Que Whistler me perdoe. Ok, a vila é uma das mais cobiçadas cidades do Canadá para se visitar: famosa, badalada, tem gente bonita, pistas bacanésimas, restaurantes perfeitos e Olimpíadas de inverno. Adorei – mas meu coraçãozinho bateu mesmo, forte, por Banff, que fica na província de Alberta, a algumas horas de vôo.

Cabe uma explicação, claro: até porque a fama de Whistler já correu o mundo, e tanto a turma do ski e do snow quanto aqueles que gostam de frio e montanhas tem Whistler em altíssima conta na sua lista de lugares para morar no mundo. Mas Banff, sei lá: é daquelas cidades “come-quieto” que você só houve falar pela lindeza do lugar, mas que ela vai te encantando aos pouquinhos e silenciosamente, com sua beleza ímpar, sua atmosfera mais acolhedora… E quando você vai ver, pronto!, já se apaixonou.

E eu voltei de Banff suspirando. E taí não um, nem dois, mas 15 motivos de porque eu me apaixonei por lá (e também, 15 razões para você considerar pegar um aviãozinho para lá assim que chegar no Canadá!). 🙂

1. Por causa das Montanhas Rochosas

Banff é uma cidadezinha que fica no meio do Parque Nacional de Banff, onde também ficam parte das Montanhas Rochosas canadenses. O resultado é uma paisagem “dramatic”, como o próprio idioma inglês explica muito bem: montanhas colossais e exuberantes, de picos escarpados e nevados a se perder de vista, quase que emoldurando a paisagem. Diferente de Whistler, em Banff a paisagem tem uma cara mais “selvagem”, mérito da fauna e flora do Parque Nacional, mesmo. Ou seja, além de inspirar muitos “ooohs” de admiração para qualquer lado que você olhe, ainda é super garantia de tirar fotos muito bonitas – a paisagem ajuda que é uma beleza. Aliás, literalmente.

2. Porque não precisa de neve artificial

Ou, pelo menos, não precisa muito – e isso para quem gosta de esquiar faz bastante diferença. Por ficar mais ao norte, a neve começa a cair, fofa e no melhor estilo “powder”, como os esquiadores gostam, bem cedo, e já no início de dezembro as pistas estão naturalmente prontas para os esquiadores e snowboarders – em algumas estações americanas, às vezes é necessário a ajuda de máquinas de neve ainda nessa época do ano. A vantagem também é que a estação de esqui se prolonga ainda mais, e as pistas estão abertas até quase o final de maio.

Mas se o antes e o durante se prolongam, o melhor ainda é o meio: durante o inverno a precipitação de neve é constante, especialmente à noite – por isso, é relativamente comum as estações de esqui em Banff organizarem saídas noturnas com esquiadores, especialmente em noites claras e estreladas. Ou, ainda, esquiadores aproveitarem as primeiras horas para descer a montanha e aproveitar a neve “virgem” que caiu à noite.

3. Porque para iniciantes, aprender no Lake Louise Ski Resort é melhor

São dois os principais lugares para se esquiar em Banff: o Lake Louise Ski Resort e o Sunshine Village. Tivemos aulas de ski nos dois, além de em Whistler. Mas disparado gostamos mais – e o mais importante, sentimos uma evolução maior na nossa performance – no Lake Louise Ski Resort. Minha opinião é que isso se deve a alguns fatores: as pistas do Lake Louise são mais largas (a gente não fica com medo de esbarrar nas outras pessoas, especialmente quando está aprendendo e ainda não tem muita noção de como fazer curvas); a qualidade da neve é melhor (mesmo não sendo nenhuma especialista no assunto, eu senti nitidamente a diferença ao deslizar e controlar o ski na neve em Banff e em Whistler, por exemplo), a vista (que é uma lindeza só!) e os instrutores (que, ok, cada instrutor tem sua própria forma de explicar como esquiar. Mas, sei lá, no Lake Louise, dos três, eu me senti mais, sei lá, acolhida, entende?).

Ok, isso pode até ser uma observação meio particular, mas… bem… para quem é iniciante e quer aprender a esquiar (o que era o meu caso – nível prego total), eu achei a melhor opção. E quem já passou do nível das aulas, mas precisa praticar um pouco mais antes de sair se aventurando um pouco, o Lake Louise organiza passeios diários com grupos de pessoas (separadas por nível de habilidade com o ski/snowboard) para percorrer algumas trilhas e pistas com um instrutor. É uma forma de praticar e explorar a região. Me gusta. 🙂

Veja também: Whistler, Vancouver, Banff: qual a melhor estação de ski no Canadá para você?

