam 1200 de imposto, é quase certo que ainda assim seria mais barato que comprar todas essas peças no Brasil…

  58. Olá irei a Foz essa semana e gostaria de saber se é necessário eu declarar quando chegar no aeroporto meu notebook e celular que estou trazendo de casa para a viagem, sendo que devo comprar um celular lá.

    • Wallace, não existe mais o documento em que declarávamos os produtos que já tínhamos anteriormente à viagem. O melhor é você levar as notas fiscais originais desses produtos e apresentar caso seja solicitado (foi o que fiz e é o que a Receita recomenda).

  59. Eu quero saber onde comprar perfumes importados a Preço de Atacado, tanto faz ser Brasil ou Paraguai, alguma dica, me ajudaria muito, obrigado.
    Esse Blog está muito bom, muito bem elaborado, Me ajudou bastante.

  60. Ola, muito bom o blog!
    Estou indo este mês a Foz e como uma boa Brasileira vou fazer umas comprinhas no Paraguay.
    Bem, Estou querendo comprar um tablet, alguem me indica uma boa loja??? vou levar o meu Smartfone que tira fotos(tenho que levar a nota fiscal dele??)
    Estou levando uma sobrinha de 9 anos, ja fiz a autorização dela tudo como manda o figurino, ela quer comprar um PSP, posso declarar no nome dela la na Aduana???
    Meu filho tb quer comprar joguinhos para o PS3 tem que declarar???

    • Rosana, o ideal é que você declare todos os produtos – principalmente se ultrapassarem a cota de 300 dólares (e aí eu não sei a média de preço daqueles joguinhos do PS3, mas eles são considerados eletrônicos e devem ser registrados sim).
      Cada passageiro – incluindo crianças – tem direito a cota de 300 dólares, de modo que você pode comprar no nome dela sim, mas somente produtos que sejam compatíveis com a idade da pessoa (por exemplo, não dá para comprar uísque e cigarros e colocar na cota dela, por exemplo!).
      Leva a nota do seu Smartphone sim, sempre é uma boa levar para qualquer viagem, para evitar problemas.
      Quanto ao tablet, as melhores lojas para comprar são as distribuidoras: Compubrás, Mega10 e Excell.Fuja dos camelôs!!
      Espero que aproveite! 🙂

  61. Fui à cidade de Salto del Guayra para comprar um pc. Com a dica de um amigo, comprei na INFO CENTER. Processador I5, HD SEAGATE de 1 terabyte, boa placa de vídeo, etc… Com 2 meses de uso, o hd começou a dar problemas. Entrei em contato com a loja e ele me disse pra levar que ele trocaria. Um amigo levou e o cara disse que o fornecedor faria a troca… Passados uns 3 meses, sempre ligando pra ele, depois de muita reclamação pela demora, ele disse passaria pela minha cidade e que deixaria o hd com algum cliente e que era só eu buscar. Ele arrumou uma desculpa para não me trazer o hd. Reconheço que não era obrigação dele. Resolvi fazer uma viajem pra Salto e passar pra pegar o hd. Como não entendo muito do assunto, só vim perceber que a marca que ele me passou não era SEAGATE e sim WESTERN. Me conformei com a troca, mas quando instalei o hd, começou a dar problema na placa de vídeo. Levei para um técnico e, depois de vários testes, a solução foi utilizar a placa de vídeo ONBOARD. Vou ficar com o prejuízo da placa de vídeo também…. Demorei tanto para ter um bom pc e o resultado foi esse. Não compensa gastar um pouco menos e ter um produto de qualidade duvidosa. Agora, mesmo que gaste pouco mais, sempre irei em lojas que dão mais garantia e que certamente não terei problemas. Mesmo que tenha, com certeza o resultado do negócio será muito melhor. Indico o Shopping China e a Queen Anne.

  62. oi Clarissa,

    parabéns pelas dicas e principalmente com a atenção dada a quem precisa de ajuda.
    bom vou passar as férias com a minha esposa em foz, e como todos, vou no Paraguai (ver como é aquilo lá..rsrs) e no duty free da argentina.. daí te pergunto:
    1 – posso comprar 300 dólares no Paraguai e depois 300 dólares no duty free da argentina ?
    2 – como se dá esse processo de registro de mercadorias ? são produtos que eu comprei e declaro segundo a minha consciência ? (ex:.. se eu comprar um relógio e um óculos.. posso colocar no pulso e nos olhos e não declara-los?)
    3 – é necessário declarar roupas, mesmos que seja quantidade mínima ?
    4 – tenho um celular de ultima geração… é necessário levar a nota fiscal comigo ?

    desde já agradeço a atenção.

    • Oi, Ademar! Obrigada pelas palavras! 🙂
      Vou tentar ajudá-lo por aqui, vamos lá!
      1. Infelizmente, não. 3oo dólares é a cota de compra que você tem para compras por saída ao exterior, por via terrestre, e permitida pela Receita Federal dentro de um prazo de 30 dias. Ou seja, se um dia você foi ao Paraguai e gastou os seus 300 dólares lá, e no dia seguinte foi ao Duty Free da Argentina, este é considerado compra em território no exterior, porque fica na entrada do país, na Argentina, e você já teria extrapolado seu limite uma vez que foi ao Paraguai num prazo inferior a 30 dias.

      (Mas, se você fosse à Argentina, ou a qualquer destino no exterior por via aérea, você teria 500 dólares de cota a ser gasta no exterior + 500 dólares de cota a serem gastos no Duty Free de chegada no Brasil, aquele pelo qual você passa ao desembarcar no Brasil de um voo internacional. As cotas de Duty Free que são contabilizadas à parte da sua cota de compras no exterior só acontecem quando são feitas nas lojas de desembarque de aeroportos internacionais aqui no Brasil).

      2. O registro de mercadorias é feito na própria ponte da Amizade, tem um guichê da Receita lá. Sim, o registro não é obrigatório e sim aconselhável – e sim, você pode até registrar de acordo com a sua consciência, mas se o fiscal parar você, na aduana ou no aeroporto, e perguntar sobre um produto que não esteja registrado, você pode ter problemas, já que o produto pode ser considerado que está ilegal no país – e, nesse caso, se o fiscal parar você na ponte, você é obrigado a registrar, pagar o que extrapolar a cota e ainda uma multa. E se for no aeroporto, o produto é apreendido sem chororô. Ou seja, é por sua conta e risco!

      3. Como eu disse, é aconselhável declarar tudo (embora eu nunca ouvi falar de ninguém por causa de roupa). Mas neste link aqui (http://www.loumarturismo.com.br/informacoes-aduaneira-perguntas-frequentes-faq.html) tem uma informação sobre a quantidade limite de peças a serem levadas;

      4 – Eu recomendaria levar a nota fiscal sim, para evitar dor de cabeça e ser taxado de novo. Quando eu fui a Foz, eu levei meu notebook a trabalho e, por via das dúvidas, só andei com a nota fiscal dele, que foi para evitar problemas mesmo!

  63. Oi Clarissa, primeiro gostaria de parabenizar seu blog, pois muitas coisas q nao vi aqui na net, achei no seu blog. E claro fazer umas perguntinhas e tirar algumas duvidas se possivel.
    Entao, aqui vai minha sequencia, estou indo pela primeira vez ao paraguai apesar de ser bem viajado, recentemente retornei ao Brssil apos quase 6 anos morando na Nova Zelandia e Australia, e varias ferias na asia(indonesia,tailaindia,fiji,samoa,tonga,papua nova guine…)enfim sou fluente em ingles e espanhol, nao deveria ter medo de ir ao paraguai mas em relacao a compras onde ficar e para onde ir eh onde esta minha duvida.
    1. recomenda ir a foz ou voo direto ao paraguai? a cota seria a mesma,tenho um amigo q falou q paraguai seria bem melhor,estou voando de fortaleza-paraguai.
    2.em relacao a trazer coisas, a busca e constante,eles fiscalizam duro mesmo mesmo delcarando e pagando alguma taxa eles vao revistar toda minha bolsa ao passar no raio x vao contar tudo q to trazendo de muito ou nao? poderia me dar mais uma explicacao sobre essas coisas?
    grato

    • Olá, João Paulo! Obrigada pelas palavras, fico feliz que tenha gostado do blog!
      Vamos lá, vou tentar ajudá-lo! 🙂
      1. Muita gente opta por ir de avião direto por Ciudad del Este e voltar ao Brasil, porque por via aérea a cota é de 500 dólares, ao invés de 300. Porém, honestamente, a logística dessa opção é mais complicada, porque:
      a) O aeroporto de Ciudad del Este até a parte onde as compras são feitas é longe, você demora a chegar e, ainda, tem que alugar um táxi paraguaio (de minha parte, nunca ouvi nada muito positivo sobre eles, e vi de perto como o trânsito dentro do Paraguai é caótico;
      b) Não há hotéis na zona de compras de CDL, de modo que você vai ter que voltar para os hotéis Centrais, gastando ainda mais de táxi.
      Já indo para Foz, a divisa com a Ponte da Amizade é pertinho. Rola um engarrafamento básico na entrada e saída da ponte, mas você já sai na boca da parte de compras! E a estrutura hoteleira de Foz do Iguaçu é mais farta, com mais opções de preço.
      Ou seja, é uma questão de escolha, mas eu particularmente acho que no fim das contas a diferença de preço não é muito em relação às cotas, porque você acaba gastando mais no deslocamento, e é mais trabalhoso.

      2. Todos passam no Raio-X do aeroporto de Foz, mas a revista mais intensa é aleatória, e o oficial pode pedir para abrir todas as bagagens ou não, depende muito. De qualquer forma, se isso acontecer e você tiver com tudo declarado bonitinho, e taxas pagas caso tenha ultrapassado a cota (vale avisar que, mesmo pagando a taxa, mesmo assim sai mais barato que comprar no Brasil), você não terá nenhum problema. Porém, caso tenha trazido um produto que seja superior a cota, e não tenha sido declarado na alfândega no ato de entrada no Brasil, se você for parado no aeroporto não é nem questão de multa: o produto já é apreendido porque já entrou ilegal no país.

      Espero que tenha ajudado! 🙂

  64. ALERTA::
    FUI ENGANADO NA LOJA MEGA SONY NA GALERIA PALOMA, COMPREI A MAQUINA FOTOGRAFICA COM O VENDEDOR ESCOBAR, VERDADEIRO PILANTRA, EM REAIS E PASSARAM O CARTÃO EM GUARANI, FOI FEITO O CAMBIO EM DOLAR, PENSE NUMA CONFUSÃO. CHAMEI A POLICIA TURISTICA PERDI UMAS DUAS HORAS, ME LEVARAM PARA UMA TAL DE PROMOTORIA, MAIS UMAS DUAS HORAS, VOLTEI NA LOJA COM OS POLICIAIS, SÓ PERDI TEMPO, PAGUEI MAIS CARO QUE NO BRASIL, E AINDA PAGUEI O MAIOR MICO, MAS AGORA JÁ ESTOU VACINADO, POR ISSO MUITO CUIDADO, PRA QUEM VAI PELAPRIMEIRA VEZ.

    • Oi, Lucas, Tudo bem? Olha, eu ouvi dizer que é lei que todos os postos de correio em Foz abram a caixa de encomenda antes de mandar para saber que produto que é e se tem nota fiscal. E ouvi dizer que isso funciona direitinho, então acho meio arriscado você fazer isso. Mas é minha opinião!

  65. Olá, Clarissa! Tudo bem? Adorei suas dicas (super anotado…rs) Estou indo para PY no final do mês, e estou querendo comprar um carrinho de bebe, da marca Quinny, vc indica alguma loja? E outra pergunta… pelo que busquei o valor do modelo que quero custa em torno $ 720,00, que ultrapassa o valor da conta, mas esse carrinho é para uso pessoal, terei que pagar o valor excedente? Obrigada.

    • Oi, Carol!! Obrigada, que bom que gostou do post! ?)
      Olha, eu não conheço a marca Quinny (é aquela coisa: como não sou mãe, não tenho esse know-how de algumas marcas), então pode ser que tenha lá e eu não vi porque não reparei. Mas para criança vi uma loja da Chicco, que tinha de tudo, e tinha carrinhos bacanas também, não sei se serve. Ela ficava no prédio do Shopping Bonita Kim.
      Quanto à sua pergunta da cota: a Receita Federal entende que qualquer produto que passa da cota de 300 dólares deve ser declarado, independente se for considerado de uso pessoal. Portanto, nesse caso, se as suas compras totalizam 720 dólares, você teria que pagar de taxa 50% do valor que extrapolar a cota permitida.. Ou, em outras palavras, se a cota é 300 dólares e você extrapolou 420 dólares, o valor a ser pago é metade disso: 210 dólares.

  66. Parabéns! Gostei muito do seu blog.

    Este foi um dos melhores posts que já li sobre Compras Paraguai… Temos um relato sobre as Missões Jesuíticas… dá uma passada lá para ler!

    muitaviagem.com.br/viagens-paraguai-assuncao-compras/

  67. Olá Clarissa, td bem? Parabéns pelo blog, é simplesmente perfeito. Sem falar na sua atenção em tirar todas as dúvidas postadas. E por falar em dúvidas, vou pra Foz em novembro, e fechei um pacote com a CVC para o transporte até o Paraguai. Vi nos comentários vc citando muito a Loumar Turismo, então sabe me dizer se a CVC é boa nesta região? Fui para Porto Seguro e sei que lá (e em vários lugares do país) eles “dominam” o turismo. Sabe se a regra vale para PY? Outra coisa, sabe onde é melhor comprar artigos de couro? Argentina? Muito obrigada. Bus

    • Oi, Daiane, tudo bem?
      Puxa, obrigada, obrigada mesmo pela mensagem! Ó, é com mensagens assim que fazem meu dia melhorar – e eu continuar com o blog! 🙂
      Olha, não sei dizer quanto a presença da CVC em Foz (sei que ela é forte em todo o país), mas a única coisa que tenho certeza é de que em Foz, especificamente, a agência mais presente e experiente nos destinos é a Loumar. Não os vi no Paraguai, mas confesso que não prestei atenção. De qualquer modo, para o PY a regra em geral é que a agência te leva e, uma vez lá, você fica sozinho e faz as compras por sua conta – a menos que contrate um serviço de “Personal Shopper”, o que algumas agências fazem! Mas o normal é que elas cuidem mesmo da parte de transporte de ida e volta, bem como umas dicas aqui e ali de onde comprar. Veja se o seu pacote da CVC inclui essa ida a Ciudad Del ESte, poque se incluir, acho que na prática não muda muito se o serviço for sem o Personal Shopper. É que eu gostei do serviço deles de Leva e Traz, mas se a CVC te fornecer um, acho que você já está coberta!
      E quanto às peças de couro… então… 🙂 Eu confesso que não fui à Argentina com esse foco e por isso não reparei, mas ouvi dizer que comprar couro lá é melhor sim – no Paraguai, o couro que eu vi não era exatamente “couro”.

      Espero ter ajudado! 🙂

  68. E se eu for de ônibus? Moro no Rio de Janeiro e tem ônibus que sai daqui direto pra lá, vale a pena? A Policia Federal vistoria? Achei muito interessante, estou louco por um PS3 e trocar o meu celular e quem sabe renovar o guarda-roupa mas gostaria de saber se vou ser taxado, se não, e também quais são as possibilidades de eu voltar com os meus produtos de lá. Obrigado e adorei o blog!

    • Oi, Daniel!
      Olha, independente de quem vai de ônibus, carro ou avião: a polícia costuma parar e fazer vistorias aleatórias sim, tanto na estrada quanto no aeroporto. Sei que na estrada acontece bastante tanto com carros ou ônibus na saída de Foz. Para você ter uma idéia, uma vez eu peguei um vôo até Foz e de lá um ônibus para Cascavel, uma cidade próxima, e nem passei no Paraguai, mas meu ônibus foi parado e revistado todo por uma hora e meia. Então, pode acontecer sim.
      Se você quer fazer grandes compras, minha recomendação seria declarar logo na ponte da Amizade, de volta ao Brasil. Ali, você declarando espontâneamente o que você comprou que extrapolou a cota, vai pagar apenas 50% do valor acima de 300 dólares (e cá para nós, mesmo pagando esta diferença você já estará fazendo um bom negócio, porque os preços daqui são bem maiores). Agora, se você não declarar, você corre dois riscos: o primeiro é de ser parado na própria ponte da Amizade (e aí pagar o que extrapolou a cota mais uma multa de 50% do valor por não ter informado espontaneamente) e a segunda de ser parado no ônibus ou no aeroporto, e nesse caso, não tem chororô – por lei a Receita Federal pode apreender os produtos.
      Acho que são essas as opções que você tem. Pelo sim, pelo não, declarar ainda é a opção mais segura.

  69. Boa Tarde, fui para o Paraguai, com meu marido, e voltamos no dia 23/10. E como aproveitei muito as dicas desse site resolvi deixar o resumo de como foi minha viagem…rs
    Bom fomos de ônibus para Foz, de lá fechamos uma van, que cobra 40 reais ida e volta, para nos levar e trazer.
    Bom compramos, o Xbox 360, com Kinect veio com 3 jogos + 1 controle, Hd externo, PSP Vita – Sony Portátil, Celular SIII, maquina digital Sony a prova d água, perfumes, carrinho de bebe da Quinny, mochila adulto e criança, bolsinhas acho que só…rs Tudo muito bom e tudo muito bem… mas ocorre que fomos parados pela receita… eles pararam nossa van e pediram pra todo mundo descer. Fomos até um posto da receita. E os mesmos revistaram por cima as nossas coisas. As coisas menores como celular, HD, vídeo game portátil, celular estavam em nossos bolsos e eles não revistaram. Agora o Xbox e o carrinho de bebe não tinha como… daí diminuímos o preço, e falamos que as notas estavam em nossas mochilas (que tbm compramos por lá…rs) eles não pediram para ver, sendo assim eles só cadastraram a gente, e só podemos voltar depois de 30 dias. Me perguntaram se compensa… bom moro em SP, e eu acredito que compensou muito, e ano que vêm voltaremos!

  70. Clarissa Donda, meus parabéns por esse Blog. Você tá fazendo um ótimo trabalho e ajudando muito!

    Uma dúvida:
    Vou passar o carnaval em foz e desejo comprar bebidas no Paraguai ou Argentina pra consumir lá mesmo, você sabe como funciona esse serviço de reservas no site do DutyFree? É que a gente ganha um desconto considerável se fizer reserva. O preço de bebidas é melhor no Paraguai ou na Argentina? Eu vi que lá em cima que o limite é de 12 garrafas, certo? Se essas 12 garrafas passarem da cota, vou ter que pagar o imposto?

    Agradeço desde já

    Abraço

    • Olá, Neto!
      Obrigada! Que bom que gostou!

      Vamos lá!
      São duas cotas: a de quantidade (12 litros) e a de valor (300 dólares para via terrestre e 500 dólares para via aérea).
      Quanto á cota de quantidade, atenção: são 12 litros – ou seja, se você pensa em comprar vinho, cada garrafa de vinho possui 750ml, então você teria direito a 16 garrafas. MAs repare, por isso, na quantidade de ml de cada uma: se for 1 litro por garrafa, aí só são permitidos 12 litros mesmo.
      Suas compras precisam obedecer às duas cotas. Ou seja, se você compra 16 garrafas de vinho e o valor extrapolar 300 dólares, você vai ter que pagar imposto sim. Mas se extrapolar a quantidade – que eu saiba – não tem jeito: só pode 12 litros e ponto.
      Na minha humilde opinião 🙂 : Eu gostei das opções de vinhos e de preços da Argentina no quesito vinhos (eram baratos e deliciosos), mas quem gosta de whisky ou vodka, essas coisas, vai encontrar muita variedade no Paraguai também. Só não vou saber te dizer se whisky e vodka é mais barato em um do que no outro agora.
      Em linhas gerais, o serviço de reserva do Duty Free permite que você reserve seus produtos com antecedência, garantindo o estoque (no caso de um item que esgote com rapidez), agilizando a compra quando você chega lá e evitando de você ter que ficar rodando a loja toda fazendo compras. E se você está dizendo que tem desconto, melhor ainda! 🙂
      Aqui tem um link com as perguntas frequentes deles – veja se ajuda! : http://www.dutyfreedufry.com.br/howToReserve.ep#quando-reserva-pode-ser-feita

      Espero ter ajudado!
      🙂

    • Aí, você me pegou, não faço a menor idéia… entendo mais de viagem, não desses detalhes da legislação e bebidas, ainda mais tudo junto e misturado. 😛
      Mas eu imagino que se você trouxer uma garrafa para uso próprio, não deve ter problemas (mas é um palpite, tá?). Porque se o absinto foi proibido no Brasil para comercialização, uso próprio taaaaaaaaaaalvez não tenha problema, mas eu não sei te dar certeza. Melhor você conversar com alguém que seja entendido nesse mercado!

    • Olá Clarissa
      Li sei blog que esta muito bom apenas alguns esclarecimentos. Na ponte Int. da Amizade voce pode ser fiscalizada por Policias Federais e Funcionários da Receita mas as apreensões e a decisão final se esta acima da cota ou não será sempre da Receita Federal.
      No Aeroporto, o primeiro scanner que todos os passageiros normalmente passam é manuseado pela Receita Federal, eventualmente tem um Policial Federal mas a ultima palavra será sempre da Receita Federal pois ela que controla mercadorias. Ali passou muito da cota e foi pego perde-se tudo.
      Quanto a hospedagem no Paraguay existem bons hoteis, Um deles 5 estrela o Cassino Icaray, um pouco afastado (800m a 1 Km) mas o taxi ate o centro comercial fica em 10 ou 15 reais.
      Outros bons hotéis que fiquei O Convair recentemente reformado (3,5 estrelas) e o Hotel Centro (3 estrelas) praticamente no centro.
      Paea refeiçoes tem vários restaurantes a Kilo, No Shopping Barcelona tem um muito bom que normalmente esta cheio de Brasileiros e seus preços são em reais. No Shopping Vendome tem uma praca de alimentação com 2 ou 3 restaurantes a k e tb com preços em reais.
      Ja fui de varias formas ao Paraguai. De carro mais de 30 vezes pois minha filha fez faculdade em Foz. Nunca me pararam na estrada, também nunca fiz contrabando apesar de sempre passar da cota. De avião pelo Aeroporto de Foz e pelo Aeroporto de Cidade del Este.
      Usando o aeroporto de Cidade del Este o Taxi ate o centro custou, em dez/2013, R$ 75,00 e uma turma de viajantes constante ja procura parceiros para dividir o táxi no próprio aeroporto, ja aconteceu ate dentro do avião perguntarem se alguém quer dividir o taxi.. È seguro pois muitos ja se conhece e estão no mesmo voo. Na volta a cota é de 500 US. Ali é sorte, tem dias que mandam passar direto e tem dias que mandam todos do voo passar no RX, mas são flexíveis.
      Uma das vantagens é que em SP há possibilidade de pagar impostos se passar da cota, desde que não tenha muitas mercadorias repetidas que demonstre ser para comercio. O que não acontece no aeroporto de Foz ou na estrada porque passou muito da cota perde-se tudo.

    • Oi, Neto!
      Ouvi dizer que rola um “Carnafalls” por lá, que é bem animado e tem bloquinho de rua e tal. Acho que ainda não tem nada sobre isso, mas vale a pena dar uma “googlada” nesse nome lá para janeiro, quando eles tiverem a programação!
      Quanto à noite de Foz, eu escrevi um post sobre isso, com opções “turistonas” e dicas de barzinhos e boates que o pessoal de lá curte ir. Vê aqui, ó: Dicas do que fazer à noite em Foz do Iguaçu

    • Olá, Sandra! Sim, a receita Federal para os ônibus que saem da Rodoviária sim – inclusive todos os ônibus que saem da Rodoviária de Foz do Iguaçu, independente do destino. Às vezes a parada é aleatória, às vezes eles param todos os ônibus. Mas o fato é que ir de ônibus não é garantia, muito pelo contrário, de escapar de uma possível revista.

  71. Parabéns Clarissa! Li com atençåo as suas respostas e percebi o carinho e a atenção que vc dá a cada pessoa. Estamos indo para Foz neste sábado, dia 11/01 e gostaria de comprar bolsas e jogo de malas de fibra. Vc me indicaria lojas especializadas e com preços mais acessíveis no Paraguai? Um abraço e que Deus a protrja sempre, Tania Mara.
    Obs- Somos de Vitória . ES

    • Ai, Tania, obrigada pelo comentário fofo – é por comentários assim que me dá pique de escrever e cuidar do blog! 🙂
      Mas eu fico agora morrendo de vergonha, porque mesmo com suas palavras gentis eu não sei como te ajudar: confesso que não vi malas e bolsas desse tipo por lá – embora, admito, eu não reparei também porque na época que fui eu não procurei por elas, fiquei mais de olho na questão de eletronicos, perfumes, bolsas, essas coisas. Não reparei em bolsas e malas desse tipo mesmo!
      Mas olha, um lugar que pode (repito, “pode” do verbo “tô chutando porque não sei mesmo”) seria a Nave Shop, porque sei que eles vendem malas. Só não sei se elas serão de fibra como você quer. Fazendo uma pesquisinha rápida pela internet eu achei indicações no http://www.elreyinternacional.net/, numa loja chamada Sport World que fica no Shopping Ciudad del Este e na MOnalisa (essa última não deve ser a opção mais barata, mas pelo tipo de produtos que eles vendem, é maior a chance de você encontrar por lá (e com certeza vai ser mais barato que no Brasil).
      BOm, só isso que eu achei! Desculpe não poder ajudar mais! 🙁
      Mas ó, se você for a Foz com a Loumar, pergunta para eles onde vocês podem encontrar esses produtos. Sei disso porque eles são super prestativos e tem pessoas que vão ao Paraguai todo dia, eles podem dar alguma indicação melhor – e mais atualizada! – que a minha!
      Tomara que você faça uma boa viagem, aproveita lá! E se vc achar uma loja bacana, me conta que eu atualizo aqui?
      Beijão, Cla
      PS: Adoro Vitória e suas moquecas! 🙂

  72. Olá, Clarissa!
    Preciso de sua ajuda!
    Estou indo a Foz e aproveitando para dar um pulo no Paraguai para comprar lustres e papel de parede, para minha casa. Gostaria de suas dicas de onde posso encontrar por lá e com qualidade!
    Aguardo sua resposta.

    Obrigada!

    • Oi, Daniella!
      Olha, papel de parede é certo de você achar, bom, bonito e barato, na Diva (http://diva.com.py/v1/), eu mesma voltei doída de não ter comprado lá!
      E lustres, tem uns lindíssimos (e alguns a preço de banana), na A&D iluminação. O bom é que essas duas lojas tem ali no Shopping Ciudad del Este, então é aposta certa e rápida! 🙂

  73. Escrevo apenas para agradecer a disposição em escrever tantas informações valiosas, de maneira tão clara e objetiva.
    Vou explorar agora os posts de outros destinos.
    Obrigada!

  74. Amigos gostaria de um toque estou querendo ir ao Paraguai comprar miniaturas de carros 1/24 ou 1/18 alguém pode me indicar alguma loja?
    Desde já agradeço.

    Marcos.

  75. Olá, por curiosidade estava lendo seu post, procurando novidades, ou algumas dicas ulteis. só queria deixar claro que Já fui ao Paraguai 3 vezes e todas as 3 fiquei hospedada nos hoteis de Foz, que por sinal são muito bons e perto do centro. A vantagem é que pode se fazer compras sem se preocupar em ir e vir, diminuem os riscos de vc ser parado, mesmo porque muitas das coisas tu pode colocar como uso proprio e vc já faz isso no proprio hotel em foz, sem contar que se você ficar por 1 dia por lá você tem direito a um celular, relogio e camera. Nada a reclamar quanto a isso.
    Bom, super indico vocês dormirem por lá e fazerem suas compras na maior tranquilidade.

    Já me hospedei: Hotel Austria, Hotel Caribeño! E tem outro que não me recordo o nome. Mais todos eles vc consegue ver pelo face.

    Espero ter ajudado! Bjo :*

      • Vanessa, fico feliz em saber sua opinião sobre hospedagens em Ciudad Del Este. Quase todo mundo com quem eu conversei me informou que não era um bom negócio, e que a maioria dos hotéis ficava mais afastados ou tinham histórico de insegurança. Então, obrigada pelo seu feedback!
        Só um detalhe: de fato ficar em Ciudad Del Este é melhor por evitar as idas e vindas todos os dias pela ponte, mas a cota é a mesma: 300 dólares se voltar via terrestre para Foz e dali por avião, ou 500 se voltar diretamente do aeroporto de Ciudad del Este – e no caso, o risco de ser parado na ponte pode dimunuir, mas as principais fiscalizações que acontecem nos aeroportos e estradas continuam – é só isso que é preciso ficar de olho!
        Obrigada pela visita e comentário!

  76. Olá, vc mencionou que foi comprar acessórios para a câmera.. como fez na fronteira? declarou? pagou imposto? ou tirou da embalagem e passou tranquila? hehe compensa se for declarar?

    • Olá, Carla! Na ocasião eu comprei apenas um tripé e um rebatedor para câmera, e isso não deu mais do que 70 dólares, bem abaixo da cota. Por isso que eu não tive problemas com impostos.
      Mas eu acho que, especialmente em casos de compra de eletrônicos (e, principalmente, de valor alto) é melhor pagar o imposto sim. Ainda assim o valor fica muito melhor do que comprado no Brasil, e te poupa de muito estresse (por exemplo, soube de casos de gente que teve seu material apreendido pela Receita Federal na volta de outra viagem que tinham feito, mas cujo equipamento foi comprado fora em outra ocasião, mas que não foi registrado. E não adiantou alegar que era de trabalho – a pessoa em questão era fotógrafa).
      Eu fico com o coração apertado toda vez que passo pela alfandega com meu computador, e é a trabalho (tenho nota fiscal dele, mas é um estresse e tal).

  77. Olá clarissa, gostaria de primeiramente elogiar pelo carinho, com o qual vc passa as informações no seu blog. Adorei!!
    Menina estou com a viagem marcada para PY, em final de junho. Vi alguns videos da Setga Decor. Estou construindo e amei tudo desde torneiras, interruptores e até os eletrodoméstico( em especial as geladeiras). Será que pagando todos os impostos conseguiria trazer uma geladeira por exemplo, ela é MARA nunca vi parecida sequer aqui no BR. será que pode me ajudar, rs?? Bjkas

    • Olá, Shirlei! Que bom que gostou do blog, procuro responder com todo carinho mesmo! Olha, pagando todos os impostos é fundamental para trazer a geladeira pro Brasil – e mesmo assim ela sairia bem mais barato do que se comprasse por aqui! O problema é que, que eu sabia, não tem como pedir que a empresa do Paragui faça a entrega no Brasil porque, legalmente, acho que ela não pode – você que teria que fazer a nacionalização do item e tal, embora muitas empresas lá eu vi que ofereciam esse serviço, mas acho que é meio por baixo dos panos, então não sei te dizer! O que eu te recomendaria é conversar com uma empresa transportadora que fizesse a mudança e se informar direto com a Receita Federal – acho que tem uma equipe que presta informações sobre isso. Eles poderiam te informar melhor os trâmites para trazê-la para o Brasil sem problemas! Desculpe não poder ajudá-la mais!

    • Claudio, não sei dizer, não reparei nos preços – por isso, vou deixar sua pergunta aqui, que aí quem souber e puder ajudar te responde aqui! 🙂
      Mas olha, em se tratando de suplemento, não sei dizer – não sei mesmo, teria que confirmar – mas pode ter restrições por ser produtos alimentares e tal. Taí uma coisa a mais para se preocupar.

  78. Bom dia,

    Estou em São Paulo, já fui 3X para o Paraguai de avião, ficando sempre em Foz do Iguaçu, a última este mês, ficando no novo IBIS e sempre consigo fazer minhas compras tranquilamente, inclusive passando pela Receita no aeroporto.
    Quero fazer a experiência de ir e voltar de carro pela 1ª vez em Junho/14. Quais os riscos na volta? Param muito? Apreendem os produtos, etc???? Devo passar da cota de 300$, mas não muito, vou em 2 pessoas, com a esposa.

    Tem como detalhar…

    • Marcos, eles param carros na estrada de saída de Foz sim – sempre no esquema de amostragem, não são todos os carros que são parados, mas a Receita é tão rigorosa quanto. E a regra é a mesma do aeroporto: se estiver com produtos acima da cota e não registrados, se você for parado pode ter os produtos apreendidos sim, e sem chororô.

  79. Olá Clarissa!
    Estou indo a Foz agora em Julho pela primeira vez. Gostaria de algumas dicas a respeito das compras em c. del este. Roupas, preços e onde comprar? Ouvi falar que roupas não é alvo de fiscalização, da pra trazer livre? De taxi tenho menos chance de ser parado? E os perfumes? Preços? (e o frio em julho? rs, da pra suportar?)

    Um abraço!

    • Guilherme, vamos lá, espero poder ajudá-lo!
      Perfumes: no próprio post tem dicas de onde tem lojas onde comprar! Dá uma lida melhor no texto. Tá no terceiro item: “O que vale a pena comprar no Paraguai”
      Roupas: Procure nos cometários desse post um comentário do Diego MG, ele dá altas dicas bacanas de onde comprar.
      Preços: não vou saber te dizer, isso muda muito e nem sempre tá na internet!
      Fiscalização: pela lei, tudo o que é comprado no Paraguai e entra via terrestre tem que se submeter à cota de 300 dólares. Então, trazer roupa não é livre, como você disse. A Receita estabelece um limite de quantidade, que você pode achar neste link aqui: http://www.loumarturismo.com.br/informacoes-aduaneira-perguntas-frequentes-faq.html
      Táxi, ônibus, carro, van, à pé: todos podem ser revistados, a Receita faz uma revista aleatória na fronteira. A mesma revista se repete nas saídas da cidade, seja no aeroporto ou pelas rodovias.
      Frio: Olha, acho que lá é frio, mas nada que um bom casaco não resolva, né? 🙂

  80. Absinto é proibido no Brasil. Se sair de Foz pelo Aeroporto com certeza terá seu absinto apreendido. Bebidas alcoólicas passa no RX da Receita, depois é vistoriada no Check-inn e se assim mesmo passar vai ser barrado no RX da infraero. mesmo estando embalada ele sera aberto e retido. A bebida (Absinto) é proibida entrar no Brasil em razão do alto teoor alcoolico..

  81. Clarissa,gostaria de saber se posso me hospedar em Foz do Iguaçu por 1 semana mais ou menos, ir e voltar todos os dias para o Paraguai, comprar US$ 300,00 e voltar para a minha cidade que é em Brasília sem ser taxada?

  82. olá Clarissa,
    preciso de uma dica, moro em são Paulo e, estive recém na Ciudad del Leste, comprei um notebook HP e, fui enganada, me entregaram um equipamento quebrado! e pasmen , quando da compra na loja Sony Full Import- Export de Jorge Orlando Rodas Medina,EIRL que fica na Avda Adrian Jara, Shopping Vendome 4to. Piso Depto 405 – tel 061503428- Ciudad del Leste – Alto Paraná- Paraguay , o vendedor Cesar que me atendeu disse que também teria assistência técnica no Brasil…absurdo, chego em minha a casa em SP., e descubro equipamento quebrado , riscado , e ligo na HP do Brasil, e me informam que aquele equipamento não tem cobertura pela assistência técnica deles no Brasil…e agora você pode me indicar como posso fazer qualquer tipo de reclamação que chegue ate os “truqueiros” ? a fama deles continua igual, querem lesar e prejudicar a qualquer um, em troca de lucros de qualquer coisa… que vergonha!!!
    e no mínimo quero informar esta minha péssima experiência neste cidade suja e desorganizada, ainda terra sem lei!
    muito obrigado pelo retorno,

    muito obrigado

    • Que coisa chata! Lamento você ter passado por isso. Na verdade, no Paraguai tem muitas lojas honestas que entregam o produto direitinho (eu comprei e não tive nenhum problema), mas infelizmente é preciso sim abrir o olho, porque os golpes ainda existem.
      Uma regra geral para quem vai fazer compras no Paraguai é sempre – SEMPRE – abrir a caixa para verificar o produto antes de sair da loja, para evitar problemas assim. Lá na própria Ciudad del Este tem uma cabine policial que costuma resolver problemas como esses, mas você teria que ter aberto o produto na hora e ir na hora reclamar com eles. Agora, eu lamento muito, mas não sei como te ajudar! 🙁 O ideal seria você ter agido quando estava lá mesmo.
      De qualquer forma, mantenho aqui seu comentário, que é para alertar outras pessoas que queiram fazer compras por lá.
      Lamento muito por isso! 🙁

  83. Oi Bom dia!!
    olha tenho uma dúvida: se eu vou ao Paraguai e compro 3 celulares que custam 100 dolares cada estarei na cota de 300 dolares certo?? e assim não terei problemas com a RF no caso de ela me parar?? e se eu compro por exemplo 5 celulares desse msm preço q seria, 500 USD e declarando normalmente na Aduana e pagando o imposto normalmente como eles cobram estarei internacionalizando a mercadoria no Brasil legalmente???

    • Catarina, se você declarar os aparelhos e pagar a diferença, você está nacionalizando o produto e não vai ter dor de cabeça quando viajar para fora e voltar – vai bastar apresentar o documento de nacionalização e pagamento do imposto que vai estar tudo certo!

  84. Olá Clarissa,
    Por favor, vou para o paraguai eu e meu marido fazer compras para nossa casa nova,,, gostaria de saber o seguinte:
    entrei no paraguai fiz parte de minhas compras que no total foi de 300U$ cd ,,, saio passo pela alfandega ( sou parada ou as vezes não sou parada??? ) se a resposta for não… deixo minhas compras no hotel volto para o paraguai e faço tudo de novo …. ( posso fazer isso???? ) e também quanto a sua experiencia …os postos rodoviarios sentido são paulo são tranquilos durante a semana por ex. em uma terça-feira. muito obrigada pela resposta.

    • Joice, eu sugiro você dar uma lidinha com mais atenção na última parte deste post, sobre a volta para casa o como funciona no aeroporto – essa sua dúvida está toda explicada ali.
      Mas resumindo sua pergunta, a sua cota de 300 dólares no Paraguai não é por dia ou por “vez” que você atravessa a fronteira. Por lei, a Receita entende que aquela é a sua cota em um prazo de alguns dias (acho que 30, se não me engano. De qualquer forma, se você entrar e sair do Paraguai, deixar suas compras no hotel e fazer de novo não vai valer – a cota é só 300 dólares e pronto).
      Outra coisa, em relação a ser parada pela fiscalização, existem essas opções:
      1) Você pode parar voluntariamente na Ponte da Amizade e declarar tudo aquilo que comprou, pagando a taxa de 50% somente em cima do que ficou ALÉM da cota;
      2) Você pode tentar passar pela Ponte da Amizade sem declarar. Se for parada, paga a taxa que eu falei ali em cima + 50% do valor como multa por não ter declarado voluntariamente.
      3) Você pode tentar passar pela Ponte da Amizade, não ser parada, e tentar passar pelas compras pelo aeroporto de Foz. Mas se for parada pela fiscalização do aeroporto, todos os itens acima da cota que não tiverem sido declarados serão apreendidos. Sem chororô nem argumento.
      4) Você pode tentar passar pela Ponte da Amizade, não ser parada, e tentar sair de Foz de carro pelas estradas. Mas se for parada pela fiscalização na estrada, todos os itens acima da cota que não tiverem sido declarados serão apreendidos. Sem chororô nem argumento.

      Não sei a que você se refere a “postos rodoviários são tranquilos” (e nem sei se consigo responder à sua pergunta, uma vez que qualquer coisa relacionada a estrada neste país é meio imprevisível) mas se você estiver perguntando sobre fiscalização na estrada… bem, ela acontece na saída de Foz e tem o mesmo rigor que a do aeroporto, revistando os veículos na base da amostragem.
      Espero ter ajudado.

  85. Olá. Estive em outubro/2014 pela primeira vez em visita à Foz de Iguaçu e tomei coragem em ir ao Paraguai. Primeiramente pela agência de turismo e noutro dia voltei pegando um ônibus de linha à R$ 3,50 que me deixou em frente ao Shopping Del Leste e para retornar atravessei a ponte caminhando mesmo. Maior aventura.
    Dicas cobre as compras: NÃO comprem com cartão de crédito, as diferenças de cotações do dólar é gritante. As operadoras no Brasil utilizam o dólar Turismo que encarece, além do IOF de 6,38%.
    Não comprem Celulares, pois as diferenças de preços são poucas.
    Relógios e perfumes compensam bastante desde que em dinheiro.
    Se possível comprem com a moeda local “Guaranis” que a vantagem será maior (preparem espaço na bolsa pois é muito dinheiro devido a moeda desvalorizada em relação ao dólar e o Real.
    Espero ter complementado as dicas deste site. Boas Comopras

  86. Toda vez q vo no paraguai eu vou em SALTO DE GUAIRÁ, PERTO DE GUAÍRA-PR, é mais perto, e tem varios shoppings, incluindo o shopping CHINA, que é a maior loja de importados do mundo, tem de tudo.
    é mais tranquilo de comprar e os shoppings ficam quase todos pertinhos.

    e é praticamente o mesmo preço de CIDADE DE LESTE do lado de FOZ DO IGUAÇU, só q la é muito movimentado, muito transito, e mais longe.

  87. Primeiramente, obrigado Clarissa! Vc está prestando um serviço de informações de valor inestimável! Parabéns! Estou indo a Foz do Iguaçu em abril/2015. Com certeza tenho um dia reservado para ir a Ciudad del Este. Será que suas dicas ainda se mantêm? Ah, outra coisa, faço fotografias autorais e percebi que terei oportunidade de registrar pessoas em situações interessantes do cotidiano. É seguro levar minha reflex para fotografar por lá? Obrigado e beijos carinhosos!

    • Oi, Eduardo! Que bom que você gostou do post, espero que ajude! 🙂
      Então, acho que as informações aqui ainda estão valendo sim, pelo feedback que eu recebo!
      Mas olha, eu também gosto de fotografar, e nesse caso, eu faria uma observação: Ciudad Del Este é bem cheia, bem tumultuada. Não acho que você vá correr risco de ser assaltado e coisa e tal, mas como todo lugar muito movimentado, eu ficaria de olho super aberto: uma câmera reflex chama demais a atenção, e acontece muito esses “furtos leves”, sabe, que levam sem você perceber? Então fique de olho com acessórios e equipamentos que você leva numa bolsa, num bolso, coisas assim… Furtos sempre são mais fáceis de acontecer em lugares movimentados, em que é fácil se perder na multidão.

      Outra coisa: você pode ter problemas na hora de voltar pela ponte da Amizade ou de sair de Foz do Iguaçu com a sua câmera, que pode ser parada pela receita Federal, acreditando-se que você comprou-a lá. Por isso, Leve com você a nota fiscal da sua câmera e dos seus acessórios, para provar que você já a tinha antes de ir.

  88. Bom dia, estou indo para foz no próximo ano e meu passaporte venceu a 1 ano. Gostaria de saber se eles carimbam o passaporte vencido. Eu vou levar RG atualizado, mais não pretendo tirar um novo passaporte para esta viagem e eu gostaria muito de carimbar o passaporte.

    • Oi, Adriano! Eu não sei, porque em tese você nem precisa parar para carimbar – eu carimbei o meu só porque quis a recordação. Mas acredito que, por lei, trata-se de um carimbo oficial num documento que não vale mais, então na teoria, o oficial de imigração do Paraguai não poderia fazer isso, mas acho que é uma decisão dele na hora (e que, se ele for com a sua cara, ele pode te dar). Se não me engano, acho que alguns amigos me comentaram que já conseguiram o carimbo sim.

  89. Ola eu estou indo para o PYde carro gostatia de saber se tem que pagar para atravesar a ponte de carro e se sempre eles pedem a carteira de motorista para fazer isto ou so o rg

    Obrigadohj

    • Carlos, que eu saiba não tem que pagar não. Mas eles pedem carteira de motorista, claro – e ouvi dizer do pessoal de lá que mora na fronteira que a polícia paraguaia é mais rígica com carros com placa do Brasil, então é bom você ir com a documentação toda em dia.

  90. Olá! Em 2014 fui de SP para Salto del Guairá fazer pequenas compras, achei a viagem cansativa e perigosa. Me foi indicado ir para p PY por Foz do Iguaçú, mas não conheço ngm que fez essa viagem ainda. Minhas duvidas são as seguintes: Quando vou para o PY, faço compras pequenas, como perfumes, bebidas e pequenos eletrônicos, como coisas de computador e aúdio e vídeo. Gostaria de saber se mesmo com a comodidade e promoções relampago de passagem de avião ainda é bom negócio correr o risco de parar na fiscalização do aeroporto de Foz com essas compras ‘pequenas’. Como funciona essa fiscalização? Posso ir sem medo? Os $300 são por pessoa e por dia? Tipo..se eu ficar o fds posso passar do PY para Foz os 2 dias com $300 por dia? E no aeroporto? Como faço? Sempre fui de carro, então fico meio perdido nessas questões.
    Obrigado!

    • Oi, Joaquim!
      Joaquim, a fiscalização é a mesma que acontece nos aeroportos, então eu não tenho como te dizer algo do tipo “vai sem medo” porque o risco de ser parado existe sim. O mais seguro é sempre fazer o registro dos itens comprados e, caso extrapolar a cota, pagar a taxa (que, ainda assim, sai mais barato que comprar no Brasil!) – lembrando apenas que o registro dos itens deve ser feito na Ponte da Amizade e não no aeroporto de Foz, porque aí o produto já entrou ilegalmente no país e pode ser apreendido.
      Os US$ 300 dólares é a cota de compras por pessoa, e a Receita Federal entende como uma cota válida para um prazo de 30 dias – ou seja, se você for ao Paraguai por dois dias seguidos, sua cota continua sendo US$300 para os dois dias, e não por US$600.
      Se você der uma lida com atenção no final do texto e nos comentários da página, tem várias respostas, informações e explicações para quem vai tanto de carro quanto de avião! Dá uma olhada lá, espero que ajude!

  91. Oi clarissa como faco para comprar um receptor de TV no Paraguai pela site e conviavel. Moro no interior de são Paulo como faco para ir de busao obrigado

  92. Gostaria de saber se no Paraguai existem lojas que vendem roupas de festa, casual, de qualidade. Tambem se encontro bolsas de marca, se não for original, pelo menos uma copia razoavel. Preciso destes produtos para minha lojs. Onde devoncomprar cremes e srtigos de maquiagem de boa qualidade? E bijouterias boas? Desde ja agradeco a sua atenção.

    • Oi, Leda! Não vou saber te ajudar em relação a produtos para compras em muito volume para lojas – por favor, verifique o procedimento de como trazê-los para o Brasil, para não ter problemas com a Receita Federal. Inclusive, vale lembrar que itens de falsificados, se trazidos e descoberto pela Receita, podem ser apreendidos.
      Quanto a roupas de festa de qualidade, eu vi a SAX – falo dela no post. A Monalisa tem algumas roupas de marca também – não me recordo se tinham especificamente de festa, mas vale olhar.
      Espero ter ajudado!

  93. boa tarde!gostaria de ir ao PY.gostaria de saber se é melhor e p foz do iguaçu ou ir direto?gostaria de saber se tem muitas opcoes de bolsa e como varia os preços.r$?quem ja foi pqfvor me ajude.

    • Oi, Dayane!
      Eu acho – baseado na minha experiência de quem foi só duas vezes e no que eu ouvi de quem trabalha e mora pela região – que, logisticamente falando, é melhor ir por Foz e fazer a travessia, pois é bem mais perto: o aeroporto de Ciudad de Este é mais afastado e a chance de ir de um lado para o outro mais complicada.
      Eu lembro que vi bastante bolsa por lá, mas “bolsa” é muito genérico: você diz bolsa de marca? Tem bolsas de marcas de luxo na Sacks (muitas) e algumas na Monalisa. Eu fui já há alguns anos, mas lembro de ter gostado do que vi, na época! 🙂

  94. Favor me informar onde posso comprar produtos de maquiagem que tenha preços bons e produto de qualidade além da loja Monalisa que vi aki.Obg.

  95. Olá Clarissa, tem uma amiga indo para o Paraguai daqui um mes, estou querendo comprar um iphone 6, e pedir para ela trazer pra mim. Você me indica alguma loja de confiança? Bjos

  96. Boa tarde. Obrigada por compartilhar estas valiosas informações. Gostaria de estar indo para o Paraguai comprar pequenos eletrônicos para revender. É possível ? Acredito que daria um valor acima do permitido na Alfândega.

  97. Estou adorando as dicas, pretendo ir ao Paraguai pela primeira vez, mas gostaria de saber se em questões de fiscalização é melhor ir de carro ou de avião? Se eu embarcar em foz a fiscalização é feita no destino ou em foz na hora que eu estiver despachando as malas? não pretendo passar da cota, mas estou querendo evitar possíveis dores de cabeça

    • Oi, Renata, obrigada pelo comentário! 🙂

      Pois então, a fiscalização é a mesma em ambos os casos e no sistema loteria: podem te parar ou não, seja na estrada na saída de Foz ou na Ponte da Amizade, ou no aeroporto de Foz quando você estiver saindo para pegar o seu voo. Lembrando que, se você tiver produtos que precisariam ser declarados e não o foram, eles podem ser multados ou apreendidos (a apreensão acontece se você for pega no aeroporto ou na estrada de saída de Foz, uma vez que entende-se que o produto já está ilegal no Brasil).

    • BEM OS CELULARES VC TEM QUE ENTRAR NAS CONFIGURAÇÕES DO APARELHO.COMPARE COM AS LOJAS BRASILEIRAS QUE VENDEM ESSES APARELHOS E CONSTAM AS CONFIGURAÇÕES. E COM RELAÇÃO AOS OUTROS PRODUTOS FAÇA UMA PESQUISA NO YOUTUBE OU NO GOOGLE PARA SABER AS DIFERENÇAS DO QUE DESEJA COMPRAR ENTRE ORIGINAL E RÉPLICA.

  98. Clarissa, ótimo seu blog => tenho 3 perguntas=>
    1=> vou de carro de Santos-SP para Assunção, entrando por Ciudad del Leste de carro, levando 2 laptops com notas ficais e o meu velhinho e com a tampa superior meio rachada sem nota fiscal => a Receita Federal brasileira pode apreender meu laptop?
    2=> é verdade que de CDL até Assunção os policiais paraguayos param o carro, retem os documentos para voce ficar nervoso, e inventam motivos para pedir propina para te liberar? Dizem que até que plantam provas em seu carro como colocar drogas ou armas em seu porta malas sem voce perceber e cobrar propinas para e liberar?
    3 => o que é mais vantajoso? trocar 10 mil reais por dólares aqui levando dentro de um bolso costurado dentro de minha calça ou trocar meus 10 mil reais (sacando no Banco do Brasil(minha conta é brasileira) de Assunção e trocá-los lá por dólares americanos? 1 dolar americano lá vale quase 16 mil guaranys enquanto que 1 real brasileiro vale 1.600 guaranys (mesmo com 1 dolar aqui valendo R$3,37 na cotação de hoje) ?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui