Eu já tinha escrito esse post bem antigo sobre como as opções de como chegar em Machu Picchu indo de Cusco, considerando as opções de trem e até a pé.

Só que, cá para nós, o post foi escrito nos primórdios do Dondeando por Aí, quando nem eu, nem o blog, sabíamos o que queríamos um com o outro – de modo que eu sempre achei a informação ultra incompleta. E como agora, depois de ter ido a Machu Picchu pela segunda vez, e devidamente informada das coisas que mudaram no Peru desde então, resolvi escrever um novo post, este sim atualizadíssimo e completíssimo, para te ajudar na viagem.

Tem link, tem mapinha, tem diagrama, tem dica de trem e dica de albergue e muito amor, que é para sua viagem ser linda sempre! 🙂

Comece em Cusco

É em Cusco que, obrigatoriamente, começa a viagem para quem vai a Machu Picchu.

O que não quer dizer, claro, que é só uma parada no caminho. Cusco é uma cidade linda, cheia de história e com uma gastronomia maravilhosa, que vale a pena conhecer.

E por ser o ponto de partida, é ali também que você começa a conhecer, in loco, a história da região, do povo andino e dos imperadores incas, e dos espanhóis que chegaram fazendo a bagunça depois. Muito do que se vê ali  – especialmente no Templo do Sol, ou Qoricancha – contextualiza o momento histórico e os segredos de Machu Picchu.

Para ver também:  10 curiosidades sobre Machu Picchu para você amar a cidade antes de chegar lá.

Chegando em Cusco por Lima

A melhor forma de se chegar a Cusco vindo de Lima é por avião (já de que ônibus a viagem é longa, quase 24 horas, e cheia de curvas e subidas – fora o mal-estar com a altitude). Então, se você vem do Brasil e quer comprar esse trecho, fica a dica de comprar a passagem com a TAM, porque devido à fusão da empresa com a LAN, é possível comprar esse trecho interno dentro do Peru junto com o seu bilhete Brasil-Lima, no site da TAM brasileiro, todinho em português. Então, se você estiver com pouco tempo e não quiser parar em Lima, é só comprar o bilhete São Paulo-Cusco, e fazer conexão na capital peruana: como todos os seus trechos estarão emitidos no mesmo bilhete, se acontecer qualquer coisa (como o voo internacional atrasar, por exemplo), você é remanejado para o próximo voo interno da LAN para Cusco.

Mas é em Cusco que você começa a decidir como chegar em lá em Machu Picchu. E são 3 caminhos possíveis (há ainda um quarto, que a gente explica lá embaixo) dos quais dois a gente testou, e contamos aqui para você! 🙂

 

Opção 1: um trem direto de Cusco para Águas Calientes

Foi o que fiz da primeira vez que fui a Machu Picchu, e que descrevi como foi aqui. De lá para cá mudou muita coisa: tem mais trens, mais horários, mais opções de preços e – me parece – mais conforto na viagem também.

Os trens, nesse caso, saem da estação de Poroy, pertinho de Cusco: então, programe-se para pegar um táxi do seu hotel em Cusco para Poroy (a viagem demora uns 20 minutos, mais ou menos) e não é caro.

De Poroy o trem vai direto até Águas Calientes, numa viagem que leva aproximadamente 3 horas, pelos trens da Peru Rail. Veja a tabela de horários aqui.

Machu Picchu37

A Peru Rail tem as seguintes opções de trem:

Expedition: é a opção mais econômica dos trens. Na primeira vez que fui a Machu Picchu eu fui no trem Backpackers, que era a versão deste na época – e parece que a coisa de lá para cá melhorou. Os trens possuem amplas janelas, assentos confortáveis e venda de biscoitinhos e coisinhas de comer a bordo. Simples e na medida. Saiba mais aqui.

Vistadome: É a opção no meio termo – embora, mesmo com algumas variações, a diferença média entre um bilhete de um trecho do Expedition para o Vistadome era de 20 dólares – e já inclui ar condicionado ou aquecimento nos vagões, janelas mais amplas (faz diferença, porque a vista é linda!) e serviço de bordo. Saiba mais aqui.

Hiram Bingham: É a versão ultra-luxo dos trem da Peru Rail. Tem entretenimento à bordo, oferta de vinhos, chás, jantar gourmet, etc. São poucos trens ao dia, e a viagem demora em torno de 3 horas. Veja mais aqui.

Algumas dicas sobre esta opção:

Calcule seu tempo: Ou seja, não confie 100% nos horários da tabela de trens da Peru Rail, porque eles atrasam. Considere gastar sua manhã ou tarde inteira no deslocamento “chegada na estação de trem com antecedência – espera pelo trem – chegada do trem – acomodação dos passageiros – partida – viagem longa – paradas do trem – chegada final – etc etc etc”. Então, dê preferência pelos bilhetes de ida no início da manhã (quanto mais cedo, melhor – perca o medo de madrugar!) e os de volta para o fim da tarde.

Vendo Machu Picchu no fim de tarde, com o sol quase se pondo…. Coisa linda! 🙂

Reserve com antecedência: Pelos motivos explicados no item acima, os trens com horários no início do dia e no final da tarde são os que tendem a se esgotar mais cedo – afinal, está todo mundo pensando que nem você. E Machu Picchu lota mesmo. 🙂

Durma em Águas Calientes: Dá para ir num bate-e-volta de Cusco para Machu Picchu? Dá sim – mas cansa e você quase não aproveita a visita (e, afinal, não é por causa de Machu Picchu que você está indo?). Vale a pena pernoitar em Águas Calientes (e a gente explica o porquê aqui) e visitar Machu Picchu com calma na tarde em que você chegar na cidade ou no dia seguinte de manhã bem cedinho, voltando para Cusco no fim da tarde.

E se você gostar da idéia, aqui temos um post com dicas de hospedagem em Águas Calientes para todos os bolsos.

Considerações sobre esta opção

O que eu fiz quando fui: Quando fiz esse opção era em 2008, outra época em tudo. Trens diferentes, menos turistas, estrutura diferente. Por isso, na época, achei que era a melhor opção a ser feita. Na época, pegamos o trem saindo de Cusco às 6 da manhã (fui dormindo no ônibus) e chegamos em Águas Calientes em torno de meio dia. Fomos direto para Machu Picchu, saindo do parque em torno das 18 horas – deu tempo para ver um restinho de sol e curtir Machu Picchu quase vazia, já que a onda de turistas tinha ido embora depois das 16 horas. Pernoitamos em Águas Calientes e voltamos para Machu Picchu no dia seguinte, no trem das 14 horas.

O que eu faria diferente se fosse hoje: Tudo bem que na época tinha bem menos opções de horários de trem (então, provavelmente eu não poderia fazer muito diferente mesmo) mas se fosse hoje acho que não é uma opção 100% boa porque não otimiza muito bem o tempo. Afinal, eu é uma manhã presa dentro do trem na ida, uma manhã perdida sem muito o que fazer em Águas Calientes, e mais um tantão de tempo depois de trem para voltar direto a Cusco.  Então, se eu voltasse hoje para Machu Picchu de novo, eu teria feito a opção 2, escrita aí embaixo – e conto o porquê.

Leia mais: quantos dias dicar em Cusco e um roteiro para cada um deles

 

Opção 2: Tour pelo Vale Sagrado até Ollantaytambo + trem para Águas Calientes

Digamos que eu não fiz “exatamente” essa opção – mas foi quase! 🙂 E é disparada a opção que vejo muita gente prefere – e a que eu acho que vale mais a pena. 🙂

Porque é uma boa opção?

1) As paisagens são mais bonitas: Há uma cidadezinha fofa no meio do caminho entre Cusco e Águas Calientes chamada Ollantaytambo. Dá para chegar por ela de trem (como a opção acima) ou de carro, por uma estrada comprida e cheia de curvas, mas super bonita, porque ela atravessa o chamado Vale Sagrado dos Incas. E só a viagem de carro por esse caminho é linda de morrer – paisagens bem mais bonitas que no trem (pelo menos no trecho Cusco-Ollantaytambo)!

2) Você faz a mesma viagem, só que passeando: Há um tour super popular em Cusco (quase todas as agências fazem) que passeia pelo Vale Sagrado dos Incas, e dura boa parte do dia. O tour sai de manhã cedo de Cusco, passeia por alguns locais e mercadinhos de compras (em que você tira aquela foto esperta com as tias vestidas perto das lhamas)…

Em tempo: tem gente que acha que esse é um passeio pega-turista. Pode até ser, mas eu aviso logo que foi numa dessas paradinhas em mercadinhos que eu achei os melhores artesanatos típicos, do estilo BBB: bonitos, bem acabados e mais baratos.

… e depois para em um mirante lindo, onde se vê todo o Vale Sagrado dos Incas – que é de uma beleza apaixonante… 🙂

… e depois segue para Pisac, uma das ruínas importantes da época dos incas, que fica bem no alto. Rola uma caminhada boa para chegar lá, mas a vista compensa! 🙂

… E por fim, a última parada do tour, já por volta de umas 15 horas (sim, tem uma paradinha para almoço antes disso) é em Ollantaytambo, outra cidade com ruínas impressionantes da época inca, e onde fica a estação de trem para Águas Calientes.

Nesse caso, é só já deixar avisando para o seu tour que você não vai voltar com o ônibus para Cusco, e que vai ficar por Ollanta para seguir dali para Machu Picchu.

Ruínas de Ollantaytambo. Haja força nas canelas! 🙂

Você consegue ver um rosto desenhado na pedra? Pois é: outro dos segredos bacanas de Ollanta! 🙂

Pegando o trem em Ollantaytambo, são só 1 hora e 40 minutos até Águas Calientes – e nesse trecho, as paisagens do trem são desbundantes – mostro neste post aqui. 

Ou seja: boa parte do caminho de Cusco a Machu Picchu você fez passeando, num ônibus confortável, vendo vista bonita e conhecendo lugares novos. Não é aproveitar mais o tempo? 🙂

3) Ao invés de se hospedar em Águas Calientes, você pode pernoitar em Ollantaytambo: Digamos que você chegou em Ollantaytambo por volta de 15 horas, que é o horário em que muitos tours chegam. Você pode seguir direto para Águas Calientes nos trens que partem da estação de Ollanta no fim da tarde ou se hospedar em Ollantaytambo mesmo e seguir para Águas Calientes e Machu Picchu no primeiro trem do dia seguinte, chegando lá bem cedinho.

Veja também: confira a média de preços nos hotéis em Ollantaytambo

A vantagem disso? Ollantaytambo fica na beira de um paredão de rochas lindíssimo, e é cheia de pousadas charmosíssimas fofura pura de frente para a essa vista toda (e que, dizem, fica mais linda ainda de noite, com o céuzão estrelado!). 🙂

As fotos daí de cima são da pousada El Albergue, que fica do ladinho da estação de trem de Ollantaytambo e tem um café charmosíssimo (e delicioso também). Paramos lá só para um café para fazer hora pro nosso trem e acabamos ficando uma hora por lá perambulando pelo jardim e instalações, de tão lindo que é o lugar. Ah, o nome é “El Albergue”, mas é uma pousada mesmo – veja mais informações e reservas dela aqui.

E se você quiser mais indicação de pousadas charmosas, tem o Tikawasi Valley e o La Casa del Abuelo. Mas o El Albergue daí de cima ganhou mais coraçõezinhos na escala do amor. 🙂



Booking.com



Booking.com

4) Você conta com mais uma opção de trem: Além da Peru Rail, que faz o trecho de Cusco a Águas Calientes, operando apenas o trecho a partir de Ollanta tem a Inca Rail, uma nova opção de trem – e bem charmosa, inclusive. É uma boa alternativa para quem está com dificuldade de achar vagas nos trens saindo de Cusco – como há mais opções de empresa saindo de Ollanta, a chance de encontrar mais vagas é maior.

Nós fomos e voltamos por eles e contamos tudo aqui: na ida fomos de primeira classe (que, aliás, eu super recomendo a experiência, pelo menos uma vez! Vê só no post o porquê! 🙂 ) e de volta viemos na classe executiva, que é a intermediária e proporcional à Vistadome na Peru Rail.

 

Opção 3: Passeio de carro por Urubamba e Ollantaytambo + trem

Foi o que fiz da segunda vez que fui, mas é uma das opções menos escolhidas porque há menos opções de transporte de Cusco a Urubamba.

Mas anotei aqui porque essa opção vale a pena se você está em grupo e quer otimizar tempo: o trajeto de Cusco a Urubamba dura 40 minutos de carro ou van particular, sem as voltinhas e passeios da opção 2. Você chega mais rápido em Ollantaytambo para pegar seu trem e, de quebra, para chegar a Águas Calientes.

Mas como ir? Táxis podem ser a melhor opção, mas peça ajuda do seu hotel de Cusco para indicar um motorista de confiança, e SEMPRE negocie o preço da corrida com antecedência. Não há uma tabela específica, mas um táxi de Cusco a Urubamba pode sair entre 30 a 35 dólares só a ida (e se você estiver em grupo com até 4 amigos, é possível ratear esse valor).

Moto-táxi comum em Urubamba: não, não é esse que você vai pegar vindo de Cusco! 😛 Mas que rolou uma vontade de pegar uma carona com esse daí, rolou. É aquela coisa: nunca confie num moto-taxi – a menos que ele seja do Batman. 🙂

Uma outra vantagem: o caminho é lindo por aqui também! 🙂

Vista de Urubamba do alto de um mirante.

Particularmente, acho que isso vale a pena na ida, se você quer chegar a Águas Calientes o quanto antes. Na volta, a melhor opção é pegar o trem direto de Águas Calientes à Cusco. Sem baldeações!

Para quem vai fazer a trilha inca a pé

Eu não fiz a Trilha Inca por motivos de sedentarismo crônico e falta de vergonha na cara falta de oportunidade, mas admiro MÒÒÒITO quem foi. E um depoimento bacana aqui no blog foi o do Eduardo, que fez a trilha inca e contou aqui como foi. Veja só o relato dele aqui!

Eduardo, obrigada por compartilhar! 🙂

****

Bom, é isso! Eu fiz a opção 1 da primeira vez que fui (por minha conta) e a opção 3 na segunda vez (a convite da TAM e do Sumaq Hotel), mas se eu fosse voltar a Machu Picchu hoje, de novo, por conta própria, provavelmente optaria pela segunda alternativa – e ainda me hospedava em Ollantaytambo (porque Águas Calientes eu já conheço e porque morri de amores pela cidadezinha).

Mas chegue junto! Você já fez uma dessas opções? Qual a que gostou mais – e qual dica daria? 🙂

Essa jornalista e blogueira viajou a Machu Picchu duas vezes, sendo a segunda a convite da TAM Linhas Aéreas e do Sumaq Hotel. Porém, todas as informações dadas aqui foram compiladas com base nas experiências pessoais dos trajetos que – independente de ser a convite ou não, tiveram que ser feitos do mesmo jeito, né?

Comments

55 COMENTÁRIOS

  1. Clarissa, já conhecia 2 dessas opções mas essa terceira de Urambaba não! Alias nunca nem li isso em canto nenhum!!! Obrigada por compartilhar com a gente. Posso mencionar vc no meu blog e escrever essa opção pros meus leitores?
    Eu assumo que pra mim a melhor logística da minha viagem (modestas!) foi escolher seguir para Aguas Calientes de Ollanta, acho que tem tudo a ver terminar o tour ali e pernoitar pela cidade OU seguir no msm dia para AC (o que fiz).