 4. Porque, para experts, é a oportunidade de estar numa das melhores áreas de esqui do mundo

IMG_0259
Crédito da Foto: divulgação Sunshine Mountain Lodge

E não sou eu quem está dizendo isso. É a National Geographic Adventure (melhores cidades de ski do mundo) e o Crystal Ski and Snowboard (um dos maiores operadores de turismo especializado em ski da Inglaterra) que elegeu Banff como o 3 melhor lugar do mundo para o esporte, num total de 160 destinos em todo o mundo. Para o US News lá é o segundo melhor destino do mundo para ski e para a Fox News, ele está em quinto.

E eu, na minha humilde opinião, concordo com toda essa galera aí.

 5. Por causa do Sunshine Mountain Lodge

Graham Towmey
Detalhe do Sunshine Mountain Lodge à noite, como fica lindão. Agora imagina isso com aurora boreal? Crédito da Foto: Graham Towmey (divulgação Sunshine Resort)

Um hotel encravado no meio da montanha. O único hotel localizado dentro do Parque Nacional de Banff (e que só esta lá porque já tinha sido construído antes do parque virar parque). Tão diferente que, para chegar, é preciso pegar um daqueles veículos que andam na neve ou ir de gôndola. Mas chegando lá, é um luxo só: o hotel tem um conceito de “ski-in-ski-out” – em outras palavras, literalmente você entra e sai dele de skis, se quiser (uma belê para quem quer esquiar o dia todo até cansar, e só sair da montanha direto para o banho quente). Mas dentro do Sunshine Lodge é só delícia: banheiras de hidromassagem, spas, salas de jogo, restaurante e jacuzzi quentinha ao ar livre. E um visual lindo, lindo, lindão incansável, para qualquer lado que você olhe!

6. Porque dirigir no Parque Nacional de Banff é uma experiência linda

Ô se é. Então, se você for usar os ônibus que ligam Banff ao aeroporto de Calgary, ou simplesmente da cidade de Banff até as estações de esqui, não ouse dormir no caminho. Você perde o melhor das Rocky Mountains passeando pela sua janela. E para quem puder alugar um carro, melhor ainda – você pode demorar-se nas estradas sem problemas, para apreciar melhor ainda a vista.

E melhor ainda: como é um Parque Nacional, as encostas da estrada são protegidas por grades por toda a sua extensão, para proteger os animais de atravessarem a pista e serem atropelados. Segurança para ele e para você! 🙂

7. Porque compras em Banff é mais barato

É sim, pelo menos em comparação com Whistler e alguns pontos de Vancouver. E para quem vai no final de estação ou na época da temporada de promoções, melhor ainda.

Explicamos tudo sobre compras neste post, inclusive de peças de frio. Mas fica a dica: souvenirs aqui são mais baratos ainda, e a variedade é boa, dá para encontrar uns bem engraçadinhos.

8. Porque lá tem o Lake Louise

Crédito da Foto: Flickr de MarylinJane
Crédito da Foto: Flickr de MarylinJane

Que eu não fui conhecer porque não tivemos tempo 🙁 (e eu fico para morrer toda vez que lembro disso!). É uma heresia ir a Banff sem conhecer o Lake Louise, eu sei – e quem me lembra disso a todo momento são os ótimos posts sobre o lugar, publicados pelo Fred do Sundaycooks, a Mirella do Mikix e a Betina Abrão, convidada do blog Turomaquia.

Ou seja, dá uma olhada no blog deles para saber porque você não pode fazer a mesma asneira que eu fiz. E por favor, coloca o Lake Louise no seu roteiro, vai?

E eu, putz… só por causa disso vou ter que voltar a Banff! Olha que problema! 😉

9. Porque a cidade de Banff é uma gracinha…

Gracinha mesmo! Se as montanhas ao redor dão uma cara rústica à paisagem, e se Banff é frio, frio frio de marré de ci (desculpem o trocadilho), a cidade não poderia ser mais aconchegante: lojas e casinhas de madeira, lareiras, uma delicadeza quentinha e acolhedora como uma boa xícara de chocolate quente pode ser no frio. E é bem animadinha à noite, com lojinhas e restaurantes bacanas.

Veja aqui mais opções de hotéis em Banff.

10. … E também é, hã… florida 😉

Atire a primeira pedra quem nunca curtiu um lugar só por causa da sua, hã, “paisagem”.

Pois é: nada mais a comentar. Uh-lá-lá! 😉

12. Porque lá tem o Balkan, um restaurante grego delicioso

Comida Balkan

Alguns restaurantes merecem a recomendação. E se você estiver de bob por Banff à noite e quiser dar uma esquentada na alma e no astral, reserva uma mesa no Balkan’s o restaurante grego de lá. A casa é simples mas, como todo bom grego, irreverente do seu jeito próprio, e a gente só descobre ao longo do jantar. São dois pontos altos da casa: um é o menu,  cheio de pratos gregos deliciosos. A especialidade deles é carneiro, em versões maravilhosas – mas eu fiquei com os frutos do mar grelhados, acompanhados de tzaziki (uma pasta feita de iogurte, pepino, ervas e cebola, super refrescante e deliciosa com pão pita) e outros acompanhamentos. Peça uma das entradas de lá, que é servida flambada na mesa, com direito a fogaréu e tudo!

O outro ponto da casa é a diversão, que é incluída: em determinada hora da noite, dançarinas de dança do ventre fazem uma performance especial por entre as mesas, com muita música e remelexos. Volta e meia rola um prato quebrado também. Curti!

13. Porque você pode ver renas passeando pela cidade

Vê mesmo: como fica dentro de um Parque Nacional, é bem comum ver renas passeando por entre as casas (não mexa com elas) ou coiotes sorrateiros caminhando pelas ruas à noite, em busca de alguma presa desavisada (eles não atacam pessoas, mas são eles, e não o inverno rigoroso, a principal razão pela qual Banff não tem cães ou gatos de rua vagando por aí).

Mas diga, vá: as renas são umas fofas, não são?

14. Porque você pode conhecer o Johnston Canyon

Prepare-se, porque o lugar é frio! Uma visita ao Johnston Canyon durante o inverno exige roupas bem quentinhas e disposição para uma caminhada de um pouco mais de uma hora – porém bem tranquila e sem muitas subidas). O passeio é feito por belas passarelas de ferro que circundam o Canyon, ao longo de um rio completamente congelado. A paisagem parece desolada, mas não é: cascatas de gelo paralisadas no ar mostram a cachoeira que existe ali no inverno, formando esculturas lindas de gelo. Da série “belezas da natureza” para se conhecer entre um esqui e outro. 🙂

15. Porque você pode dar a sorte e ver a aurora boreal (e da jacuzzi!)

Não é certo, mas pode acontecer! Antes de ir a Banff, eu havia pesquisado se é possível ver a Aurora Boreal de lá – e quem sabe, dar um “check” a mais nas minhas experiências de viagem antes de morrer – e encontrei vários relatos de gente que já conseguiu ver, pelo menos por poucos momentos, a aurora boreal de lá.

Fiquei esperançosíssima, mas não dei sorte – não deu para ver nada dessa vez ao ir para lá (estava nevando bastante e o céu estava fechado – ótimo para esquiadores, mas sem aquele céu limpo que a gente gosta). Só que, conversando com o gerente do hotel, perguntei sobre a possibilidade de ver o fenômeno, e ele garantiu que sim, é possível: especialmente para quem se hospeda no Sunshine Mountain Lodge. Isso não é propaganda do hotel, de forma alguma – mas acontece simplesmente pelo fato do hotel estar localizado em pleno parque e entre as montanhas, e por isso, com menos interferência da luz da cidade no céu.

Então, especialmente em meados de fevereiro e março e com noites de céu limpo, hóspedes do hotel podem tirar a sorte grande e ver a aurora do salão envidraçado do restaurante, da janela dos seus quartos ou, ainda, da jacuzzi!!!

– Eu vi a aurora sob a minha cabeça uma vez – disse o gerente – quando estava com minha família e alguns hóspedes curtindo a jacuzzi do hotel.

E ele sorria, ciente de que isso tinha sido, sim, um privilégio! Eu concordo totalmente!

Para quem não sabe, a jacuzzi em questão é essa aí: quentíssimos 40 graus celsius, mantida ao ar livre (de -25)!

Ok, você pode até ficar sem coragem de sair… mas se sair, que história bacana para contar quando voltar para casa, hein? 🙂

[box]

Gostou? Veja mais posts aqui:

Whistler, Vancouver, Banff: qual a melhor estação de ski no Canadá para você?

Whistler, Vancouver, Banff: onde comprar roupas de frio no Canadá?

O que fazer à noite em Whistler, no Canadá?

Dicas do hotel à neve: tudo o que você precisa saber para esquiar em Whistler

[/box]

Essa jornalista e blogueira visitou Whistler em dezembro de 2014 a convite do CTC – Canadian Tourism Comission.

Comments

12 COMENTÁRIOS

  1. Lendo esse seu post me deu mais vontade de ir pra Banff no inverno… o verão já tinha me deixado de queixo caído, e com as fotos que ando vendo do inverno!!! Jesus… muito lindo… e nem vou comentar da inveja fortíssima de ler que vc viu aurora da jacuzzi, viu? 🙂
    Lindo post…
    bjão

  2. Estive em Banff em agosto/13 e quando vc escreve “mas meu coraçãozinho bateu mesmo, forte, por Banff” senti a mesma coisa! Não esqueço as paisagens dessa viagem mas não consigo esquecer mesmo é essa cidade linda, aconchegante!

  3. Clarissa, adorei seu post…vou em março pra Vancouver fazer um intercâmbio de 9 semanas e queria muito conhecer banff… suas dicas só deram mais ainda vontade de ir…
    pretendia ir numa sexta e voltar no domingo , vale a pena só esse tempo de dois dias em banff e Lake louise? Qts dias preciso pra fazer os pontos principais e não perder tantas aulas de inglês em vancouver?

    • Fernanda, acho um fim de semana corrido, porque do jeito que você descreveu, me parece que não serão dois dias completos, né? Tipo, você deve perder a manhã da sexta e a tarde do domingo nos deslocamentos, não (imaginando que você deve ir de avião)?
      Olha, fazendo tudo correndo, dá para dar um pulinho no Lake Louise sim e conhecer um pouco da cidade de Banff, que é pequenininha e fofa, mas se você quiser rodar mais (como ir numas das estações de esqui como o de Lake Louise) ou ir nos Canyons ou outros passeios, acho que já fica bem corrido. Se você conseguir os 3 dias inteiros (tipo, você chega na quinta a noite e vai embora no domingo à noite) eu já acho que dá! 🙂

  4. Olá Clarissa, adorei seu post. Estou me programando para ir para lá em fev/16, para esquiar. Me dá uma ajuda (umas na verdade rs…rss…) por favor: Você ficou hospedada no Sunshine ou em Banff. Se ficou em Banff, há transfers para Lake Louise Ski Resort e para Sunshine Ski Resort? E última pergunta…você dirigiu por lá? Como são as estradas? Estão limpas mesmo quando neva? São “fáceis”, ou são tipo a de Valle Nevado? Obrigado

    • Oi, Johnny! Eu acabei ficando em Banff, pernoitando, mas ficamos o dia inteiro almoçando e usando a estrutura do Sunshine, só voltando para Banff para dormir mesmo. E sim, há transfers diários para o Lake Louise Ski Resort e o Sunshine. Custava 15 dólares ida e volta – tem mais detalhes neste post: http://www.dondeandoporai.com.br/whistler-vancouver-banff-qual-melhor-estacao-de-ski-canada-para-voce/

      Eu não dirigi por lá, mas dirigiria fácil: as estradas são de um visual incrível, e muito mais “fáceis” que a de Valle Nevado. Quanto a serem limpas quando neva, bem… eu as vi limpas porque acredito que havia um serviço cuidando dessa limpeza o tempo todo, mas também houve uma ocasião que tivemos o nosso ônibus super atrasado por conta de uma estrada fechada causada por um acidente durante uma nevasca. Ou seja, é o tipo de coisa que pode acontecer.

      Mas a estrada é bem legal sim!

  5. Clarissa, adorei o seu post. Me deu água na boca (literalmente). Depois de ter conhecido Torres del Paine no Chile,tem que ser Banff!!
    Será meu próximo destino, com certeza! Obrigada pelas dicas. Parabéns!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui