Pois é. E que me desculpem a Argentina e o Chile, mas o Peru simplesmente virou meu país preferido no quesito viagem aqui na América do Sul (pronto, falei!). 🙂

A minha preferência, claro, é absolutamente pessoal – foi fruto de uma paixão avassaladora e inesperada que eu tive pelo país dos antigos incas na minha última viagem, em maio de 2014, quando nem imaginava que viajar para o Peru fizesse com que o trio Lima, Cusco e Machu Picchu batessem forte no meu coração. Muito à frente de Buenos Aires e Santiago. #nãobriguem

Mas basta dizer isso para ver a galera arregalar o olho: “Como assim???????”. Teve gente até que nem deu crédito, e achou que eu achava isso porque, sei lá, tinha virado hippie ou coisa parecida (“blogueiro é meio bicho grilo mesmo” certamente foi o pensamento, por exemplo, dos meus tios engenheiros). Parecia até que torcer contra a Argentina no futebol pode, mas dizer que a terra dos alfajores e do Papa perdeu pontos na minha preferência viajante era quase um sacrilégio.

Ok, nem tô ligando. Até porque quem já conheceu e se apaixonou pelo país vai entender totalmente do que eu estou falando. 🙂

Parte disso eu entendo: por anos, mochileiros, trekkers e aventureiros era o típico estereótipo do viajante que ia ao Peru, atraído pelas trilhas incas, pela vibe paz e amor de Machu Picchu – e se quem não tem esse perfil tem até vontade de visitar o país, a vontade passa rapidinho com medo das trilhas e da altitude. Fora, claro, a época em que só se ouvia notícias ruins daquelas bandas, especialmente quando o país sofria com o terrorismo de alguns grupos guerrilheiros – na época era o Sendero Luminoso. Normal mesmo de não ter muita gente querendo ir para lá.

Felizmente, neste quesito as coisas mudaram, e para bem melhor. E agora o Peru está sabendo – e diga-se de passagem, bem melhor do que a gente – receber o turista estrangeiro de todas as procedências, idades, bolsos e gostos. De destino mochileiro e de aventura, virou roteiro romântico, de luxo, de compras e, especialmente, de gastronomia. Delícia.

Aliás, gastronomia… Taí a primeira (e a mais gostosa) das razões que me fizeram me apaixonar definitivamente pelo Peru! 😀

Bom, mas antes que comecem a enumerar as picanhas argentinas e o “dulce de leche” uruguaio, eu enumero todas as outras razões que contaram muitos pontos para o Peru e que, tenho certeza, vão fazer você gostar de lá também. 🙂

Até porque o Peru é, de certa forma, uma deliciosa surpresa, daquelas que você chega esperando para ver apenas Machu Picchu e volta de lá surpreendido e encantado com as belezas peruanas que vão muito além da cidade sagrada das montanhas.

Confere só. E me diz se, depois deles, não bateu uma vontade louca de ir para lá? 🙂

1. Museo Rafael Larco Herrera

Fica em Lima e, juro que não é clichê, mas o Museu Larco é completamente diferente do que quase todos que eu já visitei.

Primeiro, porque é um museu privado, e isso faz toda a diferença. Começou com Rafael Larco, que descobriu algumas várias peças de cerâmica pré-colombianas durante suas escavações, e dedicou sua vida toda a pesquisas, escavações e estudo dos materiais que encontrava. Isso permitiu com que ele reunisse um dos melhores acervos de peças com até 10.000 anos, que reunidas contam muito da história de civilizações passadas que se equiparam aos antigos egípcios e à Índia e China antigas.

E também por ser um museu privado, o investimento e as tomadas de decisões para a melhor organização do acervo, restauração de peças e informações ao público são tomadas com mais rapidez – e o resultado é um museu super lúdico, com as peças muito bem organizadas em períodos históricos, o que faz com que um passeio por lá seja uma deliciosa aula de história antiga – e que, juro, não é chato em nenhum momento!

Mas se você achar chato, relaxe: no final da exposição tem uma parte dedicada só às cerâmicas eróticas – porque o nheco-nheco já rolava solto na vida dos antigos andinos desde muito cedo! 😉

E eu posso dar uma opinião? Quando fui lá, me lembrei da visita que fiz ao Museu do Cairo, também riquíssimo em artefatos antigos e (por motivos óbvios), possui o maior acervo de peças egípcias antigas do mundo – mas que é super, mas super mesmo, mal organizado, mal explorado, mal valorizado. E que, exceto a sala de ultra segurança que guarda a máscara mortuária do Tutankhamon, a apresentação não valoriza em nada a história apaixonante que eles tem; as peças parecem largadas e perdidas, como os visitantes no meio delas.

Talvez por ter tido essa medida, eu me apaixonei pelo Museo Larco – o acervo e a história que eles têm reunidos nas mãos é equivalente ao do Museu do Cairo, mas que é explicado a cada peça com uma riqueza de detalhes que, se a gente entrava achando que os incas eram os reis do balacobaco (eu, pelo menos, achava), saímos absolutamente encantados com a história peruana que já acontecia, linda, muito antes dos incas, dos espanhóis e do Alberto Fujimori.

Ah, e só para fechar com chave de ouro (mesmo): o Museu Larco tem um jardim lindíssimo, um dos mais bonitos que já vi aqui nas bandas das Américas. A loja do museu é um sonho e tem o restaurante do Museu, com vista para o jardim e um ambiente lindo que só.

Para amar. Juro.

[box type=”info”]

Informações:

Endereço: Av Simón Bolivar 1515, Pueblo Libre 15084, Lima.

Funcionamento: de segunda a domingo, de 9 da manhã às 10 da noite.

Ingressos: 30 soles (adultos), 25 soles (a partir de 65 anos) e estudantes (15)

Dica matadora: deixe para ir à noite, já que o museu só fecha às 22 horas. Assim você aproveita os passeios de Lima de dia e se apaixona perdidamente pelo Museu à noite, especialmente com a iluminação do jardim.[/box]

2. Porque a gastronomia peruana é um ARRASO!

Se eu contar um negócio para vocês que é verdade verdadeira, vocês prometem que não vão me achar antipática? É que eu vou falar uma coisa que pode parecer meio prepotente – só que eu juro que só parece, mão não é – não é essa a intenção! :/

É o seguinte #abrealerta : eu tenho viajado relativamente bem estes últimos 4 anos. Para vários lugares diferentes, por conta própria e a convites em press-trips, e para lugares acessíveis aos mais variados tipos de bolsos. E uma das consequências disso foi poder experimentar muita coisa diferente (e algumas delas, muito boas, especialmente em matéria de comida) e com isso acabar aumentando minha base de comparação.  E com isso, ir do gafanhoto crocante com pimenta até o ravióli trufado com faisão com a mesma desenvoltura, e contar para vocês aqui qual é a boa – e qual é a que não vale tanto o custo x benefício assim. #fechaalerta

E porque eu disse isso? Porque nos dois anos passados, eu fiz três viagens à Itália, a regiões diferentes, pro conta própria e a convite, e em todas elas um dos focos principais era a comida (posts aqui, aqui e aqui).

Na época, eu adorei – de verdade. Mas hoje, baseado na minha sensação de volta do Peru e lembrando de todos os restaurantes bacanas que pude ir nos dois lugares, eu arrisco dizer (minha opinião) que na pontuação geral eu comi melhor no Peru.

E com uma certa sobra nessa comparação aí. 🙂

 

Ok, gosto é pessoal. Pode ser que eu goste mais de frutos do mar. Ou que um dos chefs não estivesse num bom dia. Ou porque eu tenho um paladar diferente, mesmo. Sei lá, mil motivos.

Mas a verdade é que não foi só eu do grupo que saí com essa sensação: o feeling geral (de gente tão viajada quanto eu) era de que a gastronomia peruana pode concorrer, tranquilamente, com qualquer outra cozinha top do mundo.

E é ótimo para a gente, porque a deles está aqui pertinho! 🙂

Mas são vários os motivos para eles arrasarem na mesa: o Peru tem milhares de diferentes tipos de solo, desde o desértico até a Floresta Amazônica, desde o nível do mar até os Andes (e isso permite a eles terem uma variedade enorme de matéria prima, entre frutas, sementes, folhas e temperos). Eles tem uma corrente do Pacífico que traz peixes quase que de bandeja. E tem, ainda, uma enorme influência japonesa no país, que resolveu se juntar com a gastronomia local na cozinha e – tcharam! – criaram o ceviche, delícia das delícias. E essa misturada de sabores típicos cria pratos diferentes, complexos e criativos – e o bom: a preços equiparáveis de um bom restaurante aqui.

Em termos de experiência gastronômica, é um luxo – a ponto de fazer valer a pena aproveitar uma passagem promocional para Lima só para fazer tour pelos restaurantes. Sem arrependimentos. 🙂

E você aí pensando que comida peruana se resumia a Inka Kola, pisco e porquinho da índia frito, né? :p

[learn_more caption=”Dicas de restaurantes tudibom em Lima, Cusco e Águas Calientes”]

Em Lima:

Cala (frutos do mar maravilhosos): Playa Barranquita, Circuito de las Playas, Barranco, Lima, 04

Restaurante Huaca Puccllana (ceviche e sobremesa de lúcuma deliciosos! Experimente a sobremesa de chocolate também!): General Borgoño cdra. 8, Huaca Pucllana – Miraflores

Em Cusco:

MAP Café (maravilhoso!!!): Plazoleta Nazarenas, dentro do Museu de Arte Pré-colombiana.

Mishti Meshtizo (para quem quer experimentar o cuy sem sofrer, ali tem uma panqueca com a carne do bichinho que é bem gostosa, e se não te contarem que tem o ratinho ali dentro, você come e nem sente!): Dentro do hotel Aranwa, na Calle San Juan de Dios, 255 (perto da Plaza Regocijo e a duas quadras da Plaza de Armas de Cusco).

Em Águas Calientes:

Restaurante Sumaq Machu Picchu Hotel (absolutamente maravilhoso. Peça o “welcome drink” deles, com frozen de maracujá – tem o review dele aqui.): Av. Hermanos Ayar, MZ 1 Lote 3 (descendo a rua principal, seguindo o Rio Urubamba).[/learn_more]

 

3. Porque é bom para fazer compras! 🙂

Se você é daqueles que curte souvenirs de viagem, o Peru é um prato cheio: porque o que não falta é badulaque bonitinho para levar para casa, que vai de miniaturas de Machu Picchu a bonequinhos de lhama de todos os tamanhos!

Mas para quem já é chegado numa vibe consumista, prepare-se para explorar os mercados artesanais peruanos: são lindas esculturas de cerâmica e pedra, lindos tapetes coloridos feitos à mão com lã de alpaca, almofadas com os lindos motivos peruanos, máscaras de madeira, sapatos estilosos, tecidos, quadros com temática andina ou espanhola… Sem falar nas jóias de prata, com modelos lindos e a preços bem mais amigáveis que no Brasil.

Tecelagem em Chinchero- Crédito da Foto: Nicolas Nazareth

Só que na hora das compras prestar atenção para algumas regrinhas

– Como todos os produtos artesanais, alguns são feitos com top de qualidade e outros nem tanto. Examine tudo antes de comprar;

– Se você quiser um produto com uma qualidade top (como lã de alpaca legítima, por exemplo), algumas lojas poderão te atender nesse quesito, e nem sempre elas estarão nos mercados populares. Confira a qualidade e desconfie do preço – se o produto for bom mesmo, o preço será à altura.

– Como em todo lugar do mundo, muito artesanato é local de verdade, e muito é feito na China. Pergunte, cheque, compare. Se tiver barato demais, provavelmente é de lá. Se tiver muito repetido, também.

– Pechinche. Você pode não gostar, mas o comerciante peruano está acostumado com isso, e dificilmente o primeiro preço que ele vai cobrar é o preço que vocês vão fechar.

Eu, particularmente, fiz as minhas melhores compras no Centro Artesanal de Cusco. Primeiro, porque é enorme e tem muitas lojas num lugar só – é mais fácil de rodar tudo, pesquisar preços e escolher modelos e estampas (prático para quem tem o cronograma corrido e não tem tempo de sair por aí fazendo compras em vários lugares). Segundo, porque artesanatos em geral são mais baratos lá do que em Lima ou Águas Calientes (fizemos a pesquisa, perguntando lá mesmo preços de souveirs em geral – e os melhores preços eram sempre lá, o que me leva a crer que produtos mais elaborados também seriam). Terceiro, porque ali dava visitar diferentes lojas e depois pechinchar naquelas que a gente mais gostou!

Ah, em tempo: lá tem máquina ATM para sacar dinheiro, e eles aceitam pagamento em real também. Tudo na vibe “fazemos qualquer negócio”! 🙂

PS: Eu acho que o top ali é comprar itens para a casa (tapetes, quadros, esculturas, etc) e artigos em prata. Roupas, por experiência própria, não duraram muito não. 🙁

4. Porque é um dos melhores lugares do mundo para a prática de esportes (especialmente surf, trekking e parapente).

No nosso voo de ida tinha um grupo de rapazes animados que já denunciavam nas malas o motivo da viagem: longas pranchas eram despachadas como bagagem especial.

Pois é: Lima é um dos melhores lugares da América do Sul para surfar (mas só para surfe: a água é muito gelada para banhistas!). O melhor ponto, dizem os entendidos, estão nas Praias do Sul, que começam na altura do bairro de Chorrillos e vão até quase a cidade de Cañete. Piura é outro ponto super procurado.

Mas mesmo ali, do alto das falésias de Lima, se vê o mar pontilhado de cabecinhas esperando a próxima onda! 🙂

E outra coisa que eu não sabia: em Miraflores há uma base para salto de parapente – e que, descobri depois fazendo pesquisas para outra matéria, que é um dos pontos principais de salto no mundo! 🙂

E fica ali, do ladinho do Parque do Amor, em Lima! <3

Mas o Peru reina, mesmo, é com a galera das trilhas: trekkers do mundo todo vem percorrer a trilhas dos Andes Peruanos – a trilha Inca que leva a Machu Picchu é a mais famosa, mas o que não faltam são trechos belíssimos de vales e montanhas para quem é adepto das trilhas.

Urubamba, uma das cidades que fica no caminho entre Cusco e Águas Calientes, por exemplo, é cheia de vales lindíssimos e atrai peruanos e estrangeiros…

… e tem o Parque Nacional de Huaraz, que fica mais ao norte do país e, mesmo sendo menos popular do que a dobradinha Cusco-Valle Sagrado, tem lá também seus lagos belíssimos e suas florestas!

Lakes Huaraz
Parque Nacional de Huaraz, no Peru. Crédito da foto: Mark Somerfield
Vale árvores huaraz
Parque Nacional de Huaraz, no Peru. Crédito da foto: Mark Somerfield
Valle Huaraz
Parque Nacional de Huaraz, no Peru. Crédito da foto: Mark Somerfield

Importante: se você é surfista, pensa em aproveitar as ondas de Lima e vai levar sua prancha, fique de olho nas regras para transporte de bagagens – a prancha é considerada bagagem especial, tem que ser despachada e possui algumas regras especiais para ela. Veja aqui no site da TAM as regras para bagagens especiais (fomos com eles; fazem o trecho direto Guarulhos-Lima).

 

5. Porque o Peru tem lhamas!

Gente, basta. Lhamas são imbatíveis. 🙂

Lhama sorridente: Foto de dupla autoria (eu que bati, mas era a câmera da Mariana Amaral)! 🙂

6. Porque no Peru, as pessoas são lindas.

Se o seu conceito de pessoas lindas é coisa de capa de revista, esqueça. No Peru, a beleza é aquela da vida real, ao vivo e a cores. Muitas cores. 🙂

Crédito da Foto: Juliana Baptista

 

7. Para dar um passeio por Cusco

Cusco não é só uma etapa do caminho para se chegar até Machu Picchu. Pelo contrário, merece pelo menos uns 3 dias inteiros na cidade para poder aproveitá-la bem.

Isso por vários motivos:

1. Ali era a capital do Império Inca, onde vivia o Inca (nome dado ao imperador – o seu povo era chamado de quéchua) e depois virou o centro da exploração espanhola. O maior símbolo desta história, talvez, seja a Catedral de Santo Domingo, espanhola, construída sobre as ruínas do mais importante templo inca, o Qurikancha. A visita é impressionante e absolutamente necessária, se você estiver pela cidade: até hoje vê-se claramente a estrutura do templo original sob a construção e os rococós espanhóis.

Detalhe do interior da Catedral de Santo Domingo, em Cusco

2.  É a base para se conhecer o Valle Sagrado dos Incas, e conhecer as ruínas de Saqsaywaman, Pukapukara, Qenqo, Pisac – são muitos nomes estranhos, mas cada um se refere a um centro religioso, locais de culto à água, armazenamento de alimentos e outras funções administrativas do império. Todas elas foram destruídas pelos espanhóis, mas até hoje vê-se traços da antiga civilização inca, que já entendia de hidráulica, arquitetura anti-terremoto e astrologia.

3.  Por ter sido a base espanhola no país, Cusco tem uma influência européia muito forte, que se traduz na própria cidade, que parece ter sido construída em algum lugar perdido no tempo na Espanha antiga (por exemplo, a cidade me lembra um pouco Toledo, com suas fachadas antigas, igrejas de pedra e portais.

4. Devido à influência espanhola, Cusco tem uma forte influência católica – e a principal consequência foi na arte religiosa cusquenha. Para quem gosta de arte e história, ingressar por esse mundo é uma viagem à parte!

8. E por fim, por causa dela… 🙂

A cidade sagrada de Machu Picchu… Não se engane: as fotos nunca mostram o quanto ela é impressionante. Tanto que, não raro, a gente fica ali olhando e fotografando repetidamente o mesmo ângulo, na tentativa de fazer aquela beleza toda caber na foto.

Não cabe. Tem que ir lá ver, mesmo! 🙂

Bom… eu, cá com meus botões, continuo achando que o Peru é o meu país preferido na América do Sul (e Brasil não entra na conta, porque rola toda uma vibe emocional de amor à pátria, né?). Opinião formada e assumida, ainda mais porque eu sempre gostei mesmo de destinos assim, cheios de história e pessoas interessantes (e disso o Peru está cheio!).

E se eu consegui te convencer, pelo menos um pouquinho, a dar uma chance de viajar para o Peru e se apaixonar, já fico feliz!

Se bem que… talvez esse seja o bom das viagens, né? A gente pode se apaixonar por vários lugares ao mesmo tempo, que não tem problema, não rola ciúme, é só amor! 🙂

A blogueira e jornalista que vos fala visitou Machu Picchu duas vezes: em 2008 por conta própria durante um mochilão, e a segunda vez a convite do hotel SUMAQ em Águas Calientes e da TAM Linhas Aéreas.

 [box] Gostou deste post? Leia mais sobre o Peru aqui:

 

10 Curiosidades sobre Machu Picchu para você amar a cidade antes de chegar lá

Review do Sumaq Hotel, ótima opção para se hospedar em Águas Calientes

O que fazer em 6 horas em Lima

Crianças Peruanas: uma beleza à parte…

Comendo Cuy: o duelo final entre o homem e o rato

De Cusco para Machu Picchu: como chegar?

O que saber antes de ir para Cusco!

[/box]

Comments

73 COMENTÁRIOS

  1. Oi Clarissa!!!
    É a primeira vez que entro no seu blog e acredite: me senti em casa! Estive no Peru também em maio deste ano e me encantei muito mais do que com qualquer outro país da América do Sul. De verdade! Fiz a trilha Salkantay (5 dias no meio daquelas montanhas incrivelmente maravilhoras), passei uns dias em Cusco e voltei completamente apaixonada!
    Depois dos longos 5 dias de trilha pesada, a chegada a Machu Picchu foi muito bacana, mas estava chovendo e super nublado, ou seja, não tenho essa foto bonita que você postou com esse céu azul lindo! Rs! A parte boa é que tenho um belo motivo pra voltar!
    Adorei seu blog!

  2. Oi, Clarissa.
    Parabéns pelo blog e ótimo post.
    Eu vou ao Peru em setembro e estava encarando Lima e Cusco como passagem para Macchu Picchu. Você me fez ver que não é isso, que há muita coisa interessante nessas cidades também. Agora estou ansiosa para chegar logo!
    Bj, Cris.

    • Cris, Cusco é apaixonante, merece pelo menos uns 4 dias por lá, e você fica sem nenhum momento sem ter o que fazer!
      Aproveite sua viagem sim – aos poucos eu vou postando aqui o conteúdo que coletei dessas viagens! 🙂

      Beijos,
      Cla

      • q delicia achar isso tudo ha 3 dias da viagem q farei ao Peru….vou sozinha ,confesso estarbastante nervosa as vesperas,mas com um frio na barriga de imaginar esse lugar!!!amei as dica e minha base sera Cusco..acertei!! bjo

        • Dani, que bom que você gostou do texto! Acredite, você vai amar o Peru – e nem se preocupe em viajar sozinha: bate sempre aquela tensão de se a gente está esquecendo alguma coisa, mas eu diria que é mais mesmo em relação às coisas práticas, porque uma viagem sozinha é muito surpreendente, sabia? A gente volta outra pessoa e se dá a oportunidade de conhecer muita gente nova, coisa que talvez não faria se fosse com alguém.
          E foi uma boa ter Cusco como base – a cidade merece pelo menos uns 3 dias completos nela para aproveitar tudo – fora dois dias a mais só de Machu Picchu!
          Aproveite!!! E obrigada pela visita, fico feliz que você gostou do blog!

  3. Bom, já fui pro Peru 3 vezes e sempre foram viagens apaixonantes e surpreendentes. Pra quem pensa que o Peru se resume a Incas e Machu Pichu, seria como vir pro Brasil e conhecer Copacabana e a Marquês de Sapucaí no carnaval e sair achando que conheceu tudo.
    Pra não escrever um testamento aqui vou sugerir nomes, e quem quiser ir ao Peru faça o favor de procurar saber mais sobre eles:
    -Huaraz, o Huascaran e a trilha de Santa Cruz;
    -Chavin de Huantar, a civilização-mãe;
    -Trujillo com Chan-Chan e a Huaca de la Luna;
    -Chiclayo e o Senhor de Sipan;
    -Cajamarca: doce de leite, iogurte, sorvete holandes e história;
    -Chachapoyas: cidadela de Kuelap;
    -Lima: todo o centro histórico, se perca por lá!;
    -Cuzco e machu pichu: delírio! Veja tudo o que puder. Procure sobre Choquequirao.
    -Puno: islas flotantes uros, amantani (durma lá) e taquiles;
    -Arequipa: canion del colca e os condores (durma em Chivay);
    -Nazca: sobrevoo nas linhas misteriosas;
    -Ica:o oasis, paracas e as islas balestas;
    -Iquitos: a amazônia deles.

    Repito, fiz três viagens pra conhecer tudo isso, nenhuma levou menos de 20 dias. Estou pronto pra voltar!
    Viva el Peru glorioso (procure por essa frase em algum lugar do Peru, vc vai achar e vai rir). E mais um detalhe: eles são super gente boa e adoram brasileiros. Retribua esse carinho!

    • Andre, que privilegiado você é, 3 viagens com pelo menos 20 dias cada por lá! SOu apaixonada pelo Peru, e sei que o que não falta são lugares para visitar e revisitar por lá.
      Não fui a Huaraz, mas meu namorado foi e trouxe fotos lindíssimas de lá, bateu a maior vontade.
      Já eu gostaria de voltar para conhecer o Senhor de Sipán (ouvi falar muito dali), Arequipa, Nazca, Trujillo e Iquitos!
      Obrigada pela mensagem! 🙂

      • Oi, Raquel! Tem várias agências boas, mas a que eu fui (e amei!) foi a Viajes Pacífico. Eles tem um excelente atendimento em Português, os guias são super simpáticos e apaixonados nas suas explicações da cidade, e as vans e ônibus são super confortáveis!

  4. Vale muito a pena mesmo! Cultura, belezas naturais e comida maravilhosas! Foi uma viagem incrível. Fui em 2009 e fiquei encantada.
    Fiz Lima(pouco), Ica(visitamos Lagoa Huacachina e Ilhas Balestas)
    Nazca, valeu a pena sair verde por causa das piruetas do aviãozinho para ver os misteriosos desenhos no solo de Nazca.
    Depois Cuzco e Machu Picchu, com direito a trilha para Waynapicchu e ver Machu Picchu lá de cima! Lindo demais!
    Por último Puno e Ilha de Uros e Taquile. Taquile é demais, o lago titicaca parece mais um mar do que um lago, lindo demais.
    Foram apenas 15 dias e depois seguimos para a Bolívia, que também foi muito bacana, não tão preparada para receber turistas na época, mas com belezas incríveis também. Conheci Monte Chacaltaya e o incrível Salar de Uyuni!
    Se não tivesse tantos outros lugares para conhecer, eu voltaria correndo para o Peru. rs
    E com relação a comida, não sou expert e nem tenho tantas vivências, mas também tive a oportunidade de ir a Itália e apesar de ter comido a melhor pizza da minha vida em Cinque Terre(pizza de camarão com pesto), não troco pelo ceviche que comi em Lima(barato, fresco, simples e de sabor indescritível).

    • Dri, que bom que você achou a mesma coisa em relação à comida do Peru x Itália (sinal de que eu não estou louca!).
      Realmente, tem uma diferença em relação à Bolívia sim, mas os dois países tem sua beleza peculiar (mas me apaixonei mesmo pelo Peru!).
      Não fui a Puno (ainda) mas está na lista!

  5. Maravilhoso o post. O Peru é simplesmente apaixonante. Povo simples, mas de uma riqueza cultural imensa. Não dá para conhecer tudo em uma ida apenas, é preciso voltar!
    Vamos recomendar o post a nossos clientes com destino ao Peru! Parabéns!

    • Oi, Luis!
      Olha, não é recomendado ir para Machu Picchu e Cusco no reveillón não. De novembro a fevereiro é a estação de chuvas por lá, e são chuvas bem pesadas mesmo – já aconteceu de ter deslizamentos e com isso alguns acessos serem fechados (para Machu Picchu, por exemplo). O ideal é ir de abril a outubro (e isso é recomendação dos próprios peruanos!).

  6. Amei seu blog, estou planejando minha viagem ao Peru no final de março/2015, será que pego a temporada de chuva?? Estou pensando em ficar uns 5 dias em Lima e depois ir pra Cuzco e Machu Picchu.
    Estou indo com a cara e a coragem, é fácil a locomoção lá?
    Já peguei todas as suas dicas agora é só esperar a data chegar.

    Bjus

    • Março acho que você ainda pega um pouco de chuva sim (eu peguei) mas dá para aproveitar o passeio mesmo assim!
      5 dias em Lima é bem legal, mas deixe 5 dias para Cusco também, tem muita coisa legal por lá e menos do que isso você deixa de conhecer passeios legais!
      Vou fazer um post sobre Lima em breve!
      Quanto a ir com a cara e a coragem, eu fui assim e deu super certo – os peruanos são muito atenciosos e a experiência de viagem é fantástica!
      Já a locomoção, bem… De Lima a Cusco eu recomendo ir de avião (de ônibus é um dia de viagem num chacoalhar absurdo). Os ônibus intermunicipais e estaduais são meio… bem… hardcore, mas se você topa a aventura, vá sim – eu fui, vários amigos meus foram e estamos todos inteiros! 🙂
      Cusco se anda bem à pé ou em tours, tranquilamente! E de Cusco a Machu Picchu você consegue comprar o trem sem problemas também!
      Vou ver se agilizo o resto dos posts sobre o Peru com estes detalhes para postar aqui para te ajudar! 🙂
      Você vai adorar o Peru! E depois que você voltar me conta como foi sua viagem! 🙂
      Bjos, Cla

  7. Boa tarde Clarissa.
    Estou planejando ir para o Peru, em 03/01/2015 por conta estou tentando fazer um roteiro, mas a logística local e muito difícil. Vai eu minha esposa e meus dois filhos adultos 16 e 17. Você poderia me ajudar de alguma forma? Obrigado pela atenção.

    • Oi, Alessandro!
      Pois é, a logística do Peru é meio complicada, o trânsito é bem complicado e os transportes públicos não são aquela maravilha. Mas olha, é o único ponto negativo – tenho certeza de que você vai adorar a viagem mesmo assim.
      Em trechos como Lima-Cusco, por exemplo, o ideal é fazer de avião mesmo: Cusco está em uma altitude muito grande e, mesmo que o mapa mostre que parece ser uma cidade perto da outra, o trecho de ônibus envolve muita subida, muitas curvas, muito tempo e, acredito, muito mal-estar. Vá de avião e economize este mal-estar, deixe para gastar o tempo conhecendo o lugar.
      De resto, os sistemas de ônibus não são aquela maravilha toda, mas ajudam. Dá uma olhada neste post do Sundaycooks, eles dão dicas bem bacanas de quais empresas viajar: http://sundaycooks.com/2014/08/27/dicas-viajar-onibus-peru-melhores-empresas/
      De resto, estude a possibilidade de fazer algumas cidades como base, como Lima, Cusco, Arequipa, e conheça os arredores!
      Espero ter ajudado!

  8. Cara, sem dúvida o Peru é tudo de bom!!! Ótimas razões sem dúvida. Fui e quero voltar!
    Fiz a trilha de salkantay agora em outubro … já tinha lido muito a respeito e não me arrependi. Hoje tenho orgulhinho do meu próprio relato. Espero poder ajudar também a galera a embarcar nessa fantástica Aventura

    Abaixo, meu relato pessoal de experiência da trilha até machu picchu 😉 Espero que ajude alguém!
    http://viajanderia.wordpress.com/2014/10/27/minha-experiencia-fazendo-a-trilha-de-salkantay-para-machu-picchu-agora-do-meu-jeitinho/

    • Iago, não sei se posso te ajudar nisso… Tirar um lucro, você diz, comprar e revender? Não sei dizer mesmo – sei que quem faz muitas compras assim tem toda uma matemática própria, e não faço ideia de qual seja!
      Desculpe!

  9. Olá Clarissa! Acabo de voltar do Peru e posso afirmar que realmente é um país surpreendente e apaixonante. Para ser honesta, fui sem muitas expectativas. Pensava apenas em conhecer Machu Picchu e fazer a “foto cartão postal”… fiz uma viagem de 8 dias, passei por Lima, Cusco a Aguas Calientes. Só agora entendo por que as pessoas me falavam que 8 dias seria pouco! É pouco mesmo, se pudesse teria incluído mais 3 dias (pelo menos) em meu roteiro. Confesso que também me encantei mais com o peru do que com a Argentina… e concordo com seus comentários sobre a comida (muito boa – porém não comi o porquinho). Parabéns pelo seu blog, conheci agora por acaso ao pesquisar sobre o Peru (a gente volta com mais sede ainda de cultura né?) e adorei seus posts.

    • Márcia, que bom que você gostou do post! 🙂
      Ai, que bom que você se encantou mais com o Peru do que com a Argentina – é uma prova de que eu não estou maluca, porque penso exatamente assim!
      E o bom é que o Peru, como é pertinho, dá sempre pra voltar. Eu fiquei 8 dias da primeira vez que fui, e mais 5 da segunda, e confesso que voltaria de novo, ainda com mais tempo… tem tanto lugar nesse país lindo que eu ainda nao fui!
      Ah, eu confesso que só comi o porquinho na segunda vez que fui, na primeira não tive coragem não! 😛 E também porque fizeram um prato especial, com a carne do porquinho desfiada – então, se não me dissessem que era o cuy eu nunca saberia… e até que foi bom!
      Obrigada pela visita – volte sempre! 🙂

  10. Boa noite Clarissa, eu como peruano gostei muito das suas dicas, voce deveria percorrer todo o nosso país e eu se que vai se agradar mais e ate talvez nao vai quer voltar rsrsrsrsrs.
    Bom Clarissa eu sou formado em ciencias administrativas e turismo na universidade de Cusco, e já teve essa sorte de morar em São Paulo e agora que voltei para o Peru montamos aqui no Peru a nossa operadora de turismo chamada Viagens Machu Picchu, Operadora única e exclusivamente para os brasileiro que desejem conhecer Machu Picchu e Peru.
    Nos da Viagens Machu Picchu sempre estamos dispostos a ajudar a qualquer pessoa sem compromisso de compra e simplesmente queremos que tudos venham e curtam a nossas paisagens.
    Att: Juvenal Rondan

    • Oi, Juvenal, obrigada pela mensagem! Sim, eu já fui duas vezes ao Peru e tenho muita vontade de um dia percorrer o país inteiro – sou apaixonada pela cultura e paisagem de vocês!
      Boa sorte na empresa e no novo desafio!! Muito sucesso! 🙂

  11. Bom dia,Clarissa! Caramba,sou apaixonada pelo Peru,mas ainda não conheço. Estou planejando e espero que dê tudo certo. :)Primeira vez que leio o seu blog e simplesmente amei! Me fez ficar ainda mais apaixonada e com mais vontade de ir ao Peru. Obrigada por compartilhar tamanho sentimento de amor conosco. Um grande abraço!

    • Oi, Geice! Que bom que você gostou do blog – tento fazê-lo com bastante carinho!
      Olha, vai para o Peru sim! Você vai adorar, é um país muito especial e super querido com os visitantes! Aqui no blog tenho publicado uma série especial sobre a América do Sul e especialmente sobre o Peru, fique à vontade para pesquisar nos posts e pegar as dicas para a sua viagem! Espero que sua viagem para lá seja maravilhosa! 🙂

  12. Ameiiiiii seu post! eu e meu marido escolhemos o Peru para uma visita (conheço até o momento a Argentina – e AMO!). Com esse post não tenho mais dúvidas de que fizemos a escolha certa para a nossa próxima trip – ele Surfa – ficou mega feliz em saber que poderemos incluir a atividade na viagem! Obrigada pelas indicações, vou ler todos os outros posts relacionados ao Peru!

    • Suellen, que bom que você gostou!!! Você vai ver, o Peru é um país apaixonante, e tem gosto para tudo: para surfista, para quem gosta de museu, de compras, de comida boa, de história!!!
      Tô com um roteiro enorme do Peru aqui no blog, confere só: tem as dicas arrumadinhas ali!

  13. Clarissa, muito bom todo seu relato! Estou pensando ir para o peru em abril. Dica sua, vou por conta própria ou procuro uma agencia?
    Abraços e muito bom tudo que escreve!

    • Bruno, que bom, vá em abril sim, o tempo já está ótimo!
      Eu fui duas vezes, uma por conta própria e outra com uma agência excelente chamada Viajes Pacífico (tem guias em português).
      Mas dá para ir por conta própria numa boa, e só contratar a agência para tours de um dia, se você quiser.
      Particularmente, eu preferiria ir por conta própria! 🙂

  14. Pretendo fazer em um ano toda a América do Sul com sua experiência e conhecimento gostaria de obter informações sobre hospedagem, alimentação, pontos e cidades que tem que ser visitadas.
    Um ponto importante vou de mochileira quais os procedimentos para entrar nesses países, documentação, seguro em fim desejo o máximo de informações possíveis.oObrigado!

  15. Olá, Clarissa!
    Parabéns pela perfeição desse post, você escreve muito bem. Eu e minhas amigas planejamos ir ao Peru ano que vem (2016), mas ainda não decidimos o mês. Estamos todas apaixonadas por tudo o que já sabemos sobre o Peru, mas agora, depois desse seu post, estou pra ter um treco de paixão!!! Obrigada por todas as dicas preciosas que nos deu. Que todas as suas viagens sejam perfeitas e nos conte todas! Abraço.

    • Obrigada, Fátima, pela mensagem e pelo carinho! Olha, façam essa viagem sim, eu também fui duas vezes com amigas e foi maravilhoso! Mas posso dar uma sugestão? Tente marcar para os meses de maio ou junho, quando o tempo está mais firme e mais bonito – isso faz toda a diferença nas paisagens, nas fotos, em tudo!

  16. Adorei ler seu artigo. Pretendo ir em 2016, e você descreveu de uma maneira tão apaixonada e apaixonante, que me empolgou ainda mais em ir. Vamos ver se, dos países que visitei por aqui na América do Sul, Peru será também o meu preferido.
    PARABÉNS pelo trabalho e OBRIGADA por compartilhar.

  17. Olá, Clarissa..

    Li com atenção o seu diário de viagem e achei ótimo, ele traz muito valor para as pessoas que querem viajar. Eu sou do Peru e a verdade é que me dá grande orgulho ver como as pessoas como vcs se expressam sobre meu país. Concordo com você, o Peru é um excelente destino turístico, está cheio de história, cultura, comida, tradições e outras que valem muito a pena!

    Parabéns pelo blog, convido todos pra visitar Peru….Abraços.

  18. Estou indo pela aiesec, intercambio independente para jovens universitários no peru, para dar aulas de português na universidade san marcos. Mal posso esperar!!!

  19. Fiz a trilha inca com 11 pessoas da minha familia. Algumas que ja viajaram para varios lugares do mundo concordam que nada foi comparavel a experiencia de fazer a trilha inca.

  20. Adoraria conhecer o Peru, tanto pela cultura, quanto pelas imagens maravilhosas das quais sempre vejo. Sou apaixonada por natureza, lugares históricos e por gastronomia diversificada.
    Gostaria de saber, se o Peru tem pacote de entretenimento que possa ser realizado por uma família?.Tipo dois adultos e duas crianças de 9anos. Pois adoraria viajar com a minha família e aproveitar o máximo, de lazer, cultura, gastronomia mais acima de tudo com muita segurança para as crianças, com certeza eles são a nossa maior prioridade e preocupação. Estou pensando em fazer essa viagem, mais estou preocupada, se só será um local ideal para adultos e nem um pouco para crianças?!
    Por favor, se você gentilmente puder nos ajudar, ficaria imensamente agradecida.
    ATT. Vanessa e família.

  21. Clarissa, concordo totalmente com você. Eu amei o Peru.
    Morei em Miraflores por 4 meses (meu marido estava trabalhando em Lima) e me encantei com tudo: a comida, a civilidade, a história, a educação, tudo, tudo. Não vejo a hora de poder voltar.

  22. Oi pessoal sou viajante de primeira viajem pra Lima Peru gostaria de dicas e hoteis bem em conta vou ficar uns 5 dias e gostaria que me ajudassem

  23. Fui ao Peru em agosto de 2014. Eu tive a mesma sensação que você. Eu não imaginei que fosse ficar tão apaixonada pelo Peru. Depois do Peru acabei indo ao Chile e Argentina, são países incríveis também, cada um com a sua beleza. Mas acho que não me causou aquela sentimento que o Peru causou em mim. Quando converso sobre o Peru, falo com amor e com muita saudade. A única coisa que não tenho saudade é do Soroche, passei muito mal. rs Mas eu sempre tento convencer as pessoas a conhecerem o Peru, acho que tem um pouco para todos os gostos: natureza, história, gastronomia… E falo para irem enquanto se tem energia porque subir aquelas escadarias de pedra com o soroche não foi fácil para mim, mas ainda sim eu faria tudo de novo. Aqui em São Paulo, quando descubro um novo restaurante peruano eu vou conhecer para tentar matar um pouco a saudade. rs

  24. Amei tudo que vc escreveu e compartilho da mesma opinião .Meu sonho em conhecer Machu Picchu nasceu na minha adolescência quando estudei sobre os Astecas,Maias e Incas.Achava que seria um sonho irrealizável,mas em 2012 repentinamente ele se concretizou!!Parece piegas ,mas sempre digo que meu coraçao ficou la e que preciso retornar.A emoçao que senti nessa cidade Inca foi indescritivel e o Peru uma descoberta riquíssima.

  25. Olá, é uma boa viagem para fazer em casal? 7 dias vocês acham que dá pra curtir e conhecer: Machu Picchu, Vale Sagrado e Cuzco (Peru)? Tem alguma dica do que curtir na noite?

    • Camila, é sim! Eu fui duas vezes (uma com amigas e outra a trabalho), mas voltaria fácil com meu marido. E sim, 7 dias dá para conhecer esses lugares todos sim (mas considere deixar 5 dias inteiros para Cusco, MP e Vale Sagrado, e os dias “das pontas” para deslocamentos de avião entre Cusco, Lima e Brasil.
      Lembro que Cusco tinha umas noitadas super animadas, eu me diverti bastante!!! (Mas dica de quem passou por essa experiência: não pegue pesado na noitada porque os dias de passeios são bem intensos).

      Um abraço!

  26. Clarissa!! Amando seu post, lindo demais, adorei as fotos e dicas. Tenho férias com meu namorado em outubro e o destino provavelmente será o Peru, então estou doida atrás de fóruns sobre o país. Com a sua experiência de ter visitado 2x, vc acha que seria interessante fecharmos a viagem com uma agência aqui do Brasil, ou chegando no país os passeios e translados são de fácil acesso? Assim a viagem ficaria um pouco mais barata, pq as agências daqui cobram um absurdo! Aguardo seu retorno se possível!!! Muitos beijos 🙂

    • Daniele, acho que você pode fechar por lá sim. A primeira vez que fui era no esquema mochilão e fui fechando tudo por lá (embora se você quiser ir para Machu Picchu por conta própria, eu recomendaria você comprar os bilhetes de treme entrada com antecedência. Se você for por agência, pode deixar para comprar mais perto, mas não deixe para a última hora especialmente se estiver indo em época de alta).
      Na segunda vez eu fui com a Viajes Pacifico (http://www.viajespacifico.com.pe/), que é de lá, mas você pode fechar do Brasil se quiser – eles falam português e são uns amorecos… 🙂

  27. Olá Clarissa ,

    Você sabe escrever muito bem, pois consegue incentivar a todos a viajar para o Peru. Eu até me animei a ir sozinha, apesar de nunca ter viajado sozinha. Queria ir agora em agosto, mesmo em cima da hora.
    Você acha que é uma viagem tranquila, prazeirosa, para uma mulher ir sozinha? Não sou muito de fazer amizades fáceis, por isso tenho um pouco de medo de me sentir solitária e ainda mais em outro país.
    Um abraço pra você.

    • Oi, Cleide! Que bom que você gostou do post!
      Acho que agosto é uma boa época sim, e dá para você curtir mesmo sozinha – eu viajo sozinha com frequencia, e confesso que são grandes aprendizagens!
      Em relação a uma mulher sozinha viajando por lá, acho que pode ser tranquila e prazeirosa sim – só tome os cuidados de sempre que você teria na sua própria cidade! Quanto a amizades, eu costumava viajar em albergues (quando era mais nova) ou com tours de experiência – que sempre permitem conhecer alguém… Os peruanos são muito queridos!!!
      Experimente participar de algo que tenha uma experiência que te agrade, como aulas de gastronomia (eu fiz uma no Peru e é imperdível, até porque a gastronomia dels é super interessante) e você começa aconhecer outras pessoas. O mesmo com tours no museu, etc… Sei lá! São oportunidades de conhecer outros. Mas acho que você vai gostar muito sim. Minha viagem para lá foi profundamente transformadora a nível pessoal – e independente das pessoas com que fui!

  28. Oiii, Quantos dias para aproveitar bastante? Eu e minha mãe estamos pensando em ir no inicio do ano…se puder ajudar com alguns roteiros 🙂 AMEEEI os posts! Sempre demaisss

    • Mila, acho que não! talvez você queira evitar subir no Wayna Picchu por causa disso (que é a montanha alta que aparece por trás da cidadela de Machu Picchu), mas não creio que será um problema. Eu me sinto desconfortável com altura também, e evitei “as bordas” da montanha. Mas a experiência é linda mesmo assim!

  29. Amo a Argentina, amo o Chile e com toda certeza irei amar o Peru. Estou programando uma viagem de quinze a vinte dias em Julho, mas as passagens estão muito caras. Sou do Nordeste, interior do Ceará mas pasmem , sair daqui pra São Paulo sai o trecho em média por 500 reais e isso encarece muito a viagem.

    • Emiliana, super acredito! Infelizmente as passagens tem encarecido bastante dentro do Brasil. Não tem como esperar para organizar essa viagem quando rolar uma promoção?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário! :)
Por favor escreva seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.