    Bjocasss

    • Pois é, Manu, eu também não conhecia essa de Urubamba, só a fiz esse ano. Foi legal também – é uma boa opção também para quem gosta de trilhas, porque Urubamba é ótima para caminhadas, e dá para ir de lá a Ollantaytambo!
      A primeira vez que fui também dormi em Águas Calientes e, na minha cabeça, sempre achei que fosse a melhor opção. Mas esse ano andei conversando com um pessoal que dormiu em Ollantaytambo, e depois de ter conhecido essa cidadezinha melhor (e ter me apaixonado pelos hotéis foféticos que te por lá), começo a considerar que dormir em Ollanta é uma ótima opção também!

  2. Gostaria de saber se existe possibilidades de fazer a viagem Cusco a Aguas Calientes em moto particular, e quais as condicoes da estrada, e distancia em Km.
    Ja pesquisei bastante mas nao consigo obter esta informacao.
    Aguardo retorno se possivel.
    OBRIGADA
    Cristiane

  3. Clarissa, Estou querendo fazer uma surpresa para minha mulher e dar de presente para ela uma viagem até o Peru agora em setembro!
    Tenho algumas perguntas:
    Sera que saindo quinta a noite e voltando domingo é da para conhecer algumas coisas???
    pernoitar em Ollantaytambo, trem Inca Rail, gastronomia e Machu Picchu são os objetivos depois é claro de ler seu Blog!
    Tem uma dica de roteiro? nunca estive la! mas como vou ter o tempo contado talvez apelar para uma agencia de turismo?????
    Muito obrigado

    • Eduardo, desculpe a demora em responder!
      Vamos lá – primeiro, achei linda a idéia da surpresa! Setembro é um bom mês sim! 🙂
      O problema é que, se você pegar só o tempo de quinta a domingo, acho que vai ficar muito pouco. Primeiro, pela questão de voos: mesmo que você pegue o voo quinta de manhã cedinho (foi o meu caso, eu peguei praticamente quinta às 6 da manhã), você já perde a manhã durante a viagem, e o mesmo vale para a volta. Então, na prática, você só fica com a tarde de quinta, dois dias inteiros (sexta e sábado) e já volta no domingo.
      Não vou mentir: até dá para você comprar o trecho Brasil – Lima – Cusco de avião na quinta, e fazer o retorno no domingo, mas vai ficar muito, muito puxado e cansativo! NO Peru, apesar de no mapa as cidades de Lima, Cusco e Machu Pichu parecerem pequenas distâncias, demora-se bastante para ir de uma a outra.
      Você poderia ficar só em Lima esses dois dias (que já valeria muito a pena também), mas se você quer fazer a viagem completa até Ollantaytambo e Machu Pichu, eu recomendaria pelo menos uma semana no Peru. Você não consegue fazer ela (e você) pegarem mais 3 diazinhos no trabalho?

      Eu fiz um post com um roteiro completo de 4 e 5 dias, mas é só Cusco, e não conta os trechos vindos do Brasil – e por isso digo que você precisaria de mais tempo. Vê só: http://www.dondeandoporai.com.br/quantos-dias-ficar-em-cusco-e-um-roteiro-bonitinho-para-cada-um-deles/

      Espero que ajude!

      • Muito obrigado!
        É acho que tenho que ter mais tempo mesmo….o máximo que consigo com essa surpresa , por ela ter pacientes que dependem dela é voltar na segunda …. mas já vi que tmb não ajudaria muito !
        Muito obrigado mesmo!
        Vou usar suas dicas quando conseguir ir com mais tempo !

  4. Oi pessoal.. Clarissa, estou adorando todos os posts e pegando dicas valiosas.. mas estou planejando uma viagem em família e minha duvida é: se aproveitarmos o passeio do Vale Sagrado para pernoitar em Ollantaytambo e de lá seguir par MP, teremos onde deixar as malas ou o ideal é viajar com uma pequena mochila com roupas para 1 dia? Neste caso, pagando duas estadias, uma no hotel em Cusco e outra em Ollantaytambo.
    Obrigada!

    • Nyara, eu deixaria minhas malas no hotel de Cusco e seguiria com uma mochila pequena para um pernoite em Águas Calientes. Foi o que eu fiz na primeira vez que fui, e é de longe bem mais prático!
      Vale conversar no hotel em cusco se você pode deixar a mala num guarda-volumes do hotel, devolver o quarto e depois pegar outro quarto quando voltar de MP – e assim, não precisar pagar duas hospedagens!

      Um abraço!

  5. Clarissa, estou planejando um mochilão pela america do sul em julho/2016, grupo de 4 pessoas, homens e mulheres. A trip aeria em torno de 15 dias, e os pontos principais pontos turísticos são: Machu Picchu, Deserto Atacama, Salar de Uyuni e claro as redondezas.
    Como é o clima nessa época?
    Estou pensando em fazer 5 dias no Peru, sendo CUSCO, VALE SAGRADO, OLLANTAYTAMBO, AGUAS CALIENTES, MACHU PICCHU, o que você acha?
    Posso deixar para reservar os passeios assim que chegar em cusco, ou tenho que comprar antes?
    Quais são a dicas mais importante?
    Já li todos os seus posts, parabéns!
    Desde já obgd!

  6. Olá Clarissa me interessei pelos seus posts porém tenho muitas dúvidas ,, rsrsrs

    … de Cusco até Machu Picchu
    1- Qual rota mais prática (no sentido de tempo e custo razoável)?
    2- Com relação aos valores do transporte desse traslado, onde consigo achar uma fonte confiável para realizar uma prévia de tarifação?
    3- Quanto ao dinheiro a ser utilizado lá: Dolar ? Sol? Devo fazer a troca da moeda la mesmo ou faço aqui no Brasil?
    4- O período de uma semana (contabilizando o necessário) desde a saída do SP até o destino final a Machu Picchu vc tem uma média de qto irá ficar? R$ 4.500,00, 5.000,00, 5.500,00 ? É pouco, é possível ??? Entendo que existe variações no cambio internacional mais, gentilmente, quero uma ajuda nesse sentido para ter uma base de quanto irei gastar nessa viagem no período citado acima.

    Acho que falei de mais rsr!
    Obrigado

    • Olá, Danilo!
      1 – Eu expliquei isso no post, com os prós e contras de cada opção. Eu, particularmente, gosto mais da opção 2, mas você tem que ver o que se aplica para você.
      2 – Você pode pesquisar os preços das passagens de trem nas duas empresas, Inca Rail e Peru Rail, para as datas que quer. Os links também estão no texto.
      3 – Eu vi gente aceitando até Real em Cusco! 🙂 Mas sempre rola um câmbio negro, umas taxinhas e muita negociação. Se você tiver Soles em mãos, acho que fica mais melhor para pagar por comida, compras, e para barganhar também (trens e hotéis eu preferi pagar no cartão).
      4 – Não tenho como te dizer o quanto você vai gastar, porque isso é muito pessoal – vai do tipo de hotel que você gosta, os passeios que você quer fazer… o céu é o limite! 🙂 Mas acho que você pode ter uma idéia disso resolvendo a data, pesquisando hotéis, preço de voos, os trens e hotéis em Cusco e Águas, bem como ingressos a Machu Picchu. Tudo isso tem na internet e tem uma flutuação em relação a alta e baixa temporada, por isso que saber quando você quer ir já ajuda para você ter uma idéia desses custos, que são os mais pesados. Sobre isso, some o que você vai gastar com transporte (táxis em Lima, necessários), comida, compras…

  7. Estamos programando uma viagem de moto a MP em setembro de 2016.
    Duvidas:
    1- Ficar em Cusco ou Ollantaytambo? Em Cusco verifiquei dificuldade para estacionar e deixar as motos para o passeio a MP.
    2- Não seria melhor fazer base em Ollantaytambo e na volta visitar Cusco em um dia?
    3- Ficando em Cusco onde deixaria as bagagens e a moto no periodo de visita a MP?
    Pelo que observastes estou meio perdido, qualquer dica e orietação seria de grande valia, fiques a vontade para orientar e criticar as duvidas levantadas.
    4- Vale a pena ir de Cusco a Ollantaytambo passeando de moto?
    Contando com a tua boa vontade fico no aguardo de um retorno.
    Um grande abraço.

    • Ernani, eu não ando de moto, de modo que não sei se poderia te orientar nessa logística!
      1. Dá para se hospedar nas duas, mas Cusco tem mais estrutura, e mais coisas para fazer nos arredores. Talvez seja melhor fazer base em Cusco.
      2. Como disse acima, Cusco tem mais coisas para fazer que Ollantaytambo. É uma pena deixar um dia só para Cusco – e nem recomendável, porque por conta da altitude você precisa se um tempo para aclimatação.
      3. Quando eu fui, deixei minha mala lacrada no hotel de Cusco, e fui apenas com uma mochila pequena para Machu Picchu, pernoitar por uma noite. Eu recomendaria fazer isso, e ver com o hotel se eles poderiam permitir a estadia da moto também.
      4. Eu não sei o que te responder aqui. Tenha só em mente que, se a sua idéia é alugar uma moto em Cusco, você precisa de um tempo para se aclimatar por conta da altitude. Qualquer esforço (entenda-se: andar 100 metros ou subir uma escada de 5 degraus) parece que muito esforço, e há quem não sinta muito, e há quem sinta bastante essa diferença. Eu, particularmente, ficaria preocupada de dirigir podendo passar mal (na primeira vez em Cusco eu tirei de letra, mas na segunda eu sentia muita dor de cabeça e taquicardia…). Outra coisa é ter em consideração que o trânsito e as estradas do Peru, de forma geral, são bem mais complicadas que as nossas.
      Eu acho que dirigir de moto é uma aventura e uma paisagem e tanto, de Cusco a Ollantaytambo – as paisagens são lindas! – Mas ficaria de olho nesses fatores.

      Espero ter ajudado!

  8. Bom dia!!! Irei fazer a viagem de cusco a machu picchu e li no seu site que voce sugere fazer de onibus passando pelo vale sagrado, e depois pegando um trem de Ollantaytambo à Aguas Calientes (irei dormir em Aguas C para outro dia ir a Machu Picchu). Voce tem sugestao de agencia para eu reservar antes? Eu olhei essa aqui, cobrando 77dolares/pessoa. (https://www.cuscoperu.com/pt/passeios/vale-sagrado/pisaq-e-ollantaytambo). O que achas?

    Muito obrigada e parabens pelo site.

  9. Olá Clarissa. Muito bom seu post.
    Vou em junho de 2016, minhas dúvidas:
    1) É muito frio?
    2) Vou voltar de Águas Calientes de trem até Ollanta, por conta do tempo de viagem ser mais curto. Como faço para ir de Ollanta até Cusco? Você tem ideia de valor?
    Obrigada.

    • Oi, Luciana, tudo bem?
      Olha, eu fui em maio e rolava um calor bem gostoso de dia, mas eu tinha que continuar de casaco porque esfriava bem à noite. Eu prepararia uma mala para os dois climas, já que a noite é bem geladinha.
      Não sei como estão os valores atualizados, mas você pode ver com qualquer agência de viagem – por exemplo, fazendo o tour pelo Vale Sagrado e voltando no dia seguinte. Eu fui com a Viajes Pacífico (http://www.viajespacifico.com.pe/) que tem atendimento em Português – vê com eles o valor, já serve como uma referência! 🙂

    • Diego, Eu não sou a melhor referência para te ajudar nisso porque não usei rede de dados ou meu celular por lá – o que eu usava era o wifi dos hotéis e restaurantes e nesse ponto não tive problemas (especialmente em Cusco, Lima e Águas Calientes). Mas ouvi dizer que gente teve dificuldades em alguns trechos montanhosos sim, como no Valle Sagrado ou na Trilha Inca.

  10. Olá, Clarissa como contratar o tour de Cusco pelo vale Sagrado para descer em OLLANTAYTAMBO e seguir para Aguas Calientes? Quanto foi o tour? Obrigado

    • Oi, Felipe!
      Você pode contratar na hora (provavelmente seu albergue/hotel deve vender o pacote na recepção). Ou reservar com antecedência. Na primeira vez eu reservei direto pelo albergue – não lembro o nome da operadora, me desculpe! Mas no outro eu fui pela Viajes Pacifico, que tem guia em português e é excelente – mas é mais cara também.
      Eu vi pela internet que a média de preço do tour é de 45 dólares. Mas não esqueça de, na hora de contratar, negociar como fazer para a volta por Ollantaytambo quando você estiver voltando por Machu Picchu.

      Espero ter ajudado!

  11. Eu chego em cusco em uma segunda feira às 12:15. Eu consigo chegar em aguas calientes nesse mesmo dia? Vi que os trens de Poroy só partem para lá de manhã, não possui nenhuma opção a tarde. O que vi que seria possível fazer é pegar um trem de OLLANTAYTAMBO (16:36 pela inca rail ou 19h pela peru rail). Porém pelo que li os tours só saem de cusco pela manhã, correto? Quais opções eu teria para chegar em OLLANTAYTAMBO? Taxi (quanto custaria?)? Onibus? Muito obrigado !

    • Oi, Bruno!
      Se você viu trens saindo a tarde de Poroy para Ollantaytambo, vale a pena pegar um desses – e se der, pernoitar por lá para ir a Águas Calientes de manhã cedinho.
      Ou, se você tiver tempo, eu também sugeriria deixar para ir para Ollantaytambo no dia seguinte e aproveitar a tarde em Cusco, que é uma cidade bem bonitinha e que tem muita coisa para fazer. Aí você aproveitaria com mais calma tanto a estadia em Cusco quanto o passeio até Ollanta – se fizer o tour pelo Vale Sagrado e descer em Ollantaytambo, como eu recomendo no post que você leu, é uma boa opção porque você já aproveita o caminho, que é lindo!
      Sim, os tours só saem de Cusco pela manhã, que eu saiba – a menos que você contrate um tour privado, que deve ser mais caro.
      As opções para ir para Ollantaytambo eu já dei no post.

  12. Clarrisa, preciso de um help!
    Vou para o Peru em setembro e pretendo ir a Cusco e Machu Picchu. Minha opção inicial já era a 2 e você me animou mais ainda, só que fiquei com umas pequenas dúvidas e quero fechar as reservas de hotel:
    1- Como sair de Ollantaytambo quando retorno de MP? Tem van, onibus, taxi, a pé (rs)? Estou receosa de ficar agarrada por lá muito tempo e eu irei na mesma noite da volta para Copacabana, na Bolívia. O ônibus sai as 20h de Cusco e preciso chegar pelo menos umas 3h antes para me orientar e tal.
    2- Quanto tempo demora esse trecho? Você sabe? Tem transporte a noite toda?
    Vi um trem da Peru Rail saindo de Ollanta para MP às 19 e outro às 21.. Não seria problema caso o passeio pelo vale atrasasse ou algo do gênero e no dia seguinte, tem um as 22h. Daria para aproveitar MP do nascer ao por-do-sol, voltando para Ollanta e dormindo por lá para poder zarpar para Cusco logo pela manhã. Só que estou com medo de ficar agarrada em Ollanta sem saber como voltar (rs)!
    Obrigada pela atenção! Seu blog já me ajudou muito pra montar meu roteiro! 🙂

    • Oi, Thais, tudo bem?
      Vou tentar te ajudar, vamos lá!
      1) Eu não recomendaria ir na mesma noite de Ollanta a Copacabana não exatamente por este risco! Mas se quiser arriscar, tente reservar com a agência do passeio que te levar pelo Vale Sagrado a volta de Ollanta a Cusco no dia seguinte – converse para ver se é possível. Você já deve estar de volta por volta de umas 20 da noite. Ou veja os horários para voltar de trem.
      2) Não, que eu saiba não tem transporte a noite toda não – você vai ter mais opções se estiver de volta a Ollantaytambo em torno de umas 15 horas. Eu evitaria ir depois disso.
      Acho que você não precisa ficar do nascer ao por do sol em Machu Picchu – mas você é quem sabe! 🙂 E sim, se você for voltar pela manhã cedo para Cusco, você tem tempo de sobra para ir a Copacabana. Mas reserve as passagens antes! 🙂

  13. Oi, Clarissa!
    Estou lendo, relendo, rerelendo tudo sobre MP e Cuzco e proximidades e montei um roteiro que creio funcionar. Porém, estou fechando as diárias com os hotéis e nesse momento me pergunto se é factível o que planejo fazer. Tenho 4 dias e meio (4 noites) entre Cuzco e MP. Pensei em ficar uma noite em cada lugar (Cuzco, Ollanta, Aguas Calientes, Cuzco novamente). Você acha possível ou alteraria algo?

  14. Olá pessoal,

    Muitas pessoas perguntam Vale a pena dormir em Ollantaytambo?

    Eu sugiro dormir em Ollantaytambo que é muito mais barato. Além disso pode passear pelo povoado e pelas ruínas durante o dia. As ruínas são fascinantes e estão localizadas no alto da colina e, entre seus atrativos estão o templo do sol, gigantescos monolitos e terraços de pedra.É uma ótima opção de visita. Você pode acordar cedo e pegar o trem até Águas Calientes com duração de 1 1/2h a 2h; perfeito para posteriormente visitar Machu Picchu.

    Parabéns pelo blog, abraços.

  15. Olá Clarissa, muito legal o seu blog tá ajudando a muita gente. Só para dar uma pequena dica, gostaria de dizer que é possível ir até pertinho Águas Calientes de moto ou até carro ou até mesmo de bus. Vai dar uma volta um pouco maior e recomendo apenas para quem tem mais tempo e goste muito de aventura. O caminho é seguir até a cidade de Santa Maria e de lá pegar uma estrada de cascalho até Santa Helena, essa estrada é daquelas que só aparece naquelas séries do discovery channel com aquelas pirambeiras pertinho do veículo etc.. porém lugares lindos, para quem gosta de aventura na irá esquecer nunca mais, aliás quem vai para o Peru de moto é porque gosta mto de aventura. Em Santa Helena tem várias termas e coisas boas para fazer, um bom lugar para se ficar uns dias. De Santa Helena vc já vai estar pertinho de MC , aí segue uma estrada uma meia hora até a localidade de Hidro que é o ponto final dos trens que passam por Águas Calientes e seguem para Cusco. Bem, de Hidro vc vai estar a 12 km de águas calientes, aí tem duas opções: pegar o trem que leva meia hora ou seguir os trilhos à pé que sai de gratis além de ser legal. Eu optei subir de trem e descer à pé já que o último trem saía as 14;00 hs e eu queria aproveitar mais as ruínas. Tudo isso vc pode fazer de van ou até mesmo de bus pagando bem baratinho, mas é como eu falei , não dá para ser em viagem bate e volta, tem que ter tempo.

  16. Olá Clarissa! Boa tarde! Ótimas dicas.
    Vou para Cusco dia 20 de outubro agora. Meu passeio no Machu Picchu será no primeiro grupo (7h as 8h) do dia 25, assim, pretendo fazer o passeio do Vale Sagrado no dia 24 e descer em Ollantaytambo, continuando até Aguas Calientes de trem.
    Minha dúvida é quanto ao horário que se costuma chegar em Ollantaytambo nesses passeios do Vale Sagrado que se compra em Cusco. Tem uma passagem de trem às 15h30 e me preoucupo em comprá-la e acabar perdendo o horário. O que acha?

    Valeu!

  17. Olá Clarissa, tudo bem.
    Adorei o roteiro 2, porém não consigo mais comprar a passagem para MP as 16:30 , será se eu comprar a passagem de trem 15:30 e fazendo Valle sagrado daria tempo de pegar o trem para MP já que pretendo dormir em águas Calientes? E a outra dúvida é que estou querendo sair MP e pernoitar em Ollanta para fazer Moras e Moray o que você acha? Obrigado

  18. A partir de Cuzco, até onde posso chegar de carro? Como são as estradas, são asfaltadas? É fácil chegar de carro até Ollantytambo? Dalí, quanto tempo leva ao Vale ?
    Obrigada.

    • Oi, Patrícia! Como expliquei no post, você pode ir de carro de Cusco até Ollantaytambo, mas daí até Machu Picchu só é possível ir de trem. As estradas são asfaltadas sim, e nós fomos bem indo de ônibus (na primeira vez) e van (na segunda), de modo que acho que dá para ir dirigindo sim, mas aviso que a viagem de carro no Peru é bem diferente e rola uma enorme estrada cheia de curvas para chegar lá – eu recomendaria ir num transporte local mesmo, que eles conhecem melhor.
      A viagem de trem de Ollanta até Águas Calientes leva 1 hora e 50! 🙂

      • Clarissa, não entendi muito bem. Você foi de van até Ollantaytambo certo? Mas você também fez o tour pelo Vale Sagrado… No tour inclui o transporte até Ollantaytambo, ou são coisas separadas? Outra coisa, a tour pelo Vale Sagrado pode ser comprada na hora?
        Obrigado!

        • Oi, Ramon, tudo bem?

          Eu fui duas vezes a Machu Picchu. Na primeira, eu fiz o tour pelo Valle Sagrado (que inclui Ollantaytambo), voltei para Cusco e fui direto para Águas Calientes de trem. Na segunda vez, eu fui de van para Ollantaytambo e de lá peguei o trem. O tour pelo Valle Sagrado tem transporte até Machu Picchu sim, você pode ir por ele. E você pode até comprar o tour na hora sim, mas o trem de Ollantaytambo a Machu Picchu deve ser comprado com antecedência, é comum lotar as vagas.
          (Cá para nós, eu reservaria tudo com antecedência! Foi assim que fiz das duas vezes, e acho um passeio muito legal para me arriscar de procurar vaga na última hora).

          Espero ter ajudado! 🙂

  19. Ola Clarissa. Dicas valiosas! Obrigada por compartilhar conosco.
    Tenho uma duvida. Como posso ir do Aeroporto de Cusco até a estação Poroy para pegar o trem? Recomenda taxi, transfer ou algum ônibus de linha local mesmo? Obrigada pela ajuda.

    • Oi, Denise! Eu acho que dá para ir de táxi tranquilamente – mas SEMPRE NEGOCIE o preço e o local onde eles vão te deixar antes de entrar no carro, sempre! E dê um tempo de folga entre a chegada e a partida do trem. Mesmo que em Cusco não tenha tanto trânsito, você vai estar bem mais lenta por causa da altitude!

  20. olá tudo bem, Clarissa, poderia me orientar?
    vou chegar em Cusco dia 23/09 e vou para aguas calientes dia 24 e dormir lá e dia 25 de manhã machu pichu e retornar no fim da tarde para Cusco.
    Qual modo mais interessante de ir, Cusco -Poroy Van e Aguas Calientes de trem?
    ou Cusco até Olantaytambo , van ou outra forma, e lá pegar o trem até Aguas Calientes.
    Nesse meu roteiro existe possibilidade de conhecer o Vale sagrado?
    analisando que dia 25/09 estarei em machu pichu para o passeio do 1 horario e retornando fim da tarde para Cusco.
    Acha melhor no dia 26 de Cusco então conhecer o Vale Sagrado?
    Ah e o guia de MP , sabe o valor que está, tendo em vista as novas regras ser obrigado a contrata-lo?
    Obrigado desde já

    • Oi, Marcos, tudo bem?

      Eu sugeriria você fazer a opção 2, descrita neste post: ela inclui o passeio pelo Valle Sagrado e você pode descer em OllantayTambo para seguir de trem a Águas Calientes. Uma dica é você fazer isso no dia 24, e retorne no dia 25. Se quiser, dá uma lida com atenção neste post e nos comentários acima, que tem gente fazendo o mesmo, e eu dou mais detalhes sobre tudo!
      Quanto ao guia, eu não sei quais os valores de hoje, mas você pode fechar com ele que ele organiza sua chegada de acordo com as novas regras. O nome dele é Marco Antonio Escalante, ele fala português e é extremamente simpático! Você pode falar com ele no site http://askmetravelorganizer.com/ – manda um email para ele que ele explica!!!

  21. Olá, tudo bem? belo site por sinal.
    Eu gostei da sua sugestão para ir de Cusco à Aguas Calientes pela opção nr 2 : TOUR PELO VALE SAGRADO ATÉ OLLANTAYTAMBO + TREM PARA ÁGUAS CALIENTES.
    Mas, vc saberia me indicar algum pacote de viagem , guias , etc? Onde posso fechar esse pacote, tem alguma agência?

    É que meu voo é de Lima até Cusco, mas ficarei hospedado em Aguas Calientes, então so volto pra Cusco quando de fato eu for embora para o Brasil.
    Pretendo ir em Outubro.
    Obrigado.

    • Oi, Halison, tudo bem? Fico feliz que tenha gostado do post!

      Olha, quando eu fui, fomos com o guia Marco Escalante, você pode falar com ele através desse site: http://askmetravelorganizer.com/

      Ele não é uma agência (acho, a menos que as coisas tenham mudado por lá!) mas ele pode organizar essa parte da viagem para você. Fala com ele – ah, ele fala português perfeitamente! 🙂

      • Isso, mesmo, eu dei uma zapiada nos comentarios e vi essa sua sugestão do Marco hehe. Estou esperando agora ele me responder, rs. Vc não tem o whatsapp dele nao né?
        Vou ver com ele também pra ver se ele me dá uma dica pra comprar o ticket para Machu Pichu, o pessoal está dizendo que no site oficial o cartao Visa nao ta passando. Achei no site http://ingressomachupicchu.com mas nao sei se é seguro.
        Tomara que dê tudo certo hehe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